FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 6 - BY JULIANA DANTAS

Como estão curtindo o feriadão? Feliz Páscoa para vocês! Ainda bem não se esqueceram de passar por aqui para ler mais um capítulo dessa fic tão deliciosa... Então aproveitem... E não abusem muito do chocolate...

Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17
Interlúdio
By Juliana Dantas
Capítulo 6

Bella olhava apreensiva para fora do carro, enquanto percorriam a estrada.
Não deveria ter concordado com Edward. Deveria ter ido embora. Fugido em quanto era tempo.
Mas não. Ela mais uma vez concordara com os planos dele. E se a policia descobrisse? Pior: e se eles descobrissem?
Um tremor de medo traspassou seu corpo.
-Tudo bem? - Edward perguntou ao seu lado.
-Não, não está! – respondi - Eu não deveria estar aqui!
-Bella, estamos chegando, não se preocupe.
-Você não sabe onde esta se metendo.
-Você podia aproveitar e me contar...
-Não. Sabe o que deveríamos fazer? Você dar meia volta e deixar eu ir embora...
-Você não pode ir... – ele falou tão enfaticamente que Bella o fitou – Ainda... – ele continuou – Porque está ferida. E eu sou seu médico então...
-Espero mesmo que não se arrependa disto... – murmurou.
Porque a questão era que se preocupava com Edward também.
Ele era um cara legal. Um cara decente.
Não deveria tê-lo metido naquela confusão.
Mas agora era tarde. Restava o consolo de que em poucos dias ela estaria curada e poderia ir embora.
Deixando Edward para trás para sempre.
-Chegamos!
Edward encostou o carro em frente a uma casa branca enorme. E do outro lado ouvia-se o barulho do mar.
Mas ao saírem do carro Bella estacou.
Faróis altos foram ligados na sua cara.
Denunciando que havia outro carro ali.
O coração de Bella parou de bater por uns segundos.
Então a porta do carro abriu e a tal Tânia saiu do carro com cara de poucos amigos.
-Tânia? O que está fazendo aqui? - Edward indagou entre surpreso e irritado.
-Eu sabia – ela sorriu diabolicamente - Então finalmente eu conheço a fulaninha que está saindo com o Edward?
Era só o que faltava! Uma namorada louca pra completar a história, pensou Bella.
-Tânia, não deveria estar aqui! Alias, nem sei como foi que soube que eu vinha pra cá.
-Não achei que fosse segredo! Mas tudo bem, eu ouvi sua conversa com Carlisle. E não esqueça que esta é a casa da sua família! E já estive aqui muitas vezes.
Bella deu um passo à frente.
- Olha moça! Eu não te conheço, mas está havendo um mal entendido. Tenho certeza que se você conversar com Edward ele lhe explicará tudo.
- Eu já conversei com Edward! E ele nega que você exista! Talvez você não signifique tanto pra ele. Afinal de que buraco você saiu, que precisa te esconder? Pelo o que eu entendi nem a família dele sabe da sua existência...
Bella começou a ficar com medo. Porque era óbvio que esta tal Tânia estava com ciúmes.
Como se houvesse mesmo alguma coisa entre ela e Edward!
Mas e se ela descobrisse quem ela era?
-Tânia, melhor você ir embora. Não tem nada pra fazer aqui! - Edward pediu.
-Não vou embora, até que me explique da onde tirou esta garota! Acho que tenho direito de saber por quem estou sendo trocada...
-Não está sendo trocada por ninguém, já que...
-Eu não tenho nada com o Edward. – Bella completou.
-Ah não? Quer mesmo que eu acredite nisto? - Tânia falou irônica.
-Mas é verdade eu... - Mas Edward segurou a mão de Bella.
-Chega Bella. Não devemos explicação a Tânia... – ele falou lançando-lhe um olhar ameaçador e então encarou Tânia – Mas já que insiste em saber, Tânia. Sim, eu e Bella estamos juntos. – Bella arregalou os olhos, tentando soltar a mão, mas Edward continuou, para sua consternação – Satisfeita? Agora dê o fora daqui!
Bella não podia acreditar que Edward estava inventando aquela mentira. Tânia ficou tão vermelha de raiva que parecia que ia explodir.
Bella soltou a mão de Edward, disposta a acabar com aquela história.
-Olha Tânia... - mas ela não conseguiu continuar, pois Tânia avançou para cima dela, estapeando-a.
Foi tão rápido e antes que Bella se desse conta, Tânia estava em cima dela com chutes, pontapés e unhadas.
-Sua maldita, eu vou acabar com você!
Edward conseguiu segurar Tânia, mas foi uma pena. Porque agora Bella estava louca para dar uns tapas na cara daquela louca.
-Tânia, pelo amor de Deus está louca? Agora você passou dos limites!
E então Tânia começou a chorar descontroladamente.
-Me desculpa... Eu não posso ver você com outra pessoa, porque eu ainda amo você...
Bella mordeu os lábios com força.
Agora já era demais.
-Tânia, por favor, vai embora... – Edward falou mais brandamente.
-Ok, eu vou... – ela falou, mas antes de entrar no carro, lançou um olhar para Bella que deixava bem claro que ela não tinha desistido.
Assim que Tânia se afastou, Edward a encarou.
-Me desculpe por isto. Tânia esta descontrolada...
-Eu sabia que não deveria estar aqui... E se ela contar pra alguém?
-Não vai contar. E se contar, será apenas que você é minha namorada nova...
-Não sou sua namorada!
-Não, não é. Mas Tânia pensa que é.
-Por isto inventou esta história de namorada!
-Sim, Tânia não tem porque desconfiar que é outra coisa. Agora vamos entrar.
Eles entraram na casa enorme e despojada e então Bella gemeu.
-Ai!
-O que foi?
-Está doendo, meu ferimento...
Edward a segurou e a fez sentar, levantando sua blusa.
-Acho que na hora da briga com a Tânia algum ponto pode ter estourado... Bella prendeu a respiração e então Edward a fitou.
-Não, nenhum ponto estourou, por sorte. - de repente seus dedos tocaram sua testa – Mas você esta machucada aqui.
-Ai!
-É só um arranhão, mas eu vou limpar...
Ele se levantou, se afastando.
-Vou buscar minha maleta no carro.
De repente o celular dele tocou.
Bella pensou em ignorar, mas e se fosse alguma emergência do hospital e atendeu.
-Alô.
-Bella... – falou a voz ameaçadora.
-Quem está falando?
-Tânia. Que bom que atendeu. Eu só quero deixar uma coisa bem clara. Se afaste do Edward. Com certeza ele deve ter te achado numa dessas esquinas por ai. Você não tem classe de quem freqüenta os mesmo lugares que ele. Não se entusiasme queridinha, não vai conseguir arrancar muita coisa daqui. Vamos facilitar sua vida. Quanto você cobra? Pago o dobro do que Edward está te pagando, só para você sumir.
Bella não podia acreditar no tanto de barbaridades que aquela louca estava dizendo!
-Escuta, acho bom você parar de me ofender! Se tem algum problema com o Edward, resolva com ele e me deixe em paz! - E desligou na cara dela.
Quando Edward voltou Bella estava muito séria.
-Tudo bem? Está doendo mais alguma coisa?
Ela sacudiu a cabeça negativamente.
-Não.
Por um minuto pensou em contar da ligação de Tânia. Mas desistiu.
Do que ia adiantar? Dentro dela agora só havia a convicção que tinha que dar o fora dali o mais rápido possível.
Edward sentou ao seu lado e começou a limpar seu ferimento.
Bella fechou os olhos e ele trabalhou em silêncio.
-Eu sinto muito... – ele murmurou de repente e Bella abriu os olhos para perceber que ele estava muito perto.
Perto demais.
Sua pulsação acelerou alarmantemente e uma fraqueza ameaçadora a dominou.
Suas mãos agora estavam sobre seu cabelo, acariciando-os lentamente.
-Quem sente sou eu. Estou transformando a sua vida numa confusão. Nunca deveria ter obrigado você a me levar do hospital. Agora veja quantos problemas! Sua namorada...
-Ela não é minha namorada, Bella.
- A verdade é que se ela age assim, é porque alguma coisa a faz sentir que tem direitos sobre você ainda. E quem sou eu para me intrometer? Eu não sou nada. Sou apenas uma fugitiva que forçou entrada em sua vida!
-Você é mais do que isso, Bella. - ele falou suavemente e Bella sentiu as palavras adentrarem em seu corpo e em sua mente como uma droga, entorpecendo-a. A mão que estava em seu cabelo desceu para sua nunca lentamente.
Ele ia beijá-la. Ela sabia disto e seu coração disparou alarmantemente. Mas ainda havia um resquício de sanidade em sua mente.
-Não, Edward, por favor... – pediu num sussurrou.
-Porque não? Eu quero beijar você. - seus dedos acariciavam seu rosto, trazendo-a cada vez para mais perto – Eu estou atraído por você Bella...
-Mas não pode... Você... Não pode... De maneira alguma... - mas ela não conseguiu terminar, pois a boca de Edward desceu sobre a sua.
E ela deixou de pensar em qualquer coisa a não ser a pressão da boca dele, o gosto dele.
Tudo se resumia a ele.
Com um gemido, ela se rendeu, beijando-o de volta.
E tudo virou um inferno.
Com um movimento ágil ele levantou o outro braço e a puxou para seu colo, a mão se insinuando para dentro de seu cabelo, segurando sua nuca. Bella suspirou, sentindo cada parte de seu corpo reagir a ele. As mãos subiram como se tivessem vontade própria para segurar o rosto masculino, sentindo a barba que despontava arranhar seus dedos, o beijo se aprofundando, as línguas se encontrando e se enlaçando, roubando seu fôlego. As mãos de Edward desceram por suas costas e pousaram em seu traseiro a puxando para si, fazendo-a sentir sua ereção pulsante e Bella gemeu, trêmula, ondulando o quadril contra ele, instintivamente. A boca dele largou a sua para trilhar com beijos todo seu rosto, sua garganta, sua orelha e Bella arquejou, um calor incendiário a tomando por inteiro. Ansiosa, ela levou as mãos aos ombros dele, o apertando, sentindo os músculos por debaixo da camisa. E as mãos dele retiraram a blusa que ela usava pela cabeça. E seus olhos cintilaram ao vê-la com aquela lingerie preta, os dedos acariciando seus mamilos por cima da renda e Bella sentiu que ia derreter ali mesmo.
-Eu quero você Bella... - ele murmurou em seu ouvido, a deitando lentamente no sofá.
Mas então de repente, a realidade se interpôs.
Que diabos estava fazendo?
Foi como um balde de água fria e Bella parou o empurrando.
-Não, Edward. - ela pulou do sofá.
-Bella... - ele protestou ofegante, mas ela sacudiu a cabeça.
-Me desculpe, não posso fazer isto... - ela torcia as mãos, aflita.
Edward passou a mão pelos cabelos, frustrado.
-Por favor... Não podemos fazer isto...
Ela sentia os olhos se enchendo de lágrimas ameaçadoras, mas piscou.
-Ok, me desculpa. - ele falou sério, se levantando e entregando a blusa a ela, que a vestiu rapidamente. - Vou mostrar a casa a você.
Ele a levou pela casa rapidamente e a deixou em um quarto.
-Fique a vontade. Vou preparar alguma coisa para comer.
E saiu silenciosamente.
Bella sentou na cama, irritada consigo mesma.
Que confusão tinha se metido desta vez?
E onde estava sua força de vontade, sua determinação em partir sem olhar para trás? Fora por espaço quando ele a tocara, juntamente com sua sanidade. Deveria estar louca mesmo, fora de si. O que havia neste cara para ela agir deste jeito? Porque perto dele se transformava em outra pessoa?Não se sentia mais aquela Bella centrada, cujo único objetivo na vida era fugir e jamais ser pega, nunca se envolvendo emocionalmente com ninguém, nunca ficando mais que uns poucos dias no mesmo lugar. Sempre fugindo.
De repente sentiu um vazio no peito, uma vontade insana de chorar, de correr para a sala e agarrar-se a ele, pedindo que nunca a deixasse partir, que transformasse sua vida, que a amasse.
Bella fechou os olhos, tentando tirar da mente estes pensamentos sem sentido. Não adiantava se enganar. Ela era uma fugitiva e ele um médico rico, e ela já tinham causado confusão demais na sua vida. Tinha que partir, fugir novamente.
Sem olhar para trás.
Com um novo ânimo, ela caminhou até o banheiro, ela prendeu os cabelos e lavou o rosto, como se assim, pudesse mandar embora todos os pensamentos tolos e, decidida, foi a sua procura.
**
Edward começou a mexer na cozinha, irritado.
Estava frustrado.
Frustrado ao tentar entender o que passava na cabeça daquela moça complicada.
Uma hora ela era quente e receptiva, outra fugia dele como o diabo foge da cruz.
Sacudindo a cabeça, ele desistiu de entendê-la.
Na verdade, no fundo ele sabia que não deveria querer se envolver com ela.
Ele nem sabia quem era. Ou o que tinha feito.
E em poucos dias ela sairia da sua vida sem deixar rastro.
Então porque não podia parar de pensar nela?
Ela o estava enlouquecendo.
Parou, de repente, tentando analisar o que estava sentindo.
Não queria que ela fosse embora.
Pelo menos não antes de conseguir desvendar os segredos que vinham em seu coração. E em sou corpo, pensou com um sorriso torto.
É claro que sabia quem ela era e quem ele era. E como ela mesma tinha dito, a presença dela em sua vida não duraria para sempre, seria loucura pensar diferente.
Mas a verdade era que ainda não estava preparado para abrir mão dela.
Bella entrou na cozinha minutos depois. Estava com os cabelos presos num rabo de cavalo o que a deixava com um ar de menina. Ele sorriu para si mesmo, pensando em como a visão dela, de qualquer jeito, o agradava.
-Você está bem? – perguntou.
-Sim, estou.
-E sua testa...? - ele se aproximou, tocando sua testa.
E num gesto instintivo, pegou uma mecha de cabelo que saía do rabo de cavalo e colocou atrás de sua orelha e viu a respiração dela mudar ao acariciar seu rosto com o polegar. Oh Droga, queria deitá-la na mesa, tirar sua roupa e fazer amor com ela até que suas forças se esvaíssem.
Mas em vez de tomar qualquer atitude ele se afastou.
-Sente-se e coma.
Eles comeram em silêncio e então Bella se levantou o encarando.
-Eu vou dormir.
Ele não a impediu.
**
Ela corria. Seus pés descalços feridos contra as pedras e folhas no chão, os galhos das árvores arranhavam seu rosto,
mas ela tinha que manter a maior distancia possível entre ela
e seu perseguidor.
Podia ouvir seus passos cada vez mais próximos e o peso de sua respiração.
Ele iria pegá-la.
Desta vez ela estava perdida.
Bella acordou de repente, assustada.
Mais um pesadelo.
Respirou fundo várias vezes, tentando se acalmar. Ela já tinha se esquecido deles. De como eles a perseguiam.
Porque desde que estava com Edward, não tinha sonhado mais.
O choro veio, sem que ela conseguisse conter e sem pensar no que estava fazendo, jogou as cobertas para o lado e se levantou.
Andou pela areia e sentou em frente ao mar se perguntando quanto tempo mais agüentaria aquela vida? Agüentaria ficar sozinha?

Edward a encontrou sentada toda encolhida na areia nas primeiras horas da manhã.
O que ela estava fazendo? Ainda nem amanhecera direito, e estava caindo uma chuva fina.
Preocupado, ele foi até ela.
-Bella, o que está fazendo aqui fora? Está frio e chovendo.
-Eu tive um pesadelo... – murmurou - Eles estavam atrás de mim...
E então ela começou a chorar silenciosamente;
Edward a pegou no colo e a levou para dentro e desta vez, Bella não protestou.
Ele a colocou sobre a cama, sua cama e a cobriu.
-Quem estava te perseguindo Bella? – indagou, retirando os cabelos do seu rosto.
Ela o fitou com o olhar perdido e sacudiu a cabeça negativamente.
-Eu queria tanto... Que eles não existissem... E quando estou aqui com você... É como se eles não existissem mesmo... E eu me sinto...
Ela não terminou pois Edward a beijou devagar.
Bella suspirou e não o impediu.
-Edward... Me faça esquecer... – pediu.
Edward a encarou por um momento.
Talvez ela se arrependesse disto depois, mas não importava.
Que se danasse o resto.
Não importava quem ela era, ou quem ele era.
Estava cansado de lutar contra o que sentia.
Com um gemido, ele a deitou sobre a cama e deitou em cima dela, beijando-a.
Desta vez, ninguém ia parar. Bella sentia a mente dando voltas e o corpo queimando e derretendo em todos os lugares, enquanto Edward a despia, tocando com os lábios e as mãos todo pedaço de pele que era descoberto.
Seu coração batia acelerado no peito e ela sentia uma excitação vibrante que nunca sentira antes.
Existia um lado de sua mente que sabia o quanto aquilo era errado.
Mas ela não podia mais parar. Estava além de qualquer controle.
As roupas desapareceram. As dela e as dele. E Edward deitou sobre ela, nu, as pelas se roçando.
Sentia o peso dele em cima de si, o hálito quente em seus cabelos, os braços que a apertavam como se nunca mais fosse soltá-la.
E sentiu-se plena.
Era certo. Tinha que ser certo.
Os lábios deslizando por seu rosto, pescoço, seus seios. Os dedos percorriam sua pele em brasa, como se conhecendo sua textura, suas nuances.
Bella tremeu em expectativa. Um desejo úmido e quente se instalando em meio a suas pernas e ela as separou para Edward.
Edward...
O homem que tinha salvado sua vida de todas as maneiras que uma pessoa se permitia ser salva.
De corpo, alma, coração.
A emoção veio como um raio, traspassando seu peito, e a verdade que há muito guardava dentro de si veio à tona.
Estava apaixonada. Loucamente. Irremediavelmente.
A onda de sentimentos conflitantes a emocionou ao mesmo tempo em que a assustou.
Estava apaixonada; estava numa enrascada.
Ele a penetrou devagar e Bella gemeu.
Era a primeira vez que estava com alguém assim.
E estava feliz por ser Edward.
Ele se mexeu dentro dela e Bella abriu os olhos, fitando-o e ele a encarava intensamente e ela viu refletido naquele olhar os mesmos sentimentos que havia dentro de si, o coração se expandindo num amor maior que tudo, maior que ela mesma. Sentia-se prisioneira daqueles olhos verdes, que invadiam sua alma, fazia tudo parecer possível e bonito.
E por alguns instantes fúlgidos, Bella deixou-se guiar por aquela luz que vinha dele, iluminando a escuridão da sua vida, levando o frio embora, aquecendo seu coração.
E tudo explodiu dentro dela.

Continua...

As coisas estão melhorando... Já rolou um climão... E aí o que vocês acham que vai acontecer agora? Comentem e façam minha Páscoa mais feliz!

6 comments :

  1. ameeeei
    esse cap foi Tão perfeitoooo!!!
    lindoos :]

    ReplyDelete
  2. Natália SantosSunday, April 24, 2011

    Uau!!!
    A cada dia que passa está melhor.
    Fico imaginando com ansiedade o próximo cap....

    ReplyDelete
  3. oi flor impressionante adorei ate amanha no proximo cap!!! espero anciosa!!! beijusculo

    ReplyDelete
  4. Ihul até que enfim *-*
    Que lindo, será que vao ficar muito juntinhos agora?
    ai mt feliz com a fic!!

    ReplyDelete
  5. wep wep uhhha!!!!!! eu tinha parado de ler essa fic prq eu fui internada e tal e fiquei 1 mes fora mas agr k eu to de volta eu to lendo todos os caps e tá lindo demais! ai esse cap foi perfeição!!! queria tanto k esse dia do love me tender chegasse! *-* weeeeeeeeeeeeeeeeee!

    ReplyDelete
  6. Finalmente aconteceu a noite de love dos dois!!
    Lindo de mais!!
    Eu odeio a Tania!!
    Parabéns a autora!!

    ReplyDelete