FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 9 - BY JULIANA DANTAS

Oi meu povo querido! Estamos juntos mais uma vez para mais um capítulo de Interlúdio. Pelos comentários vocês estão gostando, né? Se preparem por que agora é que a estória vai ficar boa... Muitas coisas acontecerão com nosso casal amado. Leiam e descubram...
Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17
Interlúdio
By Juliana Dantas
Capítulo 9

Bella acordou com uma sensação boa pelo corpo. Espreguiçou-se e sorriu e ao abrir os olhos percebeu que não tinha sido um sonho. Edward dormia ao seu lado na cama. Ela apoiou-se sobre o cotovelo e ficou admirando sua beleza tranqüila.
Suspirou, o coração inundado das mais serenas emoções. Como fora capaz de deixá-lo? Como fora capaz de viver estes meses sem ele?
Aproximou-se e beijou seu ombro, esfregando o nariz na sua pele. Queria ficar assim pra sempre.
Então ouviu um barulho lá fora. Com um instinto decorrente de anos de fuga, ela levantou-se agarrada ao lençol e abriu levemente a cortina e o coração parou ao ver o carro de policia. Fitou o homem adormecido com uma desconfiança insana, que logo jogou para o lado. Edward jamais faria algo assim com ela.
Sentiu o medo aterrorizando-a. Não podia deixar que a pegassem.
Ela afastou-se da janela e mirou Edward por um instante. Uma dor profunda no peito a dilacerando, mas sabia que não podia parar. Nem agora nem nunca. O sonho de amá-lo tinha acabado e a realidade crua se interpunha entre eles.
Com um nó na garganta, ela colocou o mesmo uniforme, rapidamente juntou suas coisas e fez o mais difícil. Aproximou-se de Edward e o beijou levemente.
-Eu te amo... – sussurrou em seu ouvido. Talvez fosse melhor assim. Edward tinha que esquecê-la. Bella só não sabia como ela faria para esquecê-lo.
Ouvindo passos se aproximando rapidamente pelo corredor, entrou no banheiro e saiu pela janela, fugindo mais uma vez.

**
Batidas violentas na porta acordaram Edward de seu sono. A primeira coisa que percebeu foi a ausência de Bella. Ia começar tudo de novo. Levantando-se, abriu a porta para um desconfiado policial.
-Pois não?
- Estamos procurando uma fugitiva da polícia e pela descrição do porteiro, ela se hospedou nesse quarto com o senhor.
-Fugitiva? – Pensando rápido, Edward inventou uma desculpa. – Seja quem for, já não está mais aqui.
-Sinto muito senhor, mas só sua palavra não vai adiantar. Precisamos revistar o local.
-Sim. – Edward deu passagem para os policiais, que olharam todos os cantos do quarto, sem obviamente encontrarem Bella. Quando os policiais estavam saindo Edward disse: - Se a encontrarem, por favor peçam pra ela devolver minha carteira. – Com isso foi descartado como possível “parceiro”, só um cara que pegara uma desconhecida.
Edward fechou a porta. Tinha que encontrar aquela maluca. Se arrumou e saiu deixando o hotel.
Bella ainda estava parada quando sentiu uma mão cobrir sua boca e a arrastar para o beco.
Tentou lutar e mordeu a mão de seu raptor. Foi quando percebeu que era Edward. Fazendo caretas e olhando para a mão mordida, ele perguntou.
-Sua louca! Quer arrancar minha mão fora?
-Desculpa! Eu não vi que era você. Alias louco é você de me puxar assim para um beco escuro. Aliás, louco de vir atrás de mim. Você quer que todos pensem que é meu cúmplice?
-E se eu quiser?
-Você não tem escolha.
-Você que não tem escolhas Bella. E agora fique quieta e vem comigo. – dizendo isso, puxou-a pela mão e a arrastou para o carro.
Edward abriu o carro e praticamente jogou Bella lá dentro.
-Hei! Cuidado!
-Cala a boca Bella! – Ela ainda tentou reclamar, mas ele foi categórico. – Eu disse pra ficar quieta. – Então saiu dirigindo feito louco e se dirigiu para a saída da cidade. Ficaram muito tempo sem se falarem. Bella não ousava puxar conversa. Edward estava muito bravo, tanto que ela já estava ficando com medo. De repente ele freou bruscamente e entrou numa estrada adjacente.
Parou o carro e saiu, com as mãos na cabeça como se quisesse arrancá-la fora, então ele parou e esmurrou o carro com uma fúria que assustou Bella, que saiu do carro também e ousou falar com ele.
-Edward!
-Sabe o que eu senti quando não vi você no quarto?? Sabe?? – Ele gritou. – E quando a polícia bateu na porta? Sabe o que eu pensei? Pensei que tinham te pegado e... Droga Bella, por que você faz isso comigo? Por quê? – Então ele a agarrou pelos braços e começou a sacolejá-la enquanto gritava. Ela começou a chorar e gritou mais alto.
-Por que eu te amo Edward! Está satisfeito? Porque não quero que fique perto de mim! Porque não suportaria envolver você mais uma vez nos meus problemas! – Então ela se afastou dele e começou a andar, indo em direção da estrada principal.
Ele viu e a puxou com força.
-Você acha que vai fugir de novo?
-Vou! - Ela berrou.
- Não, não vai, por que eu também te amo e sua vida agora é ao meu lado. – Então ele a beijou com desespero.
-Edward, por favor... Me deixe ir... - Bella murmurou fracamente.
E daí que ele também estava apaixonado por ela?
Nunca daria certo. Ela nunca poderia ficar com ninguém.
-Não, Bella. - ele se afastou o suficiente para encará-la – Vamos ficar juntos. É assim que tem que ser...
-Eu não posso. Por favor...
Um carro passou na rodovia e Edward percebeu que não podiam continuar ali.
-Vamos embora daqui.
Eles entraram no carro e Edward dirigiu a tarde inteira para longe. Longe da cidade onde a tinham descoberto.
Bella olhava as luzes da cidade através da janela do carro em movimento. Sabia que fazia isto para não ter que olhar pra Edward, mas mesmo assim podia sentir a tensão do homem ao volante. Não tinham falado muita coisa depois do que acontecera. A verdade era que estava cansada. Cansada de lutar contra os sentimentos, cansada de brigar com ela mesma.
Distraída, percebeu que o carro tinha parado, olhou em volta, a tempo de ver Edward sair do carro, dar a volta e abrir a porta pra ela. Era uma parte movimentada da cidade. Bella olhou para ele e depois para frente. Estavam na porta de um hotel caríssimo, daqueles que nem se contavam mais as estrelas.
-O que estamos fazendo aqui?
-Vamos nos hospedar aqui - ele falou calmamente.
-Você está brincando não é?
-Bella, desce do carro.
-Eu não posso entrar aí!
-Se está preocupada que te achem, fique tranqüila, acho que aqui seria o último lugar do mundo a te procurarem.
Ela ainda hesitou por mais um instante, mas não queria chamar a atenção, então saiu do carro.
Caminhando ao lado de Edward, ela reparou em como as pessoas a olhavam.
Lembrou-se como estava vestida e percebeu que não chamar a atenção seria impossível.
-Edward, não acho uma boa idéia...
Em resposta ele apenas pegou a sua mão e a puxou em direção a porta giratória do hotel. O porteiro a olhou de cima a baixo, mas nada falou. Com certeza devido à expressão de Edward.
Eles caminharam pelo piso de mármore, Bella sentiu-se observada. Edward apertava firmemente sua mão. A moça do balcão olhou primeiro para Edward, com um visível ar de admiração e Bella sentiu uma pontada de ciúmes.
Edward pediu uma suíte e a moça se desmanchou em sorriso.
-Somente para um? – ela piscou e Bella se enfureceu.
-Não, para dois! – respondeu e só então a moça pareceu perceber sua presença.
-Oh... Claro. – e moça a mediu sem disfarçar por alguns instantes.
-Perdeu alguma coisa? - Bella perguntou.
E a moça voltou a atenção para a tela do computador.
Edward a encarou.
-Provavelmente ela deve estar achando que eu sou uma prostituta e você é algum ricaço que me catou na rua!
-Bella...
-Ah, cala a boca!
Bella fechou a cara e Edward só voltou a se dirigir a ela quando entraram no elevador.
-Você está bem?
-Não. – falou rispidamente.
A porta do elevador se abriu e ela arrancou o cartão de sua mão e saiu na frente dele, abrindo a porta bruscamente. Entrou na espaçosa suíte. Tudo ali eram puro luxo e conforto e ela de repente deu-se conta, mais que nunca, do abismo que os separava.
Ela voltou para ele.
-Por que me trouxe aqui, Edward?
Ele aproximou-se.
-Eu quero cuidar de você...
-Quem disse que eu preciso que cuidem de mim?
-Os seus olhos dizem isto... – ele tirou o seu casaco e Bella começou a sentir o peso de tudo o que vinha rolando ultimamente, a força começando a minar de seu corpo.
-Eu não devia estar aqui... – murmurou.
Mas ele não deu ouvidos, apenas a pegou no colo e a levou para o espaçoso banheiro, a colocou no chão e abriu as torneiras da banheira e a despiu, colocando-a dentro da água borbulhante.
Bella queria protestar, mas não tinha mais forças, sentia-se extenuada.
Além do que, estava começando a gostar daqueles mimos.
Nunca na sua vida tivera alguém que cuidasse dela e se deixasse poderia muito bem se acostumar com isto. O alerta de perigo soou em algum lugar escondido de sua mente, mas ela o ignorou. Ele arrancou as próprias roupas e entrou com ela. Bella deitou a cabeça em seu peito forte, fechando os olhos e esquecendo-se de tudo o mais.
Depois ele a tirou da banheira, a enxugou e a levou para cama.
-Você se importa se eu dormir? – perguntou sonolenta e ele riu, abraçando-a.
-Durma Bella... – falou suavemente e Bella deixou-se levar para o mundo dos sonhos e nem ouviu quando ele completou – Eu não vou a lugar algum.
Bella acordou com o sol banhando o seu corpo. Por alguns instantes não lembrou onde estava, mas então a mente foi invadida por imagens da noite anterior. Estava com Edward. Abriu os olhos e para sua surpresa, ele não estava ali. Despertou totalmente fitando o quarto chique de hotel decorado em tons pastéis.
-Edward?- o chamou, mas recebeu apenas o silêncio em resposta.
Será que ele tinha ido embora? Provavelmente, pensou num misto de alívio e dor.
Sim, era um alívio saber que ele deveria ter se tocado que eles não tinham nada a ver, que a vida dele era outra. Ela fugiria de qualquer jeito mesmo.
Mas a dor de saber que ele tinha ido embora sem olhar pra trás era cortante. Por que existia uma parte dela que precisava dele. Queria-o perto de si, cuidando dela como fizera na noite anterior.
Ela sorriu tristemente. Já tinha passado da idade de sonhar com contos de fadas. A vida era dura. A dela mais dura ainda. Era uma fugitiva e agora estava livre para voltar a fazer a única coisa que lhe restava fazer: fugir. Uma outra cidade, um outro lugar. Mas uma vez começar do zero, até que fosse encontrada. Aí fugiria de novo. Edward ficaria apenas na lembrança. Suspirou e procurou a roupa, fazendo uma careta ao lembrar-se como estava vestida. Mas não tinha tempo de fazer conjecturas; tinha que dar uma fora dali. Vestiu-se com o uniforme ridículo. Olhou sua imagem no espelho. E teve uma vontade louca de chorar.
-Controle-se Bella. Você vai esquecê-lo. Ele a deixou sem olhar pra trás não foi? Você pode fazer o mesmo - ela disse para si mesma e respirou fundo virando-se para sair.
Então ouviu a porta se abrindo e não teve tempo de pensar em nada.
Para seu espanto Edward apareceu na porta e a encarou como se vê-la ali, banhada pela luz da manhã de outono, fosse a coisa mais natural do mundo.
-Bom dia! – ele sorriu.
Bella ficou paralisada no mesmo lugar.
-Vai a algum lugar? – ele perguntou.
Ela finalmente conseguiu falar.
-Vou embora.
Ele aproximou-se dela.
-Não, não vai...
-Edward...
-Não vai a lugar algum, Bella. Pelo menos não por enquanto.
-Mas eu preciso ir. Não posso ficar aqui. Pensei que tivesse indo embora!
-E deixar você? Isto não vai mais acontecer.
-Do que está falando? Eu preciso fugir e você deve voltar para sua vida e me esquecer de uma vez por todas!
-Não.
-Por que está fazendo isto? Por que torna tudo mais difícil?
-Você ainda não entendeu Bella?
-Entender o que?
-Estamos juntos a partir de agora.
-Você está delirando! Eu vou sair por aquela porta e você não vai me impedir.
-Você vai sair, sim. Mas será comigo.
Bella o fitou desesperada. Não conseguia entender o que ele estava falando.
Deveria ter saído antes de ele voltar. Aliás, por que diabos ele voltara? E por que a encarava daquela maneira, como se realmente estivesse pensando, afirmando...
Ela sentiu o coração dar um salto ao entender as implicações do que ele estava falando
-Edward, o que está querendo dizer? – perguntou num fio de voz.
Ele aproximou-se mais dela e segurou seu rosto com as mãos.
-Que iremos ficar juntos.
-Mas isto é impossível! – Bella tentou conter as batidas frênicas do coração, que se enchia de esperanças tolas.
-Não, não é.
-Edward, você é um médico, tem uma vida certinha em Los Angeles e eu sou uma foragida que precisa fugir constantemente... Não posso viver a sua vida.
-Então eu vou viver a sua. – ele disse simplesmente.
Bella o encarou confusa.
-Você não está falando sério, isto é totalmente insano!
-Pode ser. Mas eu descobri, Bella, que não posso viver sem você. E nada mais me importa a não ser tê-la comigo.
Bella o fitava totalmente estupefata. Ele não podia estar falando sério. Mas viu em seu olhar que ele estava falando a verdade.
Respirou fundo, tentando não embarcar de vez naquela onda de loucura, tentando manter os pés bem firmes no chão.
-Edward, você sabe o que está falando? A minha vida não tem nada a ver com a sua. Eu sou...
-Uma fugitiva, que precisa ficar cada dia em um lugar. Eu já sei disto Bella. E estou disposto e fugir com você.
Bella fechou os olhos como se assim pudesse bloquear as palavras de Edward, para que elas não entrassem em seu coração. Para que não achasse que aquela idéia insana era possível.
Mas ele aproximou-se mais dela, as mãos se infiltrando em seus cabelos. Bella sentiu a respiração em sua face e abriu os olhos. Seria possível aceitar o que Edward estava oferecendo? Estava apaixonada por ele. Irremediavelmente.
-Isto é loucura... – ela sussurrou, começando a ceder
-E não está sendo desde o dia em que nos conhecemos?
Ela o fitou. Sim, ele tinha razão. De que adiantava negar?
-Pode ser o maior erro da minha vida, mas eu quero ficar com você. - ela disse por fim mergulhando de vez na doce loucura que era estar apaixonada por ele.
Continua...

Eu disse que as coisas iam melhorar, esperem e verão. Continuem acompanhando os próximos capítulos. E não deixem de comentar e fazerem mais feliz o meu dia. Beijos e até amanhã.

2 comments :

  1. Amei lindo flor anciosa pelo proximo cap!!!!!!!! beijusculo

    ReplyDelete
  2. Cada dia está melhor!
    Não perco por nada!!!

    ReplyDelete