FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 15 - BY JULIANA DANTAS

Boa tarde gente! Hoje tem mais surpresas no capítulo... Agora terão muitas novidades nos próximos capítulos. Então não deixem de ler e de comentar, claro! Boa leitura!

Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17

Interlúdio

By Juliana Dantas

Capítulo 15

Pegou a menina do berço e a aninhou em seus braços, sentindo o cheirinho de bebê impregnar suas narinas e sentou-se perto da janela abrindo a blusa.

-Oi Angelina... – a menina chutava e dava gritinhos – Está com fome? Em resposta a menina sugou seu seio, faminta. Os olhinhos castanhos como o seu permaneciam aberto a encarando. Bella sorriu cheia de amor, acariciando o cabelinho cor de areia. Como os de Edward.

Depois que se separara de Edward vivera como um fantasma. Não tinha mais perspectiva e nem motivo para ser feliz. Jacob tentava animá-la e ajudá-la. Mas ela permanecia na inércia. Quando começara a passar mal, Jacob dissera que era por que não comia e devia estar com alguma doença no estômago.

Mas quando fora ao medico, o choque. Estava grávida de 02 meses.

Depois do choque inicial. Bella sentira seu mundo voltar a girar lentamente.

Estava esperando um filho de Edward! Dali em diante, a vontade de viver voltara com força total e ela amara aquele pequeno ser em sua barriga mesmo antes dele nascer.

Jacob perguntara a ela se contaria a Edward. Bella ficara em dúvida. Seria justo, depois de tudo, voltar a sua vida? Não, com certeza.

Mas ao mesmo tempo era justo ocultar dele que iria ser pai?

Mas e se ele tivesse prosseguido com sua vida? De repente, casado com outra?

Até mesmo a bruxa da Tânia?

Não, Bella não deixaria aquela parasita chegar perto de sua filha.

Assim, ela tomara a decisão de não procurar Edward. Angelina era sua filha e pronto.

Olhou para o rostinho rosado de novo. Angelina costumava dormir após mamar e Bella já ia se preparar para colocá-lo no berço. Mas ao fitar a menina se assustou.

Ela estava com a pele do rosto arroxeada.

-Angie! - Bella segurou a menina que começou a chorar e o rosto foi voltando ao normal. Ela aconchegou o corpinho junto si, assustada. Angelina tinha provavelmente parado de respirar por alguns segundos!

O que seria aquilo? Será que era normal?

Teria que procurar um médico.

***

-Eu não entendi. O senhor pode repetir?

Bella apertava Angie contra si, se negando a acreditar no que o médico estava dizendo.

-Sua filha tem uma doença congênita, que acontece em um em cada mil bebês. É um problema na válvula que liga o coração, que se entope, podendo até fazer com que os órgãos vitais parem de funcionar repentinamente.

-Mas isto... Isto tem cura? - Bella perguntou num fio de voz.

-Sim, mas é um tratamento muito caro e demorado.

Bella começou a suar frio.

-O que quer dizer? Ela precisa... Operar?

-Isto somente um medico especialista irá dizer. Aqui na Europa eu posso te indicar muitos, mas nos Estados Unidos se encontram os melhores.

Bella sentia o ar lhe faltar. Aquilo não poderia estar acontecendo. Não com ela.

Não com Angelina.

-O que eu faço? O que posso fazer para ela não ficar roxa daquele jeito...?

-O mais indicado é que procure um especialista imediatamente. Entenda, esta doença é uma bomba relógio. Uma hora ela pode parar de respirar e não voltar mais.

Bella olhou sua filha. E sentiu uma lágrima caindo. Não poderia perder Angelina, nem permitir que ela sofresse.

-Eu sei que isto é sofrido. - o médico falou mais suavemente - Mas tenho que lhe dizer todas as possibilidades.

Bella respirou fundo enxugando os olhos.

-Eu... Não sei o que fazer; não tenho dinheiro nem conexões... Eu...

-E o pai dela? - o médico perguntou delicadamente e Bella o encarou.

-Ele vive em outro país. - respondeu evasiva.

-É americano, devo deduzir? Mas ele não pode ajudá-la? Quem sabe não é melhor a senhora voltar para lá...

-Não! - Bella levantou e pegou a bolsa. – Obrigada doutor. Eu pensarei numa solução.

O médico levantou-se também.

-Mas, por favor, faça isto rápido. Sua filha corre perigo de vida.

Bella saiu da clínica totalmente arrasada.

E agora, o que faria? Sentou em um banco e chorou. Abraçada a Angelina, ela deixou o desespero a tomar. Mas logo viu que nada adiantava se entregar ao pranto. Tinha que ser forte. Por sua filha. E tinha que achar uma solução.

Enxugou as lágrimas e olhou para o rosto de Angelina.

E chegou a conclusão que só existia uma pessoa capaz de ajudá-la.

O homem que jurara nunca mais procurar.

Edward, o pai de Angie.

***

Edward saiu de mais uma cirurgia em que fora vitorioso.

-Obrigado a todos! - ele falou a sua equipe e saiu da sala de cirurgia, tirando a máscara.

Estava cansado. Olhou o relógio. Já passava da meia-noite. Mas ele não queria ir embora. Fazer o que no seu apartamento vazio?

Cheio de lembranças, disse a voz de sua consciência.

Não pense mais nisto, Edward, censurou a si mesmo.

Mas já se passara mais de um ano e a dor ainda era a mesma.

A dor da traição.

Ele respirou fundo e viu a luz do seu celular tocando.

Reconheceu o telefone. Tânia.

Não queria falar com ela. Evitava-a o tempo todo.

Mas ela não desistia.

Num impulso, atendeu a ligação.

-Oi Tânia.

-Oi Edward! Ainda no hospital não é?

-Sim, acabei de sair de uma cirurgia.

-Então que tal eu passar aí e a gente ir jantar?

-Há esta hora?

-E daí? Podemos comer na sua casa! - ela falou sugestiva.

-Ok!

Ela exultou.

-Passo aí em 10 minutos!

Edward desligou.

Do que adiantava viver no celibato?

Com certeza “ela” não fazia o mesmo, pensou amargo.

Estava cansado. Exausto. Queria paz.

Queria esquecer.

Tânia era uma boa companhia quando queria e foi especialmente charmosa aquela noite.

Entraram no seu apartamento e Edward acendeu as luzes.

-Estava com saudades daqui! - ela exclamou e colocou os pacotes que tinham trazido de um restaurante em cima da mesa.

-Eu vou pegar os pratos e talheres – ele falou com pouco entusiasmo.

-Ok! – a médica sorriu.

Quando Edward voltou, encontrou Tânia ocupada colocando um CD.

-Adoro esta música!

Edward sentiu o estômago revirar ao ouvir os primeiros acordes de Claire de Lune.

E num impulso, correu ao cd player e desligou.

-Nossa, o que é isto? - Tânia estranhou.

-Não estou a fim de música hoje, ok? Vamos comer – resmungou mal humorado.

Tânia nada disse. Comeram a deliciosa refeição, Tânia falava sem parar sobre amenidades, mas Edward não prestava atenção. Bebia um copo de vinho atrás do outro.

-Eu acho que a gente podia viajar neste verão, o que acha? Podíamos ir para o Caribe ou então Florida... Edward? Está me ouvindo?

-Tânia, acho que estou com sono... - ele falou de repente.

Tânia sorriu maliciosa.

-Acho ótimo a gente ir para a cama!

Edward não quis decepcioná-la ao dizer que queria ir para a cama para dormir.

Ele levantou e percebeu que estava um pouco alto. Caminhou com Tânia em seu encalço e desabou na cama de roupa e tudo.

-Oh, coitadinho! – Tânia deitou ao seu lado e se ocupou em abrir sua camisa - Está cansadinho? Pode deixar que eu faço o trabalho pesado! Sabe que eu gosto de ser dominadora! Edward? Edward?

Tânia bufou. Não podia acreditar que ele estava dormindo!

Estava sendo mais difícil do que previra reconquistá-lo. Mesmo com a pé-rapada fora do páreo. Mas ela não desistiria. Tirou as roupas dele e dela própria e deitou ao seu lado puxando a coberta em cima deles.

-Eu ainda vou te reconquistar, Edward. Você vai ver! Tenho grandes planos para nós dois!

Edward acordou com um peso em cima de si.

A cabeça doía. Vinho, pensou desgostoso.

-Bom dia, gatão!

Ele arregalou os olhos ao ver Tânia, nua, enroscada nele. Uma olhada na janela e percebeu que o dia estava cinzento. E já deveria ser tarde. Mas Tânia tinha outros planos e aconchegou-se mais a ele, ronronando.

-Hum... Que tal um beijo de bom dia...

-Estou atrasado, Tânia!

Edward se livrou de seus braços e a empurrou. Desavisada, Tânia rolou para o chão com um grito.

Mas Edward nem dera atenção, rumou para o chuveiro.

***

Bella apertou Angie contra si. Ela dormira tranqüilamente o vôo inteiro. Mas agora estava inquieta. Fitou o prédio de Edward, sentindo um medo terrível dentro do peito. Como ele reagiria quando ela aparecesse à sua porta? E não sozinha, mas com um bebê. Sua filha. Filha dos dois. Bella não queria isto. Mas nada podia fazer, por sua filha era capaz de qualquer coisa. Atravessou a rua, o vento estava gelado e ela olhou para menina. Ainda bem que estava bem agasalhada.
Quando chegou à porta do luxuoso edifício, de novo bateu o medo.

-Lá vamos nós, Angie!

Mas quando deu os primeiros passos, pela porta de vidro, viu o reflexo de um cabelo loiro e uma risada conhecida.

Tânia!

Bella caminhou rapidamente para longe da porta e da visão da médica. Jogou o cabelo por sobre o rosto e virou de lado para a médica não reconhecê-la. Mas Tânia não estava sozinha. Logo atrás vinha Edward.

Ainda lindo.

Ainda fazia suas pernas tremerem. Usava um óculos escuro, apesar de o tempo estar nublado. Com certeza para esconder a noite mal dormida passada nos braços da bruxa! Bella pensou com ciúmes. Mas como culpá-lo? Tânia era ardilosa. E Edward deveria estar carente. Mas justo a Tânia? Bella seria capaz de aceitar qualquer uma menos aquela vaca!

Eles passaram rapidamente pela calçada e entraram no carro, saindo em alta velocidade.

Bella respirou aliviada. Não queria que o primeiro contato com Edward fosse feito na presença de Tânia. Já seria difícil sem ela. Imagina com...

Mas se ela fosse a namorada, ou até mesmo mulher de Edward nesta altura do campeonato, teria participação ativa com o que acontecesse com Angie; Bella teve vontade de voltar correndo para o Aeroporto. Mas só de pensar em Angie doente, já jogava suas frustrações pessoais de lado.

Mas o que faria agora? Esperaria Edward ali? Não, tinha que falar com ele o mais rápido possível.

Chamou um táxi e pediu para ir ao hospital que ele trabalhava.

Continua...

Tadinha da Bella... Parece que tudo acontece com ela. Mas continuem lendo para ver como ela vai resolver mais esse problema. E não se esqueçam de comentar, por favor! Beijos e até amanhã.

2 comments :

  1. Quero mais! Não é justo parar assim, numa parte tão emocionante! Amei! Bjs

    ReplyDelete
  2. Ai meu deus!!
    To morrendo de pena da Bella e com um odio tremendo da Tania!!

    ReplyDelete