FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 20 - BY JULIANA DANTAS

Boa tarde! Espero que esteja tendo um ótimo fim de semana. Obrigada por vir passar um tempo aqui conosco. Espero que você goste desse capítulo... Ele está um pouco mais do que de costume... Então boa leitura.

Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17

Interlúdio

By Juliana Dantas

Capítulo 20

Edward dirigiu sem rumo por um tempo.

O que, diabos, estava fazendo?

Porque se torturava mantendo Bella ali?

Ela não queria.

Simplesmente não queria estar com ele. E ele a obrigava.

Por vingança? Por orgulho?

Por Angie?

Ele nem sabia mais.

O fato era que simplesmente não conseguia deixá-la ir.

Mas agora reconhecia que estava tudo errado. Até quando viveriam aquele impasse?

E quando Angie finalmente estivesse curada, o que aconteceria? Será mesmo que Bella teria coragem de ir e deixá-la com ele?

E se quisesse levar Angie? Não, ele não podia permitir.

Cansado e se sentindo perdido, ele se viu em frente a casa do seu pai.

Alice estava lá com Jasper e sorriu quando o viu. Mas Edward a encarou sério.

-O que pensa que está fazendo indo falar com a Bella?

-Oh, ela é contou é? Que linguaruda.

-Eu a fiz contar.

Alice deu de ombros.

-E daí, qual o problema?

-Falei para se manter longe disto.

Jasper se afastou discretamente, deixando os irmãos sozinhos.

-A casa é do papai, eu posso ir lá quando eu quiser! E eu queria conversar com a Bella e...

-E se intrometer onde não é chamada.

-Eu quero entender esta história, quero... Quero que consigam sair de toda esta confusão! Tem uma criança envolvida agora Edward...

-Acha que não sei disto? - exclamou frustrado – Eu não sei mais o que fazer.

-Poderia ouvi-la. Conversar com ela e parar de agir feito um idiota.

-Alice...

-A Bella me contou que...

-Contou o que?

-Contou toda a história. E acho que são dois cabeças duras.

-Então você sabe que ela é uma fugitiva.

-Sei sim.

-E acha que isto se resolve assim, simplesmente?

-Então é este o único empecilho para ficarem juntos? - indagou suavemente – Ainda gosta dela Edward?

-Ela me traiu.

-Tem certeza?

-Eu vi.

Alice respirou fundo.

-Olha, Edward, eu não vou mais me intrometer. Tem razão. Não é da minha conta. Mas por favor. Pense direito no que está fazendo. Pense no que sente. Pense que se você a ajudou desde o começo, mesmo já sabendo quem ela era, que você a julgou corretamente. Será mesmo que ela é esta pessoa horrível? Acha que faz sentido? E pense em Angie. Pense que ela já sofreu tanto e é tão novinha e precisa de uma mãe e um pai.

Edward respirou fundo.

Alice tinha razão.

-Vou pensar.

Alice sorriu abraçando-o.

-Confio que vai fazer a coisa certa. Agora vai jantar com a gente?

Ele riu.

-Vou sim.

Quando chegou à casa de praia já era tarde.

E se perguntou se iria até o quarto de Bella... Se ela continuaria com aquela história de “não me toque”...

Ele sabia que bastaria um pouco de persuasão e ela permitiria.

Mas então ele se sentiu um canalha. Do que adiantava? Nada.

Sexo não resolvia nada.

Ele precisava manter a mente limpa e pensar no que ia fazer.

***

Bella acordou sozinha na manhã seguinte.

Então Edward tinha mesmo desistido dela?

E porque se sentia mal com isto? Não fora ela própria que escolhera assim?

Tentando não se sentir miserável, tentou se distrair lendo um livro e a tarde o telefone tocou e era Alice.

-Olá, tudo bem? Olha, sei que prometi ir ai hoje, mas tive alguns compromissos de manhã! Agora à tarde vou às compras, uma pena que não pode ir comigo. E amanhã eu estarei ai ok? Logo de manhã. Passaremos o dia juntas. Não é legal?

-Alice...

-Sabia que ia gostar! Beijos!

Bella desligou ainda atordoada com Alice e então ouviu o barulho de um carro.

E desta vez ela soube que era o carro de Edward.

Mas aquilo era estranho. O que ele viera fazer ali àquela hora? Será que viera dizer que ela podia ir embora? Não sabia se este pensamento a aliviava ou a amedrontava.

Ele parou o carro em frente a casa e saltou. Olhou para cima e a viu. Seu semblante não dizia nada. Então ele deu a volta no carro e abriu a porta do passageiro tirando de lá um pequeno embrulho rosa e branco.

-Angelina! - Bella sussurrou colocando a mão na boca com lágrimas nos olhos.

Ele subiu os degraus que os separavam carregando o fardo precioso.

-Ela está bem?- Bella só soube perguntar, preocupada estendendo os braços automaticamente para pegar a menina do colo de Edward. Ele hesitou por alguns instantes antes de passá-la para seu colo e Bella sentiu uma pontada de dor, para logo em seguida a felicidade de ter sua filha nos braços novamente suplantar tudo o mais. Angie estava ali. E estava salva. Era só o que importava. A menina abriu os olhos e a encarou e Bella sentiu seu mundo completo de novo.

-Sim, ela está bem. Teve alta esta manhã... - Edward respondeu e Bella o encarou sorrindo, sem se importar com mais nada.

-Eu nem acredito! - exclamou - Ela está mesmo curada?

-Sim. Terá que voltar ao médico ainda por algum tempo, mas está bem.

-Você ouviu Angie? Você vai ficar bem. Eu não prometi que o Edward ia cuidar de você? Ela falou estas palavras sem pensar e quando se deu conta do que estava dizendo, encarou Edward e ele a fitava de uma forma estranha. Mas não queria se preocupar com isto neste momento. Queria apenas curtir sua filha.

-Acho melhor entrarmos, está frio aqui fora. Pode fazer mal a ela. - Edward falou e Bella o fitou meio encabulada.

-Você vai ficar?

-Tirei o resto da tarde de folga... – ele respondeu simplesmente, abrindo a porta para ela passar. Bella entrou e Edward a seguiu.

-Nem acredito que ela está realmente aqui! - exclamou, fitando o rostinho de Angie.

-Nem eu. - ela levantou a cabeça e o encarou, ao ouvir as palavras aliviadas dele.

Podiam ter um relacionamento horrível, mas uma coisa Bella não podia negar.

Os dois tinham os mesmos sentimentos por Angie.

-Ela já mamou? - Perguntou à ele.

-Sim, mas há duas horas...

-Então é melhor preparar uma mamadeira, daqui a pouco ela começa a reclamar... - ela parou ao lembrar-se de que não tinha nada ali para alimentar um bebê – Edward, como vou fazer a mamadeira? Não tem nada aqui!

-Então temos que comprar. Vamos, tem um supermercado perto daqui. Lá a gente pode achar tudo o que ela precisa.

-Ok, então eu vou me trocar.

-Deixa que eu fico com ela. – Edward estendeu os braços e Bella passou Angie para seu colo e se afastou.

Fechou a porta e encostou-se nela, fechando os olhos, fazendo uma prece silenciosa por Angie estar ali.

Correu ao guarda-roupas e colocou um jeans e uma blusa, passando os dedos pelos cabelos. Eles estavam meio rebeldes. Mas porque ela se preocupava com sua aparência? Provavelmente Edward não olharia duas vezes pra ela mesmo que estivesse de peruca rosa!

Saiu do quarto e ele a encarou com um brilho de admiração no olhar e Bella sentiu-se aquecer por dentro.

-Vamos? - ele perguntou frio e ela fechou a cara. Que idiota ela era!

-Claro! Eles saíram para a tarde cinzenta e Edward passou Angie para seus braços, acomodando-se no banco do motorista e dando partida.

Bella olhou a paisagem bonita e tranqüila que se delineava através da janela do carro, segurando Angie junto a si, que, como toda criança, ficava quietinha quando andava de carro. Bella suspirou, sentindo um contentamento insano por estar ali com Angie e com Edward.

Olhou para ele de esguelha. Ele tinha o semblante indecifrável e a atenção focada na direção à frente e ela se permitiu admirar o perfil decidido. Soltou um suspiro involuntário ao descer os olhos para as mãos fortes que seguravam o volante. Edward tinha mãos bonitas.

Angie deu um gritinho se agitando e Edward virou a cabeça. Bella corou, pega em flagrante e disfarçou.

-É longe este mercado? - perguntou a primeira coisa que lhe veio à cabeça.

-Não, já estamos chegando.

-Espero que tenha tudo o que precisamos. Você não tem idéia do monte de coisa que estas pessoinhas pequenas consomem!

Ele deu um meio sorriso e Bella sentiu o coração disparar. Um meio sorriso era melhor que nada.

-Eu imagino... – ele respondeu, virando a esquerda para estacionar o carro no grande estacionamento do supermercado. - Deve ter sido difícil pra você. – ele disse de repente, e Bella o encarou.

-Difícil o que?

-Estar sozinha. Com Angie.

Bella suspirou. Sim, tinha sido difícil. Mas ela sobrevivera.

-Um pouco. - falou evasiva.

Edward nada falou, apenas saltou do carro dando a volta e abrindo a porta pra ela.

Eles entraram no mercado e Edward pegou um carrinho.

-Você vai me falando o que preciso comprar, pois não faço a menor idéia.

Bella riu.

-Homens! Nunca sabem de nada!

E para seu total espanto ele sorriu de volta.

-E vocês mulheres sempre reclamam. Espero que Angie não fique assim. - ele brincou.

-Ela será pior. Já que será mimada por você! Eles riram e Bella sentiu coração dando um salto. Há quanto tempo ele não lhe sorria assim, completamente relaxado? Suspirou sem querer e isto pareceu quebrar o encanto e Edward voltou a ficar sério e desviar o olhar.

-Qual destas mamadeiras precisa? - ele perguntou apontando para uma prateleira cheia de artigos para bebê.

Bella respondeu e eles seguiram as compras. Mas por dentro, ela lamentava que o momento tivesse passado, pois, ansiava demais que eles voltassem a ser como antes.

Mesmo sabendo que isto era um sonho impossível.

Horas depois, eles voltaram para casa, com várias sacolas de coisas para Angie.

E não demorou muito para ela começar a chorar.

-Está com fome! – Bella exclamou - Vou fazer a mamadeira.

-Deixa que eu faça. - Edward de dispôs.

-Mas você não sabe fazer! - Bella exclamou incrédula.

-Mas terei que aprender.

Bella sentiu um aperto no peito. Sim, ele tinha que aprender, já que ficaria sozinho com Angie em breve. Bella sacudiu a cabeça para tentar se livrar da tristeza profunda que a assolou de repente.

-Você tem razão.

Edward se dirigiu a cozinha, parecendo não notar seu momento de desconforto e Bella o seguiu, passando as instruções de como se fazia o leite.

Ele passou a mamadeira pronta e ela colocou na boca de Angie que sugou tudo avidamente. Bella sorriu, pensando em como sentira falta de tê-la assim aconchegada junto a si.

Quando levantou a cabeça Edward a encarava e ela ficou séria.

-Você não a amamentou no peito?- ele perguntou em tom acusatório.

-Claro que sim! Mas meu leite secou. Acho que foi o estresse dos últimos acontecimentos depois que... Eu descobri sobre a doença de Angie... – Bella falou lembrando-se dos dias difíceis de angústia que passara após descobrir que a filha estava doente. A voz foi sumindo ao dizer as últimas palavras e Bella sentiu um nó na garganta ao pensar em como estivera tão próxima de perder Angie.

-Mas ela está bem agora. - Edward falou e Bella constatou a emoção na voz dele.

Ele também quase perdera Angie. E talvez pra ele fosse pior, pois não tivera com ela o tempo que Bella tivera.

De repente, Bella sentiu uma culpa terrível por ter deixado Edward fora da vida da filha.

Talvez ela não tivesse mesmo direito de fazer o que fez.

Eles ficaram em silêncio, enquanto a menina sugava o bico da mamadeira avidamente até o fim.

Quando ela terminou de mamar, Bella olhou para Edward.

-Você não quer segurá-la para arrotar?

Edward a pegou do seu colo e Bella reparou que ele já sabia como fazer isto.

-Eu costumava ficar com ela lá no hospital... - ele explicou ao ver o olhar interrogatório de Bella.

-Fico feliz que você estivesse lá com ela. Seria horrível pensar que estava sozinha, somente com estranhos...

Edward a encarou e de repente a surpreendeu com as palavras que disse a seguir.

-Eu deveria tê-la mantida informada sobre Angie. Me desculpe.

Bella arregalou os olhos surpresa por ele ter noção do que tinha feito com ela ao mantê-la sem notícias sobre o estado da filha deles. Mas pedir desculpas não apagava o fato de que ele fora muito cruel.

E ela ia dizer exatamente isto a ele, aproveitando a brecha que ele mesmo tinha aberto, e chegou a abrir a boca, porém o telefone celular de Edward tocou estridente.

Angie começou a chorar e Bella apressou-se em pegá-la no colo e acalmá-la enquanto Edward atendia o celular.

-Alô?

Ele ficou ouvindo o que a pessoa dizia e Bella perguntou-se quem seria.

-Tudo bem. Eu já estou saindo. - ele falou e Bella sentiu-se decepcionada.

Ele desligou e a encarou.

-Preciso sair. Tenho que voltar ao hospital para ver um paciente que piorou.

-Tudo bem. – Bella apressou-se em dizer.

Ele pegou as chaves do carro sobre balcão e antes de sair virou-se para ela, sério.

-Bella eu espero que...

Ela sabia o que ele queria dizer.

-Eu não vou fugir Edward! - respondeu irônica

-Eu espero mesmo. Pois eu te acharia até no fim do mundo.

-Sim, pela Angie, claro.

-Claro. - ele respondeu simplesmente e antes de sair a encarou novamente.

-Vai jantar com a Tânia? - Bella não resistiu e perguntou em desafio.

-Sim, eu vou.

Ele bateu a porta e Bella controlou-se para não correr atrás dele e obrigá-lo a escutar umas boas verdades.

Sentiu-se péssima ao imaginá-lo com Tânia.

Encarou Angie e sentiu-se acalmar. Tinha que pensar na sua filha somente. Edward que fosse para o inferno.

Continua...

Esses dois não têm jeito... Quando as coisas começam a melhorar eles voltam ao zero de novo... Vamos ver o que os próximos capítulos nos reservam... Comentem, por favor... Volto amanhã sem falta. Beijos.

2 comments :

  1. Você me mata, parando em partes como esta!
    Quero o próximo!
    Obrigada por ter feito este dois últimos capítulos maiores!
    Bjs

    ReplyDelete
  2. Não tenho palavras pra dizer como estou morrendo de curiosidade e como está otimo a fic!!

    ReplyDelete