FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 21 - BY JULIANA DANTAS

Oi amores! Como foi o fim de semana? Espero que tenha sido muito bom... Agradeço por terem encontrado um tempo para passar aqui e ler e comentar os capítulos. O de hoje está mais curtinho, mas muito interessante... Então aproveitem...

Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17

Interlúdio

By Juliana Dantas

Capítulo 21

A tarde caía quando Bella ouviu a campainha tocando e se assustou. Edward não tocaria a campainha. Pé ante pé ela foi até a janela e viu um caminhão parado na porta com o logo de uma famosa loja de móveis. A campainha tocou de novo e ela abriu a porta. Um entregador de roupa cinza, com uma prancheta na mão, sorriu pra ela.

-Entrega para Edward Cullen. – ele deu a caneta e Bella assinou enquanto vários homens entravam na casa carregando grandes embrulhos.

-Entrega do que? - perguntou confusa.

-De uma loja de bebês.

Bella ficou boquiaberta. Então Edward encomendara móveis para Angelina?

Isto era uma total novidade que suplantou um pouco a raiva que estava dele por ir se encontrar com Tânia.

E horas depois ela olhou boquiaberta o quarto todo branco e rosa a sua frente.

Edward não tinha só comprado móveis. Ele comprara também tudo, mas absolutamente tudo o que um bebê precisava. Desde papel de parede, módulos coloridos e cortinas. Passando por roupinhas, fraldas e até brinquedos que Angie nem saberia o que era!

Bella olhou tudo aquilo, sentindo um misto de alegria e pesar. Estava feliz por tudo aquilo ser pra Angie e estava triste ao pensar que não ficaria ali por muito tempo para ver Angie crescer. Cansada, jogou para o fundo da mente os pensamentos incômodos e correu para pegar Angie que estava adormecida na cama de casal do quarto principal e a depositou no berço branco. Acariciou seu rostinho e sorriu. Apagando a luz do quarto, ela foi pra cozinha. Preparar um jantar que ela comeria sozinha.

***

De novo.

-Edward, Edward, onde está você?

Edward pensava em Bella.

Sentado numa mesa afastada de um restaurante chique, ele encarou Tânia, que discorria sobre algum assunto que ele não tinha o menor interesse. A quem estava enganando? Não queria estar ali. Queria estar numa casa à beira da praia. Na campainha de uma moça de que virara sua cabeça desde o momento que pousara seus lindos olhos castanhos nele. E junto a filha que conceberam juntos, num dos momentos de sublime rendição que tanto atormentava suas lembranças dia após dia.

Era um completo idiota. Bella o traíra de maneira mais vil possível. O usara por dinheiro. E para completar, escondera dele que tinha uma filha. Apenas para aparecer meses depois e bagunçar a sua vida novamente.

Então porque estava ali, com Tânia? Para deixar Bella com raiva? Para ela experimentar um pouco do próprio veneno?

Ele estava furioso com ela. Furioso com tudo o que ela o fizera passar. Angie fora apenas uma desculpa para mantê-la perto de si e ele poder usá-la na tentativa vã de exorcizar de vez o que sentia. Mas o feitiço virara contra o feiticeiro. Quanto mais tinha. Mais ele queria.

E o pior. Ele queria vê-la sorrindo amorosa para ele novamente. Queria ouvir sua voz melodiosa dizendo que precisava dele. Como ele precisava dela. Depois de fazer amor com ela daquele jeito tão brutal quando chegara à casa de praia, ele sentira-se culpado e necessitado de se afastar dela, de sua presença dominadora que despertava o que havia de pior nele. Mas não conseguira ficar longe muito tempo. Simplesmente não conseguia trabalhar. Não conseguia pensar racionalmente. Pensava apenas em se consumir naquele fogo que ardia dentro dele toda vez que a tocava. Queria ouvi-la gritar em êxtase e quem sabe assim, sentir-se inteiro novamente. Então sentia raiva de si mesmo por ser tão fraco e suscetível a ela. E a tratava mal. Não conseguia evitar agir assim. Ela era a culpada de seu tormento. E chegara até a usar a omissão do estado de Angie para puni-la. E pra que? Sentia-se um lixo depois. O pior e mais canalha dos homens. Quando ele acordara aquela manhã e a encontrara acordada e ela exigira saber de Angie ele sentiu nojo de si mesmo por ser tão egoísta. Ela era a mãe de Angie e Edward podia acusá-la de tudo. Menos de não amar a filha.
E agora Angie estava em casa. E ele sentia que seu lugar não era ali e sim na sua casa com Angie.

E com Bella? Sua consciência indagou.

-O que você quer de mim, Edward?- ele voltou ao presente com a voz de Tânia.
A encarou, confuso. Sim, o que queria dela? O que estava fazendo ali com ela, se na verdade mal podia suportar sua presença?

-O que quer dizer? - ele saiu pela tangente.

-Estamos aqui. Como nos últimos dias. Jantando. E você fica aí, quieto, com o pensamento longe... Está distraído Edward. - Tânia chamou sua atenção – Aliás, tenho notado você muito estranho nestes últimos dias. Distante.

Ele tomou um gole de sua bebida.

-Muito trabalho. Apenas isto.

Ela sorriu e tocou sua mão por sobre a mesa.

-Talvez devesse “relaxar” um pouco. Poderíamos ir para o seu apartamento...

-Não acho uma boa idéia, Tânia.

-Por quê?

-Por causa de Angie.

-Mas ela está no hospital!

-Não mais, teve alta hoje.

Tânia franziu o cenho.

-E com quem ela está?

-Com uma babá. – Edward respondeu evasivo.

Tânia o fitou com um olhar malicioso.

-Então se tem uma babá para cuidar dela a gente pode...

-Já falei que não, Tânia.

A médica ficou séria.

-Sabe Edward, você está realmente muito estranho. Qual o problema?

-Não tem problema nenhum. - Edward falou irritado.

Ela cruzou os braços em frente do corpo adquirindo uma expressão inquisitiva.

-Então me conte, Edward. Onde você estava ontem à noite?

-Na minha casa.

-Não, não estava. Porque eu fui até lá ontem e você não estava. E o porteiro me disse que você não aparece há dias!

Edward pensou rápido.

-Estou com problema de vazamento. Por isto estou num hotel.

Tânia levantou a sobrancelha.

-Estranho, o porteiro não me disse nada!

-Por que não te interessa. Você não tem nada a ver com isto Tânia.

-Mas eu sou sua namorada!

-Não, não é.

-Porque esta falando isto, Edward? Por que me trata assim?

-É você quem cria ilusões na sua cabeça. Não eu. Sempre fui sincero com você.

-Mas eu achei... - ela respirou fundo para se controlar – Nós estamos saindo juntos todos estes dias e eu pensei... Que tivéssemos nos entendendo.

-Pois se enganou.

-Eu acho que você está escondendo algo de mim. Eu acho que você está com alguém.

-Você pode achar o que quiser. - Edward respondeu friamente.

-Agora resta saber quem é a tal.

-Não seja dramática, Tânia.

-Dramática? Você não quer dormir comigo. Desde que... Desde aquele episódio em Paris. Eu pensei que...

-Chega Tânia! - ele olhou o relógio - Preciso ir.

-Mas já?

-Sim.

Tânia se levantou também.

-Eu vou com você!

-Não vai não.

-Edward, por favor, eu quero te ajudar! Com certeza precisa de ajuda com Angie...

-Não preciso de sua ajuda.

-Então... Nos vemos amanhã?

-Acho melhor não.

-Edward, por favor...

-Tchau, Tânia.

Tânia acompanhou Edward saindo do restaurante com o olhar. Tinha alguma coisa muito errada. Ela só não sabia o que.

Edward estacionou o carro em frente a casa e desligou o motor. As luzes estavam apagadas e o silêncio da noite só era quebrado pelos sons das ondas batendo nos rochedos. Respirou fundo. O que era aquilo? Estava com medo de entrar e encarar Bella? Ou tinha medo dos sentimentos conflitantes que o dominavam cada vez que olhava pra ela?

Ao entrar na casa, o silêncio imperava ali também. Já era tarde e Bella deveria já ter se recolhido. Como se uma força invisível o guiasse, ele caminhou até o quarto e abriu a porta lentamente. Como vinha fazendo todos os dias anteriores, ele caminhou até perto da cama. Mas agora a diferença era que aquele sentimento atordoante, misto de desejo selvagem e ressentimento não mais o guiava. Agora sentia algo mais básico, porém mais profundo. Pousou os olhos sobre a figura adormecida e estancou. Bella usava uma de suas camisas, como nos velhos tempos. O que significava aquilo? Ela dormia serenamente, os cabelos castanhos espalhados pelo travesseiro, a respiração compassada fazia o peito subir e descer num movimento suave por baixo da camisa xadrez.

Lembranças de outra vida, de outro tempo, voltaram com força total. Sentiu uma pontada de desejo no peito. E chegou a dar um passo em direção a cama, para saciar aquela fome que tinha dela, sem pensar em mais nada. Mas parou. Não podia mais fazer aquilo. Agora tinha mais alguém em quem pensar. Não podia mais pensar apenas em seus desejos egoístas. Angie vinha em primeiro lugar e era só o que interessava.

E para ser sincero com ele mesmo, não queria mais tê-la daquele jeito. Pensava que seria capaz de possuí-la e depois deixá-la, sem envolver sua emoção. Mas descobrira que não era capaz. Estava se afundando cada vez mais naquele jogo perigoso e sabia que nada sairia de bom daquilo. Manter-se são e longe de Bella era o melhor. Ela iria embora brevemente. Fugiria de novo e voltaria a sua vida de sempre. Provavelmente encontraria outro trouxa para enganar como fizera com ele. O envolveria numa teia de sedução, o faria pensar que precisava dele e depois o descartaria como mercadoria usada. Como fizera com ele.

Era incrível como ainda doía mesmo depois de todo aquele tempo. Mas olhando para seu rosto sereno no sono, ele soube que não sentia mais ódio dela. Apenas um pesar profundo por não ser a mulher que ele tinha idealizado e amado. Porque no fundo, o que queria era que ela abrisse os olhos e dissesse que não iria embora, que ficaria pra sempre com ele, que tudo seria como antes. Que não haveria outro a não ser ele em sua vida. Edward sorriu tristemente. Lá estava ele sendo tolo de novo. Olhou uma última vez para ela e saiu do quarto, fechando a porta devagar.

Continua...

Não me xinguem por acabar o capítulo assim, mas garanto que o de amanhã será imperdível... Então comentem o de hoje e aguardem o próximo, por que vocês não vão se arrepender... Beijos.

4 comments :

  1. legal faltou um pouco "hot" de sempre mais espero o de amanha!! beijusculo flor

    ReplyDelete
  2. Você só me dixou com mais expectativas para o próximo capítulo.
    É uma tortura ter que esperar.
    Bjs...

    ReplyDelete
  3. Assim, não! parar assim!
    estou ansiosa pelo próximo, afinal disses-te que ia ser mt bom!
    Bjs =)

    ReplyDelete
  4. Cada vez mais envolvida com a trama!!

    ReplyDelete