FANFIC - INTERLÚDIO - CAPÍTULO 22 - BY JULIANA DANTAS

Boa tarde galera! Chegando com o capítulo que sei que vocês estão aguardando... Então nem vou falar muito. Leiam e se deliciem com nosso casal amado...

Interlúdio - by Ju
Título: Interlúdio
Autora(o): Juliana e Lilica
Shipper: Bella e Edward
Gênero: universo alternativo, personagens humanos (nada de vampiro), romance, drama.
Censura: NC-17

Interlúdio

By Juliana Dantas

Capítulo 22

Bella abriu os olhos ao perceber que ele tinha ido embora. Não sabendo se ficava feliz por isto ou se sentia tristeza. Estava acabado. Edward não mais faria amor com ela, a estava descartando. Provavelmente o próximo passo seria comunicar-lhe que ela deveria partir o mais rápido possível. Assim, poderia trazer a vaca da Tânia para viver com ele. Bella fechou os olhos com força ao pensar na médica pondo suas garras em Angie. Não, não deixaria isto acontecer. Não queria Tânia perto de sua filha. E falaria isto pra Edward. Ou ele aceitava ou ela era capaz de levar Angie com ela.

Claro que não queria que sua filha vivesse a mesma vida que ela. Mas também não queria que crescesse sobre a influência maléfica de Tânia. Isto ela não permitiria jamais. Lógico que não tinha nada a ver com Edward. Ele que ficasse com quem bem entendesse. Não lhe interessava se ele iria trazer Tânia para aquele quarto. Que se deitasse com ela naquela cama e fizesse amor como fazia com ela. Bella sentiu uma pontada de dor quase física ao formular em sua mente a imagem de Edward e Tânia juntos. Droga! A quem queria enganar? Morria de ciúmes só de pensar nos dois juntos. Mas o que podia fazer? Edward ficaria com quem bem entendesse. Menos com ela. Ele a odiava e achava que ela o traíra. Se ela tivesse um pouco de juízo que fosse, iria embora dali o mais rápido possível. Partiria deixando Edward e Angie pra trás para o bem deles. Mas como conseguiria deixá-los? Era como ter que cortar uma parte de seu corpo, de seu coração.

Ouviu um choro vindo do quarto ao lado e levantou-se de um pulo, indo para o quarto de Angie. Mas estancou a porta ao ver Edward com a menina nos braços
Por alguns instantes nada fez para denunciar sua presença ali. Ele falava baixinho com Angie, tentando acalmá-la. Até que levantou a cabeça e a viu. Seus olhares se encontraram e se prenderam por alguns momentos como se o mundo parasse de girar a volta deles. Angie chorou mais alto e Bella desviou o olhar para a filha, preocupada.

-Não precisava se preocupar, eu a ouvi chorando e já vim pra cá...

-Como não precisava? Ela é minha filha também, Bella, e tenho tantas responsabilidades quanto você.

-Eu sei, mas é que... Acho que fiquei tanto tempo sozinha que me acostumei a contar só comigo para cuidar das necessidades de Angie. - Bella confessou sem querer.

Edward a encarou, sentindo um aperto no peito ao imaginá-la sozinha com Angie e sua expressão se suavizou e entregou Angie para ela.

-O que ela tem? – perguntou.

-Preciso trocá-la... – Bella falou colocando a menina no trocador e retirando sua fralda – Pode pegar uma fralda limpa pra mim? - pediu e Edward apressou-se em ajudá-la. Bella o fitou e percebeu seu olhar interessado e teve vontade de sorrir – Quer fazer isto? – ele fez uma cara chocada – Precisa aprender a trocar fralda também, doutor Edward!- Bella falou divertida e afastou-se para deixá-lo trocar Angie.

E começou a rir ainda mais com as tentativas desastradas de Edward. Lembrava-se que ela mesma, nos primeiros dias com Angie, sofrera bastante até aprender tudo aquilo, já que nunca tivera contato com bebês.

-Se ela parasse de mexer as pernas... - Edward falou frustrado tentanto colocar a fralda em baixo de Angie.

-Tem que segurar com uma mão e colocar a frauda com outra - Bella explicou o ajudando - Entendeu?

-Você falando parece simples!

-E é. Você tem apenas que pegar prática! - Bella fechou a frauda e colocou a roupa na menina. - Quando Angie nasceu eu também me assustei por ter que fazer estas coisas!

-Eu imagino. - Edward falou interessado em saber e Bella continuou...

-Eu acordava a noite apavorada quando ela chorava. Achava que ela estava doente e corria no médico... Era embaraçoso - ela falou com cara de vergonha e Edward riu – E pra dar banho? Ela era tão pequena e molinha eu tinha medo de quebrá-la ao meio! Foi um horror!

-Mas você aprendeu. É uma ótima mãe Bella. – ele comentou tão naturalmente que Bella sentiu o coração dando um salto e abaixou a cabeça para fitar Angie e não ter que encará-lo.

-Eu fiz o que era preciso... - ela deu de ombros - Me adaptei a realidade. Ela era minha filha e só tinha a mim.

-Você podia ter me procurado Bella. – ele falou com uma voz ressentida e Bella sentiu de novo a culpa atormentá-la.

-Me desculpe. Eu sinto muito por não ter contado a você. Mas... – ela mordeu os lábios não conseguindo continuar.

-Eu sei. – ele falou. Sabia que ela estava falando da maneira como tinham se separado. Mas não queria falar sobre isto. Não agora que estavam tendo uma conversa civilizada em muito tempo – Mas não importa mais Bella. Tudo o que importa agora é o bem-estar de Angie.

-Sim. - Bella abaixou o olhar para a filha que tinha adormecido de novo – Finalmente ela dormiu.

Colocou a criança no berço e beijou seu rostinho rosado e ao levantar o corpo, Edward olhava a cena com um sorriso de... Carinho?

Bella obrigou-se a manter os pés bem plantados no chão. Mas era bem difícil quando ele agia daquele jeito. Agora ele olhava Angie com tanto amor que Bella sentiu o coração se expandindo.

-Ela parece com você... - ele falou de repente passando a ponta dos dedos pelo rosto de Angie – O mesmo sorriso, os mesmos olhos, e a mesma determinação pela vida. - ele a encarou – Ela foi uma lutadora, nossa Angie, Bella. Muitas crianças de seu tamanho não sobrevivem a...

-Mas ela sobreviveu. Graças a você. - Bella falou com a voz embargada. Olhou para Angie e sentiu toda a emoção reprimida nas últimas semanas a ameaçar romper. Quase perdera Angie. E só de pensar que estivera perto de não procurar Edward... Ela sentia uma dor imensa a dominar.

-Obrigada... - sussurrou fitando Edward.

Ele devolveu o olhar e neste momento uma força invisível os unia, toda dor, todo o ressentimento, toda a história deles até chegarem até ali. Bella sentia que iria desabar a qualquer momento e sem mais conseguir se conter, se afastou quase correndo.

Mas Edward a seguiu e no corredor e a chamou.

-Bella...

Ela se voltou para encará-lo.

-Edward eu... Eu pensei em nunca lhe contar sobre Angie, mesmo quando descobri que ela estava doente, eu... - Bella não conseguiu terminar e rompeu num soluço agoniado.

No momento seguinte, Edward se aproximava dela com passos largos e segurava seu ombro.

-Bella, olha pra mim. - ele pediu e ela o fitou – A culpa não é sua.

-Mas podia ter sido. Você não entende? Eu tinha medo de encará-lo novamente e por isto escondi Angie de você!

-Mas você veio até aqui e fez a coisa certa. Angie está fora de perigo.

-Se ela tivesse... Eu acho que eu morreria... - Bella deixou todo o medo que tinha mascarado romper num choro convulsivo.

Edward trouxe o corpo trêmulo de Bella para junto de si, abraçando-a.

- Eu sinto muito... - ela sussurrou com a voz abafada de desespero e dor e Edward sentiu-se atingido diretamente no coração. Segurou o seu rosto e a obrigou a fitá-lo através das lágrimas.

-Shiii... - ele passou os dedos pelo seu rosto secando suas lágrimas. Sentindo sua dor como se fosse a sua própria. – shiii... Está tudo bem, Bella, está tudo bem...

Ela sacudiu a cabeça atormentada e então Edward tocou seu rosto com os lábios secando suas lágrimas com beijos curtos.

-Edward... - ela sussurrou seu nome do fundo da alma, num misto de emoção e dor e então ele deslizou os lábios até sua boca trêmula e a beijou. Ele tinha intenção apenas de acalmá-la, mas a partir do momento que seus lábios se encontraram o dique que segurava as emoções se rompeu e ele aprofundou o beijo, com um gemido rouco.

Bella deixou-se beijar, as mãos crispadas em sua camiseta, querendo apenas aplacar aquela angústia que tinha dentro dela. E sabia que somente ele poderia fazer isto. Fazê-la esquecer de sua dor, porque sofria não só pelos erros do passado, mas também por que sabia que mais dia menos dia teria que partir e deixar a ele e a Angelina para trás. E ela não sabia se sobreviveria a isto.

Desesperada, subiu os braços para enlaçar sua nuca, beijando-o com urgência.

Ele a encostou na parede do corredor, as mãos segurando seu rosto, como se ela fosse de afastar. Como se isto fosse possível...

As bocas se separaram e ele encostou a testa na sua, a respiração ofegante como a dela e Bella abriu os olhos lentamente o fitando através da névoa de desejo e dor.

Naquele momento o que os ligava era tão profundo e ao mesmo tempo tão frágil que ela sentia a tensão quase palpável no ar. Era diferente das outras vezes em que ele a tinha beijado nos últimos dias. Naquelas vezes ele a beijava como forma de punição, com o intuito de satisfazê-la e feri-la ao mesmo tempo. Mas agora não havia mais nada entre o desejo cru que os unia.
Edward viu refletido em seu olhar os mesmos sentimentos que havia nos seus.
A desejava. Deus, como a desejava. Sabia que tinha prometido não mais entregar-se ao que sentia por ela. Mas não conseguia evitar. Era como deixar de respirar.
A atmosfera mudou pouco a pouco, uma tensão sexual se instalou como uma bomba relógio entre eles. Bella sentia dificuldade de respirar, o sangue corria mais rápido nas veias e o coração martelava enlouquecido no peito. As mãos dele estavam em seus cabeços como as garras afiadas de um tigre. Sentia a ereção exigente de Edward contra o ventre e ondulou o corpo quase que imperceptivelmente contra o dele, num movimento mais antigo que o tempo. Ele gemeu e pousou o olhar febril sobre ela, queimando-a por dentro.

-Não precisa fazer isto... – ele disse roucamente. E Bella sentiu-se derreter, pois sabia o que ele estava dizendo. Ele a estava colocando nas mãos dela a escolha de prosseguir ou não. Se fizessem amor agora não seria como antes. Ele não mais queria puni-la. Não existia mais o desejo de vingança. Seria pura paixão.

-Mas eu quero... – Bella sussurrou perdida e com um gemido rouco, ele a pegou nos braços e a levou para o quarto.

E, como intuíra daquela vez era tudo diferente. Era como tinha sido um dia entre eles. Ele a pousou no meio do quarto a meia luz. As mãos se ocuparam em abrir os botões da camisa que a cobria e só então Bella lembrou-se o que estava vestindo. Tinha feito aquilo sem pensar, quase que instintivamente, para aplacar a falta que sentia dele.

Ele puxou a camisola por sobre os ombros, desnudando-a completamente, expondo seu corpo ao olhar ávido.

-Você é a mulher mais linda que eu já vi em toda minha vida. – ele murmurou e Bella sentia como se fosse a primeira vez que ele a estivesse vendo nua, o corpo se aquecendo como uma flor ao sol.

Edward levou a mão à camiseta para tirar as próprias roupas, mas Bella o impediu.

-Eu quero fazer isto.

Ele não ofereceu resistência e ela puxou a camisa por sobre sua cabeça. Sem se conter, deslizou as mãos por sobre o peito liso, pousando a palma onde batia seu coração e beijou seu ombro, sentindo o gosto salgado de sua pele contra a língua.

-Eu quero provar você... – sussurrou descendo os lábios sobre o peito forte, passando pela barriga plana. Os músculos se contraindo sob seu toque, as mãos se imiscuíram pela barra da calça e a tirou.

Contemplando aquele corpo masculino perfeito, a ereção pulsante se destacando num nicho de pelos escuros, ela arfou, sentindo um desejo úmido se instalar no meio de suas pernas, onde ela morreria para ele estar mais uma vez.

E sem conter-se segurou a carne rija contra os dedos delicados e provou-o, deslizando os lábios sobre sua extensão macia. Ouviu Edward gemer e levantando a cabeça o fitou com desejo, os cabelos despenteados, o rosto vermelho e os olhos flamejantes.

-Faça amor comigo Edward... – pediu num sussurro.

Ele a levantou e a colocou na cama, cobrindo seu corpo com o dele, as mãos se movendo ansiosas por sua pele em chamas. Ele cobriu seu pescoço com beijos úmidos, descendo até os seios que se intumesceram apenas com seu olhar. Ele tomou os dois montes com as mãos em conchas levantando-os, enchendo as palmas, para então abaixar a cabeça e lamber o mamilo de devagar e depois sugá-lo avidamente, um após o outro até Bella gritar enlouquecida, arqueando o corpo, querendo que ele não parasse nunca mais.

-Eu não vou parar. – ele respondeu e ela percebeu que tinha expressado seus pensamentos em voz alta. Mas não se importou. Nada importava a não ser o desejo febril que a percorria de cima a baixo e a emoção sem limites que a fazia querer aconchegar-se a ele e nunca mais soltar. Queria saborear aquele momento com ele, queria guardar na memória seu toque, seu cheiro, seu gosto.

Gemendo, puxou-o para si, colando seus lábios, a língua invadindo a boca masculina num beijo profundo, querendo transmitir através daquele beijo todo o amor que sentia. Ele levantou a cabeça e a encarou intensamente. Bella sentiu-se engolfada num mar de águas profundas que a puxavam cada vez mais para o infinito. Os corações batiam no mesmo ritmo alucinado. Os corpos se entendiam e se completavam sem precisar de palavras. Ela fechou os olhos, dominada por uma emoção sem tamanho que ameaçava explodir no peito.

-Abra os olhos, Bella. – ele pediu gentilmente e ela o atendeu. Ele prendia o olhar no seu, sem jamais parar de fitá-la enquanto se moviam no mesmo ritmo envolvente, numa entrega mútua que os levou a um clímax arrebatador onde Bella segurou-se nele, enterrando as unhas em seus ombros, sentindo o corpo se desintegrar em mil pedaços e as emoções fugindo completamente do controle.

-Eu te amo! – gritou sem se importar com mais nada.

Depois de um tempo. Edward rolou para o lado livrando-a do peso de seu corpo, mas não a soltou. Não a soltaria nunca mais. Não adiantava esconder dele mesmo que ainda a amava demais. E jamais deixaria de amar. Se depois de tudo o que tinha acontecido este sentimento ainda era imutável, então nada o faria esquecê-la. E na verdade ele não queria esquecer. Queria que Bella ficasse ali, com ele, onde era o seu lugar, para sempre. Não importava mais o que tinha acontecido no passado. Quando faziam amor ela confessara que o amava e Edward acreditava. O que os unia era mais forte do que tudo.

E tinham Angelina.

Não, ele não deixaria Bella partir desta vez.

Bella sentia-se plena. Sim, tinha sido como nos velhos tempos. Sem nada a os governar, apenas a paixão mutua. Mas no fundo uma voz sussurrava que nem tudo era perfeito. Edward ainda achava que ela o traíra. E ela ainda era quem era. Fechou os olhos com força, para bloquear os pensamentos ruins.

-Eu sinto muito. – sussurrou contra seu peito.

Edward sabia que ela não estava pedindo desculpas por agora e sim por tudo o que tinha ocorrido entre eles.

Ele a abraçou com força e beijou seus cabelos.

-Durma Bella. Amanhã é outro dia.

Embalada por seus braços, Bella se esqueceu de tudo e adormeceu. Acordou atordoada. O dia estava cinzento e ela sentiu um braço sobre sua cintura. Então se lembrou de tudo o que tinha acontecido. Virou-se e ficou observando Edward dormir.

Adorava observá-lo. Mas foi interrompida por um choro de bebê. Saiu da cama e vestiu-se rapidamente indo ver Angie que parou de chorar assim que a viu.

-Bom dia, querida! – ela pegou a menina no colo. Trocou suas fraldas e a amamentou. Angie dormiu.

Voltou para o quarto e Edward ainda estava dormindo. Deitou ao seu lado, mas com o movimento do colchão ele acordou.

Bella o fitou meio apreensiva; E agora? O que iria acontecer?

Mas antes que ele falasse qualquer coisa, o celular tocou. Edward pegou o aparelho do lado da cama, escutou o que a pessoa do outro lado falava e então desligou.

-Precisa ir não é? – indagou.

-Sim, eu preciso. – ele saiu da cama e entrou no banheiro.

Bella também saiu da cama, indo para a cozinha.

Estava preparando um café quando Edward entrou.

Ele apenas a fitou.

-Preciso mesmo ir.

-Tudo bem.

-Bella, precisamos conversar.

-Edward...

-Mas não agora... Quero que me prometa... Que estará aqui quando eu voltar.

Ela o encarou. Sem saber se poderia prometer isto.

Mas como ela podia ir? Como deixar Angie?

Como deixar Edward?

-Eu prometo. – se viu respondendo – Não vou a lugar algum Edward.

E para sua surpresa, ele se inclinou e a beijou, antes de sair pela porta
Bella ouviu o barulho do motor se afastando e logo em seguida um telefone tocando.

Era Alice.

Bella tinha se esquecido completamente da irmã de Edward.

-Apenas para avisar que estou indo, ok?

-Alice...

-Estou com o carro cheio de compras. Você vai amar! – ela deu uma risadinha – É verdade que Angie está aí com você?

-Está sim.

-Que linda! Estou levando vários presentes para ela também. Será o dia das meninas! Vamos nos divertir muito! Até logo Bella.

Bella desligou o aparelho e sorriu.

Em seguida pegou uma caneca de café e foi para a varanda. Precisava de um tempo sozinha para por os pensamentos no lugar. O mar estava agitado e ela sentou-se no banco de madeira. O céu cheio de nuvens enunciava uma tempestade.

-Edward. – sussurrou seu nome contra o vento, fechando os olhos, lembrando da noite passada.

Ele era o homem da sua vida, mas ela jogara fora o que tinham com mentiras.

Respirou fundo. Era hora de contar a verdade a ele. Não sabia o que seria do futuro. Nem sabia se poderiam ter um futuro. Mas precisava contar tudo a ele.

Sorriu, sentindo que um peso era retirado de suas costas com esta decisão e levantou-se e então estacou horrorizada. A caneca de café caiu de suas mãos se espatifando no chão.

-Olá Bella.

Laurent e Victória estavam parados a sua frente.

Continua...

Tensão! Depois do amor agora os problemas... Essa é a vida da nossa Bella... O que será que vai acontecer agora? Aguardem até amanhã, e não deixem de comentar... Beijos a até amanhã sem falta.

5 comments :

  1. oi flor nossa demorou pra esses dois aparecerem né vamos ver o q acontece!! esperando o proximo cap mt mt anciosa!! beijusculo

    ReplyDelete
  2. OMG! você não podia ter parado aqui! quer matar-me?! estou ansiosa pelo capitulo de amanha!
    Bjs

    ReplyDelete
  3. Esses dois tinham que aparecer bem agora?
    Tudo estava indo tão bem!
    Espero ansiosamente pelo próx. cap.
    Bjs...

    ReplyDelete
  4. nossa, ameeeeeeeei
    ta muuito per *--*
    ai, tadinhada Bella * maas uma vez :x *
    loca elacontinuação

    ReplyDelete
  5. OMG!!E só o que consigo dizer!!
    Foi lindo a entrega dos dois em termos!!
    Mas to amando a história!!!

    ReplyDelete