FANFIC - REMEMBER ME - CAPÍTULO 1 - BY JULIANA DANTAS

Olá gente querida! Hoje teremos o primeiro capítulo dessa fic linda. Tenho certeza que vocês vão amar cada capítulo. Então vamos ao que interessa. Leiam e comentem depois.


Título: Remember Me - by Ju
Autora(o): Juliana Dantas
Shipper: Robsten
Gênero: romance.
Censura: NC-17
Por favor, lembre, por favor, lembre
Eu estava lá pra você e você pra mim
Por favor, lembre nosso tempo junto
O tempo era seu e meu
E nós éramos loucos e livres
Por favor, lembre, por favor, lembre de mim

LeAnn Rimes


Remember Me
By Juliana Dantas


Capítulo 1
Escuridão.
Por que tudo estava tão escuro?
Abri os olhos e por um instante pontos negros contrastaram com a luz muito brilhante.
Pisquei desorientada, lutando contra a dor na têmpora que aquela luz me causava.
Me movi, e tudo doeu. Serrei as pálpebras com força gemendo e de repente ouvi uma movimentação ao meu redor.
Voltei a abrir os olhos e desta vez consegui focalizar além da luz forte.
Um teto branco e limpo.
Virei a cabeça, ainda sentindo as leves pontadas e paredes brancas me cercavam.
Respirei fundo e senti o cheiro de éter inconfundível de um hospital.
Hospital? O que eu estava fazendo em um hospital?
-Kristen?
Eu olhei em direção a voz desconhecida, mas não consegui ver.
Mais passos e desta vez um homem de jaleco se aproximou.
-Como se sente? - ele colocou uma lanterna nos meus olhos e eu gemi, virando a cabeça.
-O que... - minha voz saiu pastosa e grossa, como se eu não a usasse há muito tempo e minha garganta queimou, mas eu forcei a fala – Onde estou?
-Num hospital.
-Por quê? - murmurei confusa.
Franzi o cenho, tentando me lembrar... O que teria acontecido para eu estar num hospital?
-Não se lembra? - ele continuava a me examinar, passando um negocio gelado por meu pé e eu encolhi a perna e me surpreendi com a dor de novo.
Eu me sentia como se tivesse levado uma surra.
-Kristen, preciso que me diga do que se lembra...
Eu fechei os olhos e puxei minha memória.
Vazia.
Comecei a ficar seriamente perturbada.
Mas eu sabia que meu nome era Kristen Stewart. Morava em Los Angeles com meus pais.
E era atriz.
E a última coisa que me lembrava...
-Um filme. Eu estava viajando de carro para fazer um teste... Estava chovendo...
Eu gemi, a dor de cabeça se intensificando enquanto eu tentava lembrar de mais coisas, mas não conseguia.
-Eu sofri um acidente? - indaguei começando a entender.
-Sim, sofreu.
-Fuck – eu gemi irritada.
Isto quer dizer que eu estava terrivelmente atrasada.
-Eu tenho que ir... – balbuciei tentando levantar, mas minha cabeça rodopiou e eu caí de novo, ao mesmo tempo em que o médico me pressionava contra a cama – Eu tenho que trabalhar...
-Não se mova. Seus ferimentos externos não foram graves, mas ainda está bastante dolorida e com algumas contusões.
-Há quanto... Quanto tempo estou aqui?
-02 semanas.
-O que? - eu gritei. Era pra ser um grito, mas não passou de um sussurro engasgado.
-Não fique agitada. Vou fazer algumas perguntas, pode me responder?
-Onde está minha família? Eles devem estar loucos...
-Não se preocupe com isto. Ele está aí fora...
-Michael? - indaguei, pensando que meu namorado também devia estar preocupado.
O médico pareceu confuso.
-Apenas responda a estas perguntas...
Ele começou a perguntar sobre meu nome, meu trabalho, meu endereço.
E eu comecei a ficar impaciente.
-Para onde estava indo quando sofreu o acidente?
-Um teste para um filme... Eu tinha que estar lá, senão... Oh droga, deve estar tudo atrasado, por minha culpa...
O médico me fitava com um olhar preocupado.
-Kristen. Em que ano nós estamos?
Oh Deus. O que aquele imbecil estava pensando?
Que eu era uma louca ou algo assim?
-2007. – falei sem pestanejar.
Ele ficou em silêncio por alguns instantes, depois retirou os óculos e limpou o suor da testa e então escreveu algo em sua prancheta.
-Quando eu vou poder sair daqui? - indaguei impaciente.
-Ainda teremos que fazer alguns exames e...
De repente a porta do quarto de abriu e alguém entrou.
-Kristen! - a voz desconhecida tinha um tom ao mesmo tempo preocupado e aliviado.
Os passos se aproximaram da cama e eu o vi.
Ele me fitava com um olhar que condizia com sua voz. Alívio e preocupação toldavam os olhos azuis e seu rosto cansado tinha uma barba por fazer de dias, talvez, eu calculei.
Os cabelos estavam bagunçados como se tivessem sido castigados por dedos impacientes e sua roupa amarrotada parecia que não era trocada há dias.
E ele me olhava como se me conhecesse.
E me chamara pelo nome, mas...
-Quem é você?
Ele riu.
Era um riso grave e bonito.
Mesmo estando contundida e confusa eu tive que reconhecer. Ele era bonito.
-Kristen? - ele estendeu a mão para tocar a minha, mas eu a puxei, assustada, encarando o médico que suspirou tocando o braço do estranho.
-Eu preciso falar com você. E melhor deixá-la descansar.
-Mas... Ela está bem? - o estranho indagou ao médico agora me fitando sem mais o olhar de alivio.
Agora era pura preocupação.
-Lá fora.
O estranho parecia que não ia ceder. Passou os dedos pelos cabelos, exasperado e então, lançando-me um último olhar preocupado, ele seguiu o médico.
Assim que eles saíram, eu me senti estranhamente só.
E ao mesmo tempo aliviada.
Quem era aquele cara? Eu devia conhecê-lo? Claro que não.
Nunca o tinha visto na vida.
Fechei os olhos, sentindo-me impaciente e aflita.
Precisava ver um rosto conhecido. Qualquer um servia. Minha mãe, Michael, quem quer que fosse.
Alguém pra me explicar o que diabos estava acontecendo.
Apesar de toda impaciência, acho que eu dormi.
Quando acordei o quarto estava numa suave penumbra e então alguém se movimentou do meu lado.
-Kris?
Eu reconheci desta vez. Era ele. O estranho de cabelos bagunçados.
O que ele estava fazendo ali ainda?
Eu gemi.
-Esta sentindo dor? Vou chamar o médico...
-Não... Eu só... Será que poderia dizer quem é você?
Ele aproximou-se da cama. Era alto. E parecia maior ainda parado ali, enquanto eu permanecia indefesa.
Quase ri deste pensamento.
-Você realmente... Não se lembra? - havia dor na sua voz? Ou era impressão minha?
-Me lembro do que?
-O médico me disse que você não se lembrava.
-Do que eu tenho que me lembrar?
-De tudo. De mim.
Oh Deus. Será que havia alguma ala psiquiátrica no hospital e ele tinha fugido de lá?
-Olha, não sei quem é você, ou o que está fazendo aqui, mas parece uma boa idéia chamar o médico agora... Ou melhor, deve ter alguém da minha família aqui ou o Michael...
-Sua família não esta aqui Kristen... Nem o… Michael...
-Por que não? O médico disse que estou aqui há duas semanas...
-Sim, está.
-Eles não sabem que eu acordei? É isto?
-Kristen, me escuta. Você precisa entender... As coisas que se lembra, ou melhor, que não se lembra...
Eu comecei a ficar verdadeiramente irritada.
-Escuta você... Será que pode me deixar em paz? Chama o médico, por favor...
-Kristen... – ele tentou tocar minha testa e eu dei um tapa na sua mão.
-Não põe a mão em mim!
Ele parecia irritado agora também. Mais que isto. Ele parecia estar sofrendo.
E algo dentro de mim se agitou; Culpa?
Eu nem o conhecia, caramba!
Respirei fundo, tentando me acalmar.
-Olha, me desculpa. Não queria ser rude, mas às vezes eu sou assim mesmo.
Ele riu, para o meu assombro.
-Eu sei.
Eu o fitei. Talvez se conversasse com ele educadamente, ele me deixasse em paz.
Seja lá quem fosse.
-Qual seu nome?
-Robert.
-Certo. Robert. - o nome não me dizia nada – Será que poderia chamar o médico pra mim?
-Sim, eu chamarei. Mas antes, precisamos conversar. Quero ter certeza... Do quanto você não se lembra.
Eu revirei os olhos impaciente. De novo aquela história.
-Porque insiste nisto?
-Porque você realmente esqueceu...
-Esqueci do que?
Ele respirou fundo.
-Kristen. Se eu te dissesse que esta não é a primeira vez que nos vimos?
-Eu diria que você é maluco. Eu nunca te vi antes.
-Mas nós nos vimos.
Eu ri.
-É alguma piada? Algum tipo de pegadinha? É isto? É algum daqueles programas idiotas da tv?
-Quem dera que fosse...
-Certo. Então segundo você, nós nos conhecemos?
-Sim.
-E porque eu não me lembro de você?
-Porque, segundo o médico, está com alguma espécie de amnésia.
Eu ri. Mas ele permaneceu sério.
-Está brincando não é?
-Não Kris.
-Isto não pode ser verdade!
Droga, eu não poderia estar acreditando nele. Era surreal demais.
-Kris, quando o médico perguntou em que ano estávamos você respondeu...
-2007.
-Kristen, nós não estamos em 2007...
-Ah não?
-Não.
-Certo, em que anos nós estamos então?
-Já se passaram 07 anos Kris.
Eu ri de novo. Ele era mesmo maluco.
Mas ele ficou sério e se levantando pegou um jornal esquecido em cima de uma mesa e me deu.
Eu olhei a data.
E senti uma vertigem.
Não pode ser. Não pode ser.
Eu fitei, empalidecendo.
-Mas como...
-Kristen. Você esqueceu sete anos da sua vida.
Eu engoli em seco. Começando a acreditar em tudo aquilo.
Por mais bizarro que fosse.
Sete anos. Sete anos.
-Eu não estava indo fazer o teste...
-Não. Você estava dirigindo, mas não era o teste.
-O que aconteceu?
-Você bateu o carro.
-E fiquei em coma.
-Duas semanas.
Eu fechei os olhos com força, tentando conter o nó na minha garganta e o apavoramento que ameaçava me engolfar.
E quando o abri, eu o encarei.
-Nós realmente nos conhecemos não é?
-Sim, Kris.
-Há quanto tempo?
-Sete anos...
-Sete anos...
Eu o conhecia há sete anos e não me lembrava.
Era simplesmente surreal demais para mim.
-E o que... Você significa... Pra mim? - sussurrei, como se para mim mesma.
Mas dentro de mim era só o vazio. Não havia resposta.
-Isto teremos que descobrir... – ele disse suavemente.
E eu me senti de novo sendo tragada pela escuridão.
Continua...

O que acharam desse capítulo? Deixem suas opiniões nos comentários... Vou adorar saber a opinião de cada um... Beijos e até amanhã com mais um capítulo.

10 comments :

  1. Lindooooo amei essa fanfic maravilhosa

    ReplyDelete
  2. nossa, o primeiro cap ta otimo, a fic vai ser boa tenho certeza :]
    tadinho do Rob, muuito tenso ..
    quero ler a continuaçaõ logooo !!

    ReplyDelete
  3. amei a fic, é perfeitaaa
    posta mais

    ReplyDelete
  4. Cara, perfeito. Fiquei arrepiada e morrendo de dor do Rob. Já uma coisa dessa acontecendo comigo... o amor da minha vida esquecer de mim...
    Please, posta mais. Indo agora ler o próximo.

    ReplyDelete
  5. Aunt que lindo *---*
    ameeei (:

    @itsmeNikka_

    ReplyDelete
  6. So não gostei pq disseram que os olhos dele eram azuis ¬¬ mas espero que ela cnsiga se lembrar.

    ReplyDelete
  7. Gostei... Adoro fics q instigam minha curiosidadde...
    ;)

    @ S_faby

    ReplyDelete
  8. Eu simplesmente amo todas as fics da Ju. Adorei o capítulo

    ReplyDelete