ATADA A ELE - CAPITULO 38

Atada a Ele

ATADA A ELE - IZABELLA MANCINI. 

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Amizade, Comédia, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Estupro, Sexo

Capitulo 38 - AMOR QUE NÃO SE MEDE. 

Dias depois
Existe explicação pra um amor que não se mede?
Não pensei que essas frases clichês são dignas de mim... Mas agora, a cada dia que passava, a cada vez que meus olhos pousavam em Erick, eu mais uma vez, sentia um amor imenso se propagar dentro do meu coração.
A forma como aquele pequeno bebê mexia comigo era intensa e inexplicável. Principalmente quando eu o via nos braços de Bella, enquanto ela o ninava toda apaixonada... Era mais do que um sonho. A cada dia maior, mais bonito... A cada dia uma felicidade que nos renovava. Fiquei ao lado de Bella o maior tempo que pude.
Foram-se dois meses, e agora, eu tinha que voltar pro trabalho. Nesses meses, nada normal aconteceu conosco, uma vez que Alice, minha mãe, Rose, Jasper, meu pai e Emmett nunca nos davam sossego em nada. Sempre que um saia, o outro entrava, sempre com presentes pro bebê, com coisinhas pra Bella... Meio pateticamente perturbador, porém saber que os outros se importavam tanto conosco era gratificante.
Erick já tinha tantos brinquedos que era impossível guardar algo mais em seu quarto azul. Pedidos pra eles pararem, pelos menos, ate o aniversário dele de um ano.
Bella: será que ele já dormiu? – sussurrou pra mim quase dentro do meu ouvido enquanto eu, sentado na cadeira de balanço observava Erick dormir.
Edward: já, há quase dez minutos ele não abre os olhos – fiquei de pé quando Bella parou atrás de mim com as mãos em meu ombro. Ela deveria querer me dizer algo... Caminhei até o berço de Erick e o coloquei lá.
Observei-o mais uns instantes... Seu cabelo agora, com apenas dois meses de vida, era ainda mais claro, chegando quase ao loiro escuro e tomavam conta de toda sua cabeça sem nenhuma falha. Seus olhos, nesse momento adormecido, cada vez se tornavam de um azul mais intenso, assim como as bochechas gorduchas ficavam cada vez mais rosadas. Sua pele era branquíssima, com sardas claras espalhas pelo rosto que lembrava muito, muito, muito o de Bella, sua mãe.
Olhei pra ela do meu lado, que apreciava o nosso bebê em sono profundo. Seu peito se elevava rapidamente... Era o único movimento de Erick dentro do berço.
Bella: ele vai acordar – disse me olhando – e vai querer mamar – sorri – não me olha assim não, que eu já tirei o leito pra ele. Não vou precisar mais sofrer assim...
Edward: eu não quero que você sofra – saímos do quarto do bebê rindo baixinho, e apagamos a luz.
Já era tarda da noite, deveriam ser umas onze e meia... Ainda despertos pelo bebê, parecíamos não querer dormir tão cedo. Assim que chegamos à cozinha, Bella foi até a geladeira e tirou a mamadeira azul com seu leite de lá. Caminhou até o microondas e enfiou-a lá dentro...
Parei ao lado dela, no balcão, e lhe abracei por trás. Bella assustou-se, porém logo deixou que meus braços a envolvessem até que eu já a apertava entre meus braços e lhe roubava beijos demoradamente. O microondas apitou e nem percebemos... Continuei a beijar-lhe, até que beijei seu pescoço, seus ombros... Seus dedos me apertaram o cabelo e eu olhei pra ela.
Bella: a mamadeira... Do bebê – lembrou ofegante.
Edward: ele está dormindo agora – lembrei a ela também, que sorriu, se virou em de frente a mim e pulou no balcão, me puxando de modo que eu ficasse entre suas pernas. Novamente, sem me dar tempo de respirar, seus lábios estavam colados aos meus me acariciando gentilmente.
Aos poucos ela ia me deixando tomar conta dela, amá-la e fazê-la feliz... E agora, talvez, fosse o momento de promover uma felicidade que não se mede.
Bella POV
Esme: o bebê mais lindo da vovó! – Esme estava sentada na grama do jardim de sua casa com Erick em seu colo. Ela o segurava em pé enquanto fazia coisas engraçadas pra ele, que fazia carinhas fofas – ai meu Deus, acho que ele está rindo! – me olhou ao seu lado, e sorriu.
Bella: talvez ele sorria – garanti sorrindo pra ele, que puxava a blusa azul de Esme – Hei, não faz isso! – tentei ser severa, mas como sempre, ele não me obedecia – ele nunca me obedece. Só ao Edward...
Esme: é sempre assim – me olhou, e sorriu, o deitando e o chacoalhado devagar em seu colo – mais esse menino quando crescer vai ser um terror! – beijou o cabelo loiro escuro de Erick – vai nos deixar de cabelo em pé.
Bella: bom, disso eu não tenho dúvidas – gargalhei, e vi Alice vir em nossa direção correndo – Oi.
Alice: Oi gente – logo ela se abaixou a frente de minha sogra e começou a paparicar o bebê também – oi meu amorzinho... – me olhou – Bella, o Edward tá ai.
Bella: ele veio me buscar – fiquei de pé – bom, acho que já vamos... – estiquei o braço pra pegar Erick, mais Alice e Esme fizeram uma carinha de dor que me quebrou o coração.
Esme: Bella... Seria pedir demais se... Se você pudesse deixá-lo aqui por essa noite? – as duas ficaram de pé. Erick todo contente no colo de Esme, com as mãos na direção de Alice que brincada com elas – por favor... Eu vou cuidar dele como se fosse a minha vida, eu prometo!
Bella: mas e se ele... Quiser mamar? – coloquei minhas mãos no bolso de trás da minha calça jeans, como um impulso pra não pegá-lo dos braços de Esme.
Ok, eu estava disposta a inventar mil e uma desculpas. Nesses dois meses, eu nunquinha tinha me separado de Erick nem pra respirar, e ficar sem ele era meio estranho. Eu sempre dizia que minha mãe era paranóica por não me deixar dormir na casa das minhas colegas, e ela me dizia que eu apenas ia entender quando tivesse meus filhos. E eu entendia agora.
Mas por outro lado... Eu sabia que Esme era uma pessoa de minha inteira confiança. Quando estava grávida ela tinha cuidado de mim nos primeiros meses com todo o carinho, e sempre me ajudava, se revelando uma pessoa maravilhosa. Confiaria a vida de Erick a ela se fosse preciso.
Esme: Ué, você tira e deixa leite comigo! Não é assim que você faz pra ele mamar? – ela ainda o ninava de um lado pro outro.
Alice: Ah, se ele ficar eu também fico pra dormir aqui... – brincava com os pezinhos dele agora – anda Bella, não seja má.
Esme: Ah, Alice, você não sabe como é – Esme veio na minha direção com ele no colo – toma, pode levar... – e riu – quando ele for maior, quem sabe, não é querida?
Olhei pra Erick, e o vi agarrado à blusa de Esme todo brincalhão. Mordi os lábios, ainda com as mãos nos bolsos, e olhei pra ela.
Bella: tá bom, ele pode ficar – sorri de lado – mais, por favor, Esme, cuida direitinho dele, Ok? Se acontecer algo você me liga na hora!
Esme: Ah, mais é claro! – ela ficou toda contente, explodindo felicidade, e nesse momento, Edward se aproximou de nós, todo de branco, recém chegado do trabalho, mais com óculos escuros.
Edward: oi pra todos – me abraçou e me beijou na boca rapidamente – vamos pra casa?
Bella: vamos – olhei pra ele, e sorri – o Erick vai ficar aqui hoje, tudo bem pra você?
Edward: o Erick o que? – Edward até riu, olhando pro bebê no colo de sua mãe – vai ficar aqui? – parecia espantado.
Esme: é, o que tem? – puxou Erick pra perto de si, e o ajeitou no colo – vai passar uma noite com a vovó...
Alice: e com a titia! – sorriu – Ah, qual é, Edward! – falou pra ele que torcia o nariz. O sol já se punha – não seja egoísta! Acabamos de convencer a Bella, agora é você quem arruma problema? Vocês podem aproveitar pra sair... – sugeriu, e nos olhamos – está uma linda noite de sexta-feira, vocês dois, juntinhos, livres do bebê... Que tal?
Edward: livres do bebê? – a cara de raiva que ele adotou me fez quase imaginá-lo dando umas pancadas na Alice – ah, para... Nós gostamos de estar com ele.
Esme: mas precisam de um momento sozinho, não é? – Erick já quase dormia no colo de Esme, e Edward suspirou, adotando a mesma postura que eu: botando as mãos no bolso.
Edward: Ok, tudo bem – concordou com a postura meio rígida – mas mãe, qualquer coisa você liga pra mim, Ok?
Esme e Alice riram juntas.
Esme: Ok, senhores preocupadinhos, pode deixar que vou mantê-los informados de qualquer coisa que o Erick fizer... Satisfeitos?
Edward: claro – eu nem respondi, e vi Edward ir até Esme pedindo Erick em seu colo. Ela o entregou – tchau garotão... – ele se mexeu no colo de Edward – e nada de ficar se achando só porque vai passar sua primeiro noite fora de casa, hein moleque... – ele deu um beijo na testa de Erick, e eu fiz o mesmo, me pendurando no ombro de Edward pra beijar o nosso neném.
Saímos depois de eu tirar o leite, e nem sequer olhamos pra trás. Dentro do carro não sei que parecia mais tenso, eu ou ele.
Bella: calma, ele vai ficar bem – beijei seu ombro, quando ele girou a chave na ignição – sua mãe vai cuidar dele... É só por essa noite.
Edward: é eu sei – suspirou, e me olhou com um sorriso pequeno de lado, meio triste – mas é que sei lá... Nós nunca o deixamos. Desde o primeiro momento...
Bella: deixa de paranóia – revirei os olhos quando o carro começou a andar, e ele há rir um pouco – na verdade, não percebemos, mais ficamos muito pouco tempo sozinhos. Só entre o sono de Erick...
Edward: bom, isso é verdade – ele me olhou novamente, e sorriu mais abertamente. O celular dele tocou nesse momento, e ele pediu pra eu pegar no bolso dele – atende, estou dirigindo – e riu. Eu ri também, e atendi.
Bella: Alô?
Emmett: Edward? Nossa mais que voz de mulher, cara... – nem precisei perguntar pra saber quem era.
Bella: Oi estrupício – falei rindo – é a Bella.
Emmett: Bella? E ai garota, beleza? Sempre uma delicadeza em pessoa, não é mesmo?
Bella: Oh, claro que sim – sorri sinicamente, e fiz uma voz doce. Ele riu.
Emmett: o seu excelentíssimo marido se encontra no recinto?
Bella: se encontra sim, espera – olhei pra Edward, que tinha um sorriso de lado – é o Emmett – murmurei pra ele.
Edward: pergunta o que ele quer...
Bella: ele perguntou o que você quer? Ele tá dirigindo... – olhei pras minhas unhas esperando a resposta.
Emmett: ah, eu queria pergunta se vocês não estão a fim de dar uma volta. Eu e a Rose vamos jantar no shopping e lá é um lugar legal pra levar o Erick. Nós não saímos a um tempão...
Bella: Ah, legal... Espera – olhei pra Edward – ele chamou a gente pra jantar fora. Disse que ele e Rose vão jantar no shopping e que agente pode levar o Erick pra lá.
Edward: jantar fora? – estreitou o olhar – Ah, legal... Você quer ir? – sorri e sim que sim com a cabeça – ótimo, então fala pra ele que oito e meia agente passa na casa dele.
Bella: Ok...
Contei pra Emmett que iríamos e que estávamos sem o Erick. Com isso, combinamos de ir a um lugar mais legal, como por exemplo, uma boate. Edward disse que tinha uma muito boa pelos arredores da cidade, e que não era nada pesada. Aceitei logo a idéia... Eu precisava mesmo sair um pouco, assim como Edward.

Sinto que essa festa vai dar o que falar hein??? Até amanhã!!!

1 comment :