ATADA A ELE - CAPITULO 42

Atada a Ele

ATADA A ELE - IZABELLA MANCINI. 

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Amizade, Comédia, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Estupro, Sexo

Capitulo 42 - DESABAFANDO



Erick
(Claro, em partes mais pra frente, não é?)
Depois de tomarmos banhos separados, seguimos totalmente cansados pra casa de Esme. Meu corpo todo doía, e uma sensação estranha de formigamento percorria desde a ponta dos meus pés até a minha cintura. Claro, depois de onze horas de sexo era de se esperar que meu corpo não estivesse em sua melhor forma.
Edward: oi mãe – assim que ela abriu a porta sorriu pra nós dois. Nossos corpos molhados pela chuva breve que tomamos desde a saída do carro até a porta da casa. Esme trocou um sorriso cúmplice com nós dois.
Esme: olá queridos – nos abraçou juntamente – estava preocupada! Mandei...
Edward: trinta e quatro mensagens no meu celular, eu vi – entramos nos secando com a toalha que Esme colocou sobre nós e tirando os casacos – mas estamos aqui... Cadê o Erick?
Ouvimos o choro de nosso bebê e nos viramos no mesmo segundo, na direção da sala de estar. Sorrimos e caminhamos até lá, aonde vimos Carlisle com Erick em seu colo. O escandaloso continuou chorando e só parou quando Edward o pegou e começou a paparicá-lo. Conversamos durante um bom tempo, por volta das onze da noite fomos pra casa.
Erick bem desperto me observava na cadeirinha no banco de trás. Eu não deixava de olhá-lo.
Bella: ele mamou tanto que pensei que fosse arrancar o meu peito fora – sorri o observando remexer as mãozinhas.
Edward: ele ficou muito tempo longe de nós – continuou olhando pra frente com um sorriso no rosto – é normal estar com saudades de mamar direto da fonte.
Bella: verdade – sorri e coloquei meu cabelo atrás da orelha.
Edward: mais garotão, você precisa dividir comigo às vezes – olhei pra ele meio assustada – é uma mulher só pra dois caras exigentes. Eu só divido com você...
Bella: Edward! – repreendi e ele riu – para de falar isso na frente dele... – Edward gargalhou alto.
Edward: ele não entende – me olhou rapidamente.
Chegamos em casa rindo. Erick cismava em não dormir, e quanto a isso Edward e eu não ligávamos. Estávamos sem um pingo de sono e ficamos no quarto brincando com Erick, falando besteiras e assistindo “Titanic” pela milésima vez.
No final da noite, Edward quase dormia enquanto eu me deitava em seu ombro observando o pequeno corpinho de Erick dormindo sobre o peito de Edward. Nosso pequeno bebê totalmente apagado e confortável. Notei como os dois eram lindos e perfeitos. Sorri de lado e beijei o cabelo louro escuro de Erick e depois o pescoço de Edward onde deitei novamente.
Bella: vou levar ele pro quarto – murmurei no ouvido de Edward – ele pode cair.
Edward: Sh... – me repreendeu, e me abraçou pela cintura – deixa ele aqui. Não vai cair não... – concordei – eu te amo.
Bella: eu também – murmurei de volta e depois embarquei num profundo sono.
Dois dias Depois
Edward tinha saído pra trabalhar bem cedinho e Erick se remexida do meu lado. Trajando um macacão azul escuro com listras brancas ele estava à coisinha mais linda do mundo. Hoje estava sol, e as perninhas gorduchas estavam expostas. Sentei-me no sofá da sala com ele em meu colo e liguei a TV.
A coisinha mais linda do meu mundo mordia o meu dedo deitado em minhas cochas dobradas me observando com seus olhos azuis enquanto eu concentrada, assistia ao filme que passava na TV. Um filme muito erótico, por sinal. Meus olhos não conseguiam abandonar a tela enquanto os dois personagens estavam envolvidos numa cena de sexo fortíssima. Que tipo de canal era aquele que exibia sexo explicito a essa hora da manhã?
Deveria ser um da TV a cabo, mais não me importei. Continuei a ver e mal pude acreditar que eu tinha feito aquilo! Meu corpo todo tremeu só de me lembrar de dois dias antes, quando Edward e eu passamos onze horas trancados no quarto fazendo a mesma coisa que os personagens do filme que passava.
Vendo me parecia algo sujo. Fazendo me parecia algo totalmente doce. Corei com o pensamento e fui arrancada dos meus devaneios quando Erick deu um grito pra chamar a minha atenção. Olhei pra ele que ainda tinha meu indicador entre as mãozinhas e me abaixei pra beijar a ponta de seu nariz branquinho.
Bella: quer dar um passeio com a mamãe? – perguntei pro bebê que continuou do mesmo jeito. Voltou a enfiar o meu dedo na boca – acho que isso é um sim – me estiquei e peguei o telefone.
Rose: Alô?
Bella: Oi amiga! É a Bella, lembra? – eu ri.
Rose: Bellinha, mais é claro que eu lembro – ela também riu – que bom você ter ligado, eu ia mesmo te convidar pra almoçar comigo... Quero saber como foi com o Edward!
Bella: bem, foi exatamente por isso que eu liguei – prossegui – eu quero te encontrar e contar tudo! Preciso desabafar com alguém... – e ri olhando pra Erick – hoje eu estou livre.
Rose: ótimo! – ela me passou o endereço do restaurante e combinamos de nos encontrar lá ao meio dia – tchau Bellita.
Bella: tchau – desliguei e sorri pro bebê – vamos se trocar? Agente tem que dar um role – peguei Erick no colo e subi com ele pro quarto. Dei banho, troquei a roupinha dele e o deixei sobre a supervisão de Ana pra eu poder tomar o meu banho. Assim que estivemos prontos, enfiei-o na cadeirinha de locomoção e sai.
O táxi parou próximo ao tal do restaurante em que Rose e eu havíamos combinado. Era lindo em uma movimentada Avenida de Nova Iorque, e assim que sai do táxi, a vi sentada numa das mesas do lado de fora. Sorri e caminhei até ela segurando Erick na cadeirinha ao lado do meu corpo.
Passamos a tarde toda conversamos e Rose mal pode acredita quando eu disse que finalmente eu e Edward tínhamos dado o grande passo. Erick não nos deixou em paz! Sempre ficava gritando ou fazia algo pra chamar a minha atenção, mas mesmo assim, conseguimos conversar direitinho.
Bella: foi como você disse – murmurei pra ela, meio envergonhada em estar falando daquilo. Erick agora estava em meu colo quase arrancando os meus cabelos, porém, quieto – não houve explicação, não houve como planejar. Só... Aconteceu, sabe? Foi perfeito. Perfeito.
Rose: eu sabia, Bella – sorriu olhando pra Erick – você e o Edward são feitos um pro outro e eu tinha certeza que ele iria te tratar como uma rainha e fazer tudo ser perfeito. Foi por isso que te dei aqueles conselhos... Mas... Esse negócio da luz apagada... Você tem que resolver isso!
Bella: ai Rose, isso me assusta! – eu ri mexendo na mão de Erick que tentava puxar o decote do meu vestido cor creme – foi ótimo ter as luzes apagadas, sei lá, nós não nos vimos, mais foi como se tivéssemos nos visto. E sabe... Eu tenho medo. E se quando a luz acender eu me lembrar de tudo o que aconteceu antes?
Rose: não vai não se você só se lembrar do Edward – aconselhou – e eu te afirmo... O Edward como veio ao mundo deve ser uma paisagem e tanto! Você vai se arrepender quando se der conta do que está perdendo! – ela gargalhou e eu corei olhando pro Erick – Ah, tem uma novidade pra você... – olhei pra ela e franzi a testa.
Bella: Hum... O que?
Rose: Emmett me pediu em casamento! – Rose sorriu abertamente e ergueu a mão me exibindo uma aliança dourada que brilhava em sua mão esquerda.
Bella: O QUE? SÉRIO? NOSSA! – eu mal sabia o que falar – Rose... Eu nem... Nossa, meus parabéns! – coloquei Erick de pé no meu colo e o sentei em minha perna apoiando seu corpinho no meu braço – caraca, que lindo!
Rose: É, mais a novidade não é essa – gargalhou toda misteriosa – bom, o padrinho do Emmett vai ser o Edward e eu quero que você seja a minha madrinha!
Bella: Hã? Eu?
Rose: Aham! – assentiu – você aceita?
Bella: CLARO, NÉ? – eu ri – mais agora me conta... Como foi tudo?
Rose: Ah... Ele chegou em casa todo misterioso ai...
Passamos o resto da tarde falando do casamento. Rose toda empolgada com a idéia de casar, dizendo que não via a hora de ter um bebê como o meu. Contou-me tudo e já começávamos a fazer os preparativos para a grande festa que haveria! Afinal, o casamento seria dali a quatro meses...
Ao final da tarde e começo da noite cheguei em casa após Rose me deixar na porta do prédio. Subi toda contente com Erick na cadeirinha e entrei no apartamento enorme mais feliz do que de costume. Um casamento sempre me deixava feliz! Ana tinha o dia seguinte de folga então passei reto pela cozinha e subi pro meu quarto toda empolgadinha... Assim que abri a porta...
Edward: você não sabe o que aconteceu! – Edward me olhava pelo espelho enquanto secava o cabelo com uma toalha azul. Tinha um sorriso meigo no rosto.
Bella: o que? – coloquei a cadeirinha de Erick encima da cama e tirei o meu casaco o jogando no closet. Virei-me, peguei Erick no colo e fui pra perto de Edward.
Edward: advinha quem vai casar... – se virou pra mim e me puxou pela cintura em sua direção. Deu u beijinho no cabelo de Erick.
Bella: o Emmett e a Rose! – mostrei a língua e ele riu.
Edward: como você sabe? – franziu a testa meio decepcionado.
Bella: Erick e eu fomos almoçar com ela – contei – e ela contou. Bom, ficamos praticamente a tarde toda falando do casamento... Isso vai ser demais! E ah, ele te contou que vamos ser os padrinhos?
Edward: lógico que contou! Mas te garanto que eu fiquei uns dez minutos em choque... O EMMETT CASANDO PRIMEIRO QUE EU! Depois de tanto me zoar... Quem vai casar primeiro é ele...
Bella: pois é, também fiquei surpresa e... – Erick se revirava – Ah a frauda dele está suja – fiz carinha de nojo – vou trocar e dar banho nele...
Edward: daí, deixa que eu dou – antes que eu pudesse me mexer, Edward já tinha pegado Erick do meu colo – vai tomar banho, você deve estar cansada.
Bella: já que você insiste – ele riu antes de sair e logo mais eu me enfiei no chuveiro feliz com a felicidade dos meus amigos.
Edward POV
Edward: sabe filhão... – era estranho estar tendo um dialogo com um bebê de dois meses e meio. Mas eu sabia que apesar dele ter só dois meses e meio, Erick me ouvia e me compreendia e acima de tudo, respondia com aqueles olhões azuis – preciso de um conselho muito importante.
Erick estava deitado encima da cômoda azul de seu quarto enquanto eu terminava de colocar sua frauda. Paradinho feito uma estatua, Erick olhava fixamente pra mim e piscava totalmente consciente em minha direção. Suas pequenas mãozinhas fechadas em punhos.
Edward: tá, talvez você não vá me dar um ótimo conselho mais só de desabafar a minha dúvida com você já vai ser ótimo – pigarreei e comecei a vestir uma camisetinha azul em seu corpinho. Estava muito quente e eu não pretendia enfiar um monte de roupas no moleque. Assim que terminei o peguei no colo e me sentei na poltrona de seu quarto com ele encaixado em meus braços – é o seguinte... Acho que... Que sei lá, eu vou pedir a mão da sua mãe em casamento – os olhos dele ainda estavam nos meus – sabe, acho que é a hora de nós formarmos uma família também perante a lei. Bem, você já é meu filho perante a lei, mais a sua mãe ainda não é minha esposa. Bom, tá, isso não é um problema, é só eu ir lá e pedir ela em casamento... Mas... Como é que vai ser depois? E quando o seu avô sair da cadeia? Isso ocorre há três meses e bem, e se ele não gostar?
Nos olhamos e ele soltou um som com a boca e depois espirrou. Eu ri e toquei levemente o nariz dele. Erick fez uma careta engraçadinha e depois abriu a boca desdentada em um bocejo enorme.
Edward: eu não posso nem pensar nisso... Não posso nem pensar que o seu avô vá reprovar eu e sua mamãe. Porque simplesmente... Eu não saberia o que fazer se ficasse sem vocês. Seria um perdido no mundo. Tenho certeza que não duraria uma semana sem olhar pra sua carinha e sem ficar ao lado da sua mãe – aos poucos ele ia pegando no sono e seus olhos começaram a pesar. Sua mão se fechou na minha camisa e ele se deitou de lado se encaixando nos meus braços em uma posição confortável. Bocejou de novo e fechou de vez os olhos apertando a minha camisa – Boa noite filho – fiquei de pé o vendo dormir e parei ao lado do berço.
Algo dentro de mim era incapaz de colocá-lo no berço. Uma força estranha o prendia perto do meu coração e eu não queria de jeito nenhum soltá-lo.
Edward: eu não me imagino mesmo sem você...

1 comment :