ATADA A ELE - CAPITULO 43

Atada a Ele

ATADA A ELE - IZABELLA MANCINI. 

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Amizade, Comédia, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Estupro, Sexo

Capitulo 43 - INOCENTE PERFEIÇÃO

Após sair do quarto de Erick deparei-me com Bella sentada em nossa cama vestida com uma de minhas camisetas. Seu olhar estava em direção ao edredom que cobria a cama meio longe. Dei a volta e parei ao lado dela que ergueu o olhar pra mim.
Bella: quero conversar com você – murmurou baixinho meio tímida. Ok, ai vem bomba! Resolvi dar um espaço a ela e me sentei na poltrona a sua frente e a observei.
Edward: estou aqui pra ouvir... – tentei parecer calmo, mas claro, sem muito sucesso. Seus olhos me buscaram e ela suspirou colocando o cabelo atrás da orelha.
Bella: não conversamos sobre isso, mais imagino que devemos conversar... – agora sim seu olhar se fixou em mim – você deve estar se perguntando o porquê da luz apagada, não é? – suas bochechas coraram e ela deu um breve sorrisinho.
Edward: bom... – antes que eu pudesse começar, Bella me interrompeu altamente constrangida.
Bella: não é porque eu tenho medo, eu juro – confessou com os olhos apertados – eu não tenho medo de você, não mesmo.
Edward: eu não ia dizer isso – a cada segundo que se passava eu queria me por de pé e caminhar até ela.
Bella: mas eu vou dizer! – cismou – eu tenho vergonha, Edward. Tenho vergonha de você. Sabe, eu não sou tão... Tão perfeita como você acha que eu sou.
Edward: mais é claro que você é perfeita, Bella – queria me levantar dali, pegá-la no colo e niná-la pra sempre. Mas algo que dizia pra não se mover – se é por isso... Bom, eu vou te contar que no dia em que você estava bêbada eu te dei banho e vi muito bem... Como você é.
Seu rosto corou mais forte e suas mãos se contorceram em seu colo.
Bella: eu imagino – sua voz soava num sussurro – mas mesmo assim... Você já teve tantas. Sinto-me... Inferior.
Edward: eu não espero que você seja perfeita – impressionei-me com meu tom firme e seguro – você é o amor da minha vida e pra mim você já é perfeita ao seu modo. Nada me importa, apenas o que eu sinto quando estou com você, minha pequena. E além disso... Aos meus olhos você é a mulher mais linda do mundo. Pode não acreditar, mais é verdade... Eu juro – nossos olhos se encontrar e eu podia ver nos dela a vontade de vir até mim – mas não acredito que esse seja o único motivo.
Bella: e não é – garantiu suspirando – também tenho medo de quando... De quandover o que estamos fazendo me lembrar do que houve antes. Pretendo perder esse medo aos poucos, por isso eu te peço que me marque um terapeuta ou sei lá, psicólogo. Eu definitivamente, preciso disso.
Edward: eu vou fazer isso e quando ao seu medo – sorri – você pode ficar sossegada que o escuro tem suas vantagens. Eu te compreendo, Bella. Jamais vou te condenar por algo tão pequeno, e muito menos deixar que isso cause conflitos na nossa relação. Eu amo você, e acredite, isso é maior do que tudo. Vou te esperar, seja quanto tempo for – ficamos calados uns segundos, mas seus olhos não desgrudavam do meu rosto.
Bella: foi um passo muito grande ter me entregado pra você.
Edward: tenho absoluta idéia de como foi enorme – assenti – você provou mesmo que me ama. Espero poder um dia, fazer algo pra provar que te amo também.
Bella: você acabou de me dar uma prova enorme – sorriu abertamente e ficou de pé em movimentos graciosos. Do nada, meu coração começou a correr no peito – você sempre me prova que me ama, mais a cada dia – aos poucos ela vinha pra perto de mim – e como eu disse, vou perdendo esse medo aos poucos... E já que você já me viu nua antes... – ela deslizou as mãos pelo corpo levemente quando parou – vou te mostrar de novo como eu sou de verdade...
Delicadamente suas mãos percorreram sua cintura até chegarem à barra de minha blusa branca que se moldava com perfeição ao corpo pequenino. Aos poucos Bella deslizava a blusa para fora de seu corpo em movimentos inocentes, porém altamente sensuais.
Meus olhos eram incapazes de abandoná-la, assim como a seus lindos e sensuais movimentos. A única peça de roupa que usava caiu no chão ao seu lado, e pude contemplar a mulher que amo nua, aos meus olhos, exibindo toda sua inocente perfeição.
Pisquei várias vezes quando ela se deslocou tremula, caminhando na minha direção. Postou-se a minha frente, em meio as minhas pernas, me deixando sem movimento, sem sequer acreditar que tudo aquilo era real. Cada parte de seu corpo era captada por meu olhar que pretendia memorizar cada pedacinho de toda sua delicadeza. Era perfeita, doce e sexy como eu me lembrava e assim, desperta, deixava meu corpo em chamas derretendo de desejo. Minhas mãos tremiam forte. Eu queria agarrá-la, apertá-la contra meu corpo e beijar todo o alcance de sua pele... Até morrer disso.
Seu cabelo caia num liso delicado em seus ombros pálido, os fios escuros pousando em seus seios volumosos. Sua pele clara se tornava tentadora.
Suas mãos se ergueram e puxaram minha camisa por minha cabeça, antes dela enroscar os dedos em meus cabelos e chegar mais perto, me grudando em sua pele, respirando contra minha testa. Fechei os olhos e envolvi sua cintura ouvindo sua respiração ofegante em fusão com minha pele.
Algo em minha mente não funcionava bem, minha única vontade era enroscá-la ao meu corpo e fundi-la a mim de todas as formas imagináveis. Algo também desconhecido a mim pulsava junto ao meu desejo, e neste momento dei-me conta, mais do que nunca, da existência do meu coração.
Suas mãos, leves como plumas, deslizaram por meus ombros sentindo os calafrios que me percorriam. Toquei seu corpo e tamborilei minhas mãos por sua pele em um breve momento de desestabilidade. Ergui-me da poltrona e a puxei de encontro ao meu peito, sendo invadido pela sensação indescritível de seu corpo moldado e deliciosamente colado ao meu.
Fechei os olhos quando seus beijos castos se deslocaram para o meu pescoço, sentindo suas mãos percorrerem o cós da minha calça. Deslizei o toque por sua pele experimentando suas reações, deliciando-me com seus doces gemidos ao passo em que minhas mãos percorriam seus seios.
Quando me senti livre da calça e percebi que suas mãos pequenas percorriam minha barriga em direção a partes mais baixas, segurei seus pulsos e a prensei contra a parede, lhe dando um beijo longo enquanto roçava minha ereção contra seu ventre. Bella gemia e desfalecia aos poucos em meus braços e neste momento senti que era à hora.
Tateei a parede em busca do gerador e apaguei a luz mergulhando o quarto nas sombras de nossos corpos em contato e gemidos febris. Livrei-me da roupa que restava em meu corpo e deslizei sua perna direita pelo meu quadril. Impulsionei o corpo contra o calor de sua umidade, e em seguida senti-me deslizar por sua cavidade tensa e molhada. Suas mãos se fecharam em meus ombros enquanto Bella gemia quase dolorosamente, mastigando seus lábios com uma força prazerosa.
Nossos corpos se entrelaçavam no máximo de seus limites, meu corpo se afundando no dela como se ali fosse seu encaixe perfeito.
Certeiro, longo, profundo.
O prazer explodia entre nós e meu maior medo era não conseguir parar jamais de invadi-la com minha maior disposição. Mesmo não podendo vê-la, imaginei sua expressão de arrebatador prazer quando suas unhas cravaram-se em meus ombros e espasmos percorreram seu corpo apertando meu sexo no dela.
Continuei, pedindo silenciosamente para que nunca mais acabasse.
Bella POV
Nossos corpos ainda unidos, o corpo dele deslizando dentro do meu. Profundo, quase tocando minha alma. Apertei os dedos no cabelo dele quando senti minhas costas tocando a cama embaixo de mim. Seus braços me envolveram mais fortemente e gemi sentindo novamente espasmos violentos se apossando de minha vagina.
Edward: boa menina, muito boa – sussurrava em meu ouvido, empurrando dentro de mim com a mesma disposição de quando começamos há momentos atrás. Mais fundo, mais forte, mais intenso.
Grunhi, gemi, explodi... Colei meus lábios nos de Edward quando senti o êxtase se abater sobre ele. Sua essência deslizava pra dentro do meu corpo e sentindo essa maravilhosa sensação, fui novamente envolvida por um prazer intenso e o apertei mais uma vez, com todas as minhas restantes forças dentro de mim.
Bella: Edward – murmurei segurando em seus ombros com a respiração a fio – não posso mais. Estou cansada...
Edward: eu sei amor – murmurou contra meus lábios se retirando de dentro de mim. Fechei os olhos e gemi diante da sensação de perda. Apesar de não agüentar mais, senti-lo dentro dela mim era perfeito – eu sei – beijou minha testa e se deitou ao meu lado na cama.
Arrastei-me e me deitei sobre seu peito respirando forte.
Bella: meu Deus, eu não sinto minhas pernas – sorri e ele também enquanto suas mãos percorriam minhas costas. Arrepios deliciosos eram gerados desse frágil movimento.
Edward: você é tão boa – me apertou e me beijou na boca quando ergui o rosto – me vicia.
Continuamos nos beijando só que ao fundo...
Bella: o Erick está chorando? – perguntei quando nós dois olhamos pra porta.
Edward: está – garantiu me dando um tapinha na perna me fazendo rir. Logo foi se levantando – vai tomar um banho amor. Vejo o que ele quer... – concordei e deixei-o ir. Enfiei-me no chuveiro novamente mal acreditando que já era uma da manhã.
Edward POV
Fui até o quarto de Erick ver o que ele queria. Por sinal, era a bendita da chupeta que ele vinha usando que caiu a boca dele e ele não conseguia recuperar. Suspirei e coloquei a chupeta na boca pequenina. Ele sugou com vontade e eu fiquei parado do lado do berço esperando ele pegar novamente no sono.
Seus olhos estavam nos meus. Resolvi deixá-lo lá, mais quando sai do quarto ele voltou a berrar.
Edward: Ok, beleza, você ganhou! – o peguei de dentro do berço rindo – não vou mais maltratar a sua mãezinha hoje, ok? – caminhei com ele até o meu quarto e de Bella e me fui à direção da poltrona de antes me sentar com ele. Sentei-me, mais não percebi que a poltrona ficava na direção do banheiro.
Erick se encaixou nos meus braços calminho enquanto meus olhos não se desgrudavam da fresta da porta que me dava acesso a Bella... Tomando banho. A água caindo sobre o corpo dela, o cabelo longo caindo em sua cintura, em seus seios.
Olhei pro meu filhote que ainda me observava e suspirei.
Edward: cara, você estava bem acomodado lá – voltei a lançar um olhar pra ela embaixo do chuveiro enxaguando o cabelo – não fica me olhando assim não, rapazinho. Um dia vai ser a sua vez de se apaixonar e eu não vou te condenar!
Nem notei quando ela saiu do banheiro enrolada na toalha.
Bella: com quem você estava falando? – perguntou meio envergonhada, notando que a porta estava meio aberta.
Edward: com o Erick! – dei de ombros. Ela foi até o closet e pegou outra camiseta minha pra vestir – por favor, com calcinha de preferência. O Erick está acordado e ele tá muito ciumento hoje – ela riu enquanto vestia a camiseta. Depois, veio em minha direção e pegou Erick do meu colo pra eu tomar banho – sabia que eu amo você?
Bella: sabia – garantiu se sentando no meu lugar na poltrona.

1 comment :