ATADA A ELE - CAPITULO 44

Atada a Ele

ATADA A ELE - IZABELLA MANCINI. 

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Amizade, Comédia, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Estupro, Sexo

Capitulo 44 - DAQUI AO SOL

Quatro meses depois
Bella: não filho, tira isso da boca! – puxei o controle remoto das mãozinhas de Erick que resmungou e começou a se esticar em direção ao controle que joguei no chão. Apertei meu braço em volta de sua cintura – para Erick!
Edward: o que foi Bella? – perguntou ele rindo do outro lado da linha – tudo bem?
Bella: tudo. É só o Erick querendo morder tudo o que vê pela frente! – o ajeitei o no meu colo segurando o fone do telefone sentada no sofá da sala – o que você ia me dizer mesmo?
Edward: a que horas você volta das comprinhas com a Alice? – ironizou dando uma risadinha.
Bella: Ah Edward, você sabe... Vou comprar um vestido pro casamento da Rose amanhã. Tem que ser perfeito então vai demorar um pouco... Eu acabei de esquecendo e ficou pra ultima hora – Erick sossegou agora mexendo nas pulseirinhas do meu braço. Beijei seu cabelo loiro escuro – Vou chegar à noite. Eu levo o Erick?
Edward: não – disse seguramente – você vai fazer compras. Pode deixar ele com a Ana que às três da tarde eu chego em casa. Do jeito que ele está, vai acabar colocando todos os vestidos da loja na boca também... – eu ri.
Bella: esta bem então – olhei pra Erick, e ele ergueu o rosto pra mim. Sorri e ele se virou na minha direção apertando a minha bochecha entre os dedinhos com a franjinha do cabelo caindo no rosto – vou dar banho nele. Nós te amamos. Até de noite.
Edward: também amo vocês.
Desliguei o telefone e subi direto pro quarto de Erick. Coloquei-o no berço, e ele ficou lá, sentadinho mexendo no travesseiro. Arrumei uma roupinha linda pra ele, daquelas peças que mais pareciam às imitações das roupas de Edward em versão pequena e levei-o pro meu quarto. Lá, arrumei também a minha roupa e fui tomar banho com ele. Deixei-o sentadinho na banheira de plástico enquanto eu tomava banho no chuveiro de olho na pestinha. Esme tinha razão. Ele era bagunceiro e não parava um minuto... E olha que tem só sete meses! Terminei o meu banho, terminei o dele e voltei pro quarto. Nos trocamos, liguei pra Alice e ela confirmou o lugar onde iríamos nos encontrar. Peguei meu livro, onde eu estudava pra minha prova final no colégio. Se eu passasse nessa prova, poderia logo me formar e pegar o certificado do segundo grau. Era só o que faltava pra tudo ficar perfeito!
Em casa estudar era quase impossível! Erick não me deixava em paz, sempre querendo toda a minha atenção, e a noite, quando Edward chegava e Erick pulava encima do pai como se sua vida dependesse disso, quem não conseguia largá-los era eu! Deixei Erick com Ana, que largou tudo pra ficar sentada com ele enquanto o via brincar com algumas peças de uns brinquedos coloridos sentado sobre um pano azul na sala. Sai com aquela dor no coração de sempre em deixá-lo pra trás e fui encontrar Alice.
Edward POV
Ana tinha ido embora há alguns minutos. Erick quase dormia em meu colo enquanto estávamos aproveitando o sol das quatro horas. Era mesmo um final de dia lindo, e principalmente quando está em tão boa companhia. Sua cabeça minúscula descansava em meu ombro, e suas mãozinhas estavam agarradas a minha camisa. Seus olhos azuis já começavam a se fecharem enquanto o sol baixava. O cabelo quase loiro estava um pouquinho molhado de suor de tanta bagunça que ele fez comigo. Beijei seu cabelo, e ele coçou os olhos todo sonolento. Ele precisava de um banho, mas algo dentro de mim era incapaz de perturbá-lo. Eu sabia que se dormisse não iria nos deixar em paz de noite, mais não havia nada nele que me fizesse repreendê-lo. Exatamente como a mãe dele, ele tinha o poder sobre mim. Não havia nada que eu não fizesse pra ele ou por ele. E assim ele foi dormindo.
Edward: isso ai garoto – incentivei quando ele bocejou – boa noite.
Erick: Dadi – murmurou. Eu sorri, não sabendo nada do que aquilo significava! Ele sempre fazia sons, falava silabas pequenas, nunca uma palavra concreta. Era sempre como agora – Dadi.
Edward: Dadi não – corrigi enquanto me virava em direção à porta – é papai - pensei que ele fosse dormir, mas ele se ergueu me olhando.
Erick: Dadi, Dadi! – tocou na minha bochecha.
Edward: é papai! – ele riu e eu também. A campainha soou, e ele voltou a mexer na gola da minha camisa. Caminhei até a porta, e a abri – pai? - Erick olhou pro meu rosto depois pro meu pai parado na porta. Abriu um sorriso e me olhou de novo apontando pro meu pai.
Erick: Dadi! – disse apontando pro meu pai – Dadi, Dadi!
Carlisle: o que quer dizer Dadi? – ele riu e segurou o dedo de Erick que riu. Continuou parado no lugar.
Edward: eu não sei – olhei pra Erick meio perdido – mais acho que quer dizer papai.O que você... O que... Não que você precise ter um motivo pra vir aqui, mais... Porque veio?
Carlisle: a Bella está? – questionou ainda parado no lugar, segurando o dedo de Erick.
Edward: não, ela foi fazer compras com a Alice – falei vendo Erick largar o dedo do meu pai e estender os braçinhos na direção dele, abrindo e fechando as mãozinhas em sua direção, pedindo pra que ele o pegasse no colo. Meu pai o fez. O pegou do meu colo – por quê?
Carlisle: tem alguém querendo falar com ela – franzi a testa.
Edward: quem? – de repente eu quis puxar Erick pro meu colo e apertá-lo contra mim, não deixando a vista de ninguém. Meu pai olhou pro lado e seu olhar seguiu o de Erick. De repente, eu quase caio pra trás – Charlie? - no momento em que eu disse seu nome, Erick se virou pra mim rapidamente e ficou me chamando com o mesmo movimento que usou pra Carlisle o pegar no colo. Abria e fechava as mãos muito rápido, gemendo apertado.
Erick: Dadi, Dadi, Dadi – chamava – DADI! - olhei pra ele e o peguei no colo. Erick me agarrou e ficou com a cabeça deitada no meu peito. Não estranhei aqueles gestos. Bella e eu sempre falávamos de Charlie, e nunca eram coisas muito boas.
Charlie: Olá Edward – sorriu de lado. O observei meio atento demais. Ele estava ótimo. Usava um terno comum e tinha as mãos no bolso com uma aparência saudável – esse é o meu netinho?
Edward: é ele mesmo – falei arrumando Erick em meu corpo. Ele não quis se mover, pelo contrário. Colocou o dedo na boca e ficou chupando como se fosse uma chupeta, se concentrando naquilo. Nada bobo.
Charlie: ele é bonito – disse meio sério, olhando de mim pra Erick.
Carlisle: nós vamos ficar parados aqui pra sempre? – dei espaço pra eles entrarem, e logo após mandei-os se sentarem. Sentei-me na poltrona única com Erick em meu colo. Ele parecia não me largar!
Edward: eu não sabia que você já tinha saído da prisão, Charlie. Pensei que isso iria acontecer mais cedo.
Charlie: pois é – disse olhando minha casa. A sensação era de que ele averiguava pra ver se estava tudo em ordem – era pra eu ter saído há dois meses, mas ocorreu um imprevisto e o processo se tardou. Agora já está tudo bem. Sai ontem – seus olhos não desgrudavam de Erick – ele é mesmo bonito. E tão grande... Esperto. Bella deve estar orgulhosa.
Edward: estamos – assenti – bom, Bella foi fazer compras com Alice, porque amanhã vamos ao casamento de uma amiga nossa e vamos ser os padrinhos – sorri – me disse que só volta de noite.
Charlie: é realmente uma pena – meu pai disse algo e saiu da sala em direção a cozinha. Olhei, mas não me grudei aquilo. Deslizei Erick e o fiz se sentar no meu colo. Ele grudou a cabeça na minha barriga e ficou quieto – mas há coisas que eu preciso falar com você também.
Edward: ficarei feliz em ajudar – assenti, passando os braços ao redor de Erick. Houve um momento de silêncio, apenas Erick fazendo barulho com as sugadas em seu dedão.
Charlie: ele... Bom, ele se parece com você – aquilo realmente me assustou – não faz essa cara, Edward, quando você tinha a idade dele era bem parecido – e riu – se disserem que são pai e filho é quase impossível de dizer ao contrário.
Edward: é, talvez sejamos um pouquinho parecidos – olhei pra Erick e ele ergueu o pescoço pra mim dando um sorriso com poucos dentes. Toquei em seu nariz branquinho e ele espirrou – eita! – ele riu. Olhando assim... Erick tinha cabelos quase loiros, mais ou menos como o meu. Um grande olho azul que se enganava ao lado do meu verde. A pele bem branquinha como a minha, umas sardinhas no rosto como as de Bella, assim como os dentinhos da frente que já estavam nascendo. Seu olhar era meigo, doce e divertido. Como um gatinho ele estendeu os braços e eu o peguei. Deitou a cabeça no meu ombro e ficou lá, bem quietinho.
Charlie: você o registrou? – perguntou nos observando. Não era que a presença dele me intimidasse... Mas tudo o que oferecia algum tipo de perigo ao meu filho me deixava alerta – quero dizer, como seu filho?
Edward: sim, registrei – falei normalmente. Houve um grande silêncio – e bom, eu também tenho que te dar uma noticia.
Charlie: diga.
Edward: amanhã, depois do casamento eu... Eu vou pedir a Bella em casamento – Charlie nada disse, apenas ficou me olhando – é... Você não vai dizer nada?
Charlie: Edward seja sincero comigo – é agora... Ele vai me matar! – eu já vi que você ama o Erick de verdade como se ele fosse mesmo seu filho. Isso não me deixa duvidas. Mas... Você ama mesmo a minha filha? -Erick espirrou de novo e coçou o nariz. Eu suspirei.
Edward: Charlie – comecei, meio confuso – se eu te disse que... Que eu amo ela seria pouco, porque a Bella e esse garoto são hoje como... Como a minha razão de viver, sabe? – não olhei pra ele – eu sei que você pode achar que eu sou um mentiroso, mas eu não teria porque mentir. A Bella mudou a minha vida quando entrou nela, e hoje, nada nem ninguém vai tirar ela e o meu filho de mim. Nada. Não é que eu não ligue pra sua opinião – agora eu olhei – é que eu simplesmente não posso deixar tirarem de mim aquilo que me vale mais do que a própria vida e ficar de braços cruzados - ele apenas me olhou e piscou.
Charlie: não vou tirar a Bella de você – garantiu calmo – ela faz o que bem entende, e se ela acha que você é o melhor pra ela, eu vou respeitar a opinião dela. E, além disso, esse tempo todo ela esteve muito bem com você. Não há motivos pra eu fazer isso. Mas de uma coisa eu te garanto: se você a fizer sofrer mais do que já sofreu, eu te mato!
Edward: não vou fazer – falei, e ele assentiu.
Charlie: acho que eu já vou indo. Pelo jeito Bella vai chegar tarde.
Edward: pois é.
Meu pai voltou, e rapidamente ele e Charlie foram embora. Isso me proporcionou grande alivio! Saber que ele me apoiava com Bella me deu uma maior motivação, e foi pensando nisso que subi as escadas com Erick em meu colo e contemplei mais uma vez o anel de noivado que eu havia comprado a uns dias. Era prata com o tal do “diamante rosa” que hoje era febre nos mercados e muito caro.
Edward: e ai? – mostrei pra Erick – você acha que a sua mãe vai gostar? – ele observou à jóia – vai não é?
Bella POV
Bella: ai Alice, ter saído de casa foi um máximo! – estava tarde, eram cerca de nove horas quando paramos em uma loja do shopping que já fechava pra tomarmos um café – mas já estou com saudades do meu filhote.
Alice: eu te entendo – ela fez uma carinha fofa – e sabe de uma coisa? Eu acho que estou grávida!
Bella: O QUE? – de repente eu fui pega de surpresa – você tá grávida? Me explica isso agora garota! – ela riu e tomou mais um gole de café.
Alice: bom, eu to atrasada quase três semanas... Eu ando meio enjoadinha, com certas tonturas. Tenho quase certeza!
Bella: e o que você está esperando pra fazer um teste?
Alice: passar o casamento da Rose e do Emmett - deu de ombros – não gosto das coisas tudo de uma vez! Depois que passar um grande momento, eu reservo outro.
Bella: nossa mais isso é muito bom! – terminei de tomar o café – e escuta... O vestido que compramos está perfeito! Tanto o seu quanto o meu... - na verdade, eram encantadores! O meu era rosa claro, era longo, um tanto decotado e o tecido dava a impressão de brilho. Era o vestido da moda, pois lembra o tal diamante rosa. O de Alice era da cor vinho, mais curto que o meu e aberto atrás. Pra combinar... Um sapato alto e prata todo decoradinho e muito caro!
Alice: é de muito bom gosto – ela piscou, e eu ri.
Bella: Alice, o seu irmão anda tão misterioso esses dias... – olhei em volta no shopping. Aos poucos ele ia esvaziando.
Alice: porque você tá falando isso? – ela meio que gaguejou, e eu sorri. Ela deveria saber do que ele estava falando, ou do que estava me escondendo!
Bella: Ah, você gaguejou! Você sabe por que ele tá tão misterioso... – franzi a testa.
Alice: não, claro que não – ela mentiu, mais depois riu – ok, eu sei! Mais eu não vou tecontar não... Amanhã você fica sabendo!
Bella: vocês são tão maus comigo! – resmunguei.
Alice: vai, vamos embora logo! O Erick deve ta querendo a mamãe... – pegamos as nossas sacolas e saímos.
Amanhã o dia seria longo.
Edward: você vai demorar muito? – Edward perguntou enquanto eu estava no banheiro – eu e o Erick já estamos prontos. E olha, o garoto ficou tão bonito que eu acho que ele arruma casamento hoje - Eu ri, e abri um pouco a porta do banheiro.
Bella: espera mais uns vinte minutos Edward – falei só com a cabeça na porta – eu já vou!
Edward: tá vendo Erick? Nem é ela a noiva e já tá atrasada! – ele estava com Erick no colo – então eu vou descendo.
Bella: Ok – voltei pra dentro do banheiro e dei mais uma olhadinha no espelho. Terminei de me maquiar, e parei pra ver se o penteado que eu tinha feito na cabeleireira estava intacto. Estava tudo certo! Vinte minutos depois, desci as escadas e vi Edward com seu smoking todo bonitão e Erick em seu colo, com uma copia perfeita de sua roupa em miniatura. O cabelo loiro todo penteadinho pro lado, e os olhos azuis brilhantes.
Bella: e ai, como é que eu estou? – perguntei dando uma voltinha.
Edward: quem comprou esse vestido? – perguntou meio confuso.
Bella: a Alice! – dei de ombros – tem algo errado com ele? – inspecionei o vestido de cima a baixo.
Edward: não, pelo contrário – ele botou a mão livre no bolso pra me elogiar – você está linda. Como sempre – sorri satisfeita.
Bella: vamos, antes que o Emmett comece sem nós! - fomos, e rapidamente chegamos à igreja mais bonita da cidade. Uma arquitetura perfeita, cheia de imaginas de santos e anjos perfeitos, simbolizando a santidade e fé do templo religioso. Maravilhosa, lembrando as antigas construções de igrejas da Antiga Europa. Quase todos estavam lá... Entramos, encontramos Esme e deixamos Erick com ela. Emmett estava impaciente no altar.
Emmett: ainda bem que vocês chegaram – falou quando Edward o cumprimentou com um aperto de mãe e um abraço, e eu lhe dei um beijo na bochecha – pensei que tinham me abandonado no altar.
Edward: calma cara, você tá muito nervoso... – ele riu de Emmett.
Emmett: quero ver quando for a sua vez se você ainda vai dizer isso – ele ajeitou a gola da blusa – e olha que vai ser logo - olhei pra Edward meio confusa, mas ele não me devolveu o olhar.
Bella: Emmett, a Rose te ama! Ela vai chegar logo e tudo vai acabar! – tentei apaziguar a situação critica - depois de um tempão, ela finalmente chegou! A cerimônia foi linda, apesar de Erick ter ficado me chamando o tempo todo. Quando acabou, seguimos pra festa que seria realizada num salão famoso da cidade. Era noite, e o lugar era mesmo fantástico! Tudo a luz de velas, menos a pista de dança, que era bem decorada e luzes coloridas circulavam por ela.
Alice: até que por ser o casamento do Emmett deu tudo bem – ela dizia ao meu lado enquanto ninava Erick em seu colo. Depois de tanto aterrorizar os convidados ele estava meio cansado, e já quase dormia no colo da madrinha. Os dedos de Alice deslizavam pelo cabelo loirinho dele delicadamente enquanto ele estava com a cabeça tombada no ombro dela. Os olhos azuis em mim, porém quase se fechando – a Rose estava linda, você não acha?
Bella: ah, claro que estava – falei em tom meio sonhador – afinal, casar é o sonho de qualquer mulher!
Alice: Ah, então você quer casar? – ela me olhou meio maliciosa. Eu ri.
Bella: lógico que eu quero! – respondi tomando um gole de champanhe da taça que eu segurava desde o começo da festa. Como eu estava amamentando, não gostava muito de beber – todas querem.
Alice: então se te pedissem... Você iria aceitar de cara?
Bella: ah, eu não sei – casar. Aquela idéia rondou a minha mente, e eu pensei nessa hipótese. Eu tinha apenas dezessete, dezoito dali a um mês. Um filho de oito meses na bagagem... Olhei pra Erick, e tive uma total certeza – eu não tenho coragem de casar com ninguém com Erick comigo. Sabe, e se fizerem mal a ele? Eu só tenho coragem de casar com o Edward. Por que... O Edward se sente o pai dele, e o Edward conhece o Erick desde que eu tinha três meses de gravidez. Então, de fato, o Edward é o pai dele. Ou pelo menos é o pai que ele sempre vai conhecer...
Alice: mas do que você acha que eu estou falando? – ela riu – é claro que casar, mais casar com o Edward. Você brizou legal agora, hein? - nós rimos.
Edward: vocês estão rindo e o Erick está dormindo? Isso é um milagre! Geralmente é ele quem faz as pessoas rirem... – quando vi, ele estava parado ao meu lado com uma mão no bolso e a outra entrelaçada na minha.
Alice: esse anjinho já está mais pra lá do que pra cá – ela deu um beijo na testa dele, e se virou pra se sentar numa cadeira e ficar mais confortável.
Bella: me dá ele aqui Alice, eu seguro – quando fui na direção dela, a mão de Edward se fechou no meu pulso. Olhei pra ele com cara de “se tá doido?”
Edward: quero falar com você – explicou. Eu sorri, e dei de ombros – agente já volta Alice – ele deu uma piscadinha pra Alice, e pegou na minha mão delicadamente. Caminhamos em meio as convidados, fomos passando de lugar em lugar, até chegar a um local mais afastado. Era na beira de uma piscina, onde luzes eram refletidas na água formando a palavra “juntos para sempre”. Achei muito lindo, igualmente a luz cheia que iluminava todo o ambiente aberto com o auxilio das luzes de vela.
Bella: nossa mais quanta cerimônia – fiz uma voz meio assustada – o que é tão importante?
Edward demorou uns segundos me olhando, olhou pro chão, olhou pra piscina. Eu fiquei paradinha, só esperando ele se revelar. Meu coração disparou de um jeito intenso, como se esperasse algo de fato, importante. A mão esquerda de Edward me puxou pela cintura, e ele me deu um beijo delicado.
Edward: o quanto você me ama? – perguntou meio sorrateiro. Eu sorri, franzi a testa e simulei pensar muito.
Bella: Hum... Qual é o espaço daqui ao sol? – ele riu, mais ficou um pouco confuso.
Edward: não deveria ser daqui a lua? – eu o abracei.
Bella: eu posso ser burra, mais sei que a distância daqui ao sol é maior do que daqui a lua – murmurei perto do ouvido dele – e eu realmente te amo muito.
Edward: entendi - confirmou com o sorriso mais lindo que eu já havia visto estampado no rosto.
Bella: era essa a pergunta? – cruzei os braços meio decepcionada – era meio obvia a minha resposta, não acha?
Edward: talvez – ele olhou pra cima – mas não, não era essa a pergunta. Mas digamos que... Faz parte do pacote – uma de suas mãos estava em volta da minha cintura, enquanto os meus braços ao redor do pescoço dele.
Bella: pacote? – mordi os lábios – eita... Então... Quais são as outras perguntas?
Edward: bom, acho que a sua resposta não obvia, porque de verdade, essa do sol é nova pra mim – eu ri depois de beijá-lo, e ele apertou minha cintura mais contra seu corpo – eu já tenho a resposta pra todas as minhas perguntas e duvidas.
Bella: duvidas? – ergui uma sobrancelha – Edward, eu não estou entendendo!
Edward: já vai entender – ele assentiu, e eu respirei fundo – tá pronta?
Bella: acho que sim – olhei nos olhos dele enquanto ele deslizava a mão direita pra dentro de seu bolso, e retirava uma caixinha de veludo branca de lá de dentro. Ah não! Ele ia me dar jóias de novo? Resolvi esperar, sentindo o ritmo do meu coração abaixando aos poucos. Abaixou, mas em seguida aumento erraticamente. Nada no mundo havia me preparado pra o que veio a seguir... Edward colocou a caixinha de veludo na minha mão. Quando fui abrir... As luzes mudaram, e a água da piscina estava iluminada com palavras diferentes...
Quer casar comigo?
Meu coração teve um colapso! Simplesmente eu não soube o que fazer! Com dedos trêmulos, me voltei pra caixinha e a abri. O anel que brilhou diante dos meus olhos era prata, e havia uma pedra linda, grande, brilhante, e rosa o rodeando como uma cobertura. Era a coisa mais... Linda que eu já tinha visto. Olhei pra Edward, que estava a minha frente com as mãos no bolso.
Bella: você... Tá brincando comigo, não é? – perguntei franzindo a testa – é brincadeira?
Edward: não se você converter isto – apontou pro anel - à distância daqui até o sol – minhas pernas quase fraquejaram. Sorri, e ele também. Olhei pro anel, olhei pra ele, olhei pra piscina. Respirei fundo.
Bella: então converta as minhas palavras à distância daqui até o sol – falei com a voz tremula – você terá a sua resposta – o sorriso dele se intensificou, e no momento seguinte ele pegou a caixinha de minhas mãos e pegou o anel. O acomodou em seu lugar na mão esquerda. Nos dois olhamos pro anel, e foi ai que percebi que o anel combinava perfeitamente com o meu vestido.
Alice...
Pensei quando Edward me pegou pela cintura, e finalmente, me deu o primeiro beijo como sua nova.
Edward: noiva.
Erick ainda dormia profundamente quando chegamos em casa. Era cedo, por volta de meia-noite. O acordei, dei um banho, Edward deu comida e botou-o pra dormir novamente. Ele estava mesmo cansado! Sentada na cama, eu pensava se isso estava mesmo correto... Edward e eu íamos no casar! Exatamente como Rose e Emmett no dia de hoje. Olhei pro anel em meu dedo, e no momento seguinte, Edward se sentou ao meu lado na cama.
Edward: algo errado? – perguntou calmo.
Bella: na verdade sim – falei como se houvesse dado um estralo na minha mente – quando exatamente você pretende se casar comigo? – olhei nos olhos dele.
Edward: o mais rápido possível. Talvez no mês que vem. O que você acha?
Bella: bom... No mês que vem eu já terei dezoito, e será ótimo – confirmei – mas Edward, o meu pai... Ele vai me matar! – na verdade, eu não queria nem pensar no que poderia acontecer quando eu mencionasse a palavra “casamento + Edward” em um diálogo com o meu pai.
Edward: não vai não – garantiu – eu conversei com ele. Está tudo ok.
Bella: VOCÊ... VOCÊ O QUE? – quase cai da cama – você foi à cadeia falar com ele?
Edward: não. Ele saiu da cadeia ontem e veio falar comigo – meus olhos, por pouco, não saltaram do meu rosto. Edward e meu pai em casa – na hora em que você foi fazer compras... – Edward e meu pai em casa com ERICK!
Bella: e o que vocês conversaram? ELE VIU O BEBÊ?
Edward: é claro que ele viu o bebê – revirou os olhos – e bom, nós esclarecemos os nossos maus entendidos, e ele finalmente acreditou que eu te amo. Me disse que aceita o nosso casamento, mais que se eu te magoar ele me matar.
Bella: isso é meio forte – o que eu sentia era um misto de felicidade extrema e alivio intenso – mais me parece perfeito! – sorri.
Edward: sabe que eu acho o mesmo? – ele me puxou pra perto. Eu o abracei.
Bella: e já que você não pode me magoar... – deslizei a mão pelo peito dele – que tal começar agora a satisfazer todas as minhas vontades?

1 comment :