PARADISE - CAPITULO 22




PARADISE - MARIANA CARDOSO
Dois estranhos. Um encontro no paraíso. Uma vida inteira entrelaçada.


Classificação: +16
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard - Romance/Drama
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen

Capítulo 22 – Nossa Família.
Nova Iorque – EUA
Edward.
.
.
.
- Eu estou grávida.
Eu estou grávida.
Euuuuu EsTOOuuu Gráaavidá!
EuEstouGrávida!
Bebê Swan-Cullen.
Grávida?
Bella Swan... Edward Cullen. Bebê Swan-Cullen!
PORRA! Bebê? Bella tá grávida?
- Você está grávida?
- Preciso desenhar? – rebateu irônica, cruzando os braços – Eu estava dizendo...
- Você estava dizendo o quê? – interrompi ansioso.
- Eu estava dizendo – continuou e abri a boca e ela me silenciou com a mão – Que se você não tiver uma reação adequada, vai vestir uma roupa e sair da minha casa! Estou a meia hora olhando pra você branco como a parede murmurando repetições loucas! – gritou me estapeando no ombro. – Não faz isso comigo.
- Fazer o quê? – perguntei ainda zonzo.
- Me rejeitar! – sussurrou chorando e a realidade bateu na minha cara. Ela estava achando que eu iria fazer o que aquele cara fez? – Por favor.
- Bella... Não chora. – murmurei me ajoelhando na sua frente e levantando sua blusa. – Tem um bebê meu aqui dentro? – perguntei retoricamente e ela balançou a cabeça – Do jeito que você queria... Sempre quis.
- Sim... Edward, você não está feliz?
- Baby, a ficha não caiu... Confesso que estou maravilhado e totalmente surpreso. – respondi honestamente – Não estava esperando por isso, mas não estou infeliz ou triste. Bebês, planejados ou não, são sempre bem vindos. – murmurei olhando fixamente para sua barriga lisa – Quanto tempo?
- Seis semanas.
- Londres fez bem a saúde, pelo visto. – brinquei dando um longo beijo abaixo do seu umbigo – Um bebê. Harry vai ficar doido.
- Ele vai reagir melhor que você. – Bella provocou e ajoelhou à minha frente – Edward, você me conheceu querendo isso... Com você ou sem você, eu vou ter o bebê. Claro que vou amar que você faça parte desse sonho, porque eu amo você e muito. Estou feliz que você seja o pai deste bebê mesmo que a gente não fique juntos para sempre... Sei que vou poder dizer a ele que o pai dele era um cara muito legal e que mudou a minha vida.
- Bella, eu sou um homem que não foge das responsabilidades. Eu vou ficar com você na criação desta criança. Sei que o relacionamento homem e mulher é diferente de pai e mãe, mesmo que um dia a gente se separe, quero ser pai dele, mas a gente não vai se separar. – respondi sentando no chão e puxando-a para meu colo – Eu te amo, não posso ficar sem você.
- Eu também não.
- Nós temos muito que resolver, no entanto. Eu não vou criar meu filho a distância, então, nós estamos morando juntos quer queira ou não. Não vou perder nenhum segundo da sua gravidez, do crescimento dele e todo o resto. Ou eu me mudo pra cá ou você se muda pra lá.
- Eu sei... Eu não quero que Harry se mude. Ele vai ter uma cidade nova, escola nova, amigos novos um bebê novo para dividir minha atenção e a sua também... – murmurou beijando meus lábios rapidamente – Só não posso jogar tudo para o alto. Eu tenho muitos funcionários sobre minha responsabilidade!
- Tudo bem... Eu vou precisar de uma casa nova... – respondi não muito satisfeito, começando a fazer um cálculo mental de quanto tempo teria para procurar uma casa e quanto iria gastar. No meio do processo... Talvez se comprasse a casa no nome do meu pai e no futuro transferisse para o meu nome. Só para evitar problemas. Uma casa grande em Londres estava mais de um milhão de euros. Se algum jornalista usa isso contra o escritório, até explicar, daria um tempo e sem contar que sempre teria alguém um pouco cético.
- Edward... Nós vamos pensar nisso depois. Eu só estou com seis semanas! A parte mais difícil passou...
- Você estava com medo da minha reação? – perguntei franzindo o cenho.
- Um pouco. – respondeu desviando o olhar e fiquei encarando-a – Tá bom... Muito.
- Por quê? O que iria fazer? Te deixar? Terminar com você? – perguntei deixando minha irritação aparecer – Bella! Eu queria mais, lembra? Eu disse a você... Era para entender que em algum momento no futuro devíamos ter um filho, quando morássemos juntos... Essas coisas. Que eu iria tentar realizar seu sonho, se tudo desse certo, mas se veio agora...
- A sua ficha ainda não caiu, não é? – perguntou rindo – Deixa te mostrar uma coisa. – levantou-se do meu colo, foi até a sua bolsa no canto e tirou um envelope branco de lá – Aqui, a primeira foto do seu filho ou filha.
- Fotogênico, não? – brinquei olhando para a imagem negra a minha frente – Posso ficar com essa? Tem cópias? Preciso dar algo para Esme, ela vai pirar!
- Tenho duas cópias, uma para Renée e outra para ela... – sorriu brilhantemente – Edward, eu estou tão feliz. – sussurrou com os olhos brilhando. – Eu já me sinto diferente. Não mudou nada, exceto o enjoo, mas é tão bom saber que simplesmente vou ser ou já sou mãe. Sonhei tanto com esse momento... – fungou limpando as lágrimas escorrendo sem pena – Desculpa por estar chorando.
- Chore o quanto quiser, amor. – sussurrei embalando-a – Coloque tudo pra fora. – brinquei secando suas lágrimas com meus polegares. Choro normalmente me assustava. Nada era mais apavorante que uma mulher se debulhando em lágrimas, mas eu entendia sua necessidade naquele momento... Ela precisava colocar pra fora tudo que estava sentindo e isso era através do choro e algumas palavras incompreensíveis – Shiu... Você não pode ficar muito emocional, não deve fazer bem.
- Eu sei... Estava precisando disso, ninguém me entenderia.
- Sempre que precisar.
Caralho... Ela estava grávida. Minha mente girando em torno desse fato estava me deixando zonzo. Acho que eu teria enjoo também.
Bella montou no meu colo com os olhos faiscando outras intenções e um sorriso sexy e safado brilhando nos lábios. Ela estava linda com os cabelos revoltados, seus cachos ficavam mais abertos, os olhos limpos de tanto chorar, com os longos cílios molhados e os lábios bem mais macios. Nosso beijo começou lento, mas o movimentar do seu quadril aqueceu todo meu corpo. Um mês sem estar dentro dela era muito tempo... Um tempo que me fazia incompleto. Sexo entre nós dois era mais forte que qualquer outra coisa. Sem preliminares, tiramos nossas roupas tão rápido que quase tropecei na calça do meu pijama.
- Dizem que sexo na gravidez é bastante vantajoso.
- Esperamos que seja para você. – sussurrou me deixando encaixar entre suas pernas – Eu te amo muito.
- Eu também te amo. – murmurei perdido. Foda-se, eu ia querer morrer com essa deliciosa sensação de fazer amor.
Depois que saímos do nosso banho, em um timing perfeito, ouvi Harry gritando pelo apartamento, atrás de nós dois. Bella e eu decidimos contar para nossa família, mas conversaríamos com ele primeiro. Seu alívio em nos ver ficou estampado no rosto e sorriu, com sua camiseta e boné de turista, escrito "I Love NY" e óculos do Mickey. Contou-nos todo seu passeio e que eles voltaram para casa para nos buscar, que fizeram uma reserva em um restaurante para o almoço em quarenta minutos. Bella mandou-o para o chuveiro na hora. Ele fez uma careta, mas obedeceu.
- Contamos agora e aproveitamos o almoço para mais uma comemoração? – Bella perguntou.
- Pode ser... Bom que se ele se irritar, temos a viagem inteira para convencê-lo do contrário. Eu estou ansioso... Muito. – respondi rapidamente e parei no meio do caminho para o closet dela – Seu pai vai me matar?
- Não. Ele vai ficar feliz.
- Tem certeza? – perguntei brincando e ela riu, jogando uma almofada em mim – Ok, vou me vestir.
- Bella? É pra lavar o cabelo? – Harry gritou do chuveiro.
- Claro! Você voltou da rua todo suado. Não vai sair do meu lado com cabelo fedido!
Esses dois eram um caso sério. Quando ficamos prontos, fechamos a porta do quarto e sentamos com ele na cama.
- Estou em apuros? – Harry perguntou olhando para nós dois. – A Vovó Renée disse que não estava em apuros.
- Você fez alguma coisa para estar em apuros, Harry? – Bella arqueou a sobrancelha e até eu fiquei com medo. Como ela já tinha o olhar de mãe?
- Harry, eu e Bella temos uma coisa para te perguntar... – interrompi antes que ele se dedurasse e ela desviasse o foco para chamar sua atenção – O que você pensa de ter um irmãozinho ou irmãzinha?
- Grande ou pequeno?
- Pequeno... Bem bebê. – respondi sua pergunta confuso.
- A Tara, da minha sala, tem um irmão mais velho. Ela reclama dele o tempo todo, então, acho que não quero um irmão grande. Já o Nathan tem uma irmãzinha, ela é bebê, ele diz que chora muito e que faz cocô fedido. – resmungou honestamente – Ela é bonitinha. Pequenininha. Eu não sei, acho que vou gostar mais de uma irmãzinha. Eu posso escolher?
- Não podemos escolher o sexo, meu anjo. – Bella respondeu suavemente.
- E então, por que da pergunta? – questionou confuso.
- Bella e eu vamos te dar um irmãozinho ou irmãzinha. – respondi calmamente – Bella está esperando um bebê.
- Oh... E quando ele chega? – perguntou olhando para Bella – Você encomendou um bebê com o papai? Ele vai ficar na sua barriga?
Foi impossível não rir das suas perguntas, mas então, entendi porque ele nunca teve contato com grávidas, apenas sabia que dentro das barrigas redondas tinham um bebê e que ele nunca me perguntasse como eles saíam.
- Sim, ele ou ela está aqui. – Bella colocou a mãozinha dele na barriga dela – E vai crescer conforme a minha barriga for crescendo, até a hora de nascer.
- Como você vai alimentá-lo aí dentro? Colherzinha de café no umbigo?
- Não amor. – Bella e eu rimos, mas ela quem respondeu – Tudo que eu comer, ele come também.
- O que você acha disso, Harry? – perguntei tentando avaliar seus pensamentos.
- Não sei. Não vi o bebê ainda. – deu os ombros olhando para barriga da Bella – Qual o tamanho dele?
- Muito pequeno, muito mesmo.
- Vou poder brincar com ele?
- Claro que vai! – respondi rindo do seu entusiasmo.
- Posso contar pra todo mundo? – perguntou olhando para porta.
- No almoço nós vamos contar, ok? – Bella riu abraçando-o – Saiba que sempre vou te amar muito, você é o primogênito, sempre tem mais coisas e responsabilidades, mas também é o mais legal. Pergunte ao Tio Jasper e a Tia Rosalie. – sussurrou no seu ouvido e beijou o rosto dele.
- Eu te amo, filho. – murmurei abraçando-o.
- Ai chega gente. – resmungou empurrando nós dois e desceu da cama – Estou com fome.
Nós saímos do quarto e encontramos meus sogros e Rosalie prontos para sair. Minha irmã estava com um sorriso idiota no rosto e como Bella corou, eu sabia que ela já sabia. As duas de segredinho era bom pra mim, porque isso provava que a rejeição inicial tinha virado amizade ou estava a caminho disso. Seguimos para o restaurante a pé, Bella parecia séria e alerta o tempo inteiro e realmente me senti incomodado. Cheguei a olhar ao meu redor procurando algo ou alguém, mas tinha muita gente andando de um lado ao outro para poder identificar.
- Temos algo para contar. – Bella anunciou depois que pedimos nossa comida – Uma notícia muito boa!
- Papai e Bella vão ter um bebê! – Harry gritou e o restaurante inteiro ficou em silêncio. De repente, as pessoas ao meu redor estavam sorrindo e batendo palmas, me dando os parabéns por ser pai – Ops!
Renée e Charlie estavam abraçando Bella ao mesmo tempo, eles sussurravam coisas que não consegui entender, mas foi um momento bonito. Ela ficou emocionada e parecia uma garotinha no colo dos pais. Nós comemos com outro clima. A conversa foi inteiramente focada na chegada do bebê e que precisaríamos ligar para Alice e Jasper antes de fazer qualquer coisa. Harry viu uma loja de brinquedo no caminho de casa e quis entrar a todo custo, ele fazia beicinho e Bella cedia. Nós tínhamos que conversar sobre isso ou ele a manipularia o tempo inteiro.
Renée e Charlie foram buscar Emmett no aeroporto com Rosalie e ficamos sozinhos na loja fazendo hora. Harry viu uma pista de corrida, mas tinha que ter um carrinho para poder alugar. Loja maldita e esperta. Bella novamente disse sim, mas eu disse que ele deveria arrumar alguém para brincar, foi quando avistamos um garotinho que deveria ter a sua idade brincando sozinho.
- Chama para brincar com você e alugo a pista, ok? Vou comprar seu carrinho.
- Oi. Eu sou o Harry. – meu garotinho deixou a timidez de lado e chegou até o outro menino.
- Oi. Quer brincar? Eu sou o John. – respondeu com um sorriso sem dentes.
- Meu pai foi comprar um carrinho pra mim. – Harry encolheu os ombros – Não moro aqui... Eu sou de Londres. Vim passear com meu pai.
- Você não tem mãe? – John perguntou inocentemente e Bella quase foi até lá, mas segurei-a a tempo porque essas crianças tem essa curiosidade natural.
- Sim. Duas. Uma mamãe está com papai do céu e a outra está com meu pai na fila. – Harry respondeu sem se abalar, mas quem se abalou foi Bella, que estava quicando no lugar emocionada. Revirei os olhos da sua emoção... Como se ela não soubesse!
- Meu avô mora com o papai do céu, mas eu também tenho duas mães. Elas são casadas.
- Ah... Legal! – Harry disse para ser educado, porque eu sabia que ele não tinha entendido. – Quer brincar na pista? Meu pai disse que se arrumasse um amiguinho, ele alugaria pra mim.
- Vou pedir para minha mãe.
- Qual delas?
- A primeira que aparecer. – John encolheu os ombros me fazendo rir.
- É estranho ter duas mães mandando escovar os dentes e tomar banho? – Harry perguntou curioso – Deve ser tudo em dose dupla. A minha vive mandando tomar banho e me cheira pra ver se fiz direito.
- É as duas fazem e é chatão. – John respondeu com um sorriso e revirando os olhos – Mãe posso brincar na pista? O pai dele vai alugar!
- Tudo bem por mim. Espere aqui e vou pegar nossas coisas. – a mãe respondeu.
Bella foi até ela, se apresentou e as duas trocaram gentilezas. As crianças voltaram com ela e tive o carrinho de Harry pago.
- Essa é a sua mãe? – John perguntou apontando para Bella e Harry corou assentindo – Ela é maior gata.
- Oi, eu sou a Bella, a mãe desse menino lindo. – Bella se apresentou e ele riu maravilhado. –Este é o pai de Harry. Você devia dizer isso a ele.
- Desculpa.
- Tudo bem amigão, eu também acho.
- Ah, e aqui dentro tá meu irmão ou minha irmã. – Harry disse apontando para a barriga de Bella e John assentiu, rindo também. – Pai, quando podemos jogar?
- Ele parece estar bem com a gravidez. – Bella sussurrou sentada no meu colo, brincando com meus cabelos – E você? Sei que é muito repentino... Mas eu bem quero ir ali comprar um ursinho.
- Vai lá... – sorri para sua empolgação tímida – Vou olhar os meninos.
Bella pulou do meu colo e ficou a corrida inteira desaparecida pela loja. Olhei para Harry e olhei para direção que ela tinha sumido e pensei: Caralho, eu vou ser pai de novo! Essa ideia ainda era absurda na minha cabeça, não fazia sentido, era muito louco. Harry se despediu de John e peguei a sua mão para procurá-la... O lugar era enorme. Nós andamos pelos corredores até que cogitei a possibilidade de pedir ao rapaz do anúncio chamar o nome dela, antes que pudesse fazer isso, a vejo olhando uma infinidade de ursinhos com dois na mão.
- Dúvidas?
- Uhn... Todos são fofos. Escolhi cinco, mas você me faria devolver, reduzi a dois...
- Só porque sou bonzinho, vamos levar os dois.
- Quando soubermos o sexo, acho que vou fazer o enxoval no dia seguinte.
- Sem pressa... Teremos muito tempo. – respondi abraçando-a por trás e Harry segurou a mão dela – Acho que alguém está ficando cansado. – disse inclinando a cabeça para meu menino coçando os olhos e bocejando.
- Eu também estou... Estamos dando muito mole na rua, vamos para casa descansar... E pensar em algo para o jantar. Sem contar que a noite vai ser longa...
Bella e Harry foram dormir quando chegaram em casa e eu sentei na frente do computador com o telefone residencial, ligando para todas as agências de segurança e Charlie fazia a eliminação segundo seus contatos. Emmett estava tirando um cochilo no quarto e o guarda costas que ele trouxe estava fazendo a verificação do prédio e anotando todas as mudanças que iria propor ao síndico ou Bella estaria se mudando deste prédio ainda esta semana.
Emmett quando se sentiu recuperado da maratona, juntou-se a nós e pegou metade da lista, fez ligações e perguntas pertinentes sobre segurança online, vigilância interna e guarda costa 24/7. Eu estava disposto a alugar um apartamento aqui nesse prédio para que não ficasse longe e atendesse todas as suas necessidades estando grávida... Até o dia da sua mudança.
Harry acordou e resolveu que faria parte do grupo dos homens ajudando também, mas tudo que fez foi desenhar coisas aleatórias no papel que eu estava fazendo anotação, até cansar e ir para um dos quartos de hóspedes brincar. Rosalie e Renée estavam na cozinha há horas conversando e agora começaram os preparativos do jantar.
- Pai, a mamãe não está se sentindo bem! – Harry veio correndo do corredor para a sala e eu estava fora do sofá antes que processasse a informação. – Ela está no banheiro...
- Vomitando. – completei a frase quando a vi de joelhos no vaso sanitário, segurei seus cabelos e pressionei sua testa na palma da minha mão. – Calma... Não fica nervosa que piora.
- Parece que meu estômago vai sair pela boca... Preciso escovar os dentes. – resmungou levantando-se e lavando a boca e escovou rapidamente – Eu sabia que isso ia acontecer desde o momento que senti o cheiro da comida e enjoei.
- Você está enjoada desde o almoço? – perguntei incrédulo – Sério?
- Minha mãe disse que vou ficar enjoada o tempo inteiro... Simplesmente não sei saber... Eu queria muito comer aquele purê de abóbora com queijo, mas depois que senti o cheiro, não quis mais, só não ia pedir outra coisa...
- Você deveria ter me falado, oras! – murmurei abraçando-a por trás e acariciei sua barriga. Isso a fez sorrir de uma forma que quis registrar para sempre.
- E você ia fazer o quê? – desafiou arqueando a sobrancelha e riu – Estou me sentindo melhor, juro. Já começaram a preparar o jantar?
- Rosalie e Renée estão cuidando disso... Você deveria continuar deitada, afinal, o médico mandou repouso e nós não obedecemos, por isso, cama.
- Não! Estou cansada de ficar na cama... Quero socializar um pouco. – resmungou com um beicinho adorável e não resisti, beijando-a profundamente. Uma tosse e risadinha infantil quebrou nosso momento e mesmo que não quiséssemos parar, Harry fez questão de se enfiar entre nós dois e levá-la de mim.
- Harry... Vai querer competir comigo? – brinquei falando um pouquinho sério. Ele olhou sobre os ombros e sorriu – Ah é? Corre! Eu vou te pegar!
Harry deu um grito e disparou pelo corredor a fora, trombando com Emmett e caindo de bunda no chão. Foi engraçado pra caramba. Continuei atrás dele e meu cunhado foi mais rápido, erguendo-o e colocando de cabeça pra baixo. Meu filho estava tendo uma crise de riso sem que realmente fizesse nada com ele. Fingi que ele era meu saco de pancada por um tempo, dando pequenos socos e fazendo cosquinha ao mesmo tempo. Emmett resolveu que sacudindo-o daria mais efeito, mas Bella foi contra isso, deu um tapa na minha nuca e na dele e tomou Harry de nós, mandando-o assistir televisão e não ficar mais de cabeça pra baixo ou iria vomitar.
O guarda costas que Emmett trouxe era seu amigo de infância até o colegial, eles se separaram na faculdade, mas ele tinha referências e trabalhou para alguns amigos de Carlisle e por isso, convidamos para ficar e jantar. Bella preparou o quarto de empregadas para que ele ficasse, tinha uma cama de viúva e um armário. Era o melhor que poderíamos oferecer já que o hotel mais próximo era muito longe para que fizesse seu trabalho corretamente.
- Amor, você pode colocar a mesa com Emmett? – Bella veio da cozinha seguida por Emmett, que estava infortunando-a sobre a gravidez. – Caramba! Rosalie tira seu marido de perto de mim! – resmungou empurrando Emmett de perto – Você é chato.
- Bellinha! Eu só quero ajudar... Você é a mãe do meu mais novo sobrinho...
- Sai de perto dela e vem colocar a mesa comigo. – disse separando os dois – Harry, abaixa a televisão.
- Será que é menina ou menino? Vamos fazer uma aposta? – Emmett entra na cozinha com uma ideia ridícula. Só ele.
- Menino. – Charlie disse pendurando-se no balcão.
- Menina. – Renée sorriu passando por ele.
- Vocês estão apostando o sexo do meu bebê? – Bella perguntou incrédula e todos eles, exceto eu, assentiram. – Ah é? Ao invés de falar mais cedo, vou fazer questão de descobrir o sexo e não contar para ninguém. Quero ver quem paga mais pela informação!
- Eu preciso pagar também? – perguntei entrando na brincadeira.
- Tudo que você vai fazer de hoje em diante, meu querido, é pagar. Bella vai gastar... – Charlie murmurou.
- Eu não sou gastadeira!
- Diz a mulher que queria trazer dez ursos para casa hoje.
- E eu trouxe só dois! Edward não me irrita! – Bella fez beicinho e depois abriu um sorriso bobo – Eu estou grávida!
Todos nós abrimos um sorriso ao mesmo tempo porque ela estava fofa demais com aquela carinha de sonhadora, de feliz e apaixonada. Fui obrigado a largar os copos e beijá-la, não me importando com a plateia que limpou a garganta que começou a rir da nossa cena de amor. Não sei se ainda havia espaço para o meu amor por esta mulher dentro de mim, mas eu sabia que ele crescia muito todos os dias. O tempo todo. E agora, ela estava carregando uma parte minha... Iria amar, cuidar e proteger. E meu filho, o garotinho mais doce de todo o mundo tinha ganhado um presente enorme, uma nova mãe para amá-lo da mesma forma que Ângela amou.
Caminhamos muito até nos encontrarmos e finalmente nos encontramos no paraíso... Que é nada mais e nada mesmo o universo paralelo do nosso amor.

1 comment :

  1. Oh meu Deus é muito perfeito tudo issooo
    Louca pra amanha

    ReplyDelete