PARADISE - CAPITULO 24




PARADISE - MARIANA CARDOSO
Dois estranhos. Um encontro no paraíso. Uma vida inteira entrelaçada.


Classificação: +16
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard - Romance/Drama
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen

Capítulo 24 – Animados e Safados.
Nova Iorque – EUA
Edward.
.
- Bom dia. – Bella sussurrou com um sorriso divertido – Você acordou animado hoje. – murmurou com uma pitada de malícia no tom de voz. Ela estava descansada e disposta, podia dizer isso pelo seu brilho no olhar e as bochechas coradas.
Ontem nós saímos o dia inteiro. Andamos por todo lado no passeio com Harry, Rosalie e Emmett. Fizemos programas de turista, vimos a estátua da liberdade, visitamos uma cafeteria badalada no qual ela comeu uma torta de chocolate e bebeu o chocolate quente mais doce de toda história e ainda trouxe grandes cookies para casa e no meio do caminho, encontramos a enorme loja M&M. Harry era fã de chocolate, mas entendia que não podia comer muitos, mas foi Bella quem tive de controlar. Quer dizer, tentei controlar. Ela comprou todos os saquinhos, formatos e sabores.
Eu estava pensando que ela não comeria mais nada, mas foi um pensamento errôneo, ela comeu e como estava feliz, tive uma boa recompensa com uma boa noite de sexo já que Harry pediu para dormir com Charlie e Renée.
- Impossível não acordar animado com uma linda mulher ao meu lado. – sorri movendo meu quadril sugestivamente e ela soltou aquelas risadinhas gostosas.
- Então aproveite que estamos sozinhos para... Animar a festa de uma vez. – disse com um sorriso sexy.
- Estamos sozinhos?
- Meus pais levaram Harry para brincar no parque e Rosalie decidiu que precisava de novas roupas. Liam foi com eles. Ou podemos voltar a dormir.
- Nada de dormir... Vamos namorar... Espere, você já levantou?
- Tive que colocar todo aquele chocolate para fora, o enjoo da manhã é insuportável. – respondeu e franziu o cenho – Seu perfume também me deixa um pouco enjoada. Você estava praticamente em cima de mim e lembro-me de acordar com náuseas do cheiro.
- Sério? Você sempre amou meu perfume!
- O bebê não... – sorriu e minha mão automaticamente tocou sua barriga – Ele já está exigindo coisas.
- Tão pequeno e já tão mandão... Como a mãe.
- Em falar que sou mandona, por que não aproveitamos para conversar?
- Por onde quer começar? – perguntei com um sorriso distraído sabendo que isso a irritaria.
- Não me enrole. Do começo?
- Combinei instalação de câmeras em todos os andares, com pontos na recepção e no apartamento que seus guarda-costas ficarão. Serão dois. O síndico disse que a empresa responsável pelo condomínio vai reembolsar o dinheiro já que não quero esperar pela instalação. O salário deles serão pagos por mim e nós não estamos discutindo esse detalhe.
- Quanto custa essa brincadeira toda?
- Tirando a instalação das câmeras, de primeira uns quarenta mil dólares. – respondi honestamente. – Segunda-feira pela manhã os rapazes virão conhecê-la, de tarde a agência vai instalar os alarmes nas portas e janelas. Por isso adiei meu retorno até terça.
- Quarenta mil dólares?
- Eu vou conversar com Carlisle, ele vai comprar a casa no nome dele, quando o processo terminar vou reembolsá-lo e vamos entrar com a troca dos nomes.
- Quarenta mil dólares?
- Baby, relaxa.
- Edward eu ainda não recebi nada da minha separação... – suspirou fechando os olhos – Nós vamos gastar muito com a mudança. E tem a casa, pesquisei na internet, uma casa com quintal e pelo menos quatro quartos custa mais de um milhão, nós precisamos de escritório e garagem, isso só aumenta o preço. – murmurou aflita – Estou preocupada.
- Eu sei que sim e entendo, mas já disse que a casa está garantida, só precisamos encontrá-la, o que vai ser bem complicado. Rosalie já disse que vai nos ajudar e se até o bebê nascer não encontrar, vamos dar um jeito, deixar o berço do bebê no quarto de hóspedes.
- Sua casa é muito pequena, amor. Eu queria decorar o quarto, todas essas coisas, na casa nova. E eu também quero contribuir.
- Contribuir? Como assim?
- Dividir despesas... Sabe?
Dividir despesas? O quê?
- Ângela nunca pagou nada em casa? – perguntou optando por um novo caminho.
- Não? Ângela nunca trabalhou, para falar a verdade.
- Rosalie ajuda em casa?
- Não... O salário de Rosalie é só dela, ela gasta com o que quiser. Emmett é quem paga as contas de casa, primeiro que ele ganha muito mais, segundo que é o homem da casa...
- Homem da casa? Ganha mais? Edward que confusão é essa? – perguntou gaguejando, quase ficando vermelha de tanto ultraje.
- Você quer pagar por coisas? Não entendo! – perguntei com cenho franzido. Não estava compreendendo-a.
- Eu trabalho também, por enquanto e mesmo depois que tivermos o bebê, vou voltar a trabalhar, eu posso conseguir outro emprego, talvez não na mesma posição ou salário... – divagou com o cenho franzido – Não estou dizendo que vou sustentar a casa, porque não daria inicialmente, mas eu também quero pagar coisas.
- As suas coisas não é o suficiente? Eu pensei que mulheres gostavam de trabalhar para poder pagar seus gastos, coisas que nós não entendemos. – respondi calmamente – Nós podemos fazer como meus pais... Termos contas conjuntas. Minha mãe nunca trabalhou, mas ela tinha acesso a tudo que Carlisle tinha. Podemos não ter essa separação de meu e seu... Tudo bem?
- Acho que soa melhor que você me carregar nas costas, completamente.
- Meu pai sempre bancou tudo em casa... Não sei fazer de outro modo a não ser esse.
- Acho que essa história de conta conjunta me agrada. Quer dizer, eu sei quanto poderei gastar por mês, podemos agir em nossa contabilidade juntos.
- Qualquer grandes gastos só com a aprovação do outro, combinado?
- Combinado.
- Eu ainda sou a palavra final.
- Nos seus sonhos. – murmurou se ajeitando na cama – E quanto tempo você acha que devo me mudar?
- Hoje? – brinquei me inclinando para beijar sua barriga, meu bebê estava confortável fazendo sua mãe enjoar e ir ao banheiro repetidas vezes – Quando você achar melhor antes dos seus cinco meses. – murmurei acariciando sua pele macia – Não quero perder todos os detalhes e muito menos não vê-la desenvolver nessa fase tão importante. Eu queria poder ficar aqui o tempo todo.
- Eu também. – resmungou com um beicinho. – Não sei como tudo vai ser, estou preocupada.
- Você sabe o que Aro vai fazer?
- Não faço ideia. – encolheu os ombros calmamente - Eu tenho medo de ficar desempregada.
- Você não vai...
- Só é estupido, porque eu preciso escolher... Quero o bebê, quero você, quero Harry, quero família... E quero meu emprego. É querer muito ter tudo, não é? Abrir mão disso vai me deixar triste, mas em algum momento vou superar, abrir mão de vocês... Nunca. Não consigo nem pensar.
- Você não me deixou terminar, menina ansiosa. – sorri beijando seus lábios rapidamente – Você é inteligente, sagaz, rápida, honesta, talentosa e trabalhadora. Qualquer empresa pagaria o mundo para tê-la.
- Bajule meu ego mais um pouco...
- Espertinha.
- Nós vamos ficar bem, não vamos? É uma aposta insana mudar de continente... Eu nunca planejei isso. E eu odeio coisas não planejadas, quer dizer, normalmente odiava, mas não posso deixar de amar a ideia de sermos uma família. Você gosta disso? Seja sincero, deixe seu senso de responsabilidade de lado e seja honesto.
- Eu amo isso. Devo agradecer a Rosalie por insistir tanto naquela viagem, em simplesmente conhecer você... De termos nos apaixonado e agora, uma prova de que devemos ficar juntos. Acredito em Deus e gosto de pensar que o bebê é a aprovação dele nessa loucura toda. Uma maneira de ficarmos juntos...
- Certo...
- Você precisa relaxar. Deixar esse seu lado louco planejador dormir um pouco e viver a vida.
- Estou tentando, não vê? Estou grávida de um britânico que conheci há três meses. – sorriu enrugando o nariz – Viu, eu posso relaxar... Caso contrário não teria transado com você a primeira vez.
- E eu pensando que meu charme te desarmou...
- Ah, seu charme e sua fala mansa... Todo sexy, safado querendo tirar meu biquíni, provando que sabia fazer coisas maravilhosas com a língua e com a boca.
- Obrigado pela parte que me toca... – sorri movendo-me para cima dela, tirando o edredom entre nós dois – Agora que nós já estamos conversados, posso continuar mostrando minhas habilidades?
- Sinta-se a vontade. – sussurrou com um brilho malicioso nos olhos, empurrando seu quadril em direção ao meu.
Bella precisou de um cochilo depois que terminamos. Eu amava deixá-la cansada e dolorida. Meu lado machista sempre falava mais alto nestes momentos. Preparei um café da manhã caprichado para meus dois amores. Coloquei uma florzinha em um copo e fiz questão de espremer laranjas para um suco e colocar morangos frescos em cima das suas torradas. Enquanto terminava, Rosalie entrou com Liam cheio de sacolas e Emmett carregando um urso enorme para meu bebê. A criança era do tamanho de uma uva e tinha tantos presentes que não sabia se teria espaço na minha casa quando nascesse.
Bella ficou feliz com o presente e mais ainda com o café da manhã especial, mas quem estava sorrindo a cada momento que ela se movia e fazia uma careta de desconforto era eu. Obviamente que ela percebeu que meu sorriso de merda era porque o vizinho com toda certeza – se tivesse em casa – não adorou nenhum pouco o ritmo da cama batendo contra parede ou os gritos misturados com tapas que ela dava quando mandei apoiar-se na cabeceira. A única coisa que ganhei foi um tapa na nuca e parar de palhaçada até que meu pequeno príncipe entrou correndo pela porta com um brinquedo novo que o Vovô Charlie tinha comprado.
Uma guitarra a bateria que meia hora depois eu estava querendo jogá-la pela janela. Meu astro do rock não se contentava em tocar, ele tinha que cantar tudo que a mãe dele pedia, porque ela sabia que estava me irritando. E também porque achava fofo. Tá, era muito bonitinho. Pagando por deixá-la dolorida. Recado entendido. Bella mandou que cortasse legumes e lavasse as folhas da salada para poder começar o preparo do almoço com Renée enquanto ela colocava meu mini Rolling Stone para o chuveiro. O banho parecia tão divertido que tive que espiar o que estava acontecendo.
Uma performance especial dela cantando Livin' on a Prayer segurando o xampu e balançando os quadris e Harry batia palmas e se sacodia embaixo do chuveiro iria ficar na minha memória para sempre. Eles eram tão bonitinhos juntos, com uma conexão e amor invejável. Nunca imaginei que meu filho teria outra mãe um dia, no máximo uma madrasta, mas não alguém que cuidasse e amasse como seu próprio. Isso se um dia arrumasse alguém para casar e tudo mais, do jeito que estava vivendo na loucura, não faria tão cedo. Devia estar escrito nas estrelas ou em algum lugar que meu destino estava traçado para encontrá-la.
- Você assistiu tudo? – Bella perguntou secando o cabelo do Harry, ele amava que ela bagunçasse tudo com a toalha. Ficava parecendo um leão com a juba ruiva toda cheia.
- Você estava linda dançando, tive que largar meus afazeres domésticos para ficar com vocês aqui.
- O que nós vamos fazer agora à tarde? – perguntou indo para o quarto e Harry começou a pular na cama só de meias e cueca. Ele chegou a dar uma cambalhota que nós dois seguramos a respiração congelados.
- Uma sessão pipoca de papai, mamãe e filhinhos. – respondi recuperando o passo – Sente-se Harry. Não reproduza as besteiras que seu tio Emmett ensina. Ele não tem cérebro.
- Foi só uma cambalhota. – murmurou a contra gosto sentando-se na cama – Posso escolher o filme?
- Pode sim, mas vamos almoçar primeiro. – Bella respondeu tirando a blusa molhada do banho dele. – Pede para sua avó colocar sua comida que já vamos.
Harry saiu do quarto olhando sobre os ombros enquanto eu estava rindo da sua produção. Ouvi Emmett e Charlie brincarem que tinha um homem de cueca na casa. Bella enjoou com o queijo do purê, que era seu favorito. Liam contou algumas histórias da sua irmã grávida e o quanto ela enjoou, comeu coisas estranhas e engordou.
- Será que vou engordar muito? – Bella sussurrou com os olhos arregalados.
- Toda grávida engorda, filha. – Renée disse suavemente – Engordei 28kg na gravidez de Jasper e quando emagreci tudo, engordei mais 30kg na sua gravidez. – completou calmamente, mas Bella já estava respirando pesadamente segurando na beira da mesa – Hoje em dia, no entanto, grávidas engordam bem menos. Tem dietas, cardápios, essas coisas... Os bebês de antigamente são sobreviventes. Tanta coisa ruim e porcaria que comíamos.
- Eu vou a um nutricionista. – Bella murmurou me olhando de esguelha – Ontem eu só comi porcaria. Quase cinco quilos de chocolate.
- Eu te avisei. – disse baixinho tentando não rir da sua carinha de pânico. Exagerada. Ela não comeu isso tudo, talvez quase isso.
- Cale-se Edward. – Bella murmurou me chutando na canela – Eu vou tentar maneirar. Semana passada comi dois potes de sorvete... Amor, eu estou gorda?
- Nunca querida. – respondi bem rápido e suave – Sempre linda. – murmurei e aproximei do seu ouvido – E gostosa. – sussurrei beijando-a na bochecha e todo mundo nos observava com sorrisos bobos, exceto Charlie que limpou a garganta e me olhou torto, mas ele estava brincando. Tinha que fazer seu papel de pai.
- Eu te amo. – sorriu toda boba com os olhos brilhando.
- Toda hora beijinho. Beijinho e beijinho. – Harry reclamou com ciúmes dela. Era bonitinho saber que meu filho tinha muito zelo por ela.
- Uma amiga minha da faculdade engordou só nove quilos e quando amamentou, perdeu ainda mais que antes. Ficou tão magra que ficamos preocupados. – Rosalie comentou desviando um pouco de Harry – Vai de mulher para mulher, mas é claro que devemos nos cuidar.
- Quando vocês encomendam um? – Renée perguntou com um sorriso. O de Emmett iria rasgar a face.
- Se Deus quiser, no final do ano. Queremos encontrar uma casa em Londres, perto de Edward e Esme. – Rosalie respondeu acompanhando o sorriso do marido – Teremos muitos bebês ano que vem.
- Será um ano muito bom. – Bella replicou com um sorriso apaixonado – Só falta Jasper e Alice se mancarem.
- Ai meu Deus! – Renée sussurrou com cara de pânico – Todos meus filhos em Londres, meus netos! Todo mundo! Charlie, nós vamos ficar sozinhos.
- E isso é ruim? – Charlie, do seu jeito rabugento perguntou sem parar de comer. Foi engraçado a cara de ofendida que Bella fez. Será que ela não sabia que ele fazia de propósito?
- Eu não quero ficar sozinha com você. – Renée disse consternada – Eu vou me mudar com a Bella.
- Não vai não.
- Espere e veja.
Renée e Charlie brigando era engraçado, mas Harry resolveu exigir que nós prometemos uma tarde preguiçosa de filmes com ele. Deitamos na cama com o espertinho com uma perna em cima de cada um para ter certeza que mesmo que ele dormisse nós não iríamos sair do seu lado. Bella, por outro lado, chorou com "Procurando Nemo" como se fosse a primeira vez e depois ficou com o nariz entupido de tanto fungar com Rei Leão 3. Harry estava dormindo desde o inicio do primeiro filme na maior cara de pau.
- Amor, o coloca na cama dele? Vai ficar mais confortável e eu estou tendo outras ideias.
- Já que ele preferiu o sono e menosprezou nossa companhia... - concordei levantando e levando-o comigo - Alguém está ficando bem pesado. É você que entope de comida.
- Criança precisa ser bem alimentada. - respondeu sem culpa e voltei para cama e ela puxou seu computador - Posso fazer algumas especificações de algumas coisas que eu gostaria?
- Gostaria sobre?
- Nossa casa. - respondeu com um rubor bonito - Será que nós conseguiremos dividir um escritório? Ele precisa ser espaçoso, mas você é bagunceiro e isso vai me deixar louca.
- Acho melhor separado. Você precisa de espaço e silêncio e eu trabalho com música ou enlouqueço.
- Em compensação, poderíamos ter juntos, assim vamos tentar nos adaptar um ao outro, sua música baixa, minhas folhas de projeto... Com duas crianças em casa vamos precisar organizar o tempo para nunca ficarmos juntos lá.
- Elas crescem, baby.
- Sei... Ainda assim, dificilmente trabalho em casa.
- Tudo bem. Um escritório espaçoso para nós dois. E com estante na maior parte para todos nossos livros, que temos muitos.
- Estantes embutidas, ocupa menos espaço. E talvez todas rústicas, antigas.
- Você pensa na decoração quando comprar a casa, amor.
- Ok. E ah, nosso quarto. Precisamos de um espaço grande, primeiro, odeio mobília empilhada. Quero uma cadeira tãntrica nele.
- Uhn... Todo espaço do mundo. - cantarolei sorridente e ela riu, revirando os olhos.
- E o closet... Junto ou separado?
- Junto, mas cada um do seu lado.
- Eu tenho tanto sapato... - murmurou um pouco perdida - Acho que dá para termos um junto e banheiro, cada um com sua pia, seu espelho e seu lado. Você é um bagunceiro.
- Você que tem cremes demais.
- Pias separadas.
- Concordo.
- Quarto das crianças. Harry precisa de um espaço, o bebê principalmente, podemos ter dois quartos de hóspedes e um de televisão/brinquedos. Isso dá seis quartos, mas uma casa com cinco serve.
- Pra quê dois quartos de hóspedes? Um está bom! Só iremos receber seus pais e olhe lá.
- Eu odeio não poder receber minha família ou amigos adequadamente. Se sobrar um só, tudo bem, mas eu gostaria.
- Deixa na lista, se encontrarmos...
- Não faço questão de quintal em casa, mas quero uma garagem para dois carros.
- É um pouco complicado achar casas com quintal por lá, mas também não faço questão.
- O máximo de suítes que puder encontrar. Já tenho dor de cabeça de imaginar as crianças brigando por banheiro, principalmente se o bebê for menina.
- Eu brigava muito com Rosalie quando tínhamos um banheiro compartilhado, adoraria evitar isso.
- Jasper e eu a mesma coisa. - revirou os olhos rindo - Sala de visitas grande. Sua família é enorme, imagina espremer todo mundo em um lugar só? A cozinha pode ser mediana e a sala de jantar também.
- Isso é verdade. Precisamos organizar os móveis para que fique um ambiente claro, não gosto de tons escuros ou pesados em casa.
- Tudo bem. Uhn, será que um dia teremos um cachorro? Harry gosta de bichos, sei que ele gostaria, mas eu não sei sobre ter um dentro de casa.
- Se tivermos, vai ser inevitável.
- Então vou rezar para ele nunca se interessar. - murmurou baixinho escrevendo no seu editor de texto - Acho que é isso o mais importante. Mais alguma observação?
- Por enquanto nenhuma. Manda esse arquivo para meu e-mail que vou buscar isso. - respondi esperando que desligasse seu computador, mas ela abriu o facebook - Quem é?
- Estudou comigo no ensino médio.
- E esse?
- Faculdade.
- Só tem homem nisso?
- Deixa de ser petulante que o seu tem mulher pra caramba, inclusive, a doce encantadora Bree. - franziu os olhos na minha direção - A maioria estudou comigo ou com Jasper, estão casados ou não, isso não importa porque eu sou uma mulher comprometida.
- Bom... - murmurei ainda olhando algumas atualizações - E esse?
- Cara, você é chato! - reclamou clicando na sua atualização de status e escrevendo "Deitada com todos os amores da minha vida. Tenho tudo que preciso para ser feliz".
- Espere. - disse pegando meu celular e tirei uma foto de nós dois e postei no meu mural e ela compartilhou. Em pouco tempo trinta pessoas curtiram. - Agora sim...
- Tem um monte de foto sua no facebook, Edward. Inclusive as mais românticas de Paris. - respondeu em tom bobo - Somos bonitos juntos.

- Somos bonitos juntos, vamos ter um bebê lindo, vamos morar juntos, você é toda linda e o amor da minha vida.

No comments :

Post a Comment