PARADISE - CAPITULO 30




PARADISE - MARIANA CARDOSO
Dois estranhos. Um encontro no paraíso. Uma vida inteira entrelaçada.


Classificação: +16
Categorias: Saga Crepúsculo - Bellard - Romance/Drama
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen


Capítulo 30 – Princesa do Meu Reino.
Londres, Inglaterra.
Edward.
Jéssica estava os últimos quarenta minutos falando sobre meus próximos compromissos enquanto tomava notas e reorganizava minha agenda. Minha atenção foi desviada quando Bella entrou no meu campo de visão. Ela estava com um vestido preto justo até os joelhos e com os cabelos soltos, cheios de cachos bonitos. Ela parou um pouco antes de entrar na sala e percebi que Jéssica falou com ela, mas não escutei. Isso a fez vir na minha direção e sorrir timidamente. Ela estava deslumbrante. E era minha.
- Você está maravilhosa. – disse pegando sua mão e beijando – Isso tudo para me ver?
- Também. Acordei com vontade de me arrumar hoje. – sorriu corando e colocou um papel na minha mesa – Passei aqui rapidinho para poder te perguntar algo. Atrapalho?
- E você vai aonde? Claro que não. Jéss e eu estamos refazendo a agenda.
- Encontrar com um cliente. – respondeu confusa. – Tudo bem, Jess?
- Tudo sim e essa princesinha? – perguntou com um sorriso bonito – Vou levar isso para os estagiários? Quer alguma coisa, Bella?
- Não. Obrigada. – sorriu timidamente para minha secretária e virei minha atenção exclusivamente para ela.
- Não ia falar comigo?
- Estou falando agora. Sério, ele me ligou, me arrumei, deixei Harry com sua mãe e vim aqui. – respondeu rapidamente e olhei para o papel a minha frente – Não entendo as leis trabalhistas daqui. Pode me explicar umas coisas?
- Você já almoçou? – perguntei beijando sua barriga. Amy estava muito quietinha. – Oi, amor do papai. – sussurrei esfregando meu nariz em seu umbigo.
- Não, por quê? Estou um pouco faminta. Me leva naquele bistrô?
- Vamos fazer isso comendo. – disse levantando-me, pegando minhas coisas e percebi que ela ficou parada no lugar. – Que foi?
- Nada. Estava só olhando. – sorriu pegando minha mão e dei um beijo nos seus lábios – Eu vou te falar, mas não ria. – sussurrou no elevador e olhou pra mim – Hoje percebi que já está saindo leite dos meus seios. E também estou com um chupão.
- Acho que me empolguei ontem. – murmurei coçando minha nuca. – Está dolorido?
- Não. Pena que deu certo... Estava planejando uma repetição esta noite. – sussurrou apertando minha mão com um sorriso maldoso.
- Sempre tem um estímulo para descobrir. – brinquei abraçando-a.
- Você chega cedo hoje?
- Estou com os processos que preciso levar pra casa. Você vai demorar na rua?
- Só encontrar com este cliente, você pode vir comigo, se quiser. – ofereceu ajeitando minha roupa por um momento. Bella amava cuidar de mim. Ela deixava minhas roupas em perfeito estado.
Claro que iria, só precisava ligar para Jéssica, pedir que entregasse os processos em casa porque eu tinha acabado de mentir para minha namorada. Bella estava com um barrigão, linda por toda existência e mesmo grávida, de mãos dadas comigo, ainda tinha homem que a olhava de forma cobiçosa. E eu meio que entendia, mesmo com ciúmes, porque ela estava cada dia mais bonita. Os decotes dela eram para se perder. A bunda redondinha durinha era uma coisa maravilhosa, me deixava louco de vontade de apertar. Com esse vestido, eu realmente estava excitado.
Desde a nossa briga, nós estivemos bem a maior parte do tempo. Alguns ajustes diários, algumas pequenas discussões por conta de ensinamentos a Harry e meu maldito esquecimento. No mais, ela e Amy passavam o dia bem. E eu realmente reconheci que precisava estar em casa pelo menos na hora do jantar. Desde então, não brigamos por nada. Tá, de vez em quando deixava uma roupa no chão ou uma toalha molhada em cima da cama. Coisas do dia a dia. Eu tinha que lembrar sempre que nós, apesar de tudo, estamos nos ajustando a uma vida de casados com filhos sem ter tido um preparo para isso. Agora a situação estava séria e era para sempre.
Almoçamos em um pequeno bistrô que ela amava. A comida era simples, mas excelente. Não tinha grandes pratos elaborados e era justamente por isso que sempre gostava de vir aqui. Pediu o de sempre: Torta de queijo e suco de laranja feito na hora. Amy também ficava feliz com a comida porque normalmente ficava quieta na hora do almoço.
- Eu estive pensando em irmos para o Campo durante um final de semana. Só nós dois. – sugeri depois que terminamos de comer e aguardávamos a tão sonhada sobremesa dela.
- Sério? – perguntou animada e com um sorriso bonito. Jogou os braços ao redor do meu pescoço e me beijou ternamente – Eu adoraria.
- Eu e você, muito romance, sexo, brincadeiras, sexo... Já disse sexo?
- Sim, você disse. Espero que consiga sair andando desse final de semana todo. – respondeu com um tom mais sério, mas estava sorrindo – E o trabalho?
- Percebi que certas coisas valem mais a pena. Que preciso deixar minha vida de solteiro no passado.
- Eu também errei com você. Não posso dizer que não sei o que aconteceu, porque sei. Faltei com o respeito jogando suas coisas fora e agindo de forma injusta, gritando, não dando oportunidade de falar e exagerando em nossa briga. Se não estivesse com o sangue quente, se tivesse sido mais sábia e até mesmo mais segura, não teria agido daquela forma. Foi imaturidade da minha parte. Espero que possa me perdoar. – sussurrou olhando nos meus olhos passando verdadeiramente o quanto estava arrependida.
- Confesso que no dia fiquei bastante irritado, mas quando eu vi você passando mal daquela forma entrei em desespero. Fui egoísta também, te deixei sozinha em um processo de mudança, não participei disso e acabei ocupando minha mente com coisas que não eram para o momento. Nunca mais vou colocar nossa família em segundo lugar. Você pode me perdoar também?
- Claro que sim, meu amor. Nunca deixaria. – sorriu e fomos interrompidos pelo garçom – Obrigada. – disse a ele com um sorriso enorme – Quer um pedaço? Essa é a sua única chance.
- Pensei que iriamos partilhar. – retruquei querendo provocá-la.
- Partilhar? Peça um pedaço pra você e ainda sou capaz de comer tudo. Não é a gravidez, mas essa torta de chocolate amargo é maravilhosa. – murmurou com os lábios sujos, mas ao invés de limpar com o seu guardanapo, virou-se e me deu um beijo. – Não é bom?
- Preciso de mais beijos para ter certeza.
Eu tinha tido um motivo ciumento para ir junto ao seu encontro com o cliente. O problema em si não era o cliente. Um jovem rapaz começando no ramo da engenharia, abrindo sua construtora e estava investindo na propaganda e publicidade. O que realmente me deixou satisfeito em ter ido foi porque ele estava sendo assediado por um publicitário da Mr. Jones. Bella era boa e rápida, mas, ficou seriamente estressada. Não queria deixá-la sozinha nesses eventos enquanto estivesse grávida, fragilizada. A sensibilidade de uma gestante poderia chegar a um nível alarmante.
No dia seguinte, nos ocupamos em função da pequena festa de aniversário do meu filho. Várias crianças correndo ao redor, mesas espalhadas pela área privada do parque e nossa família. Jane, Félix, Renée e Charlie vieram para todas as festividades. Claro que o tema foi do Batman. Bella usou a criatividade e preparou lindas lembrancinhas para decorar as mesas. A festa não tinha muitos adultos, mas muitas crianças e animadores contratados. Piscina de bolinhas, pula-pula e outros brinquedos que eles gostavam e bastante música. Foi agradável e meu filho estava terrivelmente feliz. Valeu a pena cada segundo. Meus sogros eram incríveis, mas eles gostavam de dar presentes barulhentos a Harry.
Enquanto estávamos, no dia seguinte, arrumando tudo para o chá de fraldas de Bella, meu pequeno estava encarnando a estrela do rock novamente, dessa vez com uma bateria. Passamos o dia inteiro decorando a casa em função disso, normalmente era esperado que Bella estivesse com quase nove meses para isso, mas, não tinha como manter uma agenda compatível com a de Jane. Nós homens ficamos na casa da minha irmã enquanto as mulheres estavam na minha casa. Foi uma tarde típica de besteira, cervejas e coisas masculinas. Volta e meia ouvíamos as gargalhadas delas e vimos Bella sair com a barriga pintada para tirar fotos na rua.
Essa distração foi maravilhosa para todos nós. Primeiro que o caso da BBC estava acabando. Peter e eu descobrimos algo de deixar o queixo aberto, mas tomamos as medidas necessárias para evitar um escândalo maior. Em compensação, isso nos deixava na mira da imprensa. Recentemente saiu em primeira página a compra da minha casa, quase todos os meus gastos e meu relacionamento. Esse maldito jornalista queria me expor até que perdesse toda minha paciência. Ele andava cercando meus funcionários e oferecendo dinheiro. Nós entramos com uma ação judicial contra ele, porém, precisávamos descobrir seu nome real já que o maldito jornal que trabalhava não podia divulgar essa informação sem ordem do juiz. Eu estava bem perto de conseguir isso. Essa palhaçada era um desvio de foco nosso muito grande, então ficava dividido em me irritar com isso ou me concentrar no caso que estava me deixando uns bons anos mais velho.
As semanas passaram muito rápido e minha vida praticamente parou à espera do nascimento de Amy. No seu aniversário, Bella estava com um barrigão enorme. Ela não quis comemorar muito, então fizemos um jantar com a família e amigos. Ela estava desconfortável e literalmente com os pés inchados. Aquela parte chata, na maior parte do tempo, estava bem humorada, só cansada mesmo com o peso nas costas e todas as noites mal dormidas. Amy chutava diretamente nas costelas, empurrava tudo que estava no seu caminho e tinha vezes que a deixava sem ar. A expectativa de sua chegada aumentava a cada dia.
- Vamos lá pai, você anda muito devagar. Tá velho, é? Corre! – Harry me puxou. Eu amava esse garoto, mas ele estava seriamente me irritando no momento. Jogar minha idade contra minha cara era maldade. – Vamos lá, pai!
- Harry, por favor! – sussurrei sem ar correndo atrás dele. – Devagar você, seu pai tem mais de três décadas, apenas pare, por favor.
- Tudo bem. Velhote. – brincou parando e virando o corpinho pequeno e suado para me abraçar. – Obrigado, foi divertido.
- Charmoso. – sorri beijando-o na testa – Vem, monta nas minhas costas e vamos para casa ficar com as nossas garotas.
- Estou com fome.
- Conte-me uma novidade. – sorri olhando-o sobre os ombros e ele revirou os olhos – Você vive com fome e depois de correr metade do parque, vai devorar a dispensa inteira.
- Isso é verdade. – riu apertando os braços ao redor do meu pescoço. – Será que a mamãe está mais calma agora?
- Ela só precisava de silêncio para tirar um cochilo.
- Eu sei. Espero que Amy venha logo.
- Papai também espera.
Bella estava deitada meio sentada no sofá, com os pés em vários travesseiros e olhos fechados. Reparei na toalha enrolada em sua cintura.
- Ei baby, o que houve? – perguntei ajoelhando-me ao seu lado.
- A bolsa estourou. – sussurrou corando um pouco.
- Jura? Mas... Você não me ligou!
- Foi agora, acabei de sentar aqui, ia te ligar, mas acho que estou nervosa. – respondeu pegando minha mão.
- Vou chamar Rosalie para cuidar de Harry e ligaremos para sua médica, ok? – disse beijando-a no rosto e chamei minha irmã.
As coisas ao redor agitaram bem rápido. Bella estava sentindo contrações de tempos em tempos, mas eu mesmo que um pouco agitado, tentei não afetá-la com isso. Sua internação foi bem rápida e ficamos aguardando a dilatação e o momento certo. Ela passou a sofrer e sentir dores, mas eu estava praticamente entrando em completo desespero. Harry nasceu por cesárea, um parto natural era assustador, apesar de mais saudável. Quando finalmente o médico anunciou que estava na hora, sai do quarto para trocar de roupa e ficar ao lado dela dando força.
Amy chegou com 49 centímetros, três quilos e quatrocentas gramas. Cabeluda, pequena, chorona e perfeitamente linda. O amor da minha vida. Ela era bem branquinha, com os lábios vermelhos, apesar de estar bem vermelhinha por gritar. O hospital inteiro ouviu o nascimento dela. Minha princesa era muito perfeita, segurá-la em meus braços pela primeira vez me levou às lágrimas. Nada mais no meu mundo fazia sentido quando ela fez um pequeno beicinho e se aconchegou em mim. Iria amá-la e protegê-la de todo o mundo, ser seu apoio e segurança. Seu lar e sua saúde. Minha amada.
- Vamos conhecer a mamãe. – sussurrei para ela se contorcendo e ainda reclamando – Ela sonhou muito com você. – disse colocando-a nos braços de Bella. – Obrigado. Ela é perfeita. Eu te amo.
- Obrigada você. – Bella soluçou com muitas lágrimas escorrendo pelo rosto – Oi meu amor. Mamãe te ama tanto... Finalmente estou te segurando. Você é tudo que mais sonhei. – disse olhando-a atentamente – Quanto cabelo. Olha essa boca vermelha. Oh meu Deus, eu fiz uma criança linda.
- Puxou o pai.
Amy não abriu os olhos pelas próximas horas, segundo minha família que ficou de plantão no berçário, sendo ruidosos e discutindo com quem ela se parecia mais. Juro que até Jasper entrou no meio alegando que era linda que nem ele. Bella precisou ficar sozinha com a equipe médica e aguardei ansiosamente do lado de fora. Nossa primeira noite no hospital foi bem tranquila. Amy mamou pela primeira vez, era bastante gulosa e Bella estava aliviada que ela tivesse aceitado o peito de primeira, em compensação, parecia que nunca era o suficiente. Minha linda mulher estava maravilhada, radiante, emocionada, extremamente feliz e mil vezes realizada.
Harry chegou para conhecer sua irmã pela tarde do dia seguinte. Bella tomou um banho e colocou um vestido bonito fazendo-me colocar uma cinta nela. Sério, aquilo estava tão apertado que me senti sem ar por ela, mas, segundo as informações femininas, era para tudo voltar para o lugar rapidamente. Não vi nada além da ausência de sua barriga ali, mas tudo bem. Quem sou eu para discutir as loucuras de uma mulher recém-parida?
- Ela é tão pequenininha mamãe. – sussurrou sentado no meu colo e meio que segurando Amy, que estava no colo de Bella. Amy se contorceu e choramingou. – Oh, que bonitinha.
Harry estava maravilhado e apaixonado pela irmã. Ele não parava de dizer que ela era linda, perfeita, parecia uma bonequinha, que ia cuidar dela. Segurou-a com meu auxilio por um bom tempo e foi no colo dele, enquanto conversava com ela, que minha princesa revelou ter lindos olhos verdes como os meus. Pareciam duas bolas de gude cristalinas e limpinhas. Minha mãe e Rosalie praticamente a disputaram a tapas e Alice não continha a emoção de ter sua afilhada nos braços.
- Vocês realmente estão de parabéns. – Jasper disse segurando a sobrinha pela primeira vez – Ela é linda como a minha irmã.
- Awn. Meu irmão é um fofo! – Bella suspirou abraçando-o pela cintura – Agora, anime-se e me dê um afilhado.
- Estamos totalmente bem em paparicar Amy. – Alice respondeu rapidamente.
- Bom... Em breve vocês terão mais um para paparicar. – Emmett disse com um sorriso enorme.
- Sério? – perguntei a minha irmã. Ela estava corada e com os olhos brilhando – Você está grávida? Quando descobriram?
- Harry descobriu, na verdade. Eu estava enjoada e realmente sem entender. Ansiosa e preocupada com Bella, ele me vira e diz: "Tia, você está esperando um bebê como a minha mãe estava?" – contou animadamente – Então, fiz um teste de farmácia e hoje pela manhã um de sangue. Realmente é positivo!
- Oh meu Deus! Eu não sei se posso aguentar tanta emoção. – Esme praticamente gritou abraçando Rosalie, assim como eu estava.
- Vocês me deixam muito orgulhoso. – Carlisle sussurrou em nosso abraço de família – Caramba, mais um bebê.
- Agora eu quero um. – Alice brincou petulante – Vou deixar Peter e Charlotte primeiro. – disse quando eles entraram no quarto com presentes.
- Nós primeiro o quê? – Peter perguntou antes de abraçar Bella levemente e correr para Amy – Oi princesa do tio.
- Oh Bella, tão perfeita! – Charlotte suspirou – Realmente isso meio que anima.
- Realmente. – Peter concordou indo até o banheiro passar álcool nas mãos para poder segurar minha menina. – Podemos ter um, amor?
- Claro, vá sonhando. – Charlotte suspirou e ele fez um beicinho. – Vamos paparicar Rosalie primeiro.
- Espere aí, eu te contei sobre Amy antes de todo mundo e você ligou para Char? Traidora! – Bella reclamou quando se deu conta que soube da gravidez de Rosalie como todo mundo. Rose, por outro lado, levantou e abraçou minha namorada com carinho – Isso é uma merda!
- Mamãe! – Harry sussurrou chocado. Bella dificilmente falava uma palavra ruim na frente dele. Quase nunca. Eu por outro lado, precisava tomar vergonha na cara.
- Sinto muito, filho.
- Desculpe amiga, você não queria saber da minha gravidez enquanto estava empurrando Amy para fora.
- Ew! – Emmett gemeu.
- Prepare-se. Você vai assistir. – murmurei e ganhei um tapa dela no ombro .
Mais tarde, todos eles foram embora e fomos deixados com o nosso pequeno pacote um pouquinho rabugento, mas já dava para identificar que era sono. Ela gostava de estar entre os seios de Bella e dormir confortável, quentinha e segura ali. Meu celular e minha câmera estavam lotados de tantas fotos, cada respiração era um clique. Harry não queria ir embora para não deixar Amy e Bella. Claro que ela, sendo uma boa mãe, convenceu-o a ser um menino maduro e nos esperar em casa. E também se comportar com a tia dele.
As duas estavam perfeitas e saudáveis para ir embora na manhã seguinte. Mal via a hora de chegar em casa com elas e colocar Amy no quartinho que preparei com muito amor e carinho. Ela, por enquanto, dormia o tempo todo. Seja de dia ou de noite. Suas primeiras semanas em casa foram bem tranquilas. Bella nasceu para ser mãe. Ela era calma e observadora, conhecia cada expressão da minha pequena. Eu ficava horas com ela e Harry, deitado na cama, para que pudesse fazer suas coisas e também dei um jeito de ficar melhor na cozinha e preparar coisas saudáveis, mas Bella preferia que tomasse conta de Amy. Talvez eu não tivesse jeito nisso.
- Pai, ela está fazendo aquela careta de novo. – Harry disse. Ele estava assistindo desenho e Amy estava confortável no moisés entre nós dois na cama.
- Alguém vai sujar a fralda? – Bella perguntou toda maternal. Ela ficava muito bonitinha assim. Sentando-se entre minhas pernas, me deu um beijo delicado nos lábios e ficamos todos deitados na cama. – Olha só a careta. Que isso, filha?
- Está fazendo força. – provoquei mexendo no pezinho dela – Estamos te atrapalhando? – perguntei quando resmungou. Ela toda fofa fazendo esses pequenos estalinhos com a boca.
- Sua mãe vem jantar conosco. – Bella sussurrou se aconchegando em meus braços – Seu pai quer ficar com Amy. Ele também ofereceu buscar meus pais amanhã. Finalmente eles estão vindo conhecê-la.
- Eles iriam vir, baby. Você só ficou ansiosa com isso. – respondi beijando-a ternamente – Você está linda hoje com esse vestido.
- Jura? Só por que minhas pernas ficam nuas?
- Você sabe que eu amo suas pernas...
- Oh, eu sei.
- Ew! Estou aqui! – Harry resmungou e nós dois rimos dando mais um beijo estalado. – Amy também. E com a fralda suja. Tá fedendo.
- Vou trocá-la. Vocês dois para o chuveiro, fiquem cheirosos e arrumados para o jantar. – Bella ordenou no seu jeito maternal levantando-se da cama. Não falei que ela era boa nisso? E ficava bastante gostosa também. – Que foi?
- Gostosa. – movi meus lábios com a palavra e discretamente passei a mão em sua perna até descansar na sua bunda.
- Gostoso você. Papai gostosão. – brincou pegando Amy e saindo do quarto – Dê tchau ao papai. Voltamos daqui a pouco.
O jantar ficou pronto antes do tempo correto, milagrosamente Bella me deixou ajudá-la nessa tarefa enquanto as crianças estavam perto de nós na cozinha e quietas. Amy dormia mais do que qualquer coisa. Ela ainda só acordava para comer e chorar. E chorar para tomar banho. Nessas horas sabíamos que ela tinha um pulmão bastante saudável. Deitamos todos na cama. Eu no meio com ela deitadinha em minha barriga, Bella de um lado com as pernas em cima de mim e Harry do outro. O garoto não conseguiu manter os olhos abertos por muito tempo e também dormiu me segurando e ela, seguiu o exemplo dos dois.
Minha família perfeita e segura do meu lado. Mesmo que estivesse sempre em alerta, pagando seguranças e mantendo Liam ao meu redor para garantir isso. Não tinha como ser mais feliz, me sentir mais completo do que quando olhava para eles e via tudo que mais amo. Harry e eu definitivamente tivemos sorte esse ano: Ganhamos duas garotas incríveis que iriamos amar e proteger para sempre.


No comments :

Post a Comment