CORAÇÃO INDOMAVEL - CAÍTULO 09

Meninas do meu coração.
Vamos tentar domar este coração indomável?
Este capítulo ta bem bacana, mas o próximo ta demais.

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência


Capítulo 9
Já passava da meia noite e o sono não vinha. E pior era que eu tinha aula cedo na manhã seguinte. Já estava ficando normal eu sentir insônia. Desde que certo bad boy entrou em minha vida. Em meus pensamentos. Mas hoje não era somente por ele que eu estava sem sono. Era pela conversa que tive com meu amigo.
Flashback On
Eu olhava atentamente para meu amigo absorvendo suas palavras.
– Emmett eu e seu irmão estamos apenas nos divertindo... não se preocupe. – tentei falar sem mostrar estar abalada por suas palavras.
– Bella nós dois sabemos que você não é mulher de somente se divertir com qualquer um. – ele respirou fundo – Ele prometeu que não ia mais fazer isso. – falou mais para si mesmo.
– Como assim Emmett?- perguntei – Do que está falando?
Ele me encarou.
– Bella...acha que é a primeira amiga minha que se envolve com o Edward? – perguntou. – Não é. Eu pedi a ele que deixasse minhas amigas de fora dos seus casos, mas parece que ele não cumpriu com sua palavra. Não quero que aconteça com você o que aconteceu com elas.
Olhei pra ele assustada.
– O que aconteceu com elas? – perguntei.
Putz! Elas?
– O que você acha? Se apaixonaram e levaram um pé dele. O Edward não se apaixona Bella. Ele é assim. – falou me olhando intensamente.
– Eu... Eu não estou apaixonada...
– Pode ser que ainda não. – ele me cortou - Mas já está encantada e para se apaixonar é só um pequeno passo. – suspirou. – Bella amo meu irmão. Ele é meu melhor amigo, mas neste lance de mulher ele não é legal. Se ele fosse diferente. Se ele agisse se forma diferente, eu ficaria muito feliz de você estar com ele, mas só que não é.
Abaixei meus olhos.
– Ele deixou claro o que seria o nosso... a nossa... você sabe? Não se preocupe Emmett.
Ele pareceu desapontado.
– Eu estou te avisando por que gosto muito de você e não quero ter que partir a cara dele se ele quebrar seu coração.
– Isso não vai acontecer. – falei.
Eu só esperava que isso realmente não acontecesse.
Flashback Off
Eu tinha que ter mais cuidado. Não podia me apaixonar por aquele bad boy. Se isso acontecesse era certo que eu teria problemas. Como se você já não estivesse apaixonada, minha mente falou. Não. Eu não estava.
Na faculdade, no outro dia tive uma seria discussão com Jasper, após ele ficar insinuando que agora eu seria mulher de bandido.
Todos os meus amigos presenciaram nosso dialogo. O clima ficou bem chato e acabou contagiando meus outros amigos.
– Você não tem que se meter na minha vida. – falei já irritada.
– Eu me meto se vejo que você está fazendo uma burrada. – ele disse me encarando sobre a mesa. – Ficar com aquele cara? Um marginal. Um bandido. Só pode estar louca.
– Por favor, calma gente. – Alice pediu.
– Ele é irmão do Emmett, Jasper. Por favor, maneire o jeito de falar. – Rose falou.
– Me desculpe Emmett. – Jasper pediu olhando Emmett que permanecia quieto durante toda a discussão – Mas o fato de ele ser seu irmão não altera o que ele é.
– Bella nós só estamos preocupados com você. – Jake disse num tom mais comedido.
– Eu entendo Jake, mas sou adulta e sei me cuidar. – falei dura.
– Eu não aceito isso. – Jasper falou mais irritado.
– Quem é você par aceitar ou deixar de aceitar. Eu não preciso da sua aceitação. – falei sarcástica.
– Da minha não, mas talvez a do seu pai sim. – ele disse ameaçadoramente.
– Deixa minha família fora disso. – respondi muito brava.
– Agora está extrapolando Jasper. – Alice disse – Sua dor de cotovelo já está ficando ridícula.
– Cala a boca Alice. – ele disse furioso.
– Não fala assim com ela. – vociferei.
– Pega leve Jasper. – Jake disse.
– Vocês não estão entendendo. Ele vai foder com ela até não poder mais e depois vai cuspir ela que nem um bagaço de uma laranja. E aí eu quero ver vocês ficarem todos calminhos. Isso se ele não a matar.
Emmett até então quieto pulou de sua cadeira encarando Jasper.
– Agora chega Jasper! Eu escutei você insultar meu irmão quieto, mas não vou deixar chama-lo de assassino por que ele pode ter todos os defeitos, mas isso ele não é. – falou em defesa do irmão.
Pra mim tinha sido suficiente. Peguei minha bolsa e meus livros e saí de lá ainda ouvindo meus amigos me chamando. Se eu pensei que aquele dia foi o mais difícil eu estava errada. Todos os dias estavam sendo terríveis. Nada dava certo. O clima na faculdade não estava dos melhores. Em casa meus pais e Kate brigavam constantemente o que fazia eu me trancar no meu quarto. Mas não era isso o pior. O pior foi que Edward desapareceu.
Desde aquele dia no seu quarto na casa de sua mãe. Ele não dera noticias. Não me ligara, e ele podia já que tinha meu numero. Eu também podia ligar, mas não queria correr atrás, e se eu fosse ligar iria dizer o que?“Oi Edward estou com saudade. Quer me foder?”Não, eu não era dessas.
Então ficava difícil eu vê-lo. Ir a festa no subúrbio estava fora de cogitação. Meus amigos não queriam mais ir e eu já imaginava o porquê. No meio disso tudo pelo menos uma coisa boa. Emmett e Rose finalmente se acertaram e estavam juntos. Eles eram só sorrisos.
– Ah eu não podia imaginar que fosse tão bom. – Rose disse. Ela contava sobre sua primeira noite com Emmett.
Eu não estava prestando muita atenção. Fazia 15 dias que eles estavam juntos. Quase 20 dias em que eu tinha visto Edward pela ultima vez. Eu juro eu tentava não pensar nele, mas eu não conseguia.
– Isso deve ser de família. – Alice disse rindo e me olhou. – Está tão quieta Bella. O que foi? Algum problema?
– Não. Nada não. – desconversei.
– Aham... sei. Nem prestou atenção ao que eu estava falando. – Rose disse.
– Me desculpa não prestei mesmo. É a situação lá em casa com a Kate que está difícil. – não era de todo mentira, mas também não era toda a verdade.
–Hum... sabe aquele cara que ela fica namora sei lá? – Alice disse – Eu fiquei sabendo que anda se envolvendo com uma gangue do subúrbio. – quase saltei da cadeira com o que ela disse.
– A gangue do Edward? – perguntei.
– Não sei Bella. Pode ser só boatos também, mas que ele tem uma cara de quem se mete em confusão há ele tem. – Alice disse.
– Tem sim e pior ele está levando a Kate por caminhos nada legais. – suspirei.
Voltamos para aula e não sei por que resolvi sair mais cedo. Quando estou indo para o estacionamento pegar meu carro eu vejo Edward encostado displicente em meu carro.
Quase não posso acreditar. Depois de 20 dias. Quero ficar brava com ele por ter sumido, mas que direito eu tenho. Quando estou quase chegando próximo a ele, ele sorri e eu não consigo conter um sorriso em meu rosto.
– Oi boneca.
– Oi Edward.
Ficamos nos encarando.
– Saindo mais cedo? – perguntou parecendo... inseguro.
– Sim. A aula estava muito chata e resolvi sair antes que eu dormisse na cara do professor. – falei e ele sorriu.
– Quer dar uma volta? – ele perguntou olhando para mim intensamente.
– Vai me sequestrar? – brinquei.
Ele deu aquele sorriso torto molha calçinha.
– É uma boa ideia. Sequestrar-te. Te amarrar na minha cama isso...é muito tentador Isabella. – respondeu sem desviar seus olhos dos meus. Corei intensamente.
– Não pode falar essas coisas pra mim. – disse envergonhada.
Ele riu
– Mas não. – disse por fim. – Eu quero leva-la em um lugar.
– Ah. Que lugar? – perguntei não contendo a curiosidade.
– Vamos Isabella e logo vai saber.
Saí de perto do meu carro e fomos para o seu que estava estacionado próximo do meu.
– Depois voltamos para pegar o seu carro.
Ele começou a dirigir pela cidade cada vez se afastando mais do centro em direção ao interior. Minha língua coçava por perguntar por que ele sumiu. Por que estava ali agora, mas não consegui. Minha mente estava tão confusa. Eu tinha que admitir que senti falta dele.
Chegamos a um local que parecia uma festa ao ar livre. Tinha muita gente.
Olhei pra ele.
– Que lugar é este?
Ele parou o carro e olhou para mim.
– Bom... você disse que curtia muito dançar e aqui é uma festa de musicas latinas. Achei que iria gostar de conhecer as musicas desses países.
Sorri alegre não só por estar neste lugar, que eu tinha certeza que iria adorar, mas por ele se lembrar do que conversamos no quarto dele na ultima noite que lá estive.
– Eu tenho certeza que vou a adorar. - falei já saindo do carro mal conseguindo me conter.
Andamos lado a lado e não sei por que eu quis que ele pegasse em minha mão, como se fossemos namorados. Tentei não pensar nisso e aproveitar tudo o que estava vivendo.
Passeamos por varias estandes que vendiam coisas típicas. A festa se chamava “A festa das Américas”. A cultura da America latina e America do sul estavam ali, sendo exposta.
Dancei muito. Uma coisa que eu amava. Dancei tango com um professor que ensinava, enquanto Edward me olhava sorridente. Dancei musicas brasileira e nossa quase me faltou fôlego pra acompanhar tudo o que aquele pais podia oferecer em matéria de musica e dança. No final eu e Edward acabamos na pista de dança de salsa.
Eu já tinha dançando com ele, mas hoje ele me parecia mais solto. Dançamos muito. Divertimo-nos muito também, mas é claro que minha cabeça funcionava a mil.
Por que ele estava fazendo isso? Sair pra dançar comigo. Por quê?
Por que ele não tentara nada? Claro que no momento em que dançávamos percebi seu olhar de desejo sobre mim, mas ele não fizera qualquer movimento para demonstrar que iria me beijar ou outra coisa parecida.
Eu queria ter coragem e tomar a iniciativa, mas não conseguia.
– Obrigado pela tarde Edward. Eu estava precisando me divertir. - disse a ele enquanto voltávamos para a cidade.
– Eu também gostei. Você não pensou em largar o direito e ser dançarina. Leva muito jeito. – disse rindo.
Ele parecia tão leve assim. Jamais se imaginaria que ele era um bad boy líder de gangue.
– Não. – falei rindo. – Eu gosto de direito. Dançar é algo maravilhoso, mas não para ser a minha profissão.
Olhei minha imagem no espelho do carro dele, e eu estava toda suada e com os cabelos desgrenhados. Um horror.
– Nossa estou uma bagunça. – comentei tentando ajeitar meu cabelo com as mãos.
– Que nada. Está linda. – ele disse e eu sorri com seu elogio.
Após isso quase não mais falamos.
Chegamos logo no estacionamento da faculdade onde eu havia deixado meu carro. Quando ele parou o carro agradeci novamente pelo passeio.
– Obrigado mais uma vez Edward. – mordi os lábios sem saber o que dizer ou esperar. Ele só me olhava. Como não disse nada eu achei que era a hora de eu ir. – Tchau.
Abri a porta do carro e desci, não sei como ele fez isso, mas eu mal fechei a porta do carro ele estava do lado de fora da minha porta me prensando contra a mesma.
– Eu prometi a Emmett que ia me afastar. – disse passando sua mão por meu rosto me fazendo fechar os olhos com seu toque. – Mas isso é mais forte que eu. – falou e me beijou.
Eu o abracei e o beijei de forma selvagem. A saudade, o desejo e algo mais em ebulição dentro de mim.
Continua...


Spoiler.

- Tem uma festa hoje à noite lá no subúrbio que ir? Depois você pode ficar comigo. No meu quarto...- ele começou a falar próximo ao meu ouvido me fazendo fechar os olhos, rendida as sensações.
- Eu não sei... meus amigos não estão mais indo as festas lá.
- Não estou convidando seus amigos para ir e sim você. disse franco.
- Mas aí eu vou ficar lá sozinha. comentei.
- Não.Você vai ficar comigo em minha mesa com meu pessoal. respondeu.
Porra! Não sei se isso seria uma boa. Eu me lembrava de como a era a sua mesa. Eram vários caras mal encarados, e muitas garotas com caras de vadia. Com certeza algumas delas ou se duvidar todas tinham ou tiveram algo com ele.
- Não sei Edward...
- Vamos. ele pediu Estou louco de saudade do seu corpo boneca. Preciso sentir você. Estar dentro de você de novo. ele falava sussurrando. Puta merda! Ele falando assim eu faria qualquer coisa. O urubu vai estar lá.Você gosta dele não é?
- Sim ele é legal. respondo com os olhos fechados apreciando sues beijos na minha orelha.
- Então? perguntou.
- Eu vou. falei e ele sorriu.
- Ótimo. Vou pedir para o urubu ir te buscar na sua casa às 23hs ok? - ele perguntou.
Assenti. Ele me beijou de novo de uma forma selvagem que trazia promessas de como seria nossa noite.
- Eu tenho que ir boneca. Até a noite. disse me beijando mais uma vez eu o agarrei pelo pescoço e retribui seu beijo de uma forma intensa me esfregando toda nele. Eu perdia o senso quando estava com ele. Ele gemou quando num ato impulsivo o toquei por cima do seu jeans.
- Não faz isso boneca... senão eu vou te comer aqui, no estacionamento da sua faculdade em dia claro. falou ofegante.
Mordi os meus lábios e sorri safada. Gostei de agir assim com ele. De fazê-lo perder um pouco o controle.
- Até mais boneca.
- Até mais. respondi.
Ele entrou no seu carro e saiu e eu fiquei olhando, quando me virei para ir para meu carro dei de cara com Kate.
- Olha só se não é a minha irmã santinha se pegando com um marginal de gangue. O papai vai amar saber que a sua princesinha está fazendo isso. ela disse debochada.
Fiquei em choque.

No comments :

Post a Comment