CORAÇÃO INDOMAVEL - CAPITULO 10

Meninas do meu coração.
Vamos tentar domar este coração indomável?
Esse bad boy indomável e bipolar ainda vai acabar comigo kkkk

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência

Capítulo 10
Beijamo-nos muito. Encostados em meu carro até parecíamos um casal de namorados. Ele me apertava com seu corpo e suas mãos me acariciavam. Nada de ultrajante para o horário e para o local, mas que em mim já fazia um grande estrago.
Eu sentia meu corpo quente querendo muito mais que apenas beijos. Não que os beijos dele fossem pouca coisa, mas eu precisava de mais.
– Eu achei que você não fosse me beijar hoje. – falei e ele riu.
– Não sabe como eu me segurei. – ele respondeu.
– Por que Edward? Por que estava se segurando? – perguntei.
Ele desviou os olhos dos meus. Voltou a me olhar.
– Eu prometi a Emmett que iria me afastar de você. – ele falou para minha surpresa. – Ele está preocupado com você...
Eu não sabia bem o que pensar e o que dizer.
– E você iria cumprir o que prometeu ao Emmett? – perguntei.
– Eu vou cumprir Bella. Dependendo do que você vai me responder. – ele disse – Emmett acredita que você possa... ter sentimentos por mim. Isso é verdade Isabella? – ele perguntou me olhando intensamente.
Eu tinha?
Algo eu sentia, mas ou eu não sabia o que era ou eu não queria dar o nome certo para o que era.
Se eu dissesse que sentia algo com certeza ele não iria mais ficar comigo e eu ainda não queria que isto terminasse.
– O que temos é bem claro Edward, é somente sexo não é? – perguntei.
– Sim. – ele respondeu.
– É isso. Sexo. – falei, mas não gostei da sensação que estas palavras tinham em meu coração.
– Isabella eu te desejo muito, mas não quero...
– Tudo bem Edward eu já entendi. Vamos aproveitar enquanto sentirmos isso. Este desejo e quando acabar... acabou. – falei.
Ele sorriu safado.
– Tem uma festa hoje à noite lá no subúrbio que ir? Depois você pode ficar comigo. No meu quarto... - ele começou a falar próximo ao meu ouvido me fazendo fechar os olhos, rendida as sensações.
– Eu não sei... meus amigos não estão mais indo as festas lá.
– Não estou convidando seus amigos para ir e sim você. – disse franco.
– Mas aí eu vou ficar lá sozinha. – comentei.
– Não. Você vai ficar comigo em minha mesa com meu pessoal. – respondeu.
Porra! Não sei se isso seria uma boa. Eu me lembrava de como a era a sua mesa. Eram vários caras mal encarados, e muitas garotas com caras de vadia. Com certeza algumas delas ou se duvidar todas tinham ou tiveram algo com ele.
– Não sei Edward...
– Vamos. – ele pediu – Estou louco de saudade do seu corpo boneca. Preciso sentir você. Estar dentro de você de novo. – ele falava sussurrando. Puta merda! Ele falando assim eu faria qualquer coisa. – O urubu vai estar lá. Você gosta dele não é?
– Sim ele é legal. – respondo com os olhos fechados apreciando seus beijos na minha orelha.
– Então? – perguntou.
– Eu vou. – falei e ele sorriu.
– Ótimo. Vou pedir para o urubu ir te buscar na sua casa às 23hs ok? - ele perguntou.
Assenti. Ele me beijou de novo de uma forma selvagem que trazia promessas de como seria nossa noite.
– Eu tenho que ir boneca. Até a noite. – disse me beijando mais uma vez eu o agarrei pelo pescoço e retribui seu beijo de uma forma intensa me esfregando toda nele. Eu perdia o senso quando estava com ele. Ele gemeu quando num ato impulsivo o toquei por cima do seu jeans.
– Não faz isso boneca... senão eu vou te comer aqui, no estacionamento da sua faculdade em dia claro. – falou ofegante.
Mordi os meus lábios e sorri safada. Gostei de agir assim com ele. De fazê-lo perder um pouco o controle.
– Até mais boneca.
– Até mais. – respondi.
Ele entrou no seu carro e saiu e eu fiquei olhando, quando me virei para ir para meu carro dei de cara com Kate.
– Olha só se não é a minha irmã santinha se pegando com um marginal de gangue. O papai vai amar saber que a sua princesinha está fazendo isso. – ela disse debochada.
Fiquei em choque.
– Kate... não é nada disso...
– Ah Bella pára está bem. Eu vi você se agarrando com o Edward Cullen.
– Você o conhece? Perguntei surpresa.
– E quem não conhece? Ele faz parte de uma gangue e você sabe muito bem disso. Olha estou abobada se tivessem me contado eu não iria acreditar. A Bella toda certinha... me surpreendeu maninha. Pode ficar tranquila eu não falo nada para o papai e você não enche mais meu saco por conta do Josh, combinado? – disse.
– Kate o Josh ele não é legal pra você... – falei tentando fazê-la enxergar.
– Deixe de ser hipócrita Bella! Você estava aí se agarrando com um cara de gangue e vem falar mal do Josh? – ela riu irônica.
– Kate ele te bateu, como pode achar isto normal? – olhei o roxo do lábio dela já mais claro agora.
– Ele estava doidão aquele dia. Ele me ama – ela tentou justificar.
Eu não entendia como ela podia o deixar fazer isto com ela.
– Fiquei sabendo que ele está numa gangue no subúrbio.
– É mentira... Ele só é amigo do James.
James? Era o nome do cara que o Emmett tinha falado ser muito perigoso.
– Kate este James é muito perigoso... Por favor, minha irmã se afaste...
Ela começou a rir.
– Está se dado conta do que está falando? Você estava aqui se pegando com marginal, e vem me dizer que eu tenho que deixar meu namorado por que ele é apenas amigo de um cara que é de uma gangue? Se enxerga Bella! Olha só, como já falei não se mete na minha vida e nossos pais não vão saber nada das suas incursões pelo subúrbio ok.
Eu tentei falar algo, mas ela saiu sem deixar que eu falasse mais nada.
****
Eu olhei o relógio e vi que faltava uma hora para urubu vir me buscar. Eu estava ansiosa como sempre. Havia dito a minha mãe que iria sair com meus amigos o que não era verdade. Eu não gostava de mentir pra ela, mas não podia dizer a verdade a ela.
Peguei meu celular pela décima vez e tomei coragem e liguei para Alice.
– Achei que estava se arrumando para se encontrar com seu bad boy? – ela perguntou.
– Na verdade já estou pronta. – falei.
– Hum que maravilha. Aproveite a noite amiga. – ela disse.
– Alice... eu... eu preciso da sua ajuda. – só esperava estar fazendo a coisa certa.
– Claro. O que foi? Está duvida quanto à roupa? – perguntou.
Sorri, antes fosse isso.
– Não Alice é outra coisa. É que eu queria ser mais... menos tímida sabe. Quando estou com ele. Eu queria...
Não conseguia ser mais clara.
– Bella? Você quer ser mais ousada? É isso? – perguntou curiosa.
– É. – fechei os olhos ao falar – Estou sendo idiota não é?
– Por quê? Não há nada de errado nisso. Conte-me uma coisa. O que vocês fizeram em relação a sexo?
Ah droga! Era tão constrangedor. Pelo menos não era a Rose por que ai sim eu estaria ferrada. Ela iria me tirar pelo resto da vida.
– Nós fizemos... sexo. – respondi.
– Não. Eu digo sobre as preliminares. Ele te chupou? – perguntou direta.
– Sim. – senti meu rosto quente.
– Uau!E foi bom? – Alice quis saber.
– Muito.
– E você?
– Eu o que Alice? – perguntei sem entender.
– Você chupou ele, Bella?
– Não...
– Não? Ele não pediu isso?- perguntou.
– Não pediu.
– Nossa!Que cavalheiro bom... então está aí o que tem fazer. Faz um bom boquete amiga. Aqueles de fazer o bad boy ficar maluco. – ela disse rindo.
Apertei os olhos e tomei coragem.
– Eu não sei fazer isso Alice.
– Como assim não sabe? Bella... Você nunca fez sexo oral no seu parceiro? – perguntou não escondendo sua surpresa.
– Não Alice. Nunca fiz. – confidenciei.
– Mas você namorou quase 3 anos.
– Mike não gostava. Dizia que isso não era coisa de mulher direita, que a namorada dele não faria isso. – expliquei.
– Que babaca! Qual homem não quer uma mulher chupando o seu pau? – falou.
Fiquei muda.
– Eu vou te ajudar amiga. É uma pena eu não estar aí, eu poderia demonstrar com uma banana. – falou rindo.
– Alice, por favor, assim já é constrangedor o suficiente.
– Que nada. Somos amigas não somos? Então. Amigas são pra isso mesmo.
Alice me explicou direitinho, com requinte de detalhes tudo o que eu teria que fazer para deixar o bad boy maluco por mim.
Quando urubu chegou, eu ainda estava vermelha por conta das coisas que minha amiga tinha dito.
Eu e Frank fomos conversando por todo o caminho. Ele era muito legal, com todo aquele tamanho nem parecia, mas era... um doce. Sorri e ele me olhou enquanto já estávamos quase chegando.
– O que foi? – perguntou.
– Nada. É só... O que achou da Alice? A minha amiga aquela que você conversou no aniversario do Emmett.
– Eu a achei legal. Ela é simpática e muito bonita. – eu sorri e ele percebeu minha intenção. – O que Bella? Está achando que pode rolar algo entre mim e ela?
– Se você quiser. – respondi.
Ele deu um sorriso.
– Você sabe eu sou apaixonado pela Elisa, mas... se a sua amiga quiser por que não? – era isto que eu mais admirava em Frank ele era honesto e verdadeiro.
Eu já não podia dizer o mesmo sobre seu amigo. Eu não sabia se Edward era totalmente verdadeiro. Muitas coisas ele deixava claro, como nosso relacionamento que era só sexo, já outras não. E também a forma como ele agia em uma hora me provando que era só sexo mesmo, e em outra agindo de uma forma... Apaixonante.
Suspirei e meu suspiro não passou despercebido por urubu.
– Está tudo bem Bella?
Olhei para ele que olhava me avaliando.
– Sim... é... que...
Será que urubu me falaria sobre Edward se eu perguntasse? Eu duvidava. Ele era fiel ao amigo.
– Emmett pediu que eu me afastasse do Edward. – falei.
Urubu não demonstrou surpresa.
– E você? Vai fazer o que ele sugeriu?
– Não sei. – respondi sincera – O Edward me confunde. - completei.
Urubu nada disse. Logo ele estacionava a frente da festa que pelo jeito estava super animada. Quando eu ia descer urubu me deteve.
– Bella... você é uma garota legal. Merece alguém bacana e não sei se o Edward pode ser esta pessoa, mas... ele não... ele é um cara que eu admiro muito. Às vezes para entendê-lo tem que ver além do que ele mostra as pessoas. – ele falou. – Vamos logo, antes que ele me ligue perguntando por que demoramos. – sorriu.
Meio atordoada pelas palavras de Frank saí do carro. E claro, voltei a ser o centro das atenções já que agora eu chegava à festa junto com um membro de gangue.
Antes de entrar segurei a mão de urubu.
– Frank se não for pedir muito pode ficar sempre por perto. – pedi – Eu não sei como vai ser ficar lá com este pessoal. Eu não conheço ninguém a não ser você e o Edward.
– Pode deixar Bella. E não de bola pras merdas que alguns deles falarem ok.
Assenti e seguimos. Estava cheio como sempre. E de longe eu o vi. Ele estava sentando em uma mesa tomando cerveja. A mesa em que ele estava parecia resplandecer sobre as outras. Havia varias pessoas sentadas com ele. Homens que tomavam cerveja e riam de algo, e também havia algumas mulheres que claramente tentavam chamar a atenção deles, principalmente a dele. De Edward. Havia uma loira muito bonita sentada ao lado dele como corpo inclinado dando a ele uma visão do seu decote generoso.
Suspirei, a noite prometia.
Eu e urubu chegamos à frente da mesa deles e urubu colocou seu braço sobre meu ombro. Numa espécie de proteção já que todos os olhares vieram para mim. Inclusive Edward. O sorriso que ele exibia antes já não estava mais lá, mas sim um olhar sério.
– E ai pessoal. – urubu os cumprimentou. – Eu trouxe uma amiga pra nossa festa. Esta é a Bella.
– Oi. – falei meio sem jeito e sentindo o olhar de Edward preso em mim.
Todos me cumprimentaram rapidamente.
– É muito linda sua amiga urubu. – um cara moreno disse.
– Sim, ela é David. – Frank respondeu.
– Quer se sentar aqui princesa. – o tal David ofereceu a cadeira em que estava sentado.
– Ela vai sentar do meu lado. – Edward falou frio.
O tal David, eu, e todos o encaramos.
– Não sei como chefe. – urubu disse – Se o lugar já está ocupado.
Porra! Eu sabia que seria estranho esta minha chegada nesta festa, mas não sabia que seria tanto.
Edward travou o maxilar e disse.
– Lauren já estava de saída. – ele falou e a loira arregalou os olhos. Era obvio que ela não pensava em sair do lado dele. Mas com o comando dele ela se levantou e saiu deixando o lugar vago. Ela sentou a algumas cadeiras de distancia com a cara fechada.
Urubu então me levou até o lugar me ajudando a sentar. Não encarei Edward, mas senti seu calor e seu perfume bem próximo de mim.
– Quanto terminou o jogo que estávamos vendo antes de eu sair San? – urubu falou e logo todos voltaram a conversar na mesa.
– Cara eles perderam por 53 a 51. Acredita nisso? – o tal San disse.
Já fazia uns quinze minutos que eu estava ali. Todos conversavam animados como um grupo de amigos comum. Às vezes olhavam pra mim, mas depois continuavam conversando. Alguns saiam para dançar e depois voltavam para a mesa. E nesse tempo todo Edward não falou comigo. Minha vontade de ir embora estava no auge. Qual era a dele? Foi ele que me convidou. Ele que mandou que eu sentasse a seu lado e agora me ignorava. Se não fosse por urubu uma hora ou outra falando comigo eu estaria ali me sentindo muito mal. Aliás, eu já estava por que por mais que eu gostasse do urubu não era por ele que eu estava aqui.
– Edward? – escutei a voz irritante da loira que agora eu sabia se chamar Lauren. – Vamos dançar?
Eu segurei a respiração esperando sua resposta. Se ele fosse, quando ele voltasse não me encontraria mais eu iria embora nem que fosse a pé.
– Não estou a fim Lauren. – disse seco.
A loira saiu com o rabo entre as pernas. Eu não queria rir, mas estava difícil segurar.
– Alguma coisa engraçada? – Edward perguntou a mim.
– Own está me vendo? Eu juro que achei que eu fosse invisível. – falei não resistindo em ser sarcástica.
Percebi que ele tentou conter um sorriso. Do outro lado da mesa urubu riu e saiu indo dançar com uma garota.
Senti uma mão em minha coxa e quase saltei da cadeira. A mão de Edward era tão quente que atravessava o jeans que eu usava e parecia que ele estava me tocando diretamente na pele.
– Desculpe por ser grosso, boneca. – ele disse com seu rosto próximo do meu pescoço. Ele se inclinou mais e me deu beijo na bochecha. E logo voltou ao seu lugar e bebeu de sua cerveja.
Droga eu já estava desconcertada. Ele tinha este poder sobre mim.
– Se você mudou de ideia e não queria que eu viesse era só ter me avisado. – falei evitando olhar para ele.
– Não é nada disso. – ele disse e pela primeira vez na noite eu vi aquele Edward que me levou para passear e que foi tão carinhoso. – Eu... tive alguns problemas. Não é nada com você, eu já te falei Isabella eu sou difícil de entender.
– Já deu pra perceber. – falei.
E o ouvi rir.
Eu sorri também. Ele começou a deslizar sua mão na minha coxa indo do joelho até minha virilha. Chegando muito próximo de meu sexo. Quando ele se aproximava ele retornava em direção ao joelho. Aquele carinho estava me deixando maluca.
– Por que veio de calça. – ele disse falando baixo – Se tivesse vindo de vestido isso seria tão fácil. – falou mais uma vez com a mão próxima a minha virilha.
– Você não pode estar falando serio. Não faria isso, faria? – perguntei.
– Você não sabe do que eu sou capaz boneca. – disse sorrindo malicioso.
Continuamos naquela provocação, e então na cintura de Edward eu vi. Era uma arma. Eu tentei desviar minha atenção daquilo, mas não consegui. Eu nunca tinha visto ele armado, mas era natural não é? Já que ele era de uma gangue.
A verdade sobre quem ele era e o que fazia, caindo sobre mim foi tensa. Eu sabia o que ele era e o que devia fazer, mas entre imaginar e ter certeza vai uma grande diferença. Fiquei desconcertada com isto.
Fiquei meio área por uns minutos e quando Frank chegou, eu não pensei muito.
– Frank será que podia dançar comigo? – ele ficou espantado e pelo que pude ver Edward também.
Levantei não dando muita escolha para ele recusar. Vi que ele direcionou um olhar para Edward antes de irmos para a pista de dança.
Mal começamos a dançar e urubu me interpelou.
– O que houve? Achei que estivesse tudo bem.
– E está. Eu só queria dançar um pouco. E como Edward recusou dançar com a tal Lauren eu imaginei que ele não quisesse dançar. – menti.
Eu queria me afastar um pouco da presença de Edward. Da presença de Edward armado.
Terminamos de dançar e avisei que iria ao banheiro. Quando estava prestes a sair, mais calma após lavar os pulsos, eis que entram duas garotas. Uma era a Lauren e a outra uma morena que também estava à mesa de Edward. Elas me olharam, me avaliaram para ser mais exata.
– Então você é a nova garota do Cullen. – ela não perguntou ela afirmou.
– Desculpe...
– Ah olha só Nath ela é toda educada. – a loira disse de forma irônica. –Você entendeu o que eu disse. Você é a garota que o Cullen está comendo. A vadia da vez. – ela explicou. – Mas olha só lindinha. Ele fica de vez em quando com uma carne nova assim como você, mas ele sempre acaba voltando para nós.
– Nós somos as permanentes dele. Nós somos as garotas do Cullen como nos definimos. – foi a vez de a morena dizer. – Mas sabe você é bem bonita, e se tiver vontade de brincar a três pode me chamar.
Eu estava sem fala. Meus olhos estavam arregalados.
A tal a Lauren gargalhou.
– Você a assustou Nath. Dá pra ver na cara dela que ela não é dessas. Ela deve fazer no máximo um papai e mamãe. O Edward logo vai enjoar dela.
As duas riram.
– Acho que o Edward adoraria saber que vocês estão falando estas coisas pra moça. – outra voz surgiu no banheiro. Ao olhar eu vi Elisa, a garota por quem Frank era apaixonado. – Caiam fora.
– Elisa... Elisa por que você não vai cuidar do urubu hein? – a loira disse com desdém.
– Cai fora Lauren. E você também Nath.
As duas saíram e Elisa veio para perto de mim.
– Você está bem? – ela perguntou.
Eu assenti.
– Eu sou...
– Elisa. – falei e ela sorriu. – Eu sou Bella.
– Não dê bola para o que aquelas vadias disseram Bella. Elas não valem nada. – Elisa disse.
Abaixei meus olhos. Uma sensação tão ruim se apoderando de mim.
– Eu... eu preciso ir embora. – falei mais pra mim mesma. Eu já não queria mais estar ali. Eu queria ir para minha casa.
– Quer que eu chame o Edward? – Elisa perguntou.
– Não! – falei rápido. – Me responde uma coisa Elisa. Aquelas duas garotas. Elas são as garotas do Cullen?
Elisa ficou quieta. Eu já sabia a resposta.
– É assim que as pessoas do bairro as chamam, mas eu não sei se é verdade. – Elisa disse.
– Tudo bem, eu já entendi. – e também entendi que eu não seria garota do Cullen porra nenhuma. Nossa relação podia ser somente sexo, mas eu queria pelo menos o mínimo de respeito, e não admitiria nenhum tipo de apelido sobre mim.
– Eu... eu preciso falar com o Frank. – falei e vi Elisa mudar a expressão. – Ele é meu amigo. – esclareci, não queria que ela pensasse mal de mim.
Ela sorriu um pouco.
– Tudo bem. Eu o chamo pra você. - Ela se ofereceu. Talvez fosse um motivo pra ela poder falar com ele ou ela só estava mesmo sendo muito legal.
– Obrigado Elisa.
Fiquei esperando próxima a entrada do banheiro feminino quando urubu e Elisa se aproximaram.
– Bella o que houve?
– Por favor, Frank me leve embora. – pedi num tom rouco. Um nó se formando em minha garganta. Eu não iria chorar.
– Eu preciso avisar...
– Não. Por favor, Frank só me leve embora. – pedi. Acho que meu rosto entregava o que eu estava sentindo e urubu se compadeceu.
– É claro. Vamos.
Saímos da festa e em nenhum momento vi Edward. Eu estava já dentro do carro quando Edward apareceu. Urubu estava já a porta do carro, para entrar.
– O que está rolando aqui? Aonde você vai Isabella? – disse com a voz furiosa.
Continua...


Spoiler.
- Me solta. falei.
- Não. Pare de fugir e diga o que houve?
- A tal Lauren disse que elas são as garotas do Cullen, ou seja, suas garotas e que agora eu era a vadia da vez, e eu não vou aceitar isso...
Não terminei de falar, pois Edward me virou bruscamente para ele. Seus olhos verdes intensos me fitando. Eu queria entender o que podia estar em seus olhos, mas ele sempre conseguia me deixar muito confusa.
- Você não é como elas. disse sincero pelo menos julguei ser sincero. Nunca se compare a elas.
- Eu não me comparo. - respondi Quero saber se você faz isto.
- Não. Isabella eu não faço. ele disse e respirou. Você não entende.
Talvez se você se abrisse eu entenderia, pensei.
- Eu nuca tive nada como o que tenho com você... essa atração... disse me olhando. Eu fico louco se alguém te tocar eu... eu sou louco por você boneca.

No comments :

Post a Comment