CORAÇÃO INDOMAVEL - CAPITULO 12

Vamos tentar domar este coração indomável?
Preparem o coraçãozinho nossa menina adorável vai enxergar seus sentimentos... 
E o bad boy começa a fazer pequenas merdas...
Obrigado a todos os comentários

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência


Capítulo 12
Peguei meu celular assim que ouvi a musica característica de quando eu recebia uma mensagem.
Era ele.
“Oi boneca. Estou pensando em você agora. Principalmente naquela coisa linda que tem no meio das coxas e estou muito duro. Será que pode resolver meu problema?” :)
Mordi os lábios e suprimi um sorriso. Mas Alice esperta não deixou passar despercebido quando não mais prestei atenção no que ela falava.
Estávamos em uma loja fazendo compras, na verdade ela estava fazendo e eu somente acompanhando.
– Mensagem do bad boy gostosão? – ela perguntou rindo.
– Sim. – respondi.
– Então o negocio esta mesmo andando. – ela comentou.
– Como assim? Está tudo igual ao que sempre esteve. – falei olhando uma camiseta masculina que ficaria linda no meu bad boy. Combinaria com a cor dos seus olhos.
– Ah Bella... faz quinze dias que vocês dois trocam mensagens constantemente. Encontram-se quase todos os dias. Saem para comer pizza entre outras coisas. Isto está sim ficando mais serio. – ela falou me olhando seria.
– Não... eu realmente não sei Alice.- suspirei.
– Bella... você está mais envolvida do que pensa. Eu sou sua amiga e vejo como fica quando somente mencionamos o nome dele. Fora quando ele te liga ou manda mensagem. Você até vai à casa da mãe dele hoje.
– Não misture as coisas Alice. Eu vou lá não por convite dele e sim por que Rose está com medo de encarar a sogra. – ela riu, mas não escondeu sua preocupação.
– Bella eu só estou preocupada. – falou.
– Eu sei Alice. Você é minha melhor amiga. Obrigado por tudo e por não me julgar. – a olhei agradecida.
– Quem sou eu pra julgar alguém.
– O que acha de ir comigo na casa do Emmett? Garanto que Rose não vai se importar.
– É uma boa ideia. Aí já aproveito e revejo o urubu. – ela disse sorridente.
– Hum... não entendi. Achei que depois que vocês saíram você tinha dito que só seriam amigos? – perguntei interessada.
– Foi um ótimo encontro. Ele é um encanto, mas tanto ele quanto eu somos apaixonados por outras pessoas, e resolvemos ser amigos. Mas isso não significa que não podemos flertar um pouquinho. – eu ri. Essa era Alice.
– Sabe que a Elisa morre de ciúme de você não sabe? – falei.
Eu tinha tido um contato a mais com a grande paixão de Frank. Elisa era uma moça muito legal, mas totalmente dominada pelos pais que não permitiam o envolvimento dela com urubu principalmente por ele fazer parte de uma gangue.
– Melhor ainda. Quem sabe assim ela não toma uma atitude em relação a isso.
– É pode ser. – comentei digitando em meu celular.
“ Não me tente. Eu vou à casa da sua mãe daqui a pouco, acompanhar Rose. Hoje Emmett vai apresentá-la como namorada. Quem sabe depois disso eu não resolvo seu problema.”
Apertei em enviar e sorri.
Parecia uma reunião familiar. Esme Cullen serviu uma grande mesa com vários doces, bolos e salgados. Em seu jeito simples ela tentava agradar a futura nora. Ela era um doce.
Em volta desta grande mesa estavam Emmett, Rose, Urubu, Alice, Esme e eu. Seth e Thomas haviam saído com Edward que logo chegaria os trazendo.
Eu olhei para Esme e a vi olhando carinhosa para onde Emmett e Rose estavam. Eles estavam alheios ao olhar amoroso dela. Era nítido que se amavam e que a mãe de Emmett estava feliz pelo filho. Senti certa inveja. Eu queria muito estar no lugar de Rose só que com o outro filho de Esme. Espantei este pensamento rápido.
O que era isso?
O que eu estava pensamento?
Isso era loucura.
Eu não podia me apaixonar.
– Está tudo uma delicia Esme. – Rose disse elogiando.
– Obrigada querida. Eu queria agradar, mas não sabia se iriam gostar. – ela disse com seu jeito delicado.
– Tia Esme só sendo maluco pra não gostar das coisas que a senhora faz. – urubu disse se servindo de mais bolo.
Esme riu deliciada pelos elogios.
– Está tudo maravilhoso mãe. – Emmett disse sorrindo de forma amorosa para a mãe.
– Eu só consegui caprichar por que o Edward levou os meninos pra passear por que senão eles não me deixariam fazer nada. – ela disse rindo.
Mal ela terminou de falar e o homem que mexe com meu coração entrou carregando os dois irmãos sobre os ombros. Era uma cena linda de se ver. Os meninos tinham os olhos brilhantes em alegria.
– E ai pessoal. – Edward cumprimentou a todos e direcionou um sorriso a mim.
Ele desceu os irmãos que partiram para a mesa para pegarem bolos e outras coisas.
– Parado os dois! – Edward disse e os dois meninos pararam como estatuas. – Eu não estou vendo os dois, indo para a mesa sem lavar as mãos não é? – ele perguntou escondendo seu sorriso.
– Nós já estamos indo Du. – Seth disse e os dois saíram correndo indo fazer o que o irmão disse.
Quando eles saíram todos rimos.
– Isso que eu chamo de comando. – urubu disse rindo.
– Acho que deve seguir o exemplo dos meninos Edward. – Esme disse de forma carinhosa.
– Já estou indo mãe. – ele saiu e logo ele e os meninos voltaram.
Edward sentou no lugar vago ao meu lado. Eu tive que a muito custo esconder um sorriso que queria se pronunciar em meu rosto.
Todos estavam com a atenção voltada aos meninos e não perceberam minha conversa quase silenciosa com Edward.
– Oi boneca. – ele disse.
– Oi. - Falei baixinho. – Ainda continua com aquele problema de mais cedo? – perguntei provocando.
Tomei meu suco para disfarçar meu sorriso com a cara que Edward fez.
– Eu estava bem. Até entrar aqui e ver você. Então sim estou com aquele problema ainda. – ele disse de forma maliciosa e eu senti que meu rosto deve ter ficado vermelho. – Espero que sua oferta ainda esteja de pé. – ele disse.
Percebi Alice nos olhando. Disfarcei, não queria minha amiga ainda mais preocupada com minha situação com Edward.
****
Eu estava andando pelo corredor da faculdade quando sinto uma mão me puxar pelo braço. Quando penso em gritar minha boca é tapada pela mão do meu raptor.
Meu coração acelera, pois ele me leva para uma sala escura que sei se tratar de um deposito onde os funcionários guardam seus materiais. Mas aí eu sinto o cheiro do homem que me sequestrou. Seu cheiro é inconfundível e meu coração acelera de forma maravilhosa. É ele. O meu bad boy.
Ele me abraça e tira sua mão de minha boca. Apesar de estar bem escuro ali dentro eu sei que está sorrindo.
– Edward... – sussurro o abraçando.
E ali no escuro eu percebo que estou completamente apaixonada por ele. Meu coração parece levar uma descarga elétrica de 1000 w. Sinto uma emoção tão grande, pois sei que nunca senti nada igual e sei que não sou correspondida.
Meus olhos lacrimejam e agradeço a pouca luz, assim ele não verá meu estado. Ali decido que ele não saberá sobre isso... nunca. Não aguentaria ser rejeitada por ele.
Eu vou tentar levar esta relação baseada em sexo como ele quer até quando ele quiser. E depois quando acabar vou tentar recuperar meu coração que era totalmente dele.
– Oi boneca... O que foi? Por que está assim? – ele viu meus olhos molhados pelas lágrimas. – Me desculpe se te assustei?
Eu balanço a cabeça positivamente. Não tinha certeza se encontraria minha voz.
– Me desculpe... eu só queria te fazer uma surpresa. – ele diz arrependido.
– Não... tudo bem. Eu gostei. - o abraço novamente. – Posso saber qual o motivo da visita? – tento brincar.
– Sim eu quero raptá-la por esta tarde. – ele diz brincalhão.
– Você está ficando muito exigente senhor Cullen. Está querendo minhas tardes, minhas noites...
– Eu a quero sempre boneca. – prendi a respiração. Minha mente apaixonada já entendendo as palavras dele de outra forma. Por favor, Bella não caia nessa se não vai se machucar ainda mais. Digo a mim mesma
– Onde quer me levar? – perguntei.
– Surpresa. – ele diz misterioso.
– Você e suas surpresas. – comentei. – Eu tenho aula agora.
– É importante? – ele parecia um menininho. Tão lindo.
– Na verdade não, mas isto não quer dizer que eu possa faltar quando me der na telha.
– Sua CDF.
– Como me chamou? – fingi estar brava.
– Foi o Emmett que falou que você era uma CDF. – ele disse rindo.
– Ok. Vamos lá antes que eu me arrependa. – falei.
Eu ia saindo quando ele agarrou meu braço me puxando para ele.
– Acho que podemos aproveitar um pouquinho antes. – disse com seu tom de voz safado.
Logo ele estava me beijando de forma lenta e deliciosa.
****
– Acho que não é uma boa ideia Edward. – falei.
– Por que não? Eu não quero que tenha medo e que saiba se proteger. – ele disse – Lembra que eu disse que ia ensiná-la a se defender? Então.
Estávamos em um lugar deserto onde havia uma mira pronta. Era um lugar onde se praticava tiros e Edward queria me ensinar a atirar. Essa não era uma das minhas vontades, mas ele insistia.
– Você será advogada e se um dia um louco de um cliente quiser te fazer mal? Você precisa pelo menos se defender.
Eu entendia seu ponto de vista, mas eu esperava nunca ter que usar uma arma contra outra pessoa.
– Ok. Você me convenceu. – falei.
Edward se aproximou ficando atrás de mim. Ele posicionou a arma em minhas mãos e passou a me instruir.
Praticamos por algumas horas e até que foi interessante, mas minhas convicções continuavam as mesmas.
Nós despedimos e combinei de voltar à noite para ficar com ele em seu quarto. Nosso plano era assistirmos a filmes e comermos pizza e obvio nos perdermos um no outro. Mas meus planos foram alterados quando cheguei em casa em encontrei meu pai nervoso.
– O que houve? – perguntei assim que cheguei.
– Sua irmã foi presa com posse de cocaína. – meu pai disse visivelmente chateado.
Meus olhos se arregalaram. Não acreditava que Kate havia feito isto com eles.
– Cadê a mamãe? – perguntei me sentando ao lado do meu pai que estava com um copo de uísque na mão.
– Está ao telefone com a advogada. Vamos a delegacia tentar solta-la daqui a pouco.
– Eu sinto muito papai. – falei pegando sua mão livre.
– Eu sei querida. Eu também sinto. – Charlie Swan respirou fundo. – Não sei onde errei com a sua irmã.
– Pai não pense assim. – falei tentando confortá-lo.
– Vocês são meu maior tesouro. Eu faço tudo por vocês. Para que sejam pessoas de bem e que sejam felizes. O que falta a Kate para que ela faça essas coisas? – perguntou desolado
– Pai... você e a mamãe não podem se culpar por escolhas que eu e Kate fizermos. – eu estava não só justificando Kate como a mim também. Como seria contar para ele que sua filha certinha estava apaixonada por um criminoso?
Kate podia estar fazendo coisas erradas, mas a hipócrita da historia era eu.
Avisei Edward dos problemas que eu estava enfrentando em casa e disse a ele que não poderia ir me encontrar com ele.
– Meus pais estão arrasados por que ela foi presa. – falei a ele.
O ouvi suspirar.
– Sua irmã foi presa, mas logo será solta. Isso não é o fim do mundo. – ele disse frio.
Estranhei seu jeito.
– Pode não ser para nós, mas para eles que são pais amorosos e dedicados é sim. – expliquei.
– Imagino o que eles diriam se soubesse que você está trepando um cara que está envolvido em uma gangue. – ele disse debochando e fui atingida por suas palavras.
– Não estou entendendo por que está dizendo isso. – falei em tom magoado.
– O que você quer que eu diga Isabella? – ele perguntou bravo. – Ah que eu sinto muito e essas baboseiras. Bom eu não sinto. E isso nem é nada se for pensar no que eu já fiz. O que eu estou querendo dizer Isabella é que eu não sou o homem certo pra você estar envolvida. Sua família vai te internar se souber sobre mim.
Não falei nada. Por que ele estava agindo desta forma? Eu só queria alguém que me escutasse e imaginei que ele poderia ser este alguém, pelo jeito me enganei.
– Desculpe te incomodar com meus problemas Edward. Nosso relacionamento baseado em sexo não permite este tipo de intimidade não é? Pode deixar que quando eu estiver disponível para trepar eu ligo te avisando. Boa noite. - desliguei sem deixar que ele dissesse algo.
Burra! Estúpida! Só porque está apaixonada acha que ele possa ter algum tipo de sentimento por você?!
Meus pais voltaram já tarde da noite com Kate. Ninguém disse nada e pela primeira vez percebei Kate envergonhada.
Quando fui dormir vi que meu celular tinha uma mensagem de Edward. Pensei dez vezes antes de abrir. Será que eu queria ler o que ele escreveu? Será que eu não iria me estressar?
Abri a mensagem.
“Desculpe boneca. Eu sinto muito sim por você e pela sua família. Não leve em consideração as merdas que eu faço. Boa noite linda. Eu sinto sua falta. Beijos.”
Por mais que eu não quisesse um sorriso apareceu em meu rosto, fui ate meu closet e peguei a camiseta dele, a qual eu cheguei em casa quando ele rasgou minha blusa naquele deposito. Coloquei meu nariz na peça ainda tinha um pouco do seu cheiro. Depois disso eu consegui me sentir mais calma e dormir sonhando com o meu bad boy. O meu Edward.
Continua...


Spoiler.

Quando após um pouco saciados eu pensei em por em praticar o que Alice havia me ensinado sobre sexo oral, o telefone de Edward tocou.
- Cullen. ele apenas disse. Entendi em 15 minutos estou ai.
Edward levantou-se apressado se vestindo rápido.
- Edward... o que houve?- perguntei.
- Problemas... Isabella não saia daqui ok. ele disse tenso.
- Por quê? Eu posso ir pra casa...
- Não tenho ninguém para leva-la ate a saída. Por favor fique aqui. ele disse duro.
- Está bem. falei amuada.
- Eu volto o mais rápido que conseguir para leva-la em casa. ele disse saindo em disparada.
Droga! O que será que estava acontecendo? Parecia ser algo serio.

No comments :

Post a Comment