CORAÇÃO INDOMVEL - CAPITULO 26

Meninas do meu coração.Vamos tentar domar este coração indomável?Amantes do Bad Boy.Ah meninas quero agradecer o quanto vocês me fazem feliz por gostar tanto da fic. Por todos os comentários, por todas as recomendações. Vocês são divas. Obrigado. Amo vocês.Musica do capítulo. Importante.Bruno Mars - When I Was Your Man http://www.youtube.com/watch?v=evCQMwS4O1I

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência




Capítulo 26
Bryan exibia um belo sorriso enquanto eu e Edward estávamos sérios.
– Edward Cullen. Como vai? Lembra-se de mim? – Bryan esticou a mão para cumprimentar Edward.
– Claro. Como vai? – Edward apertou a mão de Bryan sem muito entusiasmo.
– Vou bem. Ah me desculpe. Eu não queria atrapalhar a reunião de vocês. -Bryan de desculpou.
– Não atrapalhou. Eu já estava de saída. – Edward disse.
Ficou um silencio estranho.
– Até mais doutora Swan. – Edward olhou para mim de modo frio. – Bryan. – cumprimentou.
A Ângela ele dirigiu um sorriso de matar.
– Até Ângela. – falou.
– Até senhor Cullen. – Ângela disse sorridente.
Respirei fundo entrando em minha sala com Bryan atrás de mim.
– Reunião difícil? – perguntou.
– Não... o mesmo de sempre. – disse tentando sorrir.
– Esse cara é estranho.
– Como assim? – perguntei.
– Quando o conheci ele foi mais simpático, e agora parecia que queria arrancar minha mão fora. – disse rindo.
Eu ri, só que de nervoso. Talvez seja por que antes ele não sabia que você era meu noivo, pensei.
Então se fosse isso era por que... Edward estava com ciúmes.
– Reservei uma mesa naquele restaurante que você ama para hoje à noite. – Bryan disse. – Quero um jantar agradável com você antes da minha viagem.
Eu assenti fingindo entusiasmo.
Bryan iniciou uma conversa sobre assuntos ligados ao escritório. Eu teria que verificar durante sua viagem, e eu acabei me distraindo das coisas que haviam acontecido.
Eu não acreditava no que estava fazendo. Só podia ser loucura da minha cabeça. Por que eu estava indo lá?
Confesso que era um pouco de curiosidade. Porém o papel que eu carregava como desculpa, até um simples mensageiro poderia ter levado para ele assinar. Mas assim mesmo eu me dirigia à empresa Cullen, localizado num luxuoso prédio em umas das avenidas mais importantes de Seattle.
Fui encaminhada ao 28º andar, onde funcionava a empresa. Procurei e logo localizei a sala onde se lia:
Edward Cullen - Diretor Executivo.
Sorri com orgulho. Uma secretaria simpática me recebeu dizendo que Edward não estava em sua sala, mas sim havia ido à sala de seu tio.
Muito atenciosa, principalmente depois de saber que eu era a advogada de Edward, a moça resolveu me acompanhar a procura dele. De longe o avistei. Este homem não sabia ser simples quando o quesito era a sua beleza. Ele estava de arrasar novamente.
Conversava com uma loira deslumbrante. Os dois sorriam e pareciam entretidos na conversa. Tanto eu quanto a secretaria ouvimos o teor na conversa deles, quando nos aproximamos sem sermos vistos por ambos.
– Um jantar? Sem segundas intenções. – a loira dizia. Mas era claro seu interesse nele.
Um sentimento que até então julguei enterrado, surgiu. O ciúme.
– Tânia eu não acho isso uma boa ideia. – ele disse.
A loira se desmanchou.
– Que isso Edward. Por que não? Não tem nada demais...
– Senhor Cullen? – a secretaria o chamou o fazendo se virar e me ver.
– Isabe... Doutora Swan? – falou surpreso, mas pareceu feliz em me ver.
– Olá. – falei e encarei a loira desenxabida.
– Que surpresa. – Edward disse. – Uma boa surpresa é claro. – falou sorrindo.
– Eu vim por que nos esquecemos de alguns papeis que você precisa assinar. –expliquei me sentindo ridícula por estar ali. E por sentir ciúmes.
– Ah claro.
– Olá. – a loira disse sorridente - Eu sou Tânia Denalli. Sou assessora do Edward. – disse toda simpática.
Quem perguntou?
– Olá. - respondi fria. – Será que podemos ver isto logo? Eu estou com pressa. – falei me dirigindo a Edward.
Edward pareceu chocado com meu humor desagradável. Até eu mesma me surpreendi com minha atitude.
– Claro. Vamos até a minha sala.
Ele me acompanhou pelo pequeno corredor. E logo abria a porta de sua sala. Era uma sala bem decorada com cores leves, de bom gosto.
Mas não prestei muita atenção, tirando o papel de dentro da minha pasta e pedindo que ele assinasse. Ele o fez e me olhou.
– Quer conhecer a empresa? – perguntou animado.
– Não obrigado. – respondi dura.
– Está tudo bem? Você parece irritada. – disse calmo.
Sua calma, a lembrança da loira se atirando nele, tudo contribuía para aumentar minha irritação.
– Engano seu. Eu estou ótima. Talvez um pouco incomodada que meu noivo vá viajar amanhã e que vou sentir muito a falta dele. Mas ele recompensará sua ausência me levando para jantar hoje. – falei tentando irrita-lo. A troco de que?
Edward fechou a cara.
– Você precisa a todo instante jogar na minha cara que tem um noivo e que está assim tão feliz com ele? – perguntou bravo.
– Eu não estou jogando na sua cara estou apenas comentando. – falei de repente constrangida.
Era isso mesmo que eu estava fazendo.
– Está sim. - falou – O que você quer? Torturar-me? – perguntou muito próximo de mim.
Minha respiração acelerando ao máximo.
– Por que se sentiria torturado? – perguntei quase inaudível.
– Por perceber que perdi você. – disse olhando minha boca.
Eu sabia. Ele estava próximo demais de mim. Ele ia me beijar.
Mas antes que isso se concretizasse a porta se abriu e a maldita loira entrou.
–Ah desculpe. Eu não sabia que estavam ocupados.
Falsa.
Eu me afastei de Edward num salto.
– Tenho que ir. Boa tarde. – saí de lá como um furacão.
Só voltei a respirar quando já estava segura em meu carro. Era isso mesmo? Eu ia deixar ele me beijar?
Eu não podia acreditar em quão estúpida eu podia ser.
**
Meu telefone de casa tocou.
– Alô. – atendi sem animo.
– Nossa isso que eu chamo de animação. – a voz brincalhona de Alice soou me fazendo sorrir.
– Alice! Que saudade. – falei.
Meu animo um pouco melhor.
– Aff até parece. Vou fingir que acredito em você Bella. – disse fazendo um draminha.
– Pois saiba que estou sim morrendo de saudade. Quando volta ao país? Ou será que agora virou uma francesa autentica? – perguntei brincando.
– Hum... ainda não. – riu – Estou só vendo algumas coisas... Jasper vai vir aqui na semana que vem para conversarmos. – disse.
O namoro ioiô deles continuava e não tinha prazo pra acabar.
– Você continua fugindo Ali? Sabe que o que Jasper quer é compromisso. – comentei.
– Por que tem que ser assim? Nosso relacionamento é tão bom sem estas convenções. – suspirou minha amiga.
– Você não vai poder fugir de compromisso pra sempre Alice. – falei.
– Por falar em fugir... Rose me ligou e me contou que você é a advogada do Edward. Eu quase caí da cadeira quando ela me falou. Bella que loucura! – falou.
– Nem me fale Alice. Nem me fale. – comentei com um suspiro.
– Como você está? O revendo... e Bryan... ele sabe? – perguntou.
– Não. Bryan não sabe de nada. Eu... eu estou muito confusa... é estranho vê-lo depois de todos estes anos. Ele... está diferente. – falei tentando ignorar as batidas furiosas do meu coração por apenas pensar nele.
– Mas vocês... – ela deixou no ar.
– Claro que não! – falei rápido.
– Ok. Bom pelo menos pra uma coisa isso serviu. Você deixar de ser idiota e procurar seus amigos. Rose, Emmett e... Elisa. Você soube o que houve com o urubu?
Meu coração se apertou ao lembrar-se daquele homem menino que eu amava como amigo.
– Edward me contou. Não posso acreditar nisso.
– Eu fiquei sabendo a pouco também.– falou triste.
– Rose falou como aconteceu? – perguntei.
– Não. Ela disse que não sabe. Somente Edward.
– Imaginei.
Conversamos por uma hora mais, e matamos a saudade uma da outra. Naquela noite sonhei com Edward e uma criança.
**
Olhei-me de corpo inteiro na frente do espelho. Eu estava usando um vestido frente única preto. Justo até a cintura e um pouco mais solto nos quadris. Seu comprimento era até um pouco acima dos joelhos. Um salto alto e um coque despojado. Eu estava bonita.
A campainha tocou e sorri para a pontualidade de Bryan. Iríamos a um restaurante que eu amava. Além de uma boa comida, tinham musica e os casais aproveitavam para dançar ao ritmo de um cantor local ao piano.
Eu e Bryam merecíamos um pouco de romantismo. Eu estava devendo isso a meu noivo. Principalmente por ficar pensando em outro homem constantemente. Ele não merecia. Além disso, na manhã seguinte ele viajaria e ficaria quase 1 mês fora.
Peguei meu casaco e abri a porta. Bryan estava bonito em um terno cinza claro, e sem gravata.
– Olá meu bem. – me beijou. – Uau! Está linda! Acho que vou cancelar a reserva e vamos ficar por aqui mesmo. – disse sorridente.
Eu ri.
– Deixe de ser bobo. – falei. - Vamos logo que estou com fome.
– Ah como esta mulher é romântica. – brincou.
Eu gargalhei.
Seguimos para seu carro e fomos conversando num clima agradável até o restaurante.
Chegando lá fomos levados à mesa que costumávamos ficar. Bryan me ajudou com o casaco. Uma musica deliciosa era tocada no piano e alguns casais dançavam.
Ele pediu meu vinho preferido. E meu prato favorito. Ele sabia como me agradar, sempre sabia sobre meus gostos e vontades.
Conversávamos e brincávamos quando ele disse:
– Olha só. Seu cliente acaba de chegar ao restaurante. – falou.
Ao me virar vejo Edward e Carlisle entrando no restaurante.
Ofeguei. Mas que... Droga! Será que eu iria encontra-lo em todo lugar agora.
– Que coincidência. – Bryan disse alheio ao meu tormento pessoal. - Bella?
– Hã?- falei desorientada.
– Querida ouviu o que eu disse?- perguntou.
– Sim, sim.
– Seu cliente está vindo para cá.
Perfeito. Sempre pode piorar.
Carlisle e Edward param ao lado de nossa mesa. Percebi o mais velho dos Cullen levemente constrangido. Já Edward estava serio. Muito serio. Nem consegui levantar meus olhos para vê-lo, olhei somente para Carlisle.
– Srta. Swan. Sr. Fronz. Quem bom revê-los. – Carlisle disse.
Cumprimentamos, e Edward permanecia em silencio. Eu senti seu olhar sobre mim.
– Como vai Edward? – perguntei para tentar quebrar o clima estranho que estava ali.
– Bem. – ele disse simplesmente.
– Não vamos atrapalhar o jantar de vocês. – Carlisle disse. – Vamos para nossa mesa.
Edward permaneceu na mesma posição.
– Vamos Edward. – Carlisle o chamou mais veemente.
Eles se afastaram sentando-se a duas mesas da nossa. E Edward de frente para mim.
Bryan parecia não ter se dado conta de nada. Ele estava empolgado com a viagem para o Japão na manhã seguinte, e só o que sabia era falar sobre isso. E eu? Eu tentava focar em meu noivo a minha frente, mas o olhar abrasador de Edward não me deixava pensar direito. Até a fome eu tinha perdido.
Edward me encarava de uma forma intensa, sedutora, mas ao mesmo tempo perigosa. O que fazia meu sangue ferver. O que fazia me lembrar da forma como ele me olhou e me tomou na primeira vez que fui ao seu quarto, no subúrbio há cinco anos.
– A comida não está boa Bella? – Bryan perguntou.
– O que? – desviei meus olhos de Edward para ver Bryan me olhando.
– A comida? Você estava com fome. Mas praticamente não tocou em seu prato. – comentou.
– É... eu... eu acho melhor irmos embo...
Não terminei de falar, pois o celular de Bryan tocou.
– Desculpe querida, mas eu preciso atender. É o cliente japonês. Eu vou atender e já volto. – ele saiu. E eu suspirei.
Um garçom se aproximou perguntando se eu precisava de mais alguma coisa. Eu neguei, e ele deixou um bilhete a minha frente.
Não precisava ser muito esperta para saber de quem era.
Olhei para Edward que continuava a me encarar.
“A próxima musica é para você.”
Levantei meus olhos para olhar para ele.
Por que ele estava fazendo isto de novo?
Então os primeiros acordes da musica começaram.
Senti minha garganta fechar. Eu conhecia a musica. Era uma das minhas favoritas.
Senti duas mãos em meus ombros. E uma respiração em meu pescoço.
– Vamos dançar a sua musica favorita meu amor? – Bryan sussurrou em meu ouvido.
Eu não consegui dizer nada ou recusar e me vi levada por ele a pista de dança, no exato momento em que a musica começava.
Eu e Bryan dançávamos a musica que Edward havia oferecido a mim. Por cima do ombro de Bryan eu olhava para Edward.
Bruno Mars
Quando Eu Era Seu Homem
*
A mesma cama, mas parece
Um pouco maior agora
Nossa música no rádio
Mas não soa da mesma forma
Quando nossos amigos falam sobre você
Tudo que isso faz é me deixar pra baixo
Porque meu coração se quebra um pouco
Quando ouço seu nome
Tudo isso soa como (oooooh)
Mmm muito jovem, muito burro para perceber
*
Que eu deveria ter te comprado flores
E segurado sua mão
Deveria ter dado a você todas as minhas horas
Quando tive a chance
Te levar a todas as festas
Porque tudo que você queria fazer era dançar
Agora minha querida está dançando
Mas ela está dançando com um outro homem
*
Nos braços de Bryan, mas com os olhos presos ao de Edward. Era assim que eu dançava esta musica que falava ao fundo do meu coração.
O que ele queria dizer com isso?
Por que fazia isso?
*
Meu orgulho, meu ego, minhas necessidades e meus jeitos egoístas
Porque uma mulher forte e boa como você sair da minha vida
Agora nunca, nunca conseguirei limpar toda a bagunça que fiz
Ooh e isso me assombra toda vez que fecho meus olhos
Tudo isso soa como (oooooh)
Mmm muito jovem, muito burro para perceber
*
Que eu deveria ter te comprado flores
E segurado sua mão
Deveria ter dado a você todas as minhas horas
Quando tive a chance
Te levar a todas as festas
Porque tudo que você queria fazer era dançar
Agora minha querida está dançando
Mas ela está dançando com um outro homem
*
Embora machuque
serei o primeiro a dizer
Que eu estava errado
Ooohsei que eu provavelmente estou muito atrasado
Em tentar me desculpar por meus erros
Mas só quero que você saiba
*
– Amo dançar esta musica com você. – Bryan disse apertando seu braço em minha cintura.
E eu mordi meus lábios para evitar um choro que queria me consumir. Não estava aguentando mais ver o olhar de Edward. Um olha de fúria, magoa não sei. Então fechei meus olhos.
*
espero que ele te compre flores
espero que ele segure sua mão
Te dê todas as horas dele
Quando ele tiver a chance
Leve você a todas as festas
Porque me lembro o quanto
Você amava dançar
Faça todas as coisas que eu deveria ter feito
Quando eu era seu homem
Faça todas as coisas que eu deveria ter feito
Quando eu era seu homem
*
A musica terminou. E quando abri meus olhos Edward não estava mais.
Continua...


E ai o que acharam? Espero ter passado toda a emoção que imaginei pra esta cena. Imagina você dançando esta musica com seu noivo, mas com os olhos no cara que você é apaixonada? Aff de arrepiar né? Será que essa dança da Bella com o noivo foi vingança por aquela cachorrada que nosso Bad Boy fez no aniver dela? Ou simplesmente ela ficou tão sem ação como demonstrou? Mas que ela machucou o coraçãozinho do Bad Boy ah ela fez.Espero que tenham gostado.


SPOILER- 

Qual é a sua afinal hein? perguntei com raiva Escute Edward eu não sou mais aquela bobinha apaixonada que suspirava por você ok. Eu sou uma mulher agora. E só aceitei ser sua advogada por que você me chantageou, por que por mim eu nunca mais queria ver a sua cara.Falei tudo com raiva, porém quando acabei, e vi o rosto dele desmoronar, me arrependi.- Talvez você tenha sorte doutora. respondeu frio.- Pare com este jogo Edward. falei cansada de tudo isso.- Como quiser. Se já disse tudo o que queria, pode ir. disse.Eu senti um nó na garganta. Esse homem iria me deixar maluca. Uma hora era irônico e debochado, em outra, parecia magoado por minhas palavras. O mais perto que um homem apaixonado poderia chegar.- Edward... eu quero entender você, mas não consigo... murmurei.Os olhos dele ganharam vida e ele veio em minha direção de modo selvagem, eu pensei em me afastar, mas fui pega por suas mãos. Ele apertava meus braços.- O que você não entende? Não entende que há uma atração que nos puxa um na direção do outro? Que isto nunca vai passar. Que é um vicio pra mim. Que somos destinados a sempre nos encontrar e quando isso acontece nada pode nos deter até estarmos juntos da forma que for. ele disse todas aquelas palavras com paixão.Ele soltou meus braços e se afastou.Eu não conseguia processar nada. Meu coração saltava de uma forma dolorosa e me dizia para jogar tudo para o alto, pelo menos por este momento, e me jogar nos braços deste homem e que se danassem as consequências.- Edward... por que me dedicou aquela musica hoje? -perguntei receosa.Ele a me olhou de forma intensa e pude ver ali... paixão. Ou até algo mais que isso.- Por que eu queria que você soubesse com eu me sentia... em relação a você. Eu não sei me comunicar direito... eu sei que não tenho este direito, mas eu quero você Isabella. Muito.*PinkApenas Me Dê Uma Razão (part. NateRuess)*Desde o inícioVocê era um ladrão, você roubou meu coração.E eu sua vítima prontamenteDeixei você ver partes de mimQue não eram tão bonitasE a cada toqueVocê as consertou*Agora você tem falado enquanto dormeCoisas que você nunca diz para mim oh ohMe diz que você teve o bastanteDo nosso amor

No comments :

Post a Comment