CORAÇÃO INDOMÁVEL - CAPITULO 35


Vamos tentar domar este coração indomável?
Amantes do Bad Boy.
Então chegamos ao final da parte II da fic.
Aff está triste e lindo.
Não sou advogada então o julgamento eu fiz um resumo. Acho que ficou bom.

No capítulo tem duas musicas. Se quiserem chorar um pouco mais coloquem pelo menos uma delas para escutarem quando lerem o capítulo.

Musica 1 ( se quiser chorar um pouco) ela aparece na parte romântica do nosso casal.
Christina Aguilera
I turn to you
http://www.youtube.com/watch?v=M6romP-VpUI

Musica 2 (se quiser chorar muitooo) ela aparece no encontro do nosso casal logo após a sentença.
Kelly Clarkson
Breaking your own heart
http://www.youtube.com/watch?v=sYwAzr-merE
-----------------------
Por favor, não surtem por conta do final. Nem tudo que parece é.

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência


Capítulo 35
Eu olhava os papeis na minha mesa, sem nada ver. Minha cabeça estava sobre minhas mãos. Eu tentei muito não pensar naquela cena da noite passada, e até consegui pelo resto da noite que Edward permaneceu na minha casa. No entanto assim que ele saiu, eu não parei de pensar naquilo.
Edward se desculpou por seu descontrole e disse ser algo sobre a empresa, mas eu sabia que não era isso. E ele sabia que eu não acreditei nele.
Tinha a ver com a gangue. Era a única explicação, por isso ele não podia falar nada. Não podia entregar a gangue. Ele estava sendo ameaçado.
Tomei o café que Ângela havia trazido a pouco, e a porta se abriu com ela mesma, entrando na minha sala.
– Nossa! Que cara hein chefinha. – disse se sentando a minha frente.
Não falei nada. Eu sabia que estava horrível.
– Você não pode pirar agora que o julgamento está ai. - disse.
– Eu sei Ângela. – suspirei – Mas está bem difícil.
Ela me olhou, e então colocou dois bilhetes em cima da minha mesa. Franzi o cenho.
– O que é isso?- perguntei.
– Dois ingressos para o show da Cristina Aguilera hoje. – disse.
A olhei sem entender.
– Bom eu tenho há um tempo... pensei em conseguir um lambivel pra eu ir com ele, mas pelo jeito meu único lambivel continuará sendo a pilha. – disse meio desanimada – Bom... então eu iria te convidar pra ir...
Fiquei tocada com seu gesto.
– Ah Ângela... obrigada...
– Como eu ia dizendo e você não me deixou terminar... eu ia te convidar, pois sei que você gosta da cantora. Mas... acho que você e o seu bad boy precisam de um tempo de diversão. Está tão tensa... e está precisando relaxar.
– Ângela isso é muito legal, mas eu não posso...
– Você precisa se concentrar no julgamento. Eu já entendi, mas só que você precisa desencanar um pouco senão vai surtar e ai sim, não vai conseguir defender ele direito.
Ela tinha razão.
– Vai. Pega. É um presente.
Inesperadamente levantei a abracei e a beijei.
– Ok. Ok não vá me fazer chorar. – disse ela brincalhona.
Senti-me mal por ter deixado ela se empolgar com Paul sabendo que ele era gay.
– Ângela... sobre o Paul... eu sinto muito. – falei sincera.
Ela sorriu.
– Ah nem estressa! Eu conheci alguém. – disse sorridente.
– Serio?! Que bom Ângela. Você merece ser feliz.
– Bom ainda é cedo... somente conversamos uma vez. Quando eu tiver algo mais concreto eu te falo.
– Tudo bem. – assenti.
– Então? Vai com o seu bad boy.
Sorrio para ela.
– Vou ligar pra ele. – digo pegando o celular.
Ângela se levanta para sair da minha sala.
– Espero que tudo dê certo Bella... você e o Edward não merecem ficar separados depois de tudo... vocês se amam. Dá pra ver.
Olho para ela angustiada.
– Você... acha que ele me ama? – pergunto parecendo uma adolescente insegura.
– Por favor, Bella... só um cego não vê isso. Ele... nunca disse a você... as palavras? – perguntou curiosa.
Neguei de cabeça.
– Hum... tem homens que tem dificuldade com dizer o que sentem. Mas mesmo assim eu acredito que ele ama você.
– Obrigada Ang. Por tudo.
***
O show era num estádio de futebol. A noite estava gostosa apesar de eu achar que iria chover em seguida.
Edward e eu caminhávamos por entre a multidão tentando encontrar um local no gramado, onde pudéssemos assistir ao show.
– Então? Essa cantora é boa? – Edward pergunta quando paramos de caminhar.
Olho pra ele chocada.
– Voce não conhece a Cristina Aguilera? Por que não disse? Acho que não vai gostar do show.
Ele sorri.
– Estou brincando Bella. Eu a conheço. Não as musicas e tal, mas sei quem é a cantora. Eu viria a este show com você mesmo se fosse um show de ópera. O que eu quero é passar meu tempo com você. –disse me olhando intensamente.
Eu coloco minhas mãos em seu pescoço e me inclino beijando-o.
– Eu também quero passar todo meu tempo com você.
Os acordes da banda começam e nós olhamos para o palco a espera do show. Que logo se iniciou e estava muito bom.
Eu danço as musicas da cantora e Edward me acompanha timidamente. Na maioria das vezes ele sorri me vendo dançar.
Como suspeitei começa a chover nos molhando, eu sorrio para ele encharcada, mas feliz. Há quantos anos eu não tomava banho de chuva? Acho que só quando era criança.
Edward me puxa para seu corpo e ficamos nos olhando sorrindo como duas crianças. E neste momento a musica que eu mais gosto começa na voz melodiosa e suave da cantora.
Eu Voltarei Para Você
Quando estou perdida na chuva
Nos seus olhos sei que irei encontrar
A luz para iluminar meu caminho
Quando estou assustada, perdendo o chão
Quando meu mundo fica louco
Você pode transformar tudo ao redor, sim
E quando eu caio você está lá para me levantar
Você sempre está lá, me dando tudo o que tem
*
Olhos nos olhos, e nos aproximamos. Sua boca quase colada a minha. Nossas respirações se misturando e tão letamente quanto possível nos beijamos.
Meu coração quase saltando para fora do peito. Suas mãos em meus cabelos, ao lado do meu rosto. Ele parecia querer memorizar meu rosto, memorizar o momento.
*
Para um escudo contra a tempestade
Para um amigo, para um amor que me defenda e aqueça
Eu voltarei para você
Pela força, para ser forte
Pela vontade de prosseguir
Por tudo o que você faz
Por tudo o que é verdade
Eu voltarei para você
*
Nós abrimos os olhos e sem falarmos nada começamos a andar. Entramos no carro, nos dirigimos até meu apartamento, sem ambos dizer nada. Chegamos ao meu quarto e nos olhamos novamente. Ele vem até mim e me beija enquanto coloca suas mãos na barra da camiseta que eu estou usando. Levanto os braços para facilitar a retirada. Faço o mesmo com a camiseta molhada dele.
Estamos nus. Ele deita por cima de mim. Seu corpo musculoso e quente em contato com o meu.
*
Quando eu perco a vontade de vencer
É só alcançar você e
Eu posso chegar ao céu outra vez
Posso fazer qualquer coisa
Porque o seu amor é incrível
Porque seu amor me inspira
E quando eu preciso de um amigo, você sempre está ao meu lado
Dando-me fé, me guiando através da noite
Para um escudo contra a tempestade
Para um amigo, para um amor que me defenda e aqueça
Eu voltarei para você
Pela força, para ser forte
Pela vontade de prosseguir
Por tudo o que você faz
Eu voltarei para você
*
Ele me olha de forma intensa antes de seus lábios começarem a percorrer meu corpo todo. Seus lábios são como promessas de que nunca iremos nos afastar. Ele passa por meu colo, meus seios, minha barriga, meu sexo. Sempre me levando ao máximo do prazer.
Ele retorna se posicionando em cima de mim. Eleva nossas mãos para cima. Onde minha cabeça repousa no travesseiro. Dedos entrelaçados, corpos grudados. Ele dentro de mim, de todas as formas que poderia estar. Dentro do meu sexo, dentro dos meus olhos e principalmente dentro do meu coração.
*
Para os braços que são meu abrigo durante a chuva
Para a verdade que nunca vai mudar, para alguém em quem me apoiar
Mas para um coração ao qual eu possa confiar qualquer coisa
Para quem eu possa correr, Eu voltarei para você
*
Fizemos amor de forma lenta e gentil. Com ele recuando seu corpo sempre lentamente e voltando de forma firme e deliciosa me proporcionando sensações quase desconhecidas.
Seus olhos verdes ainda mais brilhantes. Demonstravam tantas coisas. Pude ver emoção, carinho, desejo, luxuria e... se eu não estivesse enganada, amor. O mesmo amor que eu sentia por ele.
– Eu te a... – comecei a dizer, mas fui interrompida por seus lábios ansiosos.
Beijou-me como se fosse a última vez. Meu peito se apertou, e uma lágrima solitária correu por meu rosto. Ele a limpou com os lábios. Não disse nada. Nós sabíamos o que tudo significava.
Quando o ápice nos evolveu permanecemos abraçados por um longo tempo sem nada dizermos. Apenas ouvíamos o som de nossas respirações até que dormimos em sono profundo.
*
Para um escudo contra a tempestade
Para um amigo, para um amor que me defenda e aqueça
Eu voltarei para você
Pela força, para ser forte
Pela vontade de prosseguir
Por tudo o que você faz
Por tudo o que é verdade
Por tudo o que você faz
Por tudo o que é verdade
Eu voltarei para você
***
Eu tentava me concentrar no livro que estudava para o caso de Edward, mas estava difícil. A noite de ontem passando por minha mente todo o tempo e, além disso, a ligação que recebi da promotoria me deixou ainda mais desconcentrada.
O promotor ligou oferecendo um acordo. Que se Edward entregasse de quem eram as drogas, que ele pediria uma pena muito pequena contra Edward. A promotoria estava empenhada em resolver a questão de tráfico de drogas no estado, e qualquer coisa ou informação que pudesse ajudá-los a resolver isso, era tida como ajuda, o que faria eles pegarem leve com a pessoa que os ajudou. Seria o caso de Edward, se ele cooperasse.
É claro que liguei pra Edward após isso, e a resposta que obtive foi a mesma. Sem envolver a gangue. Deu-me vontade de atirar o telefone na parede como ele fez.
Droga de homem teimoso! Mas depois com calma me lembrei da forma como ele ficou após aquele telefonema. Era obvio pra mim que ele tinha um acordo com a gangue. Que Edward se sacrificaria para que pudesse ficar livre deles. Isso era tão injusto. Por isso me dediquei ainda mais a estudar todas as possibilidades que existiam para que ele fosse absolvido.
– Bella? – Ângela me chamou.
Retirei os olhos do livro que estudava para olha-la.
– O senhor Cullen está aqui, e quer falar com você. – disse.
– O Edward? – perguntei.
Ela negou.
– Não. O coroa gatão. – disse brincando.
Eu sempre implicava por ela fazer este tipo de brincadeira, mas com tudo o que estava acontecendo, não sei o que seria de mim se não fosse pelo bom humor de Ângela.
– Peça pra ele entrar Ângela. – respondi.
Em seguida Carlisle entrou sorrindo. Levantei-me para cumprimentá-lo com dois beijos no rosto. Desde que eu fui a Filadélfia minha relação com ele já não era tão formal.
– Oi Bella. – disse.
– Oi Carlisle. Sente-se. Pensei que vocês fossem chegar somente amanhã pelo que o Edward me disse. – falei sentando-me em minha cadeira.
– Sim, Esme e os garotos virão amanhã. E Rose e Emmett também. Eu vim antes, pois tinha que resolver umas coisas na empresa antes e por que queria falar com você. – disse serio de repente.
Eu já imaginava sobre o que era.
– Claro. O que quer saber Carlisle? – perguntei.
– Seja sincera Bella. Quais as chances do Edward? – perguntou. – Olha não quero te pressionar. Confiamos em você. Mas eu preciso preparar a Esme. – disse brando.
– Eu entendo. – respirei fundo. – Não são boas Carlisle. Edward tem grandes chances de ser condenado e podemos rezar para que seja a pena mínima. Eu vou me esforçar para inocentá-lo, mas se eu vir que não vou conseguir... vou tentar a pena mínima. – respondi.
– Quanto tempo seria a pena mínima? – perguntou receoso.
– Dez anos.
Ele empalideceu.
– Deus! Esme vai ficar arrasada. – disse. – Droga! Ele não merece isso.
Não, ele não merecia. Uma esperança se formou dentro de mim.
– Carlisle... se você falasse com ele... pra entregar a gangue...
Antes que eu terminasse de falar ele negou de cabeça.
– Não Bella. Ele não pode fazer isso. – disse.
Então entendi que ele sabia o porquê Edward não podia revelar nada.
– Quero que saiba que eu, Esme e toda a minha família somos gratos pelo que tem feito não importando o resultado. – disse sincero.
Um nó se formou em minha garganta.
– Não sei se sou digna deste agradecimento. – falei a verdade.
– Não pense assim. Você está fazendo o possível e todos nós sabemos disso. – disse firme.
***
Eu e Edward estávamos deitados no meu sofá assistindo uma serie antiga de TV. Já era sexta à noite e tentávamos nos distrair. Segunda-feira estava cada vez mais próxima e queríamos não pensar nela.
Eu me deliciava com as risadas dele. Eu sorria cada vez que eu as escutava. Então meu celular tocou e na tela apareceu o nome de Bryan. Senti o corpo Edward tenso de imediato.
Peguei rapidamente o celular e me levantei.
– Eu preciso atender. – falei indo em direção à varanda. – Alô.
– Bella! Oi amor, que saudade. Como está?- Bryan disse animado.
– Estou bem... – falei espiando para dentro do apartamento vendo Edward na mesma posição. – E você?
– Estou bem. Querida, na segunda-feira estarei aí. Estou louco de saudade da minha noiva. - disse.
Droga! Essa situação não podia mais ficar assim.
– Bryan... eu... nós precisamos conversar. – falei num jorro de coragem.
– O que foi? O que aconteceu? – perguntou já serio.
– Bom... é sobre nosso noivado... acho que não devemos nos casar...
– Bella! Bella! Se acalme amor... olha só não vamos nos precipitar... eu sei que fiquei fora por tempo demais...
– Bryan não é nada disso é só que... – droga! Por que era tão difícil de falar. – Vamos fazer assim. Você chegará na segunda, e então conversamos sobre isso. – digo.
– Certo. Acho que é o melhor mesmo. Mas Bella... eu te amo e quero me casar com você. Não vou desistir de você. –disse.
Desligamos, e eu fiquei ali parada na varanda pensando em toda esta confusão.
Voltei com o telefone ainda em minha mão, vi que Edward disfarçou não me olhando. Continuou concentrado na TV.
– Era o Bryan... - falei sentando ao seu lado no sofá.
Ele não disse nada. Não esboçou nenhuma reação. Resolvi falar o que se passava em minha mente.
– Preciso dizer a ele que nosso noivado... que temos que terminar. – falei baixinho.
Consegui a atenção de Edward. Olhou-me por um longo tempo.
– Por que você faria isso? – perguntou.
Olhei pra ele sem entender, e antes que eu dissesse algo ele me deixou totalmente desconcertada.
– Ele é um bom homem. A trata bem. Seu pai ficaria orgulhoso do seu noivo.
Olhei para ele sem entender.
– O que está dizendo? Como vou me casar com ele depois de... tudo. De nós? – perguntei.
Ainda olhando para a TV ele disse:
– O que tem a ver? – disse com desdém.
– Pare com esta porra agora Edward! – gritei – E olhe pra mim quando falar essas merdas.
Ele finalmente me olhou.
– O que está querendo dizer? – perguntei já angustiada. – Depois de tudo o que vivemos nestes dois meses você quer que volte tudo ao normal com o Bryan? É isso? Eu estou entendendo direito?
Ele estava frio. Frio como já o vi no passado.
– Eu estou dizendo Bella que provavelmente serei preso daqui a três dias, e que você poderá seguir a sua vida como fazia antes. – disse como se fosse a coisa mais normal do mundo.
Levantei enfurecida.
– Você quer me deixar louca?! É isso?! Se fosse pra voltar tudo com era antes por que apareceu na minha vida de novo? Por que não me deixou paz?- perguntei com raiva.
– É o que eu estou tentando fazer. Te deixar em paz. – respondeu.
Puta merda! Eu queria esbofeteá-lo.
– Depois de aparecer... me fazer me envolver com você... aí você quer me deixar em paz? Está sendo um idiota Edward. -declarei.
Ele ficou quieto.
– Edward... o que... o que você sente por mim? – fiz a pergunta que nunca tive coragem de fazer.
Ele se levantou e se aproximou de mim. Olhando-me fixamente.
– Você sabe o que eu sinto Bella. É meio que obvio não? – disse.
– Não pra mim. Você sempre me dá direções erradas. Eu nunca sei pra que lado me mover... estou sempre perdida em relação a você...
Ficamos os dois em silencio. Cada um preso em seus tormentos. Mas eu não podia deixar as coisas assim. Precisávamos resolver tudo que sempre ficava mal resolvido entre nós.
– Você sabe o que eu sinto por você. – falei em enchendo de coragem. – Eu... eu te amo. Sempre amei. E você me ama também. Eu sinto.
Ele desviou os olhos.
– Não é justo que eu diga isso a você. – disse com o olhar triste. – Não quando estou para ser preso e vou ficar anos longe. Não é justo.
Meu coração batia freneticamente.
– Mas você me ama. – confirmei. Ele não fez qualquer reação. Somente engoliu em seco. Aproximei-me colocando minhas mãos em seu rosto.
– Edward... eu te amo e sei que você me ama. É só voce me pedir... me dizer as palavras..., e eu te espero pra sempre se for o caso. Não importa se será 10 anos, 20 anos... eu não me importo...
Ele recuou de repente fugindo de meu alcance.
– Mas eu me importo. – disse duro. – Não quero que você espere.
Suas palavras afundando dentro de mim.
– Edward... pare... por favor, não faça isso... – as lágrimas sem permissão já deslizando por meu rosto.
– Quero que você seja feliz. Que siga sua vida com seu noivo...
Não resisti e chorando, o soquei. Meus punhos em seu peito. Ele mal se movia.
– Seu idiota! Imbecil! Seu covarde! Você não merece o amor que eu tenho por você. – funguei parando se socá-lo – Eu preciso de um homem de verdade, e não de um covarde como você.
Ele foi até onde estava sua carteira e seu casaco.
Ele iria embora? O desespero tomou conta de mim. Eu não queria que ele fosse embora.
– Você tem razão. – disse – Você merece muito mais do que um homem como eu. Eu... eu sinto muito não ser o homem que você precisa.
Foi para a porta do meu apartamento.
– Edward... não faça isso... – pedi chorosa.
– Sinto muito mesmo Bella. – disse.
Saiu sem que eu pudesse impedi-lo.
Joguei-me no sofá a minha frente e chorei como a muito não fazia.
***
Aquele final de semana foi terrível. Eu precisava me concentrar no julgamento, porém todo momento a briga que tivemos voltava a minha mente. Tentei ligar pra ele varias vezes, mas ele não me atendia. Recorri a Rose, e ela disse que estavam todos juntos no apartamento dele passando um tempo em família. Não contei sobre minha briga com Edward.
Fiquei então inibida de ir até lá. Ele estava com a família, e eu não queria impor minha presença. Em contrapartida eu evitava as ligações de Bryan. Ele me ligara varias vezes naquele final de semana.
No fim das contas, passei o final de semana envolvida em livros, series de TV e sorvete.
A segunda feira mais temida por mim se iniciou cedo, já que desde as 05h30min da manhã, eu não consegui mais dormir.
Fiz minha higiene matinal e tomei café no piloto automático. O julgamento de Edward seria às 10hs da manhã. Olhei meu celular mais uma vez e nada dele. Eu havia mandado uma mensagem a ele dizendo que o esperava no fórum às 9hs.
Segui para o fórum, e ansiosa como estava, antes das 9hs eu já estava por lá. O tempo foi passando e nada dele aparecer.
A audiência começaria em minutos, e eu ainda não havia visto Edward. Eu estava uma pilha de nervos. Se alguém prestasse a devida atenção em mim poderia ver que eu estava muito nervosa.
Eu andava pra cima e pra baixo pelos corredores do fórum, procurando me acalmar e encontrar Edward antes do julgamento. Não poderíamos ficar assim. Eu precisava falar com ele... me desculpar talvez... eu só queria era abraçá-lo. Sim era isso que eu queria. Ser a Bella apaixonada antes de encarnar a dura advogada, que eu teria que ser no tribunal.
Meu celular vibra e o olho desesperada. É Bryan. Caralho! Agora?
– Alô. – digo sem animo.
– Bella? Sou eu, olha acabei de chegar a Seattle e precisamos conversar. - disse parecendo ofegante.
– Bryan, por favor, eu não posso agora... eu estou no fórum, tenho um julgamento agora...
– Precisamos falar o que ficou inacabado...
Respirei fundo. Eu já estava perdendo a paciência.
– Eu sei, mas eu... preciso me concentrar no julgamento do Ed... do Sr. Cullen. – falo cada vez mais agoniada.
Olho para todos os lados. Onde é que o Edward está? Ouço a voz de Bryan, mas não estou prestando atenção ao que ele está dizendo.
– Bryan eu preciso desligar, depois conversamos. – digo e então ele diz algo que prende minha atenção de imediato.
– O Edward Cullen me ligou. – diz – Ele me contou tudo sobre vocês.
Perco a fala e a capacidade de raciocinar. Por que ele fizera isso?
– Querida... eu não a culpo. – Bryan diz. – Não posso dizer que não estou chateado.
– Bryan... eu... eu não sei o que dizer. – fico embaraçada. Ele não merecia saber desta forma.
– Estou indo para o fórum agora. – diz.
O que?!
– Não! Não Bryan, por favor, eu não poso lidar com isso agora. – digo.
Vejo Carlisle vindo em minha direção no corredor.
– Preciso desligar. Depois nos falamos.
Desligo rapidamente e sigo para encontrar o tio de Edward.
– Carlisle onde está o Edward? – pergunto agoniada.
Minha voz me entrega.
– Calma Bella. Ele já está na sala da audiência. Já está a aguardando.
Respiro aliviada. Por alguns minutos passou pela minha cabeça que ele não fosse comparecer.
– Ah ótimo. Vou para lá então. Deve começar logo.
Eu e Carlisle seguimos lado a lado até a entrada da sala.
– Boa sorte. – ele diz.
– Obrigada. – respondo.
Entro na sala e visualizo a família Cullen sentada nos lugares destinados aos familiares. Carlisle se dirige para lá. Caminho um pouco mais e o vejo. Ele esta lindo de morrer. De terno, impecável. Todo de preto.
Está sentado a mesa, que é designada a nós dois. Sigo até parar a seu lado.
Ele levanta os olhos e me vê.
– Oi. – digo.
– Oi. – responde calmo.
– Eu... – tento falar, mas sou interrompida por sua mão na minha.
– Tudo bem Bella. – diz incrivelmente calmo. – Vamos passar por isso. Vai dar tudo certo. – diz confiante.
Então a juíza entra e meu coração começa a disparar. Respiro fundo para me acalmar e imagino que estou em um julgamento de um cliente qualquer. Que ali do meu lado, não é a vida do homem que amo que está em jogo. Somente assim posso ser a dura e fria Doutora Isabella Swan.
A juíza começa com a leitura do processo. Tudo correndo como as práticas normais de um julgamento. Em seguida Edward depõe. Ele diz tudo como foi das outras vezes.
A promotoria foi dura como era o esperado, e pediu a condenação de Edward a 20 anos de prisão. Pude ouvir um ofego de Esme.
Então foi minha vez. Derramei-me em citações de códigos e artigos do código penal, e tentei ao máximo desempenhar um bom papel e fui realmente bem. No entanto não sei ser o suficiente para conseguir a absolvição de Edward. A juíza se retirou para analisar e decidir o veredito. Não muito tempo depois retornou.
Todos nos colocamos em pé quando foi dada a palavra a ela. Meu coração praticamente parou quando ela preferiu as palavras tão temidas por mim.
– ...então pelo poder dado a mim pelo estado do Washington, eu condeno Edward Cullen a pena mínima de dez anos de prisão em regime fechado, sem direito a condicional. Que assim se cumpra a lei.
Meus olhos permaneceram arregalados. Sem nada ver. Sem nada ouvir. Eu havia falhado. Na única vez que não podia falhar.
Olhei para o lado e Edward estava impassível. Sem reação. Os guardas se aproximaram para levá-lo. Ele não me olhou e se foi.
Ao me virar para trás vi Esme chorando abraçada a Carlisle. Emmett e os irmãos também estavam emocionados, mas resignados. Rose estava quieta. Paul e Ângela lado a lado me olharam de forma carinhosa.
Esme e Carlisle se aproximaram de mim.
– Me desculpe... – falei tentando ao máximo não desabar.
– Não diga isso querida. Você não teve culpa. – disse e me abraçou. – Será que não podemos falar com ele? – perguntou.
Foi Emmett que respondeu.
– Não mãe. Agora somente na visita no presídio. A única que pode falar com ele é a Bella, que é a advogada. – respondeu.
– Ah querida... pode falar com ele, e dizer que o amamos e que estaremos ao lado dele sempre. Eu já disso isso, mas quero que ele tenha certeza. – disse ela emocionada.
Eu saí do meu torpor.
– É claro. Eu vou pedir a juíza para que eu possa falar com ele.
Encaminhei-me rapidamente a sala da juíza e consegui autorização para falar com meu cliente, antes que ele fosse levado para o presídio.
Fui direcionada a uma sala onde ele aguardava. Dois guardas vigiavam a porta. Fui autorizada a entrar, e logo que o fiz, o vi. Ele estava sentado de cabeça baixa, mas quando viu que alguém entrou levantou a cabeça e me viu.
Nossos olhos ficaram presos um ao outro.
Quebrando O Seu Próprio Coração
Confundindo a sua cabeça como se tudo estivesse errado
Antes de estar aqui, você já havia ido embora
E mesmo com todas as luzes perto de você
Você está totalmente sozinho na escuridão
Você está quebrando o seu próprio coração
Indo longe demais rumo à estrada solitária
Você diz que só quer amor
Mas quando está quase lá, simplesmente entrega os pontos
A coisa de que você mais tem medo
Já tem feito desde o início, quebrando o seu próprio coração
*
– Sua... sua mãe pediu que eu dissesse que... que ela te ama... – não consegui terminar de falar e comecei a chorar.
Ele se levantou e me abraçou.
– Shhh hey não chore. – disse me confortando.
Eu solucei.
– Me desculpe Edward... eu não consegui... – falava e chorava ao mesmo tempo. Agarrei-me a ele como se eu pudesse prendê-lo ali, comigo.
– Hey... boneca não chore. – disse carinhoso, chorei mais ainda. – Você não teve culpa amor. Nunca teve culpa de nada.
Não escutar mais ele me chamando de boneca seria duro demais.
*
Tantas lágrimas, tantas quedas
É fácil ouvir você atrás dessas paredes
Mas você não tem que andar nas sombras
Sendo que a vida já é tão difícil
*
– Bella... me escute. – ele me afastou de seu peito.
– Edward eu te amo... vou te esperar.
Ele limpava minhas lágrimas com os dedos. Deu um sorriso fraco.
– Escute... não faça isso. – comecei a sacudir a cabeça – Escute Bella. – trouxe meu rosto para que eu olhasse em seus olhos - Eu quero que você viva sua vida. Que seja feliz. Esqueça que eu existo. – respirou fundo. – Por favor, não fique triste comigo. Você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida, mas agora vamos nos separar por muito tempo. Bella dez anos é uma vida. Pra você, aqui fora. Uma vida de possibilidades. Me fará feliz saber que você estará feliz... que irá seguir sua vida... se casar... ter filhos...
*
Você está quebrando o seu próprio coração
Indo longe demais rumo à estrada solitária
Você diz que só quer amor
Mas quando está quase lá, simplesmente entrega os pontos
A coisa de que você mais tem medo
Já tem feito desde o início, quebrando o seu próprio coração
Você está quebrando o seu próprio coração
Ainda não é tarde, ainda estou aqui
Se ao menos você deixasse os seus medos irem embora
*
Eu olhava para ele tentando memorizar seu rosto.
– Carlisle vai acertar seus honorários como minha advogada, e depois você será desligada disso.
Recuei magoada.
– Não. Não fique magoada por isso comigo. Você não pode ficar presa a mim desta forma.
Segurou minhas mãos.
– Se... se você... Droga! Eu não devia fazer isso... Não quero que espere por mim. Quero que seja feliz Bella, mas se você quiser saber de tudo, e ainda não tiver seguido em frente, volte. Volte um dia antes de terminar minha pena. Terá uma coisa a sua espera, uma coisa que lhe dará as respostas que sempre buscou. É só o que eu posso prometer.
– Edward, por favor, eu...
– Se você não aparecer pra ver o que deixei, eu vou entender...
Bateram na porta nos avisando que nosso tempo estava esgotado.
– Adeus meu amor. Seja feliz. – disse e colocou seus lábios suavemente nos meus.
Fechei meus olhos com força tentando me prender aquele momento pra sempre.
*
Você está quebrando o seu próprio coração
Levando o seu próprio coração rumo à estrada solitária
Você diz que só quer amor
Mas quando está quase lá, simplesmente entrega os pontos
A coisa de que você mais tem medo
Já tem feito desde o início, quebrando o seu próprio coração
Você está quebrando o seu próprio coração
*
Em seguida nos afastamos e os guardas entraram na sala o levando dali.
Meu coração não aguentava a dor. Estava dilacerado. Destruído.
Deixei as lágrimas novamente tomarem conta de mim.
Não sei quanto tempo fiquei ali naquela sala. Quando senti que estava um pouco mais recuperada peguei minha pasta e saí em direção a um longo corredor que levava a saída, porém uma voz me fez parar:
– Bella?
Ao me virar vi Bryan parado atrás de mim.
Um soluço sem permissão saiu de meus lábios e logo os braços dele estavam a minha volta, enquanto eu chorava descontroladamente.
– Calma querida. – ele disse entre meus cabelos – Tudo vai ficar bem. Eu prometo. Tudo vai ficar bem.
Fechei os olhos rezando para o que ele disse, fosse verdade, mas como poderia? Se não eram aqueles braços que eu queria me abraçando.
Continua...
OBs. Final da Parte II da fic. Ela retorna dia 31/03 com a Parte III.



No comments :

Post a Comment