FANFIC CASTELO DE AREIA - PRÓLOGO E CAPITULO 01.

Castelo De Areia

CASTELO DE AREIA 
JU BAUER (JU BEIJA FLOR)

Se a vida lhe der uma segunda chance de ser feliz não deixe de agarrá-la com as duas mãos, ela pode não acontecer novamente.

A órfã Bella Swan após mais de 10 anos tem a chance de viver um grande amor. O amor que ela por covardia e comodidade deixou passar.


Agora mais velha e com uma filha ela quer recomeçar. E o destino se encarregou de junta-la a Edward Cullen, seu cunhado. O homem que, no passado, a desconcertou. 

O que Bella não sabe é que por trás deste recomeço muitas verdades virão à tona. 

Verdades dolorosas para uma mulher que sempre viveu em um castelo de areia.


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo


Prólogo.
Primeira fase.
Bella está vivendo seu melhor momento. Após viver anos difíceis. A perda dos pais de forma brutal. Ambos assassinados em sua frente. A amnésia causada por este trauma que a fez esquecer os últimos momentos que passou com sua família. A vida difícil ao lado de sua tia Carmem.
Agora ela está em Harvard. A melhor universidade do mundo. Nem mesmo ela acredita que conseguiu a bolsa de estudos. Desde que chegou a faculdade namora com Jacob, seu amigo companheiro e amor. Divide o apartamento que o pai de Jacob deu a ele e a seus irmãos.
Rose sua cunhada é sua melhor amiga. Está feliz e próxima de conhecer seu cunhado. Edward Cullen, que virá de Londres para estudar e morar com eles.
Bella só não contava que ao conhecer o impulsivo e atraente Edward sua vida não seria mais tão fácil.
Segunda fase.
Mais de 10 anos se passaram e Grace, sua filha, é a razão da vida de Bella. Seu casamento com Jacob já não é mais o mesmo.
O homem amoroso e dedicado deu lugar a um homem frio e ausente.
Bella descobre coisas que a fazem dar um basta nesta vida de mentira. Ela quer viver. Ser livre.
Ela foge para longe da dominância de seu marido e quem a acolhe é seu cunhado.
Edward se empenhou ao máximo nesses 10 anos em esquecer a mulher por quem se apaixonou. A mulher proibida pra ele. Isabella. Sua cunhada.
Nem os anos. Nem as diversas viagens conseguiram tal feito. E agora ela está ali. Ao seu alcance pedindo ajuda.
Muitas mentiras serão reveladas.
Muitas traições virão à tona.
E um grande amor interrompido no passado tentará ressurgir forte como a luz na escuridão.



Primeira fase.
Capítulo 1
Vidinha perfeita?
Agosto de 2002
Universidade de Harvard
Boston- Massachusetts - EUA.
Isabella caminhava pelo campus apressada. Tinha saído de uma aula de literatura e havia combinado com seu namorado de saírem para jantar. Ele não gostava que ela se atrasasse. Não que isso acontecesse com frequência. Jacob, seu namorado, era certinho demais às vezes até a própria Isabella tinha que reconhecer.
Jacob e Isabella eram um casal há quase dois anos. Logo que Bella chegou a Harvard ela conheceu Jacob que com seu jeito estudioso e nerd, como alguns até diziam, mas que Bella discordava, ele a conquistou. Era um namoro calmo e seguro. Tudo o que Bella queria em sua vida. Ela já tinha sofrido de inseguranças o suficiente.
Ela havia perdido os pais de forma bruta. Eles haviam sido assassinados quando Isabella tinha apenas 10 anos. Até hoje ninguém sabia o porquê e nenhum culpado havia sido preso. Por que assassinariam uma professora primaria e um motorista de taxi? Ambos sem problemas com a justiça. Pessoas pacatas e moradores da pequena Forks. A única pessoa que poderia responder a estas questões seria sua própria filha, Isabella. Se esta não sofresse de uma amnésia que a fez esquecer os últimos anos vividos ao lado de seus pais.
Após a morte dos pais a pequena Bella foi viver com sua tia Carmem, irmã de seu pai. Uma mulher fria que nunca soube dar afeto a sobrinha órfã. Os anos não foram fáceis ao lado de sua tia. Não que ela a tratasse mal, mas Bella sempre sentiu falta da segurança que uma família proporcionava. Isso mudou ao conseguir a bolsa para estudar literatura em Harvard. Coisa esta que ela nunca conseguira entender. Nunca fora a melhor aluna da turma. Como conseguira então uma bolsa para estudar em Harvard? Sua tia na época dissera para ela não questionar e aproveitar. E foi o que ela fez. Em Harvard ela teve uma nova família. A família de seu namorado.
Logo no inicio do namoro, Jacob a convidou para morar no apartamento que o seu pai havia comprado para ele e seus irmãos. Os gêmeos Rosálie e Edward. Bella ficara nervosa, mas acabou aceitando. Dividia o apartamento com o namorado e sua cunhada. O irmão de Jacob, Edward, após se desentender com pai fora estudar na Inglaterra. O apartamento era enorme e agora o namorado de Rose, Emmett também estava morando lá.
Rose era sua cunhada e melhor amiga. Ela não escondia sua preferência pelo irmão gêmeo. Na verdade Bella achava a família de seu namorado meio complicada. Porém não julgava. Daria tudo para ter uma família complicada ao invés de não ter nenhuma.
O pai de Jacob, Antony Masen fora casado com Esme, mãe de Rosálie e Edward. Quando os gêmeos tinham pouco mais de dois anos Esme descobrira a infidelidade do marido e que ele possuía um filho da mesma idade dos gêmeos, Jacob. Esme se separara de Antony e logo após iniciou um romance com o médico Carlisle Cullen com quem era casada até hoje. Eles tiveram uma filha, Alice Cullen, hoje com 14 anos.
Bella não sabia se por conta da infidelidade do pai ou por outra razão, mas os gêmeos não se davam muito bem tanto com o pai quanto com o irmão bastardo. Tanto Rosálie quanto Edward passaram a usar o sobrenome Cullen há algum tempo. Jacob havia dito que o pai havia ficado furioso. O que não adiantara muito de todo jeito.
Isabella não entendia o porquê de os irmãos serem tão indiferentes com Jacob. Ele não tivera culpa de ser quem era.
Bella entrou no apartamento. Sentindo um cheiro de molho que já era bastante conhecido por ela. Emmett, namorado de Rose, deveria estar cozinhando. Ele era incrível na cozinha. Não era a toa que estudava gastronomia.
Isabella adorava o modo como Emmett e sua cunhada interagiam. Principalmente quando um cara daquele tamanho estava vestindo um avental, todo sujo de farinha na tentativa de fazer pizza para agradar a namorada.
– Oi Bella vai ter pizza hoje!
Ele disse ao ver a amiga parada junto à porta da cozinha.
Bella sorriu.
– Cadê a Rose?
– Está ao telefone com Edward.
Bella não podia conter a curiosidade sobre o irmão gêmeo de Rose. Ela não o conhecia. Rose era louca pelo irmão. Bom pelo menos por este irmão já que com Jacob as coisas eram estranhas.
Rose entrou na cozinha segurando o telefone sem fio na mão sorrindo de orelha a orelha.
Ela colocou o telefone no viva-voz e Isabella pode ouvir a voz de seu cunhado pela primeira vez.
– Está tratando bem a minha irmã seu veado?
A voz rouca e sexy do outro lado da linha soou como um sino. Isabella sentiu uma estranha sensação.
– E aí cara? Pegando todas as inglesas de jeito não é?
Emmett falou rindo e do outro lado se ouviu uma gargalhada gostosa.
– Estou fazendo o possível. Já está sabendo? Vou voltar na semana que vem. Vamos detonar em Harvard!
– Cara vamos a muita festas. Muita mulher gostosa.
Emmett disse animado e parando a ver o olhar furioso de sua namorada.
– Como é Emmett? Eu ouvi direito?
– Hum... Quer dizer você vai pegar todas.
Outra gargalhada.
– Pode deixar Emmett eu pego todas. Só não pego a Rose por que seria pecado.
– Ai Edward que nojo!
Rose guinchou nos fazendo rir.
– Rose? Maninha? Eu te amo. E você é linda qualquer homem sentiria prazer em namorá-la.
– Own! Irmãozinho eu também te amo.
Ela se derreteu.
Emmett fez uma careta para Bella sussurrando.
– Vai começar a melação.
Bella não resistiu e riu alto.
– Tem mais alguém aí com vocês?
Edward perguntou.
– Sim. A Bella. Namorada do Jacob eu já te falei sobre ela.
Rose disse sorrindo para a amiga.
– Ah! A garota que conquistou o coração do meu irmão nerd! Como vai? É Isabella não é?
Isabella se sentiu tímida de repente.
– Oi Edward. Somente Bella, por favor.
– Acho que é a primeira vez que nos falamos não é?
– Sim é sim.
– Estou curioso pra conhecer a mulher que conquistou o coração do meu irmão certinho.
– Hiii não vai dar em cima da cunhada Edward ela é território proibido.
Emmett disse fazendo todos rirem e Bella corar.
– Eu já avisei a Bella que você é o maior galinha que existe.
Rose disse abraçando Bella.
– Ai Rose essa doeu! Não sou galinha só estou aproveitando a vida.
A voz sexy disse melodiosa. Isabella imaginou se ele a usava em suas conquistas.
– Bom pessoal vou lá tenho que me despedir das mulheres da Inglaterra. Na próxima semana estou aí.
Eles se despediram e Isabella ficou imaginando como seria quando Edward Cullen viesse morar com eles.
**
Jacob Masen entrou no prédio no centro de Boston. Ele tinha um encontro com seu pai, que estava de passagem pela cidade. Antony Masen não deixava seus negócios em Seattle a toa.
Foi informado pelo recepcionista que era esperado em uma sala de reuniões do vigésimo andar.
O moreno seguiu até o local indicado e entrou observando o ambiente luxuoso e vendo seu pai atrás de uma grande mesa mogno.
O magnata levantou o rosto dos papeis que analisava e demonstrou em suas feições o reconhecimento pela pessoa que havia chegado.
– Jacob.
Ele disse com seu habitual tom frio. O que não surpreendeu seu filho.
– Oi pai.
– Que bom que pode vir Jacob. Preciso falar com você.
Um celular começou a tocar e Antony Masen pediu que Jacob aguardasse. O jovem sempre fazia tudo o que o pai lhe pedia ou mandava. Ele se sentia diminuído em relação aos irmãos, e por isso precisava sempre provar ao pai que era o melhor. Que podia ser melhor que Edward.
Depois de alguns minutos esperando que Antony terminasse sua ligação finalmente o pai colocou sua atenção sobre o filho.
– Então Jacob? Como vão as coisas na faculdade? Fazendo os dois cursos?
Antony se referia as duas faculdades que Jacob fazia. Administração e direito. Ambas para poder assumir ao lado dele os negócios da família.
– Está tudo bem pai. Só estudando muito.
– Imagino. Mas não se esqueça de Isabella, Jacob. Sabe o quanto ela é importante. Quero que dê atenção a ela.
Jacob assentiu. Sabia da importância de Bella.
– Ela precisa estar bem. Estar feliz.
– Eu sei pai.
– Se Edward não fosse tão cabeça dura eu pediria a ele essa missão...
– Não precisa meter o Edward nesta historia pai! Eu cuido da Bella.
Jacob interrompeu. Odiava quando Antony sempre queria Edward para tudo. Ele era melhor e um dia seu pai perceberia isto.
– Ótimo. Ela não se lembrou de nada?
– Nada.
– Certo. Fique atento. Na próxima semana marcarei outra consulta com um neurologista para ela. A convença a ir. Precisamos tentar fazê-la se lembrar. Estou indo para um a viagem pela Europa de 5 dias. Vou até a Inglaterra falar com Edward. Quero que ele reconsidere. Ele é meu primogênito eu o quero a meu lado no comando da empresa.
Nesses momentos Jacob sentia uma fúria. Por seu pai. Por seu irmão. Ele guardava estes sentimentos secretos no fundo do seu coração e um dia isso o faria explodir.
– Acredito que ele não vá querer. O sonho dele sempre foi ser médico como o pai dele.
– Eu sou o pai dele!
O moreno adorava se aproveitar da situação para deixar claro ao pai que Edward não o preferia como ele o fazia em relação a Jacob.
– Edward tem meu sangue nas veias e não daquele médico infeliz. Quem sai aos seus não degenera Jacob, entenda isso. Se Edward quiser, o lugar dele é como o dono de tudo que tenho. O meu herdeiro.
Antony não pode ver, mas mais uma vez alimentou o ódio e a inveja de Jacob contra Edward.
Inglaterra
Universidade de Cambridge
– Já falei que não estou a fim Jasper. Tenho uns 10 livros pra colocar em dia minhas leituras.
O jovem de 20 anos, ruivo de olhos incrivelmente verdes disse deitado em sua cama no dormitório que dividia com seu melhor amigo.
– Cara tu vai viajar em menos de uma semana. Não acredito que prefira ficar aí em vez de ir pegar umas gostosas?
Edward riu. Seu amigo só pensava em mulher. Não que com ele fosse diferente, mas ele tinha prioridades. Ser médico como seu pai era seu maior sonho. Pai. Ele poderia se gabar de dizer que tinha dois. Mas só considerava um. Carlisle Cullen um homem honrado e digno. O homem que o ensinou a ser quem era. Quanto ao outro, seu pai biológico não gostava nem de lembrar, mas ao se olhar no espelho todos os dias, lá estava. A aparência física de ambos mostrava quem era seu pai de verdade. Por uma única razão não amaldiçoada ser filho de quem era. Por sua amada irmã. Rosálie. Ela era tudo para ele. Sua amiga, confidente. Por ela é que não jogava toda a merda no ventilador. Temia pela segurança de sua irmã caso ele fosse atrás de justiça pelas coisas que descobrira sobre seu pai biológico.
– Já peguei todas as gostosas possíveis aqui em Cambridge, Jasper. Agora vou explorar novos horizontes.
Edward estava se preparando para voltar aos EUA. A saudade de sua irmã Rose, seu pai Carlisle, sua mãe Esme e sua princesinha Alice o fizeram querer voltar ao seu país natal.
A campainha do dormitório indicou que alguma visita havia chegado e nem em um milhão de anos Edward poderia imaginar se tratar de quem o estava esperando a porta. Com seu semblante superior Antony Masen entrou no pequeno dormitório.
– Filho?
Antony disse ao ver seu primogênito.
Edward fechou suas mãos em punhos. O que aquele homem fazia ali?
– Antony.
O jovem disse em tom de desafio que lhe era tão característico.
– Poderia me chamar de pai, Edward.
Edward não deu atenção ao que o homem disse. Há muito já não o considerava seu pai.
– O que está fazendo aqui?
Edward disse percebendo que seu amigo Jasper tinha desaparecido.
– Estou na cidade a trabalho e resolvi visitar meu filho, não posso?
Antony sabia que Edward era muito inteligente para cair nessa.
– Na verdade fiquei sabendo que irá para Harvard e fiquei feliz com a noticia. Irá morar com seus irmãos?
Edward assentiu.
– Ótimo. Quem sabe não pensa melhor também em relação à profissão que escolheu ainda dá tempo de mudar.
– Anton... pai, eu não vou mudar. Já fiz minha escolha. E mesmo que se a medicina não fosse o sonho de minha vida, jamais iria assumir seus negócios sabe muito bem o que penso a respeito disso.
– Edward as coisas não são assim como você pensa.
– Não? Eu vi bem o que faz e tenho nojo disso. Agradeço todos os dias que traiu minha mãe e que ela se separou de você, só assim pude ter uma educação descente para ver que o que faz é sujo.
– Então é disso que se trata? Toda esta rebeldia por que trai sua mãe?
– Não tem nada a ver com isso. Tem a ver com o que você faz para ganhar dinheiro. Eu já te disse uma vez e vou repetir só não o denuncio por medo de represálias. Principalmente contra Rose.
– Não entende que é meu herdeiro Edward? Você poderia ter o mundo a seus pés.
– Este tipo de mundo eu dispenso. Pode dá-lo a Jacob. Com certeza ele ficará feliz em fazer tudo o que você quer.
Seu irmão Jacob era como um cão que fazia tudo o que pai dizia.
– Não esqueça Edward que você tem meu sangue e um dia isso falará mais alto.
Edward odiava quando ele o lembrava disso.
– Já falou o que tinha que falar agora eu preciso estudar.
O jovem deixou claro que a presença do pai biológico era dispensável.
Antony se foi e Edward estava furioso como sempre ficava quando seu pai biológico o visitava. Ele tinha medo de se tornar alguém como ele. Precisava sentir que não era como Antony Masen.
Pegou o telefone e ligou para o número familiar.
– Alô.
A voz familiar de Carlisle Cullen fez Edward sorrir.
– Pai!
– Edward! Filho que bom que ligou. Como está?
– Bem. Precisando ouvir suas sabias palavras, pai.
– As ordens, meu filho, diga-me o que houve?
– Antony esteve aqui.
– Edward sabe que para mim você é meu filho de verdade. Você e Rose são como Alice para mim. Mas Antony também tem seus direitos.
– Besteira. Você é meu pai.
– Edward um dia terá que dizer o porquê desta sua raiva contra Antony.
Edward não podia dizer, temia pela segurança de sua família, enquanto mantivesse a boca fechada nada aconteceria.
– Então já arrumou as malas? Alice mal pode se conter em saber que voltará.
Edward riu.
– Ela sabe que vou pra Boston e não pra Sacramento?
– Sim ela sabe, mas pra ela você estando no mesmo país já é o suficiente.
Pai e filho riram.
– Animado para morar com seus irmãos?
– Sim. Parece que a namorada do Jacob também mora lá.
– Sim a pequena Bella. Um doce de menina.
– Você a conhece?
Edward não disfarçou sua curiosidade. Que espécie de moça seria a namorada de Jacob.
– Claro. Sua irmã é louca por ela. Ela e Rose são muito amigas. Já passaram umas noites aqui. Alice também a adora.
– Bom então se a garota é legal melhor para mim. Só por aguentar aquele mala do Jacob já tem que ser canonizada.
Eles riram e conversaram sobre outros assuntos.
Uma semana depois...
–Ahhhhh! Eu não acredito!
Rosálie correu e se jogou nos braços do jovem ruivo que estava parado a porta do apartamento.
– Oi irmãzinha.
Edward sorriu torto para sua irmã gêmea.
– Eu achei que só chegaria amanhã.
– Resolvi fazer uma surpresa.
Rosálie abraçou diversas vezes o irmão, e mostrou o apartamento para Edward.
– Infelizmente você terá que ficar com o quarto do andar de baixo. Na parte superior só há dois quartos um é o meu e do Emmett e o outro do Jacob e da Bella.
– Sem problemas Rose.
– Ah! Irmão nem acredito que está aqui. Senti tanto sua falta.
Eles se abraçaram novamente. Tinham uma ligação muito forte.
– Eu também. Mas cadê o restante dos moradores?
– Jacob está estudando obvio... - ela revirou os olhos- ...aquele ali uma hora vai surtar. Duas faculdades? Fala sério.
– Isso tudo é pra agradar ao Antony.
Rosálie concordou.
– Emmett foi à oficina arrumar o jipe dele que está dando problemas e a Bella vai dormir esta noite no dormitório de uma colega para ajudar a coitada que está prestes a levar bomba.
– Pelo jeito só irei conhecer minha cunhada amanhã.
– Sim você vai adorá-la. Ela o máximo. O Jacob tem muita sorte.
Os irmãos mataram a saudade por mais um tempo até que Edward resolveu dar uma volta pela cidade para conhecer.
Ele foi andando até chegar ao campus de Harvard onde ficaria praticamente enfurnado pelos próximos anos.
Varias pessoas passavam apressadas pra lá e pra cá. Muitas garotas já o olhavam com segundas intenções, isso era comum já que era considerado um homem muito bonito.
Distraído olhando as construções centenárias ele esbarrou em uma garota.
Pov. Bella
Com uma pilha de livros. Era assim que eu me encontrava. Tinha que ajudar Jessica e ainda por cima levar todos os livros sozinha. Ela era uma escalada mesmo. Saí da biblioteca em direção ao dormitório que ela ocupava quando esbarrei em alguém e deixei cair tudo no chão.
– Droga!
Esbravejei.
– Desculpa moça. Eu não a vi.
Eu olhei para a voz sexy que falou comigo e me perdi ao ver o rapaz mais lindo que já havia posto os olhos.
Ele era um loiro meio ruivo de olhos muito verdes. E o sorriso torto era de babar.
– T-tudo bem. Eu não te vi também.
– Se quiser ajuda princesa, posso levar os livros pra você. Parecem estar pesados.
– Não precisa. Eu já estou perto de onde devo levá-los.
Baixei meus olhos e continuei a catá-los. Quando me levantei ele me ajudou com alguns livros.
– Obrigado.
– De nada princesa. E aí? Quer tomar um café comigo?
Este cara lindo estava me convidando pra sair?! Nossa!
– Não vai dar, desculpa.
Disse já saindo, mas ele continuou me acompanhando.
– Você parece ocupada agora, mas podemos sair outra hora é só você me dizer seu nome e telefone.
Ele riu e piscou para mim. Fiquei meio boquiaberta com seu charme.
– Não posso.
Acelerei o passo.
– Não faz assim princesa, não seja tão difícil. Olha só, eu acabei de chegar do outro lado do oceano e esbarrei em você. Isso é o destino, não acha?
Ele disse sorrindo. Um sorriso que ele devia usar em suas cantadas.
– Não posso mesmo eu tenho namorado.
– Não seja por isso eu não sou ciumento.
Ele disse divertido e com essa até eu tive que rir. Eu já havia ouvido esse tipo de coisa antes, mas os outros faziam parecer um insulto. Já ele, não.
Cheguei ao dormitório e já na porta olhei para o lindo rapaz.
– Obrigado pela ajuda. Até mais.
– Até princesa.
Ele disse quando fechei a porta do prédio e não sei por que não pude deixar de sorrir.
Continua...


E ai meninas? O que acharam? Imagina quando eles descobrirem que são cunhados.
Lembramos que essa fic será postada todos os dias às 10 horas. 
Vamos rezar para que a Ju escreva logo os próximos capítulos de Coração Indomável (que serão postados as 18 horas, como de costume). 
Encontro vocês amanhã de manhã! Beijos!

------------------
Spoiler
Após a aula ela foi almoçar no apartamento encontrando Emmett e Rosálie e seu namorado. Depois de beijá-lo matando as saudades, já que estavam se vendo pouco devido aos estudos do namorado, perguntou pelo mais novo hospede que ela ainda não havia conhecido.
- Onde está seu irmão Rose? Não era pra ele chegar hoje?
Bella perguntou olhando para sua amiga.
- Na verdade ele veio ontem, mas teve que sair. Tinha que verificar suas aulas e ir ao hospital onde vai fazer residência.
- Ah, legal.
- Então Bella? Vamos a uma festa hoje a noite?
Sua cunhada perguntou sorrindo.
- Por que todo mundo quer me encher pra ir numa festa hoje?- ela olhou para o namorado - Vamos?
- Não posso amor, tenho aquela reunião com os professores que te falei.
Ela se lembrava de quando ele havia comentado sobre isso.
- Ah é verdade.
Bella disse desanimada por mais que dissesse que não queria ir ela gostaria de sair um pouco com ele. Jacob percebeu isso.
- Eu não posso ir, mas não me importo se quiser ir junto com a Rose.
Ela sorriu carinhosa para seu namorado. Ele estava tentando fazê-la se divertir.
Então ficou decidido que Bella iria à festa acompanhada de sua cunhada e o namorado dela. Jacob tinha que sair para mais uma aula, mas antes ele chamou a namorada para o quarto para conversarem em particular.
- Bella você sabe que meu irmão está morando aqui, e você ainda não o conhece, mas quero que tenha cuidado com Edward.
- Cuidado?
- Sim. Edward é... como vou dizer... envolvente.
- Jake está querendo dizer que seu irmão vai dar em cima de mim?
Ela perguntou incrédula.
- Edward dá em cima de qualquer uma Bella, e você é linda. Sabe que e ele e eu não nos damos muito bem...
- Jake não tem por que se preocupar, seu irmão não fará isso... com certeza não faço o tipo dele.
- Bella não é que não confie em você só tome cuidado, ok?


No comments :

Post a Comment