CASTELO DE AREIA - CAPITULO 05

Oi meninas!
Espero que amem este médico sedutor e sua princesa.
No próximo capítulo teremos um pouco de contato com o restante da família Cullen. Alice, Esme e Carlisle.

Castelo De Areia

CASTELO DE AREIA 
JU BAUER (JU BEIJA FLOR)

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo



Primeira fase
Capítulo 5
Everything
Adrenalina, emoção, liberdade eram as sensações que tomavam conta dos jovens enquanto flutuavam pelo ar de Boston.
Para Edward, apesar de ter feito vários saltos, a emoção sempre era diferente. Como se fosse sempre a primeira vez. Porém dessa vez era ainda mais especial. Por estar proporcionando algo legal a uma pessoa tão maravilhosa.
Isabella estava inebriada após um pouco de medo, o que era normal, agora desfrutava de uma sensação indescritível. Estava em outra dimensão.
A descida foi tranquila. Em alguns minutos eles já estavam aterrissando. Guiados pelo experiente instrutor, Edward, o pouso no solo foi perfeito.
– Tudo tranquilo Bella?
Ela procurou sua voz.
– Sim. Tudo ótimo.
Edward começou a soltar Bella do equipamento. Enquanto a soltava teve que rir ela não parava quieta. Parecia possuída por uma energia desconhecida.
Ele se afastou recolhendo o paraquedas. Ao olhar novamente para Bella ela parecia em êxtase.
– Ahh! Edward! Não acredito! É demais! Fantástico!
Edward abriu um enorme sorriso ao vê-la daquela forma. Ela estava radiante. Não parava de pular. E estava... Linda demais. Como ela era linda sorrindo daquela forma.
Edward começou a puxar o equipamento que ainda estava preso ao seu corpo. Bella já estava liberada.
– Foi demais mesmo.
Ele disse.
– Demais? Foi incrível acho que flutuei. Não tem noção de como estou me sentindo. E tenho que agradecer a você. Obrigado.
Inesperadamente Bella correu em direção a Edward o abraçando de forma entusiasmada. Mas Edward ainda estava preso ao equipamento e se desequilibrou levando os dois ao chão. Ele caiu e ela caiu por cima do corpo de Edward. Começaram a rir até que perceberam que seus rostos estavam a centímetros um do outro. Não saberiam dizer quem deu o primeiro passo, mas após se olharam profundamente alternando entre a boca e os olhos, os dois se aproximaram colando suas bocas.
O beijo começou com apenas um roçar de lábios. Os dois estremeceram pelo contato. Apesar de Isabella estar sobre o corpo do jovem, eles não se tocavam com as mãos somente com os lábios. Edward aumentou a pressão do beijo fazendo os corpos dos jovens esquentarem. Os dois estavam inebriados pelas sensações. Quando Edward tentou forçar a passagem de sua língua contra a boca da jovem ela pareceu recuperar a razão e se afastou abruptamente.
Isabella ficou de costas para Edward. Não sabia o que havia dado nela para beijar o cunhado. Agora estava morrendo de vergonha.
Edward permanecia deitado no chão saboreando o beijo que ele podia jurar que fora um sonho. Ele sabia que precisava fazer algo, conhecendo Bella do jeito que estava começando a conhecer ela certamente estava se sentindo culpada e envergonhada. Ele sentou-se próximo as costas da garota.
Pensou no que poderia dizer. Estava claro para ele. Ele a queria, mas Bella não era dessas que beijava outros rapazes sendo comprometida, e o pior, sendo comprometida com seu irmão. Ele não podia deixa-la se sentir mal. Fora um ato impensado era disso que ele se encarregaria de convencê-la.
– Bella...
Ele tentou faltar, mas foi interrompido pela jovem.
– Edward me desculpe eu não sei o que deu em mim... Estou envergonhadíssima.
– Bella se acalme. Olha pra mim.
Isabella levantou o rosto encarando seu cunhado rapidamente olhou sua boca, mas logo se recuperou encarando aquelas orbes verdes.
– Foi um impulso. Você quis me agradecer e se empolgou...
– Deve estar me achando uma vadia...
Ela disse baixando a cabeça.
– Nunca pesaria isso de você.
– Edward eu sou namorada do seu irmão.
– Eu sei, e sei que você é uma garota correta. Não faria nada que pudesse me fazer pensar mal de você Bella. Fica tranquila. Olha só eu quero continuar com essa amizade que temos então vamos esquecer que isso aconteceu.
Edward mentiu. Jamais poderia esquecer a sensação dos lábios dela nos seus, mas ela não precisava saber disso.
– Certo. Obrigado mais uma vez Edward, por tudo.
Isabella também mentiu sobre esquecer, mas pra ela as coisas eram ainda mais confusas já que tinha um namorado e gostava dele.
Ela não sabia dizer que sentimento ela nutria pelo cunhado, no entanto, como ele mesmo falara não queria perder sua amizade.
Eles voltaram para o apartamento e durante o trajeto conversaram e riram muito falando sobre o salto. O assunto “beijo” sendo praticamente esquecido, pelo menos superficialmente.
**********
Bella estava deitada na cama estudando ou tentando estudar já que imagens daquele momento dela e de Edward vinham constantemente em sua mente. Edward havia sido cavalheiro e não mencionara mais este assunto, mas ela não conseguia esquecer.
A porta do quarto se abriu e Jacob entrou com a cara amarrada.
– Oi.
Bella disse.
– Oi.
Jacob passou por ela pegando uma roupa e toalha pra tomar um banho.
– O que foi Jake?
Ele suspirou e sentou a beirada da cama.
– Eu ouvi Edward contado a Rose e ao Emmett que vocês saltaram de paraquedas hoje. É verdade Bella?
Bella ficou levemente perturbada por ter escondido isso do namorado.
– É verdade.
– Legal. Minha namorada salta de paraquedas e eu sou o último a saber.
– Jake não fala assim!
– Por que não falou nada Bella?
– Eu nem sabia ao certo se iria saltar, aí o Edward apareceu aqui e aí... Eu fui e fiquei com medo se eu te contasse você não iria me deixar ir.
– Mas é claro que eu não ia. Isso é perigoso Bella.
– Jake não é, e foi ótimo! Você poderia experimentar também.
Ele a olhou de semblante fechado.
– E essa historia de você estar sempre com o Edward, eu não gosto disso.
– Jake somos amigos. Poxa você não quer que sua namorada se de bem com sua família.
– Não é isso Bella é que... Edward é...
– Jake, por favor, não faça isso. Não estrague o momento. Saltei de paraquedas sabe o que é isso? Era pra você ficar feliz e não me recriminando.
– Desculpa. Eu fico preocupado Bella. Eu te amo.
Bella sentiu a força das palavras de seu namorado. E o que fizera voltou a sua mente a fazendo sentir um imenso remorso. Seu namorado não merecia isso.
– Eu sei que eu não falo isso muito, mas é assim que me sinto. Eu amo você Bella e não suportaria que nada te machucasse.
Jacob a abraçou e assim permaneceram por um tempo. Ambos namoraram por um tempo e logo o clima estava mais leve entre eles. Isabella se surpreendeu com o humor de seu namorado que estava bem melhor que nos últimos dias.
Eles passaram quase todo o tempo no quarto e não estudando, mas sim conversando rindo uma coisa que quase não vinha ocorrendo devido aos estudos de ambos.
– Lembra aquela vez que fomos ao cinema ver aquele filme de zumbis?
Bella perguntou deitada na cama ao lado de Jacob. Ele gemeu com a lembrança.
– Nem me fale!
Bella começou a rir.
– Você passou mal.
– Não passei mal não. Eu já estava enjoado.
– Conversa Jake. Você passou mal sim.
Bella gargalhava e Jacob riu também.
– A ta rindo de mim não é, pois agora vai rir com vontade.
Ele foi para cima dela fazendo cócegas.
– Não Jake! Para! Para por favor!
– Não queria rir. Vai rir agora então.
Continuaram as brincadeiras alheios ao mundo.
Edward não conseguia para de pensar no beijo. Ele dizia que não fora nada demais, mas não tirava o pensamento no gosto de Bella. Após um papo animado com Rose e Emmett contando a aventura que fizeram, ele resolveu ir para o quarto, mas antes subiu ao segundo andar pensando numa desculpa para falar com Bella. Mas ao chegar próximo ao quarto ouviu as risadas dela e Jacob. Raiva foi o primeiro sentimento que se apossou dele e depois outro desconhecido... Inveja. Nunca em sua vida havia sentido este sentimento, mas ele estava com inveja do irmão que poderia ter Bella pra ele quando quisesse... Que poderia ter os beijos de Bella quando bem entendesse e que poderia tocar nela e que...
Ele não queria mais pensar nisso e desceu as escadas voando, no entanto agindo impulsivamente como lhe era característico Edward não fora para seu quarto, mas sim para o quarto de umas das universitárias que vivia se insinuando para ele. E ele tentou nos braços de uma garota qualquer, esquecer os sentimentos que remoíam em sua mente.
Alguns dias depois...
– O que acha deste vestido?
Rose perguntou a Bella.
– Não sei, acho muito curto Rose, não quero parecer uma prostituta.
A loira revirou os olhos.
– Ah Bella! Não viaja. Jamais ficaria parecida com uma prostituta, Ok. Mas talvez um longo seja mais adequado a festa na mansão de Antony Masen.
Ela falou irônica.
– Você não vai? A festa é do seu pai.
Rosálie suspirou.
– Essas festas são chatas. Mas não é por isso que não vou. Primeiro por que Edward não vai, já que eles não se dão muito bem, e segundo que ele só sabe me criticar. Já falei muitas vezes e repito pai eu e Edward consideramos o Carlisle. O Antony nunca tentou ser um pai... Um bom pai. Ele só quer nos comprar com dinheiro. Edward eu não sei o que houve para ele se desentender com nosso pai, mas a mim ele só critica. Critica minhas escolhas. Critica por eu decidir ser engenheira mecânica, critica o homem que escolhi pra mim. Tudo. Então eu prefiro manter distancia.
– Eu entendo Rose, mas sinto um pouco de pena. Ele me parece uma pessoa tão solitária.
– Por que ele quer. Ele afasta as pessoas Bella. O único que não é o Jacob que parece lamber o chão que ele pisa.
– Jacob se sente inferior a vocês por isso tenta agradar o pai.
Rosalie se espantou.
– Jacob disse isso a você?
– Não. Ele não disse, mas dá pra perceber. A vida dele também não foi fácil Rose. Já parou pra pensar? Ele é o filho bastardo que perdeu a mãe no parto e foi criado pela governanta do pai. E aí vocês também o tratam de forma estranha.
– Bella... O Jacob nunca tentou se aproximar da gente.
– Tudo bem. Não vamos falar mais disso.
As duas se calaram cada uma com seus pensamentos.
– Além dessa festa de amanhã. Você também vai passar o feriado de ação de graças com Jacob em Seattle?
– Vou. Minha tia foi morar na America do sul. Aonde mais eu iria?
– Que historia estranha essa da sua tia, não é?
– Bota estranha nisso, mas ela sempre foi assim Rose, estranha.
– Bom o convite do ano passado está de pé.
– Vocês vão pra sacramento?
Isabella perguntou.
– Sim
– Hum... Edward vai também?
– Vai. Um amigo dele da Inglaterra vai vir também. Vai ser legal. Se você quiser vir Bella é claro que o Jake está convidado também.
– Duvido que ele vá querer ficar longe do pai.
Bella se olhou no espelho gostando do reflexo que ali mostrava. E observou Rose para perguntar aquilo que estava com vontade de fazer a dias.
– Quase não tenho visto Edward por estes dias?
– Nossa coitadinho! Está se matando. Ele já começou a ralar no hospital e não esta fácil pra ele. Um professor pegou no pé dele e o colocou no pior horário pra aprender. Durante a madrugada. Nesse dias ele dorme pela manhã.
– Hum... E... E ele está saindo com alguém?
Ela balançou a cabeça.
– Meu irmão não tem jeito. Sua vida de conquistador ainda continua. Mas também essas garotas não se dão ao respeito. Ficam se atirando.
Isabella não fez nenhum comentário porem pensou que Edward realmente não era homem de se amarrar em relacionamentos sérios.
***********
Edward estava saindo da sala de aula quando viu sua colega de turma seguir em sua direção.
– Oi Edward.
– Oi July.
– Hum... O nosso encontro hoje está de pé?
Ela perguntou hesitante. Ela não era uma das meninas atiradas que ficava atrás de Edward. É claro que o achava atraente e lindo, mas não estava disposta ser mais uma com fama de vadia.
– Claro. Eu vou pra casa agora, mas...
– Eu moro no mesmo condomínio que o seu, quando eu estiver pronto se quiser eu passo por lá.
– Claro. Pode ser.
Eles se despediram, e Edward seguiu para o apartamento. Ao chegar o ambiente estava em silencio, mas ele sabia que pelo menos uma pessoa estava em casa. Bella. Como sempre lutou com a vontade que sentia de ir vê-la, de conversar com ela e venceu. Seguiu para seu quarto. Ele não estava evitando-a pelo menos não deliberadamente, estava evitando seus sentimentos.
Edward arrumou-se para o encontro. Não estava necessariamente animado, mas pelo menos com July poderia ter uma conversa descente. De repente ouviu uma musica que vinha da sala. Curioso seguiu até o ambiente para dar de cara com uma cena que o fez sorrir.
Isabella não dançava. Ela sempre soube disso. Mas agora tinha um baile pra ir e precisava pelo menos saber alguns passos. Por isso se encontrava no meio da sala tentando dar alguns passos de dança.
A menina não sabia que era observada por seu cunhado, que achava a cena encantadora. Para ele tudo nela era encantador.
– Quem sabe não falta um parceiro?
Bella se assustou com a chegada dele e corou constrangida.
– Desculpe não queria te assustar.
Ele se desculpou.
– Não tudo bem. O que ficou abalado foi só a minha dignidade.
Eles riram.
– O que está tentando fazer?
– Tentando não passar vergonha no baile do seu pai amanhã.
Edward fez uma careta pela palavra pai que ela mencionara, mas não se ateu a este detalhe.
– Hum... Entendo. Não sabe dançar.
Bella não precisou confirmar o que era obvio.
– Podemos remediar isso.
Ele foi até o som procurando por algo e logo a musica deliciosa de Michael Bublé envolveu o ambiente. Edward estendeu a mão para a cunhada.
– Vai me ensinar a dançar? - ela perguntou e ele assentiu. – Vou pisar o seu pé. - ela avisou rindo.
Bella pegou a mão dele e ambos sentiram a corrente elétrica que sempre se formava quando se tocavam. Edward puxou Isabella e a rodopiou fazendo-a rir.
Everything
Tudo
Você é uma estrela cadente, você é o carro da fuga
Você é a linha na areia quando eu vou longe demais
Você é a piscina num dia de agosto
E você é a coisa perfeita para se dizer
E você se faz de tímida, e é meio que engraçadinho
Oh, quando você sorri para mim, você sabe exatamente o que faz
Querida, não finja que você não sabe que é verdade
Porque você vê quando eu olho para você
E nessa vida louca, e por esses tempos malucos
É você, É você, Você me faz cantar
Você é cada frase, Você é cada palavra, Você é tudo
Por meia hora Edward ensinou Bella a dar alguns passos. Eles riram mais do que dançaram. Estavam se divertindo. Em alguns momentos ficaram sérios devido à proximidade que estavam principalmente quando seus corpos se tocavam de forma íntima. Bella com suas pequenas mãos tocava os braços e a nuca do jovem, o que o fazia ter uma sensação desconhecida. Edward tinha, em alguns momentos, suas mãos na cintura fina da garota, e ela sentia seu corpo traiçoeiro aquecer.
– Desculpa.
Ela pediu pela décima vez que pisava no pé dele.
– Tudo bem.
– Não vai mesmo ao baile?
Edward negou de cabeça. Eles estavam parados esperando a musica recomeçar, mas nem por isso desgrudaram seus corpos. Isabella tinha as mãos nos ombros de Edward que segurava firmemente sua cintura.
– É uma pena que não...
Bella começou a dizer, mas foi interrompida pela chegada de uma jovem.
– Desculpe eu entrar assim..., mas eu bati e ninguém abriu e a porta estava aberta.
Bella encarou a jovem muito bonita se perguntando quem era.
– Tudo bem July.
Edward falou.
July? Pensou Isabella. Quem era essa? Seria namorada de Edward?
– Bella essa é minha colega de turma July, e July essa é... É Bella namorada do meu irmão.
– Oi Bella é prazer me conhecê-la.
A menina falou simpática.
– Oi July. O prazer é meu.
Ficaram sem saber o que dizer.
– Você está pronto Edward?
– Claro. Eu e July vamos sair. Continue treinando princesa logo estará como Ginger Rogers*.
Bella revirou os olhos e ele se inclinou dando um beijo leve na bochecha da cunhada.
Após a saída do casal Bella não sabia explicar os sentimentos que a tomavam. Uma sensação ruim ao ver Edward com aquela garota e mais que isso, uma sensação perturbadora por ter os lábios dele novamente em sua pele, mesmo que desta vez fosse em sua bochecha ao em vez de sua boca.
Ela balançou a cabeça.
Por favor, tenho parar com estes pensamentos.
*********
– Você vem mesmo no feriado? São apenas alguns dias para uma viagem tão longa.
Edward falou com seu amigo Jasper.
– Eu sei cara, mas to precisando espairecer se não vou brigar feio com meu velho.
– O que houve?
– Aquela historia de sempre. Ele me quer, depois de formado, enfurnado em um consultório medico, e você já sabe bem o que eu quero.
– Por mim tudo bem Jasper, pode vir, mas já sabe que vai ter que aguentar minha família maluca.
– Pior que a minha não deve ser e, além disso, você tem duas irmãs o que é muito interessante.
Jasper falou malicioso, sabendo que enfureceria seu amigo.
– Não!
Edward rugiu.
– Não o que?
– Nem pense nisso Jasper. Tenho duas coisas pra te dizer. A primeira: Rose tem um namorado que nem eu e você juntos chegaríamos a metade do tamanho dele. E segundo: se você ousar olhar pra Alice com segundas intenções, eu arranco sua bolas com um abridor de latas.
– Ok. Certo cara. Eu estava só brincando.
– É serio Jasper. Alice tem 14 anos é aquela fase bobinha se eu sonhar que você tem segundas intenções nossa amizade acaba.
– Sem estresse Edward, eu não tenho saco pra ser baba de menininhas.
– Ótimo.
– O que faz em casa num sábado a noite?
O amigo mudou de assunto.
– Não tinha nada de bom pra fazer.
– Ah fala serio que não tinha nenhuma gata para Edward Cullen se aquecer a noite?!
– Deixa de ser idiota Jasper.
– Desembucha Edward. O que está havendo?
– Nem queria saber. Conto-te quando chegar.
Após desligar Edward se enfurnou no quarto pra estudar. Não estava fim de sair. Havia recebido uma ligação de July, e por mais que a garota fosse legal, ele não estava a fim de sair com ninguém. Seus pensamentos não o deixavam em paz. Ele só pensava que há esta hora, em Seattle, Bella estava com seu irmão no famoso baile de Antony Masen.
********
Bella estava sentada ao lado de uma senhora na faixa dos 60 anos. O famoso baile de Antony Masen mobilizava toda a alta sociedade de Seattle. A mansão Masen estava abarrotada dos mais ricos e famosos do estado de Washington e arredores.
Isabella não estava se divertindo, na verdade estava sonolenta e louca pra subir para o quarto designado a ela e seu namorado. Mas teria que ficar um pouco mais. De longe observou Jacob e o pai em uma conversa íntima. Ela só não imaginava ser o assunto que os homens discutiam.
– Isabella está linda Jacob.
O jovem olhou para a namorada concordando mentalmente com o pai. Ela era linda e... Sua.
– Na próxima semana, no feriado de ação de graças, eu vou viajar pra fechar uns negócios e gostaria que fosse comigo.
Jacob não conseguiu esconder a surpresa e contentamento pelo ato do pai.
– Você quer me ajudar nos negócios não é?
– Sim é claro.
– Bom então está mais do que na hora de começar a se familiarizar com tudo. Por isso acho que é melhor Isabella ficar em Boston com sua irmã.
– Na verdade todos eles vão pra Sacramento passar o feriado com Esme.
– Que seja. Isabella pode ir com eles.
Antony deu de ombros.
Jacob não gostou muito da idéia já que lá ela ficaria próxima Edward.
– Eleazer está rondando então é melhor que Bella mantenha máxima distancia de Washington pelos dias que estivermos fora.
– Tudo bem. Como o senhor achar melhor pai.
Encerraram a conversa e Antony encaminhou-se para Isabella convidando-a para dançar.
Na pista de dança ela e o sogro tinham uma pequena conversa.
– Está deslumbrante Isabella, meu filho é um home de sorte.
Isabella enrubesceu diante o comentário do sogro. E Antony a achou ainda mais encantadora. Tão parecida com a mãe.
– Obrigada Sr. Masen.
– Como estão os estudos?
– Muito bem. Acho que este ano não terei problemas com as provas finais.
– Que bom. Fico feliz. Sabe? Eu não tenho muito contato com minha única filha. Ela me ignora e quero que saiba que você é sempre tão gentil comigo Bella que a considero como minha filha. Saiba que pode ver em mim um pai já que não tem o seu.
Isabella ficou emocionada.
– Obrigado senhor.
O baile seguiu sem qualquer contratempo e Isabella tentou aproveitar um estilo de vida que jamais fora seu sonho, mas que cada vez mais se fazia real já que seu namorado era um dos herdeiros de uma imensa fortuna.
Continua...
*Atriz americana que fazia filmes musicais e dançava muito bem

No comments :

Post a Comment