FANFIC CASTELO DE AREIA - SEGUNDA FASE, CAPITULO 11

Oi meninas!
Espero que amem este médico sedutor e sua princesa.
Capítulo triste, mas melhora um pouco no final e acho que vocês vão gostar do spoiler.


Castelo De Areia

CASTELO DE AREIA 
JU BAUER (JU BEIJA FLOR)

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo


Segunda- Fase - Capítulo 11
Bella olhava para o homem de sua vida. Como ele era lindo. Como poderia nunca mais olhar para seu rosto?
Edward se aproximou lentamente percebendo que algo estava errado.
– O que foi Bella? – se aproximou mais para abraça-la, mas surpreso a viu recuar saindo de perto dele. – O que houve?
Bella sabia que tinha que ser firme, mas como? As lágrimas já ameaçavam rolar por seus olhos. Respirou firme pensou no que estava em jogo e tomou coragem.
– Edward algo aconteceu...
– Eu estou percebendo. Você está toda estranha.
– Eu vou embora. – disse a queima roupa.
Edward jurou ter entendido errado.
– O que disse? – perguntou sem entender.
– Jacob esteve aqui hoje e...
– Como é?! Jacob esteve aqui?
– Sim esteve e...
– E você está bem amor. – ele disse com o semblante preocupado desarmando Bella. Conseguiu tocá-la e Bella sentiu o gosto amargo do amor que sentia por ele, e que agora ela teria que renegar.
Edward a abraçou e por uns minutos ela se deixou levar pela saudade e pelo amor que sentia. Fechou os olhos e aproveitou os breves minutos que ainda tinha com ele.
– Não precisa ir embora só por que ele a encontrou amor. – Edward disse alheio ao que se passava com a mulher que amava.
Bella acordou de seu breve sonho e se afastou dele. Caminhou até a janela e olhou para o mar. Um oceano não era capaz de separá-los, mas suas próximas palavras sim.
– Eu vou embora por que vou voltar para Jacob. Vou voltar para meu marido. – disse firme.
Edward prendeu a respiração por um momento e julgou ter escutado errado.
– Bella que loucura é essa? – perguntou.
Bella se virou e Edward se surpreendeu com o que viu. Aquela não era a mulher que ele amava. O olha frio que ela lhe deu foi como um soco.
– Não é loucura. Meu marido veio até aqui nós conversamos e nos acertamos e resolvemos tentar de novo. Temos uma filha juntos temos que pensar no que é melhor para ela e...
– Pare com isso! – Edward alterou a voz. – Está me dizendo que de ontem pra hoje tudo mudou. Que ontem à noite estávamos bem... fazendo amor pelo telefone e agora eu estou aqui e você diz que vai voltar para aquele calhorda. É isso Bella? Eu entendi bem?
– As coisas mudam Edward...
– Tão rapidamente? – respirou fundo tentando se acalmar – Bella pode confiar em mim eu faço qualquer coisa para ajudar você. – ele disse já quase desesperado.
Bella vacilou em sua decisão. Poderia confiar nele sabia disso, mas a questão não era essa. Jacob deixara bem claro o que aconteceria com Grace se ela abrisse a boca. Ela não teria chance contra ele. Contra os dois. Eles tirariam Grace dela. Ela podia não estar fazendo a coisa certa, mas certamente uma mãe desesperada em seu lugar faria o mesmo.
– Não preciso de ajuda Edward. – disse tentando não tremer a voz – Grace já está fazendo a mala dela e Jacob está nos espetando em um hotel na cidade. Eu só esperei aqui por que precisava te agradecer por tudo o que fez por nós neste tempo. Você nos ajudou muito.
Edward escutava tudo o que ela dizia estupefato. O que havia acontecido? Onde estava aquela Bella com quem ele havia passado as últimas semanas? A mulher que ele amava.
– Não fale comigo como se eu fosse apenas seu cunhado Bella. – Edward disse já não segurando a magoa.
– Não. Você não é apenas isso você... é um amigo muito querido que me ajudou muito.
– Um amigo? – falou sarcasticamente. – Que te ajudou? Ajudei como? Trepando com você?
Bell vacilou ante as palavras dele.
– Por favor, Edward não vamos dificultar as coisas...
– Eu não entendo Bella. O que no sentíamos quando estávamos juntos... era real... Eu sei que era. Quando seu corpo estava junto ao meu eu sei que você também sentia... - o amor, ele quis dizer, mas se calou.
As próximas palavras de Bella cravaram no coração do médico um afiado punhal.
– Foi apenas uma ilusão Edward. – Bella sussurrou.
Roxette
Deve Ter Sido Amor
Deve ter sido amor...mas agora acabou
Deixe um suspiro no meu travesseiro,
Deixe o inverno para trás.
Acordei sozinha, tudo estava quieto
Em meu quarto, e em toda a parte.
Toque-me agora, eu fecho meus olhos
e fico sonhando...
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Deve ter sido bom, mas de alguma forma eu o perdi.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Desde o momento que nos tocamos até nos separarmos.
– Ilusão... – Edward repetiu as palavras dela.
– Sim. Às vezes queremos algo que não tivemos no passado e aí quando o temos no futuro... percebemos que é só uma ilusão. – Bella disse.
– Eu te amo. – ele disse. – E isso não é ilusão.
Faça-me acreditar que estamos juntos,
Que estou amparada em seu coração
Mas por dentro e por fora, eu me tornei em água,
Como uma lágrima na sua palma da mão.
E é um difícil dia de inverno,
eu fico sonhando...
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Era tudo que eu queria, agora estou vivendo sem você.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
É onde a água flui,
é onde o vento sopra.
Bella sentiu as lágrimas vindo com força. Ela não ia conseguir segurar mais por muito tempo. O que mais queria era responder a ele da mesma forma e dizer o quanto o amava, mas não podia.
Ela desviou os olhos dele e foi ai que Edward sentiu a verdade a frente de seus olhos. Ela nunca dissera que o amava.
– Eu não quero que tenha ódio de mim...
– Você não pode estar falando serio. – Edward disse – E tudo o que nós vivemos Bella? Não significou nada? Eu não posso acreditar.
– Eu sinto muito Edward. – Bella disse às palavras que alimentaram a dor e a mágoa de Edward.
– Sente muito? Sente? – ele riu sem humor. – Não precisa perder seu tempo sentindo. Eu não sentirei. Quer ir embora? Que vá então. Eu não me importo. – ele disse ríspido.
Isabella sabia que ali estava perdendo seu amor para sempre. Ela engoliu o nó que se formou em sua garganta.
Isabella o olhou e viu tanta magoa que quase a fez voltar atrás. Ela pensou em dizer algo, mas ele voltou de costas para ela e saiu. Tremendo se segurou no sofá. Respirar estava sendo difícil.
– Seja forte... – falou como um mantra e seguiu para o seu quarto para pegar sua mala.
Edward estava em seu quarto. Ele queria deitar em sua cama e chorar como bebê, mas não faria isso. Era duro para ele admitir. mas não choraria por ela. Ela não merecia.
Andando pelo quarto viu aquele quadro que há muito pintara ainda escondido pelo pano que havia colocando para que ninguém soubesse de seu amor platônico.
Em frente ao quadro retirou o pano ele ali estava ela. O olhando. O enfeitiçando. O magoando. Uma lágrima sem permissão correu por seu rosto. Em um acesso de fúria Edward pegou o quadro e o colocou sobre a mesa. Não queria mais nada que o lembrasse desse amor que sentia por ela. Pegou um tubo de tinta líquida na cor vermelha e derramou sobre o desenho. Aos poucos os traços dela foram desaparecendo até restar apenas um quadro todo vermelho. Edward olhou novamente e parecia que o rosto dela se sobressaia sobre o vermelho. Seria assim? Ela nunca sairia de seu coração? Mesmo o magoando como esta fazendo? Não. Edward não aceitava isto. Queimaria o quadro se preciso fosse. Queimaria até a própria casa que ele tanto amava, mas não teria mais lembranças deles juntos. Lembranças de um tempo em que ele acreditou que ela o amasse também.
– Tio Edward. – ouviu a voz de sua pequena princesa chorosa parada a porta de seu quarto.
Grace estava com os olhos vermelhos de quem tinha chorado muito. Ele não gostava que a fizessem sofrer.
Ela correu para ele que a abraçou forte.
– Eu não quero ir embora tio. – chorou nos braços dele.
Pela primeira vez ele não sabia o que dizer. Por que ele também não queria que ela fosse. Que elas fossem. Mas isto estava além de sua vontade.
– Princesa... Não fique assim. – ele disse beijando seus cabelos.
– Eu não entendo tio Ed. Você e a mamãe não eram namorados? Por que ela quer ir embora? – Grace perguntou. Boa pergunta pensou, Edward. Ela provavelmente não me amava pensou, é claro que não poderia dizer isto a sua pequena.
– Eu não sei te responder a isso querida, mas quero que saiba que eu te amo muito e pode falar comigo sempre que quiser. Não esqueça que eu fiz um facebook só por que me pediu. Você tem que fazer o que sua mãe acha ser o melhor para você. – ele disse e a abraçou novamente.
– Eu te amo tio Edward. – a menina disse.
Eles ficaram abraçados por um bom tempo até Lita chamar a menina para terminar de arrumar suas coisas.
Passado algum tempo Edward ouviu coisas sendo colocadas em um carro, provavelmente o carro de Bella. Ele permaneceu em seu quarto. Não queria despedidas. Se for assim que ela queria era assim que iria ser.
Bella estava com tudo pronto para partir. Grace já estava no carro emburrada e sem falar com a mãe. Ela não entendia e era melhor mesmo que não entendesse.
Olhou a casa em que fora tão feliz. Seu coração estava em frangalhos por tudo o que estava ocorrendo.
Bella sabia que não devia fazer isso, mas suas pernas se moviam com vontade própria. Seguiu até o quarto dele. A porta estava aberta e o viu. Ele estava parado próximo à janela fumando um cigarro. Parecia em outro mundo. Então seus olhos vieram aos dela. Ficaram se olhando assim por alguns minutos até ela conseguir falar.
– Eu vim me despedir...
– Não precisava perder seu tempo. – ele disse ríspido.
Bella sentiu o baque. Ele nunca fora tão frio.
– Edward... eu...
– Adeus Isabella. É só isso que tem que dizer. Mais nada. Não venha com desculpas e outras coisas. Não quero escutar. Só diga às palavras que tem que dizer só isso, e depois vá embora. – ele disse firme.
– Adeus. – ela disse num sussurro.
Ele não respondeu e voltou a olhar para a paisagem. Ela entendeu que era hora de ir.
“Adeus meu amor”, falou em pensamento.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Deve ter sido bom, mas de alguma forma eu o perdi.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Desde o momento que nos tocamos até nos separarmos.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
Era tudo que eu queria, agora estou vivendo sem você.
Deve ter sido amor, mas agora acabou,
É onde a água flui,
é onde o vento sopra.
Isabella saiu dali e no corredor sucumbiu ao que sentia e chorou. Tentou não soluçar, pois poderia alertar a todos. Conseguiu chegar às escadas da frente da casa. Lita estava ali e a olhava com uma cara acusatória.
– Não me odeie Lita. – ela pediu não escondendo seu choro recente.
– Eu não a odeio Bella só não entendo o porquê está fazendo isso. Está claro para mim que ama o Edward. – ela disse.
Bella nada respondeu só foi até a jovem senhora e a abraçou com força.
– Cuide dele. – ela sussurrou em seu ouvido.
Lita teve ainda mais certeza de que ela amava o médico e que algo estava muito errado.
Bella entrou no carro e deu a partida dando adeus à vida de felicidade que ela jamais tinha tido em sua vida, e que provavelmente nunca mais teria.
Ela chegou ao hotel no centro de Monterrey e logo foi conduzida aos aposentos que a ela foi destinada pelo Sr. Jacob Masen. Mal entrou em seu quarto e Jacob entrou atrás.
– Olá querida. Eu sabia que não resistiria e viria o quanto antes. – ele disse e Bella se calou, pois gostaria de lhe dizer muitos improverbios, e Grace estava ali então não poderia.
Jacob finalmente colocou seus olhos sobre a filha.
– Olá meu amor. – ele disse todo afetuoso. Numa atitude que não lhe era característico. – Não ficou com saudade do papai?
Grace foi até o pai lhe abraçando. Ela não sentira muita falta dele já que este não era presente em sua vida, mas não podia negar que o amava. Era seu pai afinal.
– Oi papai. Senti sua falta. – a menina disse.
– Eu também meu bem. – Bella achou que neste momento ele estava sendo sincero, mas não podia ter certeza.
– Grace vá tomar banho que logo vamos jantar e a mamãe precisa conversar com o papai.
A menina fez o que a mãe lhe pediu.
– Pelo menos teve a decência de pedir um quarto a parte para que eu ficasse com Grace. – Bella disse.
– Estou sempre preocupado com seu bem estar minha querida. – ele disse irônico e Bella fez uma careta. – Partimos amanhã pela manhã cedo.
Ela assentiu.
– E como foi? Partiu o coração do meu querido irmão? Já até imagino a cena, ele implorando para que você ficasse.
Bella sentiu um nojo tão grande por suas palavras.
– Bem se vê que você não conhece o irmão que tem. Edward é um homem como poucos, Jacob. Ele ficará bem. – disse firme jamais humilharia Edward a frente de Jacob. Ele não precisava saber sobre o olhar magoado que Edward lhe deu quando ela saiu de seu quarto.
– Ah é? Isto me surpreende sim. Bom talvez ele não a amasse tanto como pensa.
Bella resolveu não dizer nada. Não queria mais pensar. Queria ficar só.
– Você pode, por favor, sair. Eu quero descansar. Amanhã teremos que viajar. Vou pedir o jantar no quarto mesmo.
– É claro. Só antes... eu quero seu celular.
– Como é?- perguntou surpresa.
– Para o caso de você cair em tentação.... Sabe como é.
– Vou virar prisioneira de novo?- perguntou.
– Não querida. Isto é somente proteção para seu próprio bem. Quando voltar a si eu te darei um novo celular com o maior prazer.
Bella entregou o dela o de Grace. Jacob prometeu um novo celular para Grace assim que chegassem a Seattle.
Ela e a filha jantaram em silencio. Grace não conversava com a mãe e Bella havia desistido de puxar papo. À noite, na cama, Isabella soluçava em silencio. A saudade de Edward era terrível e saber que nunca mais iria tê-lo fazia seu coração sangrar.
– Mamãe? Está chorando? – Grace se aproximou e abraçou a mãe. A menina lembrava de que quando a mãe morava com o pai ela só chorava e parece que agora seria igual.
As duas se abraçaram e assim Isabella conseguiu se acalmar e dormir.
***
Edward estava mesa do café da manhã com seu prato intocado. O olhar perdido em algum lugar. Lita o observava atentamente. Desde a partida de Bella, há três dias, que ele estava assim. Era de cortar o coração.
– Não está bom os ovos, Edward? – perguntou sutil como era sua característica.
– Hum... está sim é só que eu não estou com fome Lita.
– Ah bom... achei que eu estivesse perdendo a mão. – disse brincalhona e viu-o esboçar um sorriso. O primeiro sorriso em três dias.
– Não. Com certeza não perdeu a mão. – o jovem médico disse.
Lita ficou um pouco mais calma o vendo assim. O dia anterior tinha sido bem tenso, pois Edward recebera a ligação do diretor da escola em que Bella se candidatara ao emprego. O diretor ligou dando a boa noticia de que ela havia sido escolhida para o cargo de professora das series primarias. Edward então teve que dizer que ela não poderia aceitar, pois havia ido embora. Após isso Edward ficara transtornado ao ponto de jogar o telefone na parede o fazendo em pedaços.
Lita ficara assustada, mas entendera. Ela por diversas vezes tentou conversar sobre o assunto com ele, mas ele se recusara. Lita estava pensando em ligar para a senhora Cullen e dizer o que estava acontecendo com seu filho. Ela tinha certeza de que a família de Edward ainda não sabia sobre Bella, mas a empregada tinha medo de estar se intrometendo demais na vida do homem que amava quase como um filho, mas que era seu patrão.
O telefone da casa tocou e tanto Lita quando Edward se sobressaltou. Ela só esperava que não fosse nada relacionado à Bella.
Edward foi atender e Lita se acalmou quando ele disse o nome de sua irmã mais nova.
– Oi Alice. O que foi?- Edward dissera.
– Oi maninho. Estou te ligando para avisar que os gêmeos de Rose não quiseram esperar a data marcada e querem vir ao mundo hoje. Ela acabou de ir para o hospital.
Edward conseguiu sorri de verdade depois de dias.
– E como ela está? – perguntou.
– Está bem... ela está xingando o inferno fora dela. Disse que nunca mais o pau do Emmett chega perto dela outra vez. – Alice disse rindo.
Edward gargalhou deixando Lita que o observava feliz.
– Certo. Em uma hora mais ou menos estarei aí. – ele disse.
– Ótimo. Vou adorar rever a Bella e a Grace. – falou e sorriso de Edward desapareceu.
Ele ficou mudo.
– Edward? Esta aí? – Alice perguntou.
– Eu vou arrumar tudo aqui. Falamo-nos daqui a pouco. - ele disse desconversando.
– Ok. Até mais.– Alice disse sem perceber o que se passava na vida do irmão.
Edward desligou tentando esquecer que Alice tocara no nome dela. Ele precisava enfrentar. Teria que contar a sua família e provavelmente escutar e falar o nome dela, mas por enquanto se pudesse evitar seria melhor.
Em meia hora já estava com tudo ajeitado para ir para Sacramento. Ele passaria uns dias na casa dos pais e depois decidiria o que faria de sua vida, mas uma ideia o acompanhava constantemente ir de vez para a África.
Vender a casa em Monterrey também era uma das ideias. Ele amava o local, mas as lembranças dela ali eram muito fortes. Ele não conseguiria nunca mais olhar a casa com os mesmos olhos.
– Vai ser bom para você passar estes dias com sua família. – Lita disse na escadaria da frente com Edward já pronto para seguir viagem.
– Sim vai ser. E Lita? Sobre o que te disse... Sobre talvez vender a casa... Eu vou pensar melhor, mas se eu optar por isto saiba que escolherei uma boa pessoa para que possa ficar trabalhando para eles. Não quero prejudicar você e sua família.
Lita ficou emocionada. Gostava muito dele. Trabalhava para ele há 10 anos e não queria outro patrão, mas não cabia a ela decidir.
– Tudo bem menino. Não se preocupe. Edward... As vezes pensamos que não há saída. Que não conseguiremos seguir em frente, mas Deus sempre coloca uma alternativa em nossa vida. Você fará a escolha certa. Tenho certeza disso.
Ele sorriu e abraçou a mulher que nos últimos dias o tratara com um carinho que só uma mãe poderia ter.
– Obrigado por tudo Lita.
– Boa viagem menino.

Continua...


Eu sei foi de cortar o coração. 
E agora? Será que o Edward vai de vez pra África?
Será que ele vai vender a casa em Monterey?
No próximo capítulo nosso médico vai ter um tempo em família o que vai acalentar um pouco o coraçãozinho dele.
O spoiler vocês vão gostar. Quem espera uma Bella Maria sofredora se enganou ela vai a luta pra tentar mudar sua sorte. Ebba!!!
------------------
Spoiler
Deitada em sua cama Bella suspirava de saudade de Edward. Olhando para o teto de gesso da mansão ela pensava se podia haver alguma maneira de sair desta situação. Agora mais calma e com Jacob achando que ela faria tudo o que ele queria ela podia pensar melhor. Haveria uma saída? De repente ela saltou na cama. É claro que havia. Mas como faria isso? Como encontraria esta pessoa? Ela estava sendo vigiada o tempo todo. Bom, não quando estava dentro de casa.

Levantou e correu ao escritório de Antony Masen. Ela sabia que ele não estava em casa assim como Jacob, somente quem estava lá era sua amiga Ângela. Perfeito.
Ao entrar na sala decorada no estilo vitoriano encontrou Ângela concentrada em algo no computador. Ângela levantou o olhar e viu Bella. Ela sabia mais ou menos o que havia acontecido com a amiga, mas não a pressionara em contar.
- Oi Bella.
- Oi Ângela. Preciso de sua ajuda. - Com medo de que houvesse câmeras Bella tentou disfarçar. Sabe que na semana que vem é aquele baile anual aqui na mansão e não posso sair pra comprar algo apropriado para a festa e... quero estar bonita. Ângela conhecendo a amiga sabia que ela queria dizer outra coisa. 
- Claro Bella. Eu posso ver algo para você. Com certeza os grandes costureiros do mundo da moda gostariam de vestir a senhora Masen para esta festa. Ângela a olhou de uma forma que Isabella entendeu que ela havia entendido que não era sobre vestidos o assunto.
- Então... eu vou escrever aqui uma lista dos costureiros que eu quero que você veja para que venha aqui para eu escolher um vestido ok. Bella pegou um papel e escrevia duas coisas ao mesmo tempo. Em um, era uma lista de famosos estilistas. E em outro, um breve bilhete.

Preciso que encontre esta pessoa. Não use nada aqui da mansão. Se preciso use Lan houses. 

Abaixo seguia o nome da pessoa e as informações que tinha a respeito da mesma.

- Só isso? Ângela perguntou. Ela se referia a escassez de informações que Bella tinha a respeito da pessoa que ela precisava encontrar.
- Sim. Só isso. - respondeu pedindo com os olhos que Ângela fizesse o possível.
- Tudo bem. Ângela sorriu. -Vou conseguir os mais lindos vestidos Bella. Pode ter certeza.
- Confio em você em Ângela. Tenho certeza que fará um ótimo trabalho. Bella disse.

No comments :

Post a Comment