FANFIC CASTELO DE AREIA - SEGUNDA FASE, CAPITULO 14

Oi meninas!Espero que amem este médico sedutor e sua princesa.

Castelo De Areia

CASTELO DE AREIA 
JU BAUER (JU BEIJA FLOR)

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo






Segunda Fase - Capítulo 14
Isabella colocou Grace na cama e a cobriu. Olhou sua pequena e sorriu. Grace era adorável. Sempre fora uma boa menina. Nunca deixou que o dinheiro do pai de do avô a tornassem uma menina mimada e fútil.
Em seu sono a menina se mexeu e sorriu. Isabella esboçou um sorriso também. Grace estava feliz ela podia sentir, assim como Bella estava muito feliz.
Verificou se a filha estava realmente coberta e saiu do quarto anexo ao seu. Ao entrar na antessala que fazia parte do cômodo, em que estava no hotel, ela viu o elegante homem ainda vestido em seu smoking olhando as luzes da cidade pela janela.
Bella não perdeu tempo, com um sorriso foi até ele e o abraçou por trás colocando sua cabeça encostada em suas costas.
– Ela dormiu? – Edward perguntou pegando uma das mãos de Bella e a levando aos lábios.
– Sim. – respondeu Bella. – Ela está feliz.
Ele sorriu.
– Eu também estou. – disse.
– Nós estamos. – Bella replicou.
Edward voltou-se para ela. Olhando a linda mulher que ainda usava o belíssimo vertido azul.
– Achei que nunca mais fosse ficar assim com você... – ele disse, mas foi interrompido pelos dedos de Bella em sua boca o impedindo de falar.
– Não diga mais nada. Isto agora é passado Edward. Eu estou aqui... com você e nunca mais vou embora de novo. Se você me quiser eu serei sua até quando você quiser. – Bella disse com seu coração repleto de amor.
– Então será pra sempre minha Bella. – ele disse a puxando para um beijo potente. Ele tomou os lábios da mulher amada com destreza e pericia.
Ele levou a mulher que amava até a cama do quarto, retirou o vestido sendo embevecido pela beleza dela.
Eles se olhavam nos olhos.
Bella deslizou suas mãos pela camisa de Edward o fazendo tirar. Os dois não resistiam mais a saudade e o desejo que sentiam. Os dias que ficaram separados eram demasiados e precisavam aplacar a falta que sentiam.
A mulher deitada na cama tinha sobre si o corpo musculoso de seu amor. Juntos, entrelaçados eles se entregavam ao amor na sua forma mais pura.
Beijavam-se com luxuria e gemeram pelo contato de suas línguas, seus corpos e esqueceram os acontecimentos daquela noite tão marcante para ambos.
Flashback On
O casal apaixonado e louco de saudade um do outro beijavam-se, se esquecendo do mundo e dos problemas que os esperava. Era saudade, amor e desejo.
Edward sentia seu coração voltar a bater desde o momento que Bella dissera que o amava. Ele havia esperado tanto por este momento.
Bella se entregava ao momento de forma avassaladora. Só o que queria era sentir Edward. Sentir seu amor por ela.
– Eu te amo Edward... amo muito... quase morri sem você. Sem seus beijos. - Bella o beijou novamente. – E hoje você com Tânia... me matou.
– Eu fui um estúpido... eu só queria te magoar. Eu e Tânia não estamos juntos... ela só me acompanhou a pedido meu... não existe ninguém mais para mim senão você.
Beijaram-se de novo de forma intensa e selvagem. Por mais que quisessem continuar sabiam que precisavam conversar.
– Bella... me conte esta historia da Grace... eu mal posso acreditar nesta historia.
Ela abaixou os olhos tristemente.
– Não sabe o que tenho passado depois que descobri sobre isso. Saber que minha pequena não é minha filha...
– Hey! Pare com isso. Grace é sua filha não importa de que forma, mas você é a mãe dela Bella. Entendeu? Não pense diferente. – ele disse a abraçando novamente.
– Eu sei... eu sei Edward, mas bem ou mal eu não sou mãe biológica da Grace, e foi isto que Jacob usou para me atormentar.
Edward sentiu o sangue reagir.
– Filho da puta! Eu vou mata-lo Bella. – ele disse furioso.
– Calma amor. – ela disse colocando as mãos do lado do rosto do médico. – As coisas estavam difíceis, mas então hoje...
– Hoje?- Edward perguntou preocupado.
– Bom... a chantagem do Jacob consistia em que se eu não me separasse de você, ele e a mãe biológica de Grace pediriam a guarda. Bom eu não sei, mas me desesperei achando não ter chance contra o pai e a mãe biológica da minha menina e hoje... eu encontrei a mulher. A mãe biológica Edward, ela não estava nem sabendo disso. Ela não está com Jacob e não quer tirar Grace de mim então... eu não preciso mais ter medo. Hoje na festa eu iria aproveitar para ir até o escritório do Antony, recolher qualquer coisa que pudesse incrimina-los em alguma coisa para que ele me deixasse ir embora, mas aí você apareceu...
– Nós vamos sair daqui hoje e juntos. Nada vai me impedir disto. - Edward disse. – Bella jamais tente fazer algo assim... querer encontrar coisas que possam incriminar Antony e Jacob. – Edward disse muito serio deixando Isabella apreensiva. – Não sabe os segredos que se escondem por trás da família Masen.
– Edward... o que está querendo dizer? – Bella perguntou.
O médico desviou o olhar de sua amada. Não queria coloca-la nesta historia, mas ela precisava saber dos riscos.
– Os negócios deles são perigosos Bella. Eu não posso e nem quero falar sobre isso,mas quero que saiba disso.
Bella assentiu sentindo que o que Edward falava era serio.
Eles estavam de mãos dadas quando Jacob entrou na biblioteca. Ele sentiu uma fúria ao ver os dois apaixonados.
– Tire suas mãos da minha esposa! – Jacob rugiu.
Os dois se surpreenderam, mas logo Edward se recuperou partindo pra cima de Jacob deferindo um potente soco no rosto do moreno que cambaleou caindo no chão.
– Seu infeliz eu devia te matar seu merda! – Edward gritou tomado pelo ódio.
Bella tentou conter o médico o segurando pelos braços.
– Amor não perde seu tempo. – ela disse.
Com a mão no lábio que sangrava Jacob olhou para Bella.
– Irá se arrepender Bella. Eu vou tirar Grace de você... – disse ameaçando.
Não terminou o que dizia, pois levou mais socos de Edward.
– Escuta aqui seu bosta você jamais vai tirar Grace de nós, ouviu? – disse Edward novamente exaltado.
Antony Masen e Tânia entraram na biblioteca encontrando assim a situação.
– O que está acontecendo aqui? – ele perguntou, mas já sabendo do que se tratava.
Edward soltou Jacob no chão e se dirigiu ao pai.
– Eu vou levar Isabella e Grace daqui. – Edward disse a Antony.
– Não vai! – Jacob se manifestou.
Edward não deu atenção ao irmão e encarou Antony.
– Acho bom falar pra este seu capacho ficar quieto. Por que senão eu vou contar a todos os presentes aqui nesta sua maravilhosa festa tudo o que sei sobre os seus negócios Sr. Masen. – o médico disse.
– Você não pode provar. – Jacob falou.
– Cala a boca a Jacob. – Antony grunhiu.
– Leve-as. Você pode leva-las Edward. – disse.
– Eu não estava pedindo sua autorização. Eu estava apenas comunicando. – Edward disse serio.
Ele foi até Isabella percebendo neste momento Tânia olhando tudo com ar de apreensão.
– Amor vá preparar tudo. Nós vamos para um hotel hoje e amanhã vamos para Sacramento. – disse a Bella - Vá indo que já vou. Vou apenas providenciar um taxi.
Bella assentiu saindo da biblioteca. Ao passar por Tânia ela a olhou, mas nada disse.
Edward aproveitou o momento para falar com sua amiga. Coçou a cabeça desconfortável.
– Tânia...
A loira riu.
– Por favor, Edward. Eu já saquei. – ela disse apertando a mão do amigo.
– Me desculpe. Você não se importa de ir embora sozinha? – perguntou.
– Claro que não. Se não percebeu eu já sou adulta. – ela brincou e Edward riu.
– Amanhã eu ligo pra você e te conto tudo. – ele sussurrou percebendo o olhar atento de Antony sobre eles. – Vou ajudar a chamar um taxi pra você.
– Pode deixar Edward. – Antony disse. – Eu acompanho a senhorita Denalli. Posso mandar meu motorista leva-la onde ela quiser.
Edward estranhou a simpatia de Antony.
– Isso Edward. – Tânia disse- Vá ficar com a Bella. Eu estarei bem.
Edward se despediu e seguiu para os quartos onde encontraria Bella e Grace.
Acompanhada de Antony, Tânia seguia para a área onde os carros ficavam a disposição. Ela aceitou o oferecimento de Antony para que um de seus carros a levasse ao hotel.
– Agradeço por isto Sr. Masen. – Tânia disse.
– Era o mínimo que eu poderia fazer já que Edward... a deixou sozinha.
Tânia olhou para o homem. Ele era um homem charmoso. Era Edward só que mais velho, ou seja, era muito bonito, mas o sexto sentido de Tânia lhe dizia para que não confiasse apenas na aparência deste homem.
Ela também sabia que Edward não gostava do pai e não seria a toa devido a seu conhecimento do caráter do amigo.
– Edward não me deixou Sr. Masen. Nós somos amigos. Eu sempre soube que o amor da vida dele é Isabella.
– Mas você gosta do meu filho. – ele emendou.
– Gosto. Ele é meu amigo. – disse.
– Não é deste tipo de gostar a que me refiro Srta. Denalli. – falou perspicaz.
– Sr. Masen...
– Por favor, me chame de Antony. – disse sedutor.
Tânia percebeu o ar de sedução que o homem despejava sobre ela, e não estava disposta a cair nesta armadilha.
– Claro. – sorriu sem graça.
– Tânia eu e Edward... não temos uma boa relação. Infelizmente não é por que eu queira esta situação. Amo meu filho. Edward é meu filho amado, mas as situações da vida nos separaram. – ele disse.
Tânia não entendia o que ele queria com esta conversa.
– Isabella também me é muito cara. Eu gosto muito dela e de minha neta Grace. Temo que esta distancia, que me separa de Edward, possa interferir em minha relação com Isabella e com Grace.
– Desculpe Sr. Ma... Antony... eu não estou entendendo por que está me dizendo isso. – disse seria.
– Bom... eu queria lhe pedir algo em relação a isso. – ele fez uma pausa - Não tenho como conversar e lhe explicar isso agora devido a festa que ocorre neste momento. Sou o anfitrião e preciso voltar. Mas eu gostaria muito de conversar com você. Poderíamos almoçar juntos amanhã?- perguntou.
Tânia franziu a testa. O que este homem queria com ela?
– Por favor. – pediu Antony – Lhe garanto que não é nada demais. Somente a preocupação de um pai e avô.
Tânia estava com a resposta negativa na ponta da língua, mas decidiu ver o que este homem misterioso queria.
– Certo. Eu almoço com você. – ela respondeu.
Ele sorriu.
– Ótimo, eu a procuro amanhã.
– Mas você não sabe em que hotel estou hospedada. – Tânia falou.
– Eu a encontro. Pode ter certeza. - disse rindo.
Neste momento o carro chegou e Tânia entrou indo para o hotel.
Flashback Off
As portas da mansão Cullen se abriram revelando uma Esme surpresa por ver quem estava a sua porta. Esme poderia estar surpresa, mas não menos do que muito feliz por ver o sorriso radiante que filho tinha.
– Oi mãe. Não vai nos convidar para entrar?- Edward brincou ao ver que mãe não tinha reação. Ele estava abraçado a Bella e com Grace grudada em sua mão.
– É claro. Desculpe. Entrem. – ela riu tentando esconder sua surpresa.
– Oi vó Esme? – Grace a cumprimentou.
Esme sorriu encantada. A menina não era sua neta, mas sempre a chamava assim quando se encontravam. Ela devia sentir falta de uma avó, Esme pensou.
– Olá minha querida. – a jovem senhora a abraçou.
– Estou louca pra conhecer meus priminhos. – Grace disse animada. – Será que a tia Rose vai me deixar pegar eles no colo? – perguntou olhando para Esme.
– Eu acredito que sim meu bem. Você só terá que ter um pouquinho de cuidado. – Esme respondeu.
Seu olhar voltou para o filho e para Bella ainda parados na entrada.
– Oi Bella. Que bom revê-la. – disse sorrindo.
– Oi Esme. É também um prazer para mim. – Bella disse meio sem jeito perante o olhar de sua... sogra.
– Entre querida, Rose ficará muito feliz em vê-la. Sinta-se em casa meu bem.
Isabella passou por ela entrando na residência. Então Esme direcionou um olhar ao filho como se dissesse “mas o que está acontecendo”?- Edward entendeu o olhar da mãe.
– Depois mãe. Depois te explico tudo. – ele disse entrando na casa sendo seguido pela mãe.
***
– Rose eles são tão lindos. – Bella disse enquanto segurava Stefan no colo.
Em uma poltrona próxima a sua, Grace segurava Roger sob os olhares cuidadosos da nova mamãe.
– Sim eles são. – Rose disse envaidecida - Você sabe amiga que eu não iria deixar de caprichar quanto o que estava em questão eram os meus filhos não é?
Bella teve que rir.
Após paparicar seus novos sobrinhos Bella contou a Rose tudo o que estivera acontecendo em sua vida nos últimos dias. Sua cunhada ficara petrificada pela revelação de que Grace não era filha de Bella.
Resolveram não falar nada ao restante da família por enquanto, até mesmo para preservar Grace.
Ficaram dois dias em Sacramento aproveitando o contato com a família Cullen, mas eles estavam loucos para voltarem a Monterey. Voltarem para casa.
O barulho de um carro a frente de casa fez Lita ir olhar para verificar quem estava chegando. Da varanda ela quase não pode acreditar quando viu Edward, Bella e Grace saindo do carro.
A senhora abriu um enorme sorriso.
– Eu não acredito. – ela disse não fazendo questão de esconder dos jovens sua surpresa.
Edward e Bella riram.
– Litaaaa! – Grace correu em direção a ela a abraçando pela cintura.
– Minha menina. Que saudade. – ela encheu Grace de beijos.
– Onde está a Lorrane, Lita? – a menina perguntou.
– Está na escola amor, mas logo ela chega.
Ainda parados próximos ao carro, Edward e Bella abraçados sorriam vendo a cena.
– Pronta para recomeçar? – Edward perguntou.
– Não só pra recomeçar como para continuar. – sorriu e beijou seu amor.
Continua...


Gostaram?
O que será que Antony quer com a Tânia?
Será que o velho quer pegar a Tânia? ( ideia da Irene kkk)

No comments :

Post a Comment