FANFIC CASTELO DE AREIA - SEGUNDA FASE CAPITULO 16

Oi meninas!
Espero que amem este médico sedutor e sua princesa.
Gatinha e gatinhos.
Hoje o capítulo mostra sobre os segredos da fic e terá pouco do nosso casal, mas é essencial para entendermos tudo.

Castelo De Areia

CASTELO DE AREIA 
JU BAUER (JU BEIJA FLOR)

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

Segunda fase – capítulo 16
Edward ainda tentava assimilar o que o homem a sua frente tinha lhe falado. Era tudo muito surreal.
– Não... você deve estar enganado. Jacob conheceu Isabella na faculdade. – disse.
O homem lhe olhou e disse sem hesitar.
– Jacob talvez sim, mas Antony não. – respondeu.
Os dois se encararam por um logo tempo.
– Ok. Seja direto. O que você quer realmente dizer? – Edward o intimou.
O homem olhou ao redor verificando se estavam realmente sozinhos.
– Eu vou te contar tudo Edward. Observei você por muito tempo, vejo que é um homem de caráter. – ele respirou fundo. – Eu e Charlie, meu irmão, sempre fomos muito apegados. Como Charlie era meu irmão mais velho eu o tomava como exemplo. Charlie era contador e foi contratado pelo seu pai para trabalhar com ele. No inicio somente com coisas legais, mas depois... você sabe no que seu pai está metido não é Edward? – perguntou.
Edward assentiu.
– Sim. Com 17 anos, pouco antes de eu ir para a faculdade, ele me contou e mostrou tudo na esperança de que eu ficasse em seu lugar. Nunca senti tanto repudio em minha vida. – respondeu.
– Entendo. Bom Charlie quando se deu conta já estava bastante envolvido com tudo para sair. Charlie cuidava da parte burocrática da coisa o que lhe deu condições de ver bem como tudo funcionava. Então eu, jovem inconsequente, resolvi seguir os passos do meu irmão e ir trabalhar para seu pai, só que eu não tenho nada de pacifico para ficar na parte administrativa e muito menos tinha capacidade para isso, então me tornei um dos homens de seu pai. O faz tudo para e ele e consequentemente para a máfia russa.
Edward escutava tudo atento.
– Então vocês dois trabalhavam para meu p... para o Antony? – perguntou.
– Sim. Eu fiz de tudo que você possa imaginar para seu pai. Tortura, assassinatos etc... não me orgulho disso, mas eu era bom fazendo isso.
O homem fez uma pausa.
– Tudo seguia como vamos dizer tranquilo até a chegada de Renée. Ela foi contratada como secretaria do seu pai e consequentemente trabalhava muito próxima de Charlie o que fez ambos se apaixonarem, o problema foi que seu pai pôs os olhos sobre Renée também. – explicou.
– Você está querendo dizer que Antony queria Renée para ele? Como mulher?- perguntou Edward.
– Como amante. Antony já estava casado com sua mãe na época. – falou – Ele desenvolveu uma obcessão por ela, ainda mais por que ela o recusava. Então ela e Charlie tiveram que manter o romance deles em segredo e quando perceberam que a situação cada vez ficava pior resolveram fugir. Renée já estava grávida de Bella e eles precisavam sumir. Eu como irmão claro que o ajudei, e como consequência eu também teria que sumir, pois Antony iria me usar para encontrar meu irmão ou fazê-lo retornar. – disse.
– E o que aconteceu? – Edward perguntou cada vez mais interessado.
– Meu irmão era uma cabeça dura. Eu tentei muitas vezes convencê-lo de irmos para a Europa, que lá jamais Antony o encontraria, mas Charlie pensava diferente. Ele achava que quanto mais perto de Seattle menos Antony iria suspeitar de onde eles estavam, e por isso se instalou em Forks. Eu achei um absurdo eles ficarem numa cidadezinha a menos de duas horas de carro de Seattle, mas não houve jeito que eu o convencesse. – ele fez uma pausa. – Ele conseguiu se esconder por 10 anos, mas...
– O que? – Edward perguntou.
– Eu me condeno sempre por isso. Sinto na carne que fui culpado pela morte do meu irmão. – falou o homem amargurado. - Enquanto Charlie se escondia em Forks eu fui para a Europa e me estabeleci lá onde vivo até hoje. Eu viajei por vários países até mesmo por questão de segurança mesmo que o local que eu morasse já fosse seguro, e... numa destas viagens conheci uma mulher, a mulher errada. Fiquei cego por ela. Carmen. – ele disse.
– A tia da Bella... ou melhor a mulher que diz ser sua tia.- falou Edward.
– Essa mesma. Eu juro que se um dia eu por minhas mãos nessa mulher novamente ela vai pagar muito caro por tudo que fez. – Eleazer disse ameaçadoramente.
O garçom trouxe uma cerveja para ambos e Eleazer esperou que ele se afastasse para continuar.
– Cego de paixão levei Carmem comigo para visitar Charlie em Forks. Já fazia 6 anos que não o via. E ainda não conhecia Isabella. Passamos 15 dias com eles e eu sempre pedia que ele fosse comigo para a Europa, mas ele sempre negava. Foi a ultima vez que vi meu irmão. Meu relacionamento com Carmem chegou ao fim dois meses após passarmos este tempo com Charlie e sua família. Eu jamais poderia imaginar que esta mulher que levei para conhecer meu irmão seria mulher que quatro anos depois entregaria meu irmão numa bandeja para Antony.
– Você tem certeza que foi ela? – perguntou Edward.
– Eu não sabia como tudo tinha acontecido. Só sabia que Antony conseguira encontrar Charlie e matara ele e Renée e que Isabella tinha sobrevivido, as após anos de investigações consegui descobrir que Isabella a noiva de seu irmão, na época, tinha uma tia e que ela se chamava Carmem.
– Então na sua conclusão Antony descobriu Carmem que entregou onde Charlie estava e depois pediu a ela que se passasse por tia de Bella?
– Eu imagino que sim, Carmem era gananciosa por dinheiro.
– Mas por que... - Edward não gostava nem pensar nesta possibilidade – Porque não mataram Bella também? Por que Carmem topou tomar conta fingindo ser sua tia?
– Bom... eu não tenho todas as respostas quanto a isso. Por mais calhorda que seu pai seja não me parece que ele quereria matar Renée. Ele a queria para ele de qualquer forma. Mas pode ter havido algum equivoco quanto a ordem de matá-los, eu não sei. A máfia russa exigia a morte deles. Quanto a Isabella Edward, tudo está escondido atrás das lembranças dela. – Eleazer disse.
– Como assim? – Edward perguntou.
– Hoje não sei te dizer se que o meu irmão fez protegeu ou piorou a vida da filha, mas garanto que o intento dele era somente proteger Bella.
– Ao que se refere Eleazer?
– Quando fugiu Charlie pegou muitas provas contra Antony e contra a máfia russa. E uma grande fortuna em diamantes. Uma parte dos diamantes Charlie deu a mim para que eu pudesse recomeçar minha vida. Sou um homem com posses hoje em dia graças a ele. Quanto as provas Charlie achava que isso seria uma espécie de garantia.
– E onde estão estas provas? - perguntou Edward.
– Ninguém sabe. A única pessoa que pode saber é...
– Bella. – Edward completou o pensamento.
Eleazer assentiu.
– Exato. Charlie guardou isso em algum lugar e disse que a chave de onde isso está, estaria com Bella. – Eleazer explicou.
– Mas sé que Bella teve suas lembranças apagadas. – Edward disse.
– Isso.
– Então é isso que tanto Jacob e Antony querem que ela lembre. – Edward falou.
– Com certeza. Aí esta a explicação de Antony pedir a Carmem que ficasse com Bella. Depois disso seu irmão começou a namora-la, ou seja, ela sempre esteve debaixo dos olhos deles. – Eleazer disse visivelmente contrariado.
– Meu Deus que historia! – Edward exclamou.
– É a mais pura verdade. – Eleazer disse.
– Não sei como Bella vai reagir a tudo isso. Toda vida dela é... como um castelo de areia. – Edward colocou as mãos na cabeça.
– É sim. Mas agora que eu consegui me aproximar de você, nós podemos ajuda-la Edward.
– Como assim? O que você quer dizer Eleazer?
– Eu quero ajuda-la. É minha sobrinha. A única família que me sobrou. Quero ajuda-la a se lembrar. – Eleazer disse.
– Você é igual a eles. A Jacob e a Antony. Está atrás do que a memória de Bella guarda. Atrás destas malditas provas ou até mesmo desses diamantes. - Edward grunhiu.
– Não. Não Edward a minha intenção é apenas livrar Bella deste fardo para que ela possa viver feliz. Não entende que eles nunca vão para de ficar atrás dela por conta destas provas? E não me refiro a seu pai ou a Jacob, mas sim a máfia russa. Tenho fortes convicções em acreditar que seu pai, por mais que eu o odeie é que mantém Bella viva. Pela máfia ela estaria morta há muito tempo e problema resolvido. Essas provas nunca seriam descobertas. E se eles se cansarem de esperar que ela se lembre? – Eleazer explicou.
Um frio passou por Edward. Ele tinha que convir que o que tudo que aquele homem dissera fazia sentindo.
– O que sugere que façamos?- perguntou Edward receoso.
– Primeiro eu queria encontrar minha sobrinha. Há anos que não a vejo. É um pedaço do meu irmão que na vejo a mais de 20 anos.
– Não sei. Eu preciso preparar Bella. Preciso de alguns dias. – Edward disse.
– Eu entendo. O que seriam alguns dias para quem esperou por 20 anos? – ele disse.
– Qual seu intento Eleazer? Como poderia ajudar Bella?- Edward perguntou.
Eleazer se ajeitou em sua cadeira.
– Edward essas provas são muito poderosas. Há gente grande envolvida com o mundo da máfia. Elas valem muito. O que penso em fazer é ajudar Bella a se lembrar, pegar essas provas e desaparecer. – ele riu – O que faço de melhor.
– Não entendo. – Edward disse.
– Quando estas provas estiverem em minhas mãos eu posso negociar principalmente em deixarem Bella em paz. Se qualquer coisa acontecer a ela a você ou a Grace eu coloco a boca no mundo. Assim vocês poderiam seguir as vidas de vocês em paz. – ele disse.
– Mas e quanto a você? Vai viver com esta bomba nas mãos? – Edward perguntou.
O homem deu um grande sorriso.
– Primeiro eu devo isso a meu irmão. Que Bella fique livre disso. E depois que percebi que sou bom em me esconder. É ate divertido. – respondeu.
Edward achou estranho ele achar isto divertido. Eles se separam com Edward prometendo manter contado de quando ele poderia encontrar Bella.
Dirigindo para casa, meio atordoado pelas informações, ele não sabia o que pensar. Somente que a proteção de Bella era o essencial.
Bella chegara em casa, vindo das compras na cidade, e encontrara Lita na cozinha mexendo algo na panela que tinha um cheiro muito bom.
– Nossa! Que cheiro bom Lita. – ela disse rindo.
– Oi Bella. Estou fazendo uma cobertura para o bolo que a Grace me pediu. – Lita disse sorridente como sempre.
– Você vai deixar essa menina mal acostumada. – ela brincou. – Por falar nela onde Grace está?- perguntou.
– Ah ela recebeu uma ligação no celular e foi para o quarto, depois disso não a vi mais. – Lita respondeu.
– Ok. Vou lá ver como está a minha menina. – Bella disse.
– Encontrou tudo o que queria na loja Bella? – Lita perguntou.
– Encontrei sim Lita, até que é uma lojinha bem estruturada. – disse.
Bella foi para o segundo andar da casa e não encontrou Grace em nenhum lugar. Resolveu procurar pela casa toda não encontrando a menina. Uma sensação ruim começou a tomar conta de Bella.
Ela voltou a cozinha perguntando por Lorrane sempre que Grace sumia as duas estavam juntas, mas dessa vez não. Lorrane estava fazendo a lição de casa e não sabia onde Grace estava.
O desespero começara a tomar conta de Bella, e então interpelou Lita.
– Lita você sabe me dizer com quem Grace estava ao telefone? – Bella perguntou olhando muito serio para a senhora.
– Eu... eu não tenho certeza, mas acho que era o pai dela. – Lita declarou.
Então Bella começou entender que algo havia acontecido com sua filha. O barulho de um carro chegando lhe chamou a atenção. Ela correu em direção à frente da casa encontrando Edward saindo do carro.
Edward se surpreendeu ao ver Bella chorando vindo a seu encontro.
– O que houve Bella? – perguntou assustado.
– Grace... Edward. Ela desapareceu.
Continua...


Gostaram?
O que será que houve com a Grace?

No comments :

Post a Comment