FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - CAPITULO 03

Hey gente, Vamos ao jantar então?

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Capítulo 03 - Jantar e Conhecendo 

Estou me sentindo ridículo. Não, não estou me sentindo. Eu sou ridículo.
Sou um cara de 27 anos, que vai ter seu primeiro jantar com uma garota. Esse fato já é estranho por si só. Mas pra piorar, meu irmão está sentado à mesa também, e vai jantar conosco. Isso é tão ridículo.
Mas eu simplesmente não consigo fazer isso sozinho. E se ela não gostar de mim? E se ela rir de mim? E se ela me acusar de enganá-la? Suspirei. E se ela sentir pena de mim? Isso eu não suportaria.
Por isso preciso de Emmett comigo. Meu irmão, melhor amigo, meu escudo contra tudo.
– Emmett, ela está demorando. Acho que ela desistiu. – suspirei e brinquei mais uma vez com meu copo de coca-cola com gelo. – Ou pior, ela veio, me viu nessa cadeira de rodas e foi embora sem eu perceber.
– Edward, não tem como ela ter te visto. Você escolheu a mesa mais escondida desse restaurante, tá sentado colado à parede. Nem eu que estou aqui do seu lado consigo enxergar direito essa cadeira. Imagine quem esta de longe. – Bebi um pouco minha coca enquanto considerava o argumento de Emm. – Isso irmão, toma um pouco de coca, e relaxa, ela deve estar atrasada. Você não disse que ela não tem carro? Então, deve ser o ônibus que atrasou.
– É. O ônibus, só pode ser isso. – suspirei. Mas logo fiquei nervoso de novo. – Mas que merda de ônibus é esse Emmett, que atrasa 40 minutos? Ela me deu um bolo, só pode. – bebi mais um pouco da coca. – Como eu sou bobo. Sou um idiota por ter ficado fantasiando com esse jantar. Imaginando coisas bonitas pra dizer a ela. – ri um pouco sem humor. – Vamos embora Emm. São 9:45 já, ela não vem.
– Edward... – não deixei ele terminar.
– Vamos Emm, por favor. Isso não está me fazendo bem. Sinto como se todos estivessem me olhando, parece que todos sabem que eu marquei com uma garota aqui, e ela me deu um bolo. E eu não a culpo. Vamos Emm, por favor. – Mas o que há com meu irmão que está olhando pra entrada e rindo?
– Edward, sua garota chegou. Ela está linda. E acabou de nos ver.
Lentamente, minha cabeça girou em direção a entrada. E eu a vi. Linda, magnífica, esplendorosa. E puta merda, muito gostosa naquele vestidinho preto, colado, curto.
Céus. Estou fudido, ela é ainda mais linda do que nas fotos. E ela está vindo em minha direção, e sorrindo. Sorrindo? Que sorriso lindo. Um sorriso doce. Ela parece estar... Feliz em me ver?
Provavelmente ela não viu que estou numa cadeira diferente das outras do restaurante.
– Oi Edward. – Ela disse sorrindo lindamente pra mim. Já disse que o sorriso dela é lindo? – Me desculpe a demora, eu tive uns probleminhas no meu serviço, e passei um pouco do horário. Até eu ir em casa e me arrumar, levou mais tempo do que eu esperava. Espero que você não esteja chateado. – Oh, ela se atrasou por conta do trabalho. Como eu sou um idiota. Pensando que ela me daria um bolo, mas na verdade ela teve um problema no trabalho.
– Tudo bem Bella, não tem problema. – eu estava sorrindo feito um bocó. Meu Deus, acho que vou enfartar. Meu coração parece estar dançando cancã em meu peito.
Estava parado feito um maluco, olhando pra Bella, que sorria lindamente pra mim, quando ouço um pigarreio. Ah, meu irmão. Já tinha até esquecido.
– Ér... Bella... – puta que pariu. Como dizer que meu irmão vai jantar conosco, sem parecer estranho? – Bella, meu irmão vai jantar com a gente, você se importa? – nossa, que jeito elaborado heim, Edward. Eu sou um idiota, até minha consciência me sacaneia.
– Ér... não. Tudo bem. – senti que ela ficou confusa. E parece... constrangida? – Por mim, sem problemas. É Emmett, não é mesmo? – ela sorriu pro meu irmão, e ele se levantou apertando a mão dela.
– Sim, e você é a tão famosa, Bella. Tenho escutado muito seu nome, nos últimos dois meses. – Nossa Emmett, obrigado por revelar que falo dela 24 horas por dia. Tive vontade de falar, mas só os observei.
– Nossa, espero que esteja falando bem de mim, Edward. – Ela sorriu pra mim, e eu em reflexo, sorri pra esse anjo que se sentava de frente pra mim. Ela se virou pra Emm, que havia puxado a cadeira pra ela, e lhe agradeceu sorrindo mais abertamente. Óh porra! Só falta agora essa. Ela se interessar por meu irmão.
Tentei tirar esses pensamentos da minha cabeça, e controlar esse ciúme besta que senti agora. E voltei a falar com ela.
– Não tem como falar mal de você. Só tenho coisas boas pra falar a seu respeito.
– Nossa Edward, obrigada. Também só tenho coisas boas a falar sobre você. – Ela falou e mordeu os lábios. Óh porra, ela mordeu os lábios.
Acho que tem um cabaré em meu peito, porque meu coração voltou a dançar cancã alucinadamente.
– Então vamos pedir, não é mesmo. Confesso que já estou com fome. – chamamos o garçom, e fizemos nossos pedidos.
– E então Bella, foi algum problema sério que você teve no trabalho? – tentei quebrar o silencio constrangedor que se instalou após a saída do garçom. Realmente, não era normal jantar com uma garota, com seu irmão ao seu lado.
– Ah, não foi nada grave. Eu só tinha pedido um adiantamento pra minha patroa. Ela estava um pouco relutante, mas no fim nos resolvemos. Esse restaurante é um pouco caro entende. – ela cochichou a ultima parte, como se estivesse nos contando um segredo de Estado. E seu comentário me deixou intrigado.
– Bella, não estou entendendo. O que tem haver o restaurante com esse adiantamento que você pediu a sua patroa? – ela não está achando que vai pagar a conta, está?
– Como o que tem haver Edward? Eu estava meia quebrada de grana, sabe. E então precisava pegar um vale, já que marquei aqui com você. Bom, eu só marquei aqui, porque você, como empresário deve estar acostumado com esses lugares chiques. – ela definitivamente está achando que vai pagar a conta.
Mas aí me senti mal com mais um assunto não esclarecido. Empresário. Na verdade, é o que eu sou. Mas não do jeito que ela está pensando.
Eu não saio todas as manhãs de terno e gravata, e vou pra algum arranha-céu aqui em Seattle, e tenho reuniões o dia todo.
Eu sou sócio da construtora do meu pai. Aliás, eu e Emmett somos. Meu pai fez questão de nos colocar como sócios assim que atingimos a maioridade. Emmett além de sócio, trabalha na construtora. Eu, apenas vivo do meu pró-labore. Aliás, nem dele não vivo. Já que não o gasto com nada. Está aplicado no banco. Meu pai diz que já devo ter uma fortuna pra abrir minha própria empresa, já que deposito tudo que recebo nessas aplicações financeiras. E já devo ter mesmo.
– Bella, primeiro de tudo: Você está maluca se acha que vai pagar a conta, quando eu estou presente à mesa. E segundo: nós precisamos conversar. – eu disse meio tenso e olhei pra Emmett. Ele com certeza entendeu o recado, mas não fez menção de se levantar.
– É Edward, eu sei que temos que conversar. – ela disse um pouco mais séria, e me olhou intensamente. Meu Deus, que olhos lindos. Castanhos. Como chocolate derretido. Combina com seu cabelo castanho. Liso, com alguns cachos nas pontas. Ela tira minha concentração, isso é um fato!
– Emmett, você não disse que ia fumar um cigarro antes dos nossos pratos chegarem? – espero que ele entenda essa indireta.
– Não Edward, não me lembro de ter dito isso. – Mas que porra? Olhei pra Emmett, e ele me olhava como se quisesse me dizer: Não, não vou sair do seu lado. Atitude nobre, mas eu estava mais inseguro de falar com ele aqui. Não sei por que, mas um coisinha dentro de mim, me dizia que Bella entenderia minha situação.
– Disse sim, Emmett. – dei um olhar mortal a meu querido irmão.
– Não, eu não disse. – ele correspondeu meu olhar. Era uma batalha? Ok.
– Emmett. Eu me lembro perfeitamente do momento em que você disse que queria apenas um cigarro antes de jantar. Você poderia aproveitar, e ligar pra Rose. Eu disse a ela mais cedo, quando ela ligou lá pra casa, que iriamos sair pra jantar com uma garota hoje. Espero que ela não tenha entendido errado. – Golpe baixo, eu sei. Mas funcionou, no mesmo momento Emmett arregalou os olhos, e pediu licença, nos deixando a sós.
– Na verdade, eu não falei nada a namorada dele. Nunca faria isso. Mas foi o jeito mais fácil de fazer meu irmão nos dar uns minutos a sós. – eu me expliquei pra Bella, que já ria da situação.
– Ok. Isso foi golpe baixo com ele. – ele estava tão linda rindo pra mim. Meu coração falhou uma batida enquanto eu examinava seu belo rosto. E então Bella ficou séria, e suspirou. – E então... – ela se interrompeu pra eu continuar. Eu sei o que ela quer. Eu disse que tinha que conversar com ela. Mas parece que agora minha súbita coragem sumiu. Senti minha mão começar a tremer.
– Bem... Bella... Me desculpe... eu... eu... omiti alguns fatos de você. – me senti um crápula nesse momento. Deus, isso é difícil.
– Eu estou vendo Edward, só não entendo. – ela continuava a me olhar seriamente. Resolvi começar de um jeito fácil.
– Você reparou que eu estou em uma cadeira diferente das outras do restaurante? – perguntei um pouco tímido.
– Sim, eu reparei. Prossiga. – por que ela estava tão séria? Isso só me deixava mais nervoso ainda. Ela não estava parecendo com aquela garota doce que entrou sorrindo no restaurante.
– E vo-você sabe o que si-significa isso? – mas que merda. Precisa gaguejar assim Edward?
– Sei. Confesso que foi um choque quando ainda na entrada do restaurante, eu te vi em uma cadeira de rodas. E então estou há 20 minutos me perguntando o por que de você não ter me contado isso. – Oh Meu Deus. Por essa eu não esperava. E o Emmett ainda me dizendo que não dava pra reparar.
– Bella...- eu não sabia o que falar. – Eu não percebi que você havia reparado. Você estava sorrindo o tempo todo. – eu não consegui olhar em seus olhos.
– E o que tem haver? Confesso que fiquei chateada por você não ter me contado nada sobre sua situação. Mas não tinha motivos pra não sorrir. Eu estou aqui... com você. Estou feliz. – O quê? Ela não está me xingando? Não está rindo de mim? Não está me humilhando nem nada? Ela está feliz por estar comigo?
– Você... vo-você... ér... você – eu não conseguia elaborar uma frase.
– Você achou que eu não iria querer conhecê-lo se soubesse sua situação? É isso que você pensa de mim Edward? – Oh meu Deus, agora me senti culpado. Como pude pensar tão mal da minha Bella? Droga, nem sei mais o que pensar.
– Não Bella... - ela me olhou severamente. - Ta ok, eu realmente pensei isso. - confessei, e dei um longo suspiro. - Bella, eu fiquei com medo de você não gostar mais de conversar comigo na internet, medo de você não querer me conhecer depois que soubesse... ér... minhas limitações.
Ela segurou minha mão por cima da mesa. Um sensação gostosa atravessou meu corpo (pelo menos as partes que eu sentia do meu corpo), e a porra do cabaré em meu peito voltou a funcionar. Meu coração já não dançava cancã. Dançava... como é o nome daquele rítmo brasileiro mesmo? Ah, frevo. Meu coração dançava frevo em meu peito. Segurei forte em sua mão, não queria soltar nunca mais. Essa foi a primeira vez que nos tocamos, e eu tinha a sensação de querer isso pra sempre.
Após olhar fixamente pras nossas mãos unidas, eu levantei os olhos e encarei aquele rosto lindo, do anjo que estava a minha frente. O nariz arrebitadinho, a boca vermelhinha, com traços suaves. Os olhos mais lindos que já vi em toda minha vida.
E ela sorriu pra mim. Sem perceber eu já sorria também.
Meu Deus, eu sempre tive certos tipos de pensamentos amorosos, com relação a Bella. Já fantasiei muitas vezes nós dois em meu quarto, deitados em minha cama, abraçados, trocando beijos e carinhos.
Mas agora, vendo ela na minha frente. Tocando sua mão. Vendo seu sorriso pra mim. Saber que ela não fugiu quando me viu em minha cadeira de rodas. Pude constatar um fato.
Eu estou loucamente e irrevogavelmente, apaixonado por Isabella Swan, minha doce Bella.
Sorri com essa constatação.
Puxei a mão dela pra um pouco mais perto do meu rosto. Ela se apoiou um pouco mais na mesa. E eu levei sua mão a meus lábios. Beijei sua mão. E foi tão bom beijar sua pele.
Meu coração saiu do frevo, e resolveu sambar alucinadamente em meu peito. Céus, como é bom estar apaixonado, e ver que Bella não se importa com minha situação.
Continuei segurando sua mão em cima da mesa, quando ela voltou a falar.
– Poxa Edward. Não devia ter pensado assim. Acha que sou o quê? - ela riu um pouco, e eu também. Agora vejo que foi a maior besteira do mundo eu ter ficado com medo da reação dela.
– Desculpa Bella. Foi um medo idiota, eu sei. - continuamos sorrindo feito dois idiotas. Agora o meu medo parece ter sido tão ridículo.
– Ah tudo bem Edward. Não vamos mais falar nisso. Eu gosto de você pelo que você é. Aquele cara legal e engraçado que tenho conversado nos ultimos dois meses. - eu ri mais um pouco. Deus, como estou sorrindo hoje. Será que ela também sentia isso que sinto por ela? - Edward, você tem sido um amigo e tanto pra mim. Você é meu melhor amigo!
Amigo?
Senti o ar faltar em meus pulmões. Olhei para seu rosto e ela sorria lindamente pra mim.
Amigo?
Acho que fui um idiota em pensar que ela iria querer mais do que isso comigo.


Então gente. Calma, não xinguem a Bella. Eles se conheceram na internet, eles não tiveram nenhum conversa que ultrapassasse a linha da amizade. A gente sabe os pensamentos do Edward, mas não sabemos os da Bella. rsrsrsrsrs
Beijos, e espero que estejam curtindo.

No comments :

Post a Comment