FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - CAPITULO 07

Boa noite gente. Então, vou deixar um cap hoje,infelizmente ele está curto, pq eu realmente tive que pará-lo ali.
Nele já da pra ver as inseguranças da Bella. Vocês vão entender.
Vejo vocês lá embaixo

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez

Capitulo 07- Namorados? 

Bella estava com a cabeça apoiada em meu peito. Ela ainda estava sentada no meu colo, de frente pra mim, com uma perna de cada lado do meu corpo.
Eu fazia carinho em seus cabelos.
Me sentia no céu. Parecia um momento surreal pra mim. Ter Bella em meus braços. Saber que ela tomou a iniciativa do beijo, e que também queria me beijar desde a noite do jantar.
Eu estava num estado de felicidade que não tenho palavras pra explicar.
– O filme acabou e você nem viu se a Vivian ficou com o Edward no final. – comentei enquanto acariciava seus cabelos.
– Eu já assisti tantas vezes esse filme, que eu sei todas as falas do filme. – ela sorriu com a cabeça ainda apoiada em meu peito. – Eles ficam juntos no final, se é o que você quer saber.
– O milionário casou com a prostituta no final? Isso é mais comum do que você imagina. – confesso que nunca prestei atenção nesse filme.
– E qual o problema de ser um milionário casando com a prostituta, Edward? – Bella ergueu o tronco e olhou pra mim, parecia estar incomodada. – Hein Edward, qual o problema? Porque sinceramente, eu só vejo um homem e uma mulher que se amam, e ficaram juntos no final.
– Não Bella... é... eu... – cara que mancada! Não sou um cara preconceituoso, mas realmente havia um abismo social entre os dois personagens.
– Eu realmente não esperava um pensamento preconceituoso vindo de você. E se eu fosse uma prostituta?
– Que isso Bella? Vira essa boca pra lá. – como assim minha princesa uma prostituta? Nunca! Não consigo nem imaginar.
– É sério Edward. E se eu fosse uma prostituta?
– Para Bella, por que isso agora? Por que essa pergunta? – eu não estava entendendo onde ela queria chegar com isso.
– Porque a única coisa que me difere da personagem do filme, é que eu não vendo meu corpo. Graças a Deus consegui um emprego na loja da Alice, e consigo me manter humildemente. – Puta merda, que mancada que eu dei. – Eu também moro num bairro pobre, minha casa não é bonita e nem grande. Eu também não terminei o colegial. Não sei comer essas comidas chiques, e você pôde reparar no nosso jantar na quinta.
– Bella... – ela me interrompeu.
– Não Edward, é sério. Você é rico. Olha essa casa linda. Eu nunca nem entrei num lugar assim. A conta do nosso jantar, foi maior que o preço do meu aluguel. – o quê? Como ela viu quanto deu a conta. E ela pareceu entender minha dúvida. – Eu olhei quando você estava pegando a sua carteira. E ainda bem que você pagou, porque a quantia que eu levei não era nem um terço daquilo.
– Bella, eu disse pra você não se preocupar com a conta. – nunca eu deixaria uma mulher pagar a conta.
– Edward, a questão não é essa. A questão é: Se você acha absurdo o milionário ter ficado com a prostituta, então é absurdo você ficar comigo também. – o quê? Que maluquice é essa?
– Bella, eu não achei absurdo. Só é diferente. Sei lá. Não sei explicar. E nunca que eu acharia um absurdo ficar com você. – tomei fôlego e declarei. – Bella, na verdade, ficar com você é o que eu mais desejo.
– Edward... – ela pareceu ter ficado tocada.
– Bella, me desculpa se eu passei uma ideia errada no meu comentário. Quem sou eu pra julgar a diferença de algum casal, não é mesmo? – ri um pouco sem humor. – Eu sou paraplégico e estou desejando veemente namorar você.
Ela sorriu, e acariciou meu rosto.
– Isso foi um pedido de namoro disfarçado? – tenho certeza que meu rosto atingiu vários tons de vermelho.
– Bem... é... é que... bem... – certo, melhor respirar e parar de gaguejar. Bella sorria zombeteira pra mim, e isso não estava ajudando. – Bella, não quero te pressionar, é que eu achei depois do beijo... bem... – Bella pôs um dedo em meus lábios, pra me silenciar. Fechou os olhos, e eu fechei os meus também. Ela colou sua testa a minha. Minha respiração já estava irregular.
– Nosso namoro mal começou e já tivemos nossa primeira briga. – nós dois rimos ainda com as testas coladas e de olhos fechados.
– Não Bella, não foi uma briga e além do mais... Peraí, você disse namoro? Tipo, aceitando namorar comigo? Tipo pra gente ser namorados? Tipo namorar como namorados namoram? Eu usei muito a palavra namorados? – que porra me deu que eu estou falando como uma matraca e não consigo elaborar nada plausível?
– Hey, calma que assim eu não entendo. – Bella ria do meu nervosismo. – Deixa eu responder as suas perguntas. Sim, eu disse namoro. Sim eu aceitei namorar com você, mesmo que você tenha gaguejado e não tenha conseguido elaborar um pedido. Sim, nós somos namorados a partir de agora. E sim, nós vamos namorar como os namorados namoram. E ah, você realmente falou bastante a palavra namorados.
Ela gargalhou após sua longa resposta às minhas perguntas mal elaboradas. No fim, eu gargalhei também. Gargalhei do meu nervosismo, gargalhei por vê-la fazendo o mesmo, e gargalhei pela felicidade que eu estava sentindo.
Céus, como desejei isso. E olha que até antes de virmos ver filme no meu quarto, eu achava muito difícil termos algum envolvimento.
– Já me desculpou pelo comentário meio preconceituoso? – eu não queria que ela ficasse brava comigo. Não agora que estamos juntos.
– Esquece isso. Eu só fiquei com medo de você achar absurdo uma garota pobre e sem estudos ficar com um cara rico. E essa é bem nossa história. – ela deitou a cabeça novamente em meu peito, e eu a abracei.
– Claro que não Bella. Não ligo pra sua condição financeira. Eu já queria você mesmo quando apenas conversávamos pela internet. E bem, eu era quem deveria ter medo de você não querer namorar um cara como eu. Cheio de limitações. – ela suspirou em meu peito.
– Eu confesso que quando entrei no restaurante e te vi numa cadeira de rodas, eu fiquei assustada. Eu já estava afim de você também. E naquele momento eu me perguntei se eu seria capaz de levar isso adiante. – ela deu uma breve pausa, e eu estava apreensivo com sua conclusão. Ela virou o rosto pra me olhar, ainda com a cabeça apoiada em meu peito. – Mas foi só olhar esse seu rosto lindo, lembrar de nossas conversas pelo computador, que eu percebi que seria capaz de fazer isso. – ela fez um sinal pra nós dois. – Você é o cara que toda garota sonha. É cavalheiro, compreensivo, é carinhoso... – ela chegou seu rosto perto do meu, e me olhou nos olhos. – E você Edward, céus, você é tão lindo.
Não resisti ao impulso de beijá-la. Meus braços a envolveram fortemente, num gesto de possessão. Eu queria ela só pra mim.
Senti sua língua afoita procurando a minha. E ela cada vez mais esfregava seu corpo no meu.
O contato de seus seios, com meu peito estava me deixando louco. Sua blusinha fina me permitia sentir os bicos intumescidos.
– Bella... – eu gemi em sua boca. Eu podia não estar com uma ereção, pelo menos não senti. Mas meu corpo parecia dar leves choques com o contato com o corpo de Bella.
– Huuuum Edward, melhor a gente parar... – ela falou arfante. Eu permaneci de olhos fechados, sentindo a respiração de Bella em meu rosto. Porra, os beijos dela me deixavam louco.
Ela afastou um pouco o corpo do meu e olhou em seu relógio. O quê? Será que ela queria ir embora? Não! Nem pensar que ela iria embora. Pensa, pensa, pensa Edward. Já sei!
– Bella, não vai. Dorme aqui! – disparei e ela me olhou surpresa.
Será que pegou bem eu pedir isso?


Então, o namoro está começando, e com o namoro vão vir as conversas, e vocês vão conhecê-los, a medida que um conhece o outro.
Bom, meu ritmo é esse, não gosto de fazer mil acontecimentos de uma vez só na fic. Gosto de detalhar um pouco os sentimentos, acho que assim os leitores conseguem realmente entrar na história.
Agradeço pelo carinho, pelos comentários.
Não vou pedir recomendação ou mais comentários. A minha intenção é que quem leia, aprecie. Mas se vier qualquer tipo de reconhecimento, ficarei muito feliz.
Mas meu objetivo principal, acho que estou conseguindo, que é passar uma história que as pessoas gostem e que pareça real.
beijos

No comments :

Post a Comment