FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - CAPITULO 10

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez


Após Bella terminar de arrumar a mesa, nós nos sentamos e começamos a comer.
Resolvi quebrar o silêncio.
– Me conte sobre seu trabalho. – pedi.
– Bom, lá é engraçado. Imagine trabalhar numa sex shop. Pra onde quer que você olhe tem vibradores, fantasias, chicotes, algemas. E todos os dias várias pessoas entram querendo encontrar lá a solução para seus problemas sexuais. – nós rimos.
– Deve ser engraçado e ao mesmo tempo um caos.
– Com certeza é. Sabe, quando eu entrei lá, eu ainda era bem boba, tinha vergonha de falar e escutar certas coisas. E bem, eu tive que me tornar cara-de-pau na marra.
– Imagino que não deve ter sido fácil. – nós rimos. Eu tomei um pouco da minha coca e continuei a conversa. – Então princesa, você não pensa em, sei lá, terminar os estudos, mudar de profissão? – eu queria conhecer cada detalhe da vida da minha Bella.
– Penso, penso sim. – ela respondeu rapidamente, mas logo seu rosto pareceu se contorcer de desgosto. – Mas é difícil. Meu horário na loja não permite eu estudar a noite. E eu com certeza desejo ser mais do que uma vendedora de sex shop, mas tem muita gente estudada nessa cidade. E eu sou só uma garota do interior que nem terminei o colegial. – ela disse e ficou encarando o vazio.
– Bella. – peguei sua mão por cima da mesa. – Olha nos meus olhos, e me diga qual é o seu sonho. – Ela sorriu imediatamente.
– Além de namorar um lindo cara de olhos verdes, cabelo bagunçado na cor bronze, romântico, gentil, carinhoso e que tem o melhor beijo que eu já experimentei na vida?
Ok, agora ela me deu o golpe de misericórdia. Eu estou fatalmente apaixonado por Isabella Swan.
Aliás, mais que apaixonado. Eu sinto que amo desesperadamente essa mulher linda a minha frente que me deixou sem palavras.
É tão bom ter alguém que enxergue em você, coisas que nem você mesmo é capaz de enxergar.
– Bella... – comecei, mas confesso que eu nem sabia o que iria falar.
– Você é um sonho Edward. Você é o que sempre sonhei em um cara. – eu não podia estar mais feliz.
– E você Bella, é a única razão pra eu me sentir vivo novamente. – meu coração parecia socar meu peito de tanta emoção, e eu pude ver nos olhos da minha bela namorada, que ela também estava emocionada com o momento.
Após nossas declarações, voltamos a conversar amenidades.
Assim que acabamos, Bella não me deixou ajuda-la em nada. Levou os pratos pra cozinha, os lavou e guardou. Logo após, ela voltou para a sala trazendo uma garrafa de vinho e duas taças.
Ela se sentou no pequeno sofá, e eu encostei minha cadeira de modo a ficar de frente pra ela.
Conversamos sobre nossa infância, compartilhamos os micos da adolescência, e quando dei por mim já tínhamos detonado a garrafa de vinho.
– Está querendo me deixar embriagado, dona Isabella? – eu realmente já me sentia mais soltinho.
Isabella mordeu o lábio inferior, e porra, eu tenho certeza que ela faz isso pra mexer com a minha imaginação. E logo ela chegou mais perto de mim, e quando nossos rostos estavam a poucos centímetros de distância, ela falou:
– Quem sabe eu não queira te embriagar e depois abusar da sua inocência? – engoli em seco. Minha respiração estava acelerada.
Bella me deu rápido beijo nos lábios, e levou a garrafa vazia e as taças pra cozinha.
– Ed, eu vou arrumar as coisas aqui pra gente ir dormir. Fique a vontade. – ela disse quando veio até a sala conferir se a porta estava trancada.
Essa era minha deixa. Peguei minha mochila e rumei para o banheiro. E me surpreendi quando vi que no lugar da porta, tinha apenas uma cortina grossa. A parede estava quebrada.
Aí eu percebi que minha namorada era incrível. Ela tirou a porta do banheiro, quebrou a parede pra aumentar a largura do portal, apenas pra minha cadeira de rodas poder passar.
Fiquei uns minutos analisando o local, deixando meu peito se encher de alegria com o carinho que Bella dispensa a minha pessoa.
Entrei no banheiro e me deparei com uma pia que era mais alta que a do meu banheiro. Lógico que era maior, aliás, esse era o tamanho padrão das pias. A minha que era especialmente mais baixa.
Após fazer uma verdadeira acrobacia pra conseguir urinar e escovar os dentes, eu saí do banheiro e entrei no quarto de Bella, parando ao lado de sua cama.
Porra, como não pensei nisso? Aqui não tem as barras, e eu de modo algum vou pedir ajuda da Bella pra me deitar na cama.
Encostei ao lado da cama, travei as rodas e me abaixei pra retirar meu sapato. Tirar é mais fácil que colocar. Pelo menos isso.
Peguei uma perna de cada vez e coloquei em cima da cama. Segurei no braço da cadeira, segurei a respiração, e me impulsionei pra cama.
Bem, eu consegui ir pra cama, mas minha cadeira tombou no chão. E acho que o barulho assustou minha namorada, porque logo ela apareceu no quarto, e parecia assustada.
– Ed, você tá bem? – ela veio pra perto de mim, e pareceu vasculhar cada parte do meu corpo procurando algo errado.
– Tô bem. Ér... a cadeira tombou. – disse um pouco sem graça. Ela pareceu entender a situação. Se sentou na cama e acariciou meu rosto.
– Por que não me chamou?
– Não queria ter que pedir ajuda a você. Isso seria uma situação muito, é, digamos, humilhante pra mim. – ela beijou meus lábios com carinho.
– Só quero que saiba, que se você precisar, eu estarei sempre pronta pra te ajudar. – assenti um pouco emocionado, e a puxei e beijei seus lábios com fervor.
Minha língua buscava a sua com desespero. Ela passou uma perna por cima do meu corpo, e ficou sentada em cima do meu quadril, e com o tronco deitado em cima do meu.
– Você já terminou o que tinha que fazer na cozinha? – perguntei enquanto beijava seu pescoço.
– Já. E mesmo que não tivesse terminado, eu não sairia daqui por nada. – ela me beijou novamente, e infiltrou suas mãos dentro da minha camisa.
Ela começou a puxar minha blusa, e eu entendi que ela queria retira-la. Com um pouco de dificuldade conseguimos nos livrar da minha camisa.
Bella desceu beijos pelo meu pescoço, peito e barriga, e eu pude sentir meu corpo tremendo. Logo voltou distribuindo beijos por meu corpo, até chegar em minha boca.
Tomei coragem e desci minha mão direita de seu quadril bem devagar. Passei minha mão por aquela bundinha deliciosa, desci um pouco mais até sua coxa e apertei. Bella soltou um gemido em minha boca, e minha coragem subiu ao nível máximo.
Subi novamente minha mão, e apertei aquela bunda durinha. Senti que a respiração de Bella começou a acelerar. E então, com a outra mão eu apertei seu seio esquerdo por cima do vestido.
Bella mexeu em meu cinto, e eu a deixei trabalhar naquela região.
Ela abriu o cinto e minha calça. Paramos nosso beijo e ela saiu de cima de mim. Se ajoelhou na cama, e olhando fixamente em meu olhos, foi descendo lentamente minha calça. Aquele momento estava sendo muito excitante pra mim. E eu rezava internamente pra ter uma ereção, mas no fundo não queria ter, pois não saberia o que fazer. Eu preferia apenas explorar o corpo da minha namorada e tentar proporcionar prazer a minha linda garota.
Bella me deixou só com a cueca boxer, e depois de dar uma boa checado no meu corpo, fato que me inflou um pouco meu ego, ela segurou na barra do vestidinho e foi subindo pelo seu corpo lentamente, sempre olhando em meus olhos.
O ar me faltou quando a vi só de calcinha, e com aqueles seios lindos, com os biquinhos rosados que pareciam apontar em minha direção. Com certeza implorando para serem acariciados.
– Gosta do que vê? – ela perguntou em voz baixa.
– Mais do que você imagina. – fui totalmente sincero.
Ela se deitou sobre mim, e quando aqueles seios maravilhosos entraram em contato com minha pele, não consegui evitar um gemido.
Ainda com a coragem correndo em minhas veias, segurei em seu quadril com as duas mãos, e aos poucos fui explorando sua pele. Tudo era tão novo pra mim.
Passei minhas mãos em sua barriguinha lisa, e subi lentamente até tocar aqueles seios que me atraíam como imãs.
Nós estávamos com os rostos praticamente colados, e nossos olhos não se desconectavam.
– Quero que você conheça meu corpo. – ela disse. – Ele é seu! – ela me beijou.
Puta que pariu, essa mulher vai me enlouquecer.
Ela explorava minha boca de forma atrevida. Eu, no momento fiquei paralisado, mas logo em seguida correspondi seu beijo, e passei a explorar seu corpo, como ela me pediu.
Apertei de leve seus seios, e enquanto uma mão descansava em cima de um dos montes macios, a outra eu desci até a barra da calcinha, e em um ímpeto atrevido, deslizei minha mão por seu sexo coberto pelo tecido fino da calcinha.
Parei o beijo abruptamente, e movendo um pouco minha cabeça, olhei onde minha mão estava. Aquilo era inédito pra mim. Nunca toquei uma mulher intimamente. E pode parecer bobo, mas eu queria gravar na memória aquele momento.
Após o êxtase do momento passar, eu fiquei um pouco indeciso sobre o que fazer. E Bella pareceu ler em meu rosto a dúvida.
– Eu sou sua. Toque meu corpo e me conheça. Conheça a sua mulher. – puta que pariu, essa mulher vai fazer meu coração parar.
Como diabos conseguir controlar o animal desconhecido em meu corpo, com essa mulher me falando coisas como essa?
– Minha mulher. – declarei e beijei seus lábios com fervor enquanto apertava um pouco mais forte seus seios, e esfregava minha outra mão contra sua intimidade. – Minha. – desci beijos e mordidas por seu pescoço. – Só minha. – me atrevi a passar pelo limite de sua calcinha, e toquei sua entrada com a ponta dos dedos.
Porra, ela estava muito molhada e quente.
Meu ego inflou mais ainda, por saber que eu, o cara sem experiência, o cara limitado, era o responsável pela excitação da linda mulher deitada em cima de mim.
Na hora lembrei dos conselhos de Emmett. “ Falar sacanagem.”
– Hummm, tá molhadinha amor. – por favor não me chame de pervertido, por favor. Rezei internamente.
– Você faz isso comigo. – ela respondeu baixinho, ao pé do meu ouvido, e depois mordeu de leve meu lóbulo.
Merda, gemi como uma puta.
Continuei a tocar seu sexo ensopado, e aproveitando a oportunidade, deslizei um dedo em sua entrada. Bella gemeu alto, e eu comecei a estocar vagarosamente, porém com firmeza.
– Ai Edward. – Bella gemeu meu nome, e eu me senti um ganhador da mega-sena. Na hora o animal dentro de mim tomou conta novamente, e o instinto de possessão se aflorou.
– Isso princesa. É seu homem quem está aqui, te tocando. – ele apertou forte meu ombro, e depois foi deslizando a mão por minhas costas, e me arranhando como uma tigresa. – Você é minha, e eu sou seu. – após declarar isso, passei a estocar mais rápido e mais forte.
Acrescentei mais um dedo, e Bella gritou novamente. Minha outra mão ainda estava acariciando seu seio esquerdo, e eu senti uma necessidade de abocanhar aquele monumento.
– Princesa, deixa eu lamber esse peitinho lindo. – pedi ao pé de seu ouvido, e logo senti Bella ajeitando seu corpo, de modo que seus seios ficassem ao alcance da minha boca.
– Não seja malvado, dê atenção igual aos dois. – ela disse de forma sapeca, e eu gemi com suas palavras.
E enquanto eu estocava meus dedos furiosamente em Bella, eu passei a lamber, mordiscar e chupar seu seio esquerdo.
Senti algo inédito. Senti o sexo de Bella pompear meus dois dedos, e a própria gemer mais alto e ficar cada vez mais ofegante.
Será que eu faria Bella gozar?
– Ai Ed... Edwa...aard. – ela gemeu um pouco descontrolada enquanto eu, na ânsia de dar prazer a minha namorada, estocava tão furiosamente, que o atrito da minha mão com o pano enrolado da calcinha, já me causava uma leve ardência.
Mas nada me deteria de dar prazer a minha princesa.
– Goza amor. – eu disse baixinho, e logo mordisquei o bico do seu seio. E Bella pareceu me obedecer, pois seu sexo se contraiu totalmente, e eu senti Bella se esticar um pouco em cima de mim, enquanto literalmente gritava. E logo após ela relaxou o corpo todo.
E eu me senti o cara mais sortudo do mundo.
Eu dei um orgasmo a minha garota.
Após uns minutos de silêncio, eu ainda mordiscava e lambia o bico do seu seio, Bella falou.
– Você foi um menino mau.
– Fui? – abandonei seu seio e olhei pro seu rosto. – Por que eu fui um menino mau?
– Você só deu atenção pra um. O outro ficou com ciúmes. – ela disse sapeca. E realmente, só dei atenção ao seio esquerdo.
– Realmente eu fui um menino mau. – entrei na brincadeira. – Me deixa fazer algo pra me desculpar? – uma ideia passou por minha cabeça. Algo que eu tenho muita vontade de fazer, e espero que Bella aceite.
– Faça de mim o que quiser. – ela decretou. Porra, ela quer me matar.
Desci sua calcinha pelo seu quadril até o joelho, e Bella terminou de tirar, já que ela estava em cima do meu corpo, e o movimento para tal não seria possível pra mim.
Olhei o corpo todo de Bella, e quando olhei fixamente para sua feminilidade, quase enfartei.
Toda depilada, lisinha. O clitóris inchado. Toda rosadinha. Senti, muito pouco, mas senti, um formigamento abaixo do meu umbigo. E eu jurei que me submeteria a todos os tratamentos possíveis pra recuperar nem que seja 1% a mais da sensibilidade, só pra ter um pouco mais dessa sensação.
Olhei no rosto de Bella, e ela me olhava fixamente.
– Eu conheci a textura da sua pele, agora quero conhecer o seu gosto. – declarei olhando em seus olhos. E Bella mordeu o lábio, parecia querer conter um gemido.
Segurei firmemente em seu quadril, e a puxei um pouco mais pra cima do meu corpo.
A trouxe pra direção da minha boca. Ela praticamente estava sentada em meu rosto.
Olhei fixamente pra sua feminilidade inchada, rosada e ainda molhada por seu gozo. Linda!
– Eu quero devorar você. – disse e dei uma longa lambida da sua entrada até a ponta do seu clitóris.
Bella praticamente berrou.
Pude sentir ela segurar forte em meus cabelos. E eu desci uma mão de sua cintura, e enfiei em sua entrada dois dedos novamente. Passei a estocar com os dedos e lamber o clitóris de Bella. Lembrei de deixar língua bem molinha, pra não machucar o local que já estava tão sensível.
– Óh Edward...não para, por favor não para. – Bella falava com sua voz um tom acima do normal.
Continuei a lamber seu clitóris, e bombear meus dedos em sua entrada. E quando dei uma leve mordida no músculo inchado de Bella, ela enlouqueceu. Gritou, puxou meus cabelos, que até deu uma certa dor em meu couro cabeludo, eu confesso, e passou a balançar freneticamente seu quadril, de modo a ter mais contato tanto com meus dedos quanto com minha língua.
Eu não podia acreditar que eu estava conseguindo fazer isso com minha garota.
Continuei estocando e lambendo, e pude sentir novamente o sexo de Bella pompear meus dedos, e eu sabia que ela logo viria.
– Você é uma delícia. – eu disse, e logo pude ouvir um resmungo de Bella por eu ter afastado minha boca de seu clitóris.
Voltei a lambe-la e a mordisca-la, e ela começou a convulsionar e gritar cada vez mais alto.
Retirei meus dois dedos, e enfiei a língua em sua entrada. Bella gozou na hora. E eu pude sentir seu gosto maravilhoso em minha boca.
Seu corpo foi desfalecendo, e eu a segurei firme. Aos poucos fui guiando seu corpo, de modo que ela se deitasse praticamente em cima de mim. Sua cabeça repousava na curva do meu pescoço, e ela parecia esgotada.
Após alguns minutos de silêncio, quando sua respiração se normalizou, Bella falou comigo.
– E você? – eu acariciava seus cabelos com uma mão, e a outra repousava em cima de um seio seu. Acho que eu nunca mais conseguiria me afastar dos seus seios.
– Eu o quê?
– Como você fica? Eu também quero te dar prazer.
– Bella, meu prazer é te ver satisfeita. – ela resmungou algo que não compreendi. – Princesa, eu ainda não sei bem como fazer meu corpo, é digamos, funcionar, se é que você me entende. Então, por enquanto, vamos ficar assim. O seu prazer me satisfaz.
– Isso não é justo. – ela resmungou. Eu ri.
– Vamos fazer o seguinte: Por enquanto, a gente permanece do jeito que foi hoje. E quando eu passar pelo meu médico, e encontrar uma forma de ter o meu prazer, você me paga. Ok? – ela levantou a cabeça, olhou em meus olhos durante um momento, e mordeu aqueles lábios suculentos.
– Só se for com juros. – Gemi internamente.
Eu não via a hora de receber esse pagamento, e com juros!


E entao, gostaram?

No comments :

Post a Comment