FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - CAPITULO 14

Espero que gostem.
Eu li, reli, li e reli de novo. Não fiquei tão contente com o resultado, mas não sabia mais como melhorar pra vocês. Decidi postar, e torcer para que vocês gostem.
Eu juro que fiquei imaginando a cena toda que vou descrever pra vocês, e pelo menos na minha imaginação ficou bem real e bonitinha.

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez



– Não tem o que perdoar. – beijei seus lábios, seu queixo, sua bochecha. Porra, eu estava morrendo de saudades dela, acima de tudo.
– Ótimo, porque você está me devendo a noite de sábado, e eu vim cobrá-la hoje.
Algo me dizia que essa noite eu não dormiria.
Bella saiu de cima de mim, e foi em direção ao banheiro, levando sua bolsa.
Mil pensamentos rodaram em minha cabeça em poucos segundos. Será que eu conseguiria ter uma ereção? Bom, minha dificuldade era o meu psicológico, e só eu poderia vencer isso.
E se eu tivesse uma ereção e ela não durasse? Será que Bella iria rir de mim?
E se nós chegássemos a transar, será que Bella sentiria prazer?
Merda, eu me mato se eu não der prazer pra minha namorada.
Me arrastei na cama, e fiquei sentado com as costas apoiada na cabeceira.
Fiquei olhando para meu “amigão”. Levei minha mão por dentro da bermuda, e o segurei. Por favor, funcione. Por favor. Eu pedi fervorosamente.
Fiz o movimento de sobe e desce lentamente, e pude sentir muito pouco o toque. Porém, nada que me faria realmente sentir prazer.
– Ei, começando sem mim? – me assustei com a voz de Bella, e rapidamente tirei minha mão de onde estava.
Olhei ainda assustado em sua direção. Ela já caminhava pra perto de mim. Seu corpo enrolado por uma toalha, e seus cabelos presos em coque. Ela provavelmente tomou banho, e eu estava tão distraído que nem percebi.
– Nã-não, eu não comecei. – ela sentou na cama, ao meu lado e me silenciou com um beijo.
Ela sugou meu lábio inferior, o mordeu, e após isso enfiou sua língua em minha boca. Ela subiu sua mão esquerda por meu abdômen, peito, ombro, pescoço, e segurou forte em minha nuca. Me aproximando mais dela.
Minha mão, automaticamente, foi para sua coxa, e aos poucos foi adentrando os limites da toalha.
Gemi em seus lábios quando meus dedos tocaram sua intimidade quente e molhada. Porra, ela é sempre tão lisinha.
Não resisti, e a penetrei com um dedo. Bella soluçou por entre nosso beijo.
Comecei a estocar vagarosamente, porém forte. E Bella, sem parar de me beijar, já soltava alguns gemidos.
Enquanto a penetrava com o dedo do meio, com o dedão comecei a acariciar seu clitóris. E Bella não aguentou levar o beijo em diante.
Desceu mordidas por meu pescoço, e já gemia mais alto. Seu quadril se mexia involuntariamente, como se procurasse mais fricção com meus dedos.
– Ed... Edward... Eu vou gozar, amor. – ela conseguiu dizer por entre sua respiração irregular.
– Goza, minha princesa. – Empurrei com mais força meu dedo, e pude sentir as paredes internas de Bella esmaga-lo.
Ela mordeu forte meu ombro, e pude ver seu corpo tremer. Bella gozou. Eu fiz minha linda namorada gozar. Isso era uma verdadeira massagem em meu ego.
Retirei meu dedo de dentro de sua feminilidade, e Bella gemeu baixinho.
– Obrigada. – Bella disse após alguns segundos de silêncio.
– É minha obrigação. – virei meu rosto, e beijei sua testa. Ela continuava com a cabeça apoiada em meu ombro, e o olhar que ela direcionava a mim tinha algo a mais que carinho. – O melhor que eu puder fazer por você, eu vou fazer.
– Você é perfeito. – ela beijou meu queixo.
– Não diz isso, Bella. Eu sou o exemplo de imperfeição. – ela fez uma careta de desagrado. – Mas sempre vou fazer de tudo pra te agradar. Pode ter certeza disso.
– Eu fiquei com medo de te perder. – ela disparou.
– Me perder? Por quê? – essa eu não entendi.
– Por sábado.
– Esquece isso, Bella. – eu não queria falar nesse assunto.
– Não esqueço não, Edward. E sabe por quê? – ela segurou meu rosto. – Porque eu sei que você esperava uma reação minha. Eu sei que você esperava palavras de apoio. E eu sei que é minha obrigação te dar forças. E eu te peço perdão, meu amor. – ela beijou levemente meus lábios. – Me perdoa por não ter feito nada. Na hora, eu não soube lidar com a situação. A minha ficha, de que meu namorado é cadeirante e nós vamos enfrentar muito preconceito, ainda não tinha caído. – abaixei a cabeça, e Bella levantou novamente, me forçando a olhar em seus olhos. – Mas a decepção que vi em seus olhos, o medo que tive de te perder por causa dos preconceitos da sociedade, por causa da sua insegurança, me fizeram perceber que eu não vivo mais sem você. – uma lágrima traiçoeira desceu por meu rosto. Pude perceber que os olhos de Bella também estavam marejados. – E Edward, eu juro por Deus, que eu vou aprender a lidar com qualquer situação que aconteça com a gente. Eu vou enfrentar o mundo por você e com você.
Sua respiração estava acelerada, e ela aparentava estar se segurando pra não chorar. E eu já não conseguia mais controlar as lágrimas que escapavam de meus olhos.
– Nós somos a tábua de salvação um do outro. Antes de você, eu não sabia o que era ser cuidada, eu não sabia o que era sentir prazer com um homem. Nunca tive alguém que se preocupasse em saber como foi meu dia, alguém preocupado em me agradar, sem segundas intenções, só pelo prazer de me ver sorrir. – A primeira lágrima desceu pelo rosto de Bella. – E eu encontrei em você o que eu quero pra vida toda. E eu pouco me importo se você é paraplégico. Eu quero você na minha vida, Edward. Pra sempre. E se você me quiser, nada mais me importa. – ela limpou as lágrimas de meu rosto, e me brindou com um sorriso carinhoso. – O que eu estou querendo dizer é que não existe no mundo outro cara que vá conseguir me fazer feliz. É você, tem que ser você. Eu te amo Edward Cullen.
Ela me ama! Ela me ama! Ela me ama! Minha mente gritava. Minha respiração se acelerou mais ainda, e a emoção me dominou.
Chorei!
Chorei pela linda declaração que Bella fez pra mim. Chorei pela sensação de amar e ser amado. E chorei por saber que ela me queria pra sempre. Eu não terminaria sozinho. Eu teria alguém ao meu lado.
– Você me... você me... – a emoção não me deixava completar a frase.
– Eu te amo, Edward. Amo tanto. – me beijou com paixão.
Sua língua invadiu minha boca, e na hora tremi pelo contato.
Pra mim agora tudo seria diferente. Ela me ama. Eu sou capaz de fazer alguém me amar. Eu sou um cara com os mesmos direitos de todos os outros. Eu tenho o direito de ter uma linda mulher que me ame.
Meu coração saltitava em meu peito.
– Eu também te amo, minha princesa. Te amo tanto Bella. – disse com a boca ainda encostada a sua.
– Me ama mesmo? – ela parecia incrédula.
– Como não amar? Bella, você é meu ar. Só posso viver se tiver você. – ela se atirou em meus braços, e ficamos abraçados, só curtindo nosso sentimento, nosso amor.
Algo mudou. Saber que sou amado, parece que destrancou os cadeados de muitos portões dentro de mim.
Bella começou a deslizar uma mão por meu abdômen, e leves arrepios perpassaram por mim. Ela passou a distribuir beijos em meu pescoço, e subiu pra minha orelha. Ela chupou e mordeu meu lóbulo e soltou um suspiro. Meu corpo tremeu como se eu tivesse levado um choque naqueles cabos de energia de 13,8 kvolts. Eu teria morrido se realmente tomasse um choque de uma tensão dessas, mas o choque equivalente a essa tensão que Bella me provocou, me fez sentir mais vivo do que nunca.
Desfiz bruscamente o nó da toalha de Bella, e a puxei para meu colo. Ela passou uma perna de cada lado do meu corpo, e continuou a morder e chupar meu pescoço.
Levei uma mão ao seio de Bella, e a outra desci por seu quadril, e acariciei suas nádegas e coxas.
– Bella... – gemi seu nome. Eu me sentia queimar só de tocar seu corpo.
– Edward, eu não sei se posso pedir isso. Mas... mas eu quero fazer amor com você. – parei minhas carícias na hora.
Saber que ela me ama, me deu mais segurança. Mas eu ainda tinha medo de não agradá-la no sexo, como a agrado quando eu a toco.
– Bella... você tem certeza?
– Edward, eu te amo. E eu já te pertenço de alma e de coração. Agora eu quero te pertencer de corpo também.
Segurei em seus rosto, e olhei diretamente em seus olhos.
– Bella, eu tenho pouquíssima sensibilidade. Então, eu vou me excitar e encontrar meu prazer através do que eu vejo e do que eu penso e imagino. Claro que acima do umbigo, eu sinto normalmente. E me excita muito qualquer toque seu nessa região. Mas abaixo do umbigo, eu sinto pouquíssimo. Eu não sei como fazer isso, mas eu quero muito fazer amor com você. Te fazer minha. E nós vamos ter que aprender juntos, e você vai ter que me ajudar.
– Eu te ajudo, meu amor. Eu e você. Sempre. – ela acariciou meu rosto e me beijou.
O beijo foi mais calmo. Porém com muito amor, devoção e carinho.
Enquanto sua língua acariciava a minha, as mãos de Bella passeavam por meu ombro, peito e abdômen.
Sem parar o beijo, ela saiu de cima de mim, e ficou ajoelhada ao meu lado. Desceu os beijos para meu queixo, pescoço, peito e abdômen. Eu ofeguei.
Era uma visão maravilhosa ver Bella ali, com a boca tão perto do meu pênis.
Ela mordiscava minha barriga, e vagarosamente abaixou minha bermuda. Eu estava sem cueca, e confesso que fiquei um pouco envergonhado por ela estar vendo meu membro mole.
Ela terminou de tirar a bermuda por minhas pernas, e pelo que eu pude ver, distribuiu beijos em minhas coxas.
– Sente alguma coisa? – ela olhava esperançosamente pra mim.
– Não. – fiquei triste por desmotiva-la.
– Tudo bem. – ela pareceu pensar. – Eu quero que você olhe pra mim agora. E mesmo se você não sentir, eu quero que você imagine como seria a sensação, e associe isso ao que você vai estar vendo. Não pare de me olhar, ok? – assenti. O que ela faria?
Bella beijou minha barriga, e os tremores voltaram ao meu corpo.
Senti sua língua quente em contato com a minha pele, e um baixo gemido escapou por meus lábios.
Aos poucos, ela foi descendo os beijos da minha barriga. Ela não faria isso, faria?
Permaneci a olhando, como ela pediu. Ela segurou em meu membro, e eu pude sentir, muito pouco, mas senti uma leve pressão de sua mão. Eu tinha que me concentrar muito. Mas eu sentia. E meus lábios formaram um sorriso de satisfação.
Ela olhou atentamente para meu membro em sua mão, e depois me deu um olhar admirado.
– Você tem um enorme... talento. – ela lambeu os lábios. – Vai fazer um estrago em mim. – me surpreendi quando um rosnado escapou de minha garganta. Ela estava libertando meu lado animal.
Num gesto possessivo, enrolei seus cabelos em minha mão e guiei sua cabeça para perto do meu membro novamente. E só então percebi como ele estava diferente.
Estava parcialmente duro.
Bella deu um sorriso de satisfação, e o cobriu com sua boca.
Eu gemi alto só de ver a cena. Bella me chupando.
Eu sentia muito pouco. Mas fiz o que ela me pediu. Imaginei como devia ser sentir ela me levar em sua boca.
Sua boca é quentinha, e deveria estar sugando desesperadamente meu membro. Só de pensar isso, eu já sentia o fogo lambendo meu corpo.
Talvez ela estivesse passando os dentes bem de leve em meu comprimento. Ao pensar isso e ver a imagem de Bella me engolindo, senti alguns espasmos em meu corpo.
Ela me tirou de sua boca, e depois distribuiu beijinhos na cabeça, e pude vê-la passar a língua na pequena abertura nela existente.
Meu corpo pareceu convulsionar. Como pode uma pessoa quase gozar só com o que vê e imagina? Agora eu entendi o que o médico quis dizer.
– Bella, preciso de você. Senta no meu colo, vem meu amor. – pedi desesperado. Eu precisava gozar, e queria que fosse com a penetração. Queria que fosse um prazer pra nós dois.
Bella soltou meu pênis, que já estava totalmente ereto, e antes dela se sentar sobre mim, levei minha mão a sua entrada, a fim de excitá-la. E fiquei surpreso quando a senti lubrificada.
– Fiquei molhadinha só de te chupar. – ela declarou sedutoramente, e me deu uma mordida no queixo.
Meu ego inflou. E na hora, segurei firme em sua cintura, e a posicionei em cima do meu membro. O segurei e o alinhei em sua entrada.
Olhei fixamente para o ponto onde nós nos uniríamos, e Bella desceu seu corpo me fazendo penetrá-la.
Era o céu.
Eu sentia. Não sei se era uma ilusão da minha cabeça. Mas eu sentia. Pouquíssimo ainda, mas sentia. E meu coração se encheu de amor por essa mulher que estava me fazendo viver novamente. Aprendendo junto comigo a ultrapassar meus limites.
Segurei bem forte na cintura de Bella, a empurrei um pouco pra cima, sem deixar meu membro sair de dentro dela, e a trouxe de novo de encontro a minha pélvis.
Bella gemeu alto.
– Porra Edward. É muito grande. – falar que eu me senti o cara foi pouco. Repeti esse movimento mais rapidamente, e aplicando mais força em meus braços pra conduzi-la.
– Tá gostando, amor? – já sentia os músculos dos meus braços arderem, mas se Bella estivesse gostando, que se fodessem os meus músculos, eu a faria sentir prazer.
– Tá muito gostoso. – ela sussurrou. E logo deu um grito de prazer. – Porra Edward, tá muito bom. – enquanto ainda olhava onde nossos corpos se uniam, pude ver de relance Bella levar a mão ao seu seio esquerdo, e acaricia-lo. Surtei.
– Bella, você maravilhosa. Gostosa demais. – dei um rápido beijo em seus lábios. – Você é quente amor. – ela passou a me ajudar no movimento da penetração. E em pouco tempo, praticamente quicava em meu colo. E ver aquilo, e imaginar o prazer que ela estava sentindo, e o quão gostoso isso devia ser, já estava me levando a quase atingir meu orgasmo.
– Ai amoooor... isso.... você é incrível, é o melhor. – Bella falando assim, me faria gozar a qualquer momento.
Levei uma mão ao seu outro seio, o que ela não estava massageando, e apertei bem forte. Meu tesão já estava transbordando.
– Ai.. Ed.. eu... eu vou... eu vou gozar. – Bella declarou já aos gritos.
– Eu também... vem pra mim, Bella. Vem comigo, amor. – E no momento em que olhei para o rosto de Bella. Ver sua expressão de prazer, me fez gozar na hora.
Foi incrível.
Senti como se labaredas de fogo tivessem passado por meu corpo. Não consegui controlar o grito que escapou de minha garganta.
E depois, quando eu só conseguia escutar um zumbido em minha cabeça, e um cansaço extremo que se apoderava de meu corpo, meu único pensamento era Bella.
A mulher que eu amo. A mulher que me ama. Que fez amor comigo. Que está disposta a enfrentar tudo ao meu lado.
– Tudo bem com você? – Bella perguntou. Sorri.
– Tudo maravilhosamente bem. E com você? Aliás, como foi pra você?
– Foi tudo. Não tem como explicar. – ela olhou em meus olhos. – Eu nunca me senti amada por um homem, nunca fui tão querida por alguém. E esse prazer que senti agora, eu nem sabia que existia. – ela me deu um beijo casto e preguiçoso. – Eu te amo muito.
– Também te amo, Bella. Amo mais que tudo.
Bella saiu de cima de mim, arrumou os travesseiros e se deitou ao meu lado. Eu empurrei meu corpo um pouco na cama, pra poder deitar também.
Ficamos nus, deitados um de frente pro outro.
Meu peito estava quase explodindo de tanto amor. E uma ideia já passava por minha cabeça.
– Bella, a equipe de pedreiros que mandei até sua casa já terminou a obra? – ela franziu o cenho, provavelmente estranho a pergunta, justo nesse momento.
– Já sim. Foram ontem, e já terminaram o trabalho. Era pouca coisa, um pedreiro só resolveria o problema. Mas por quê? – ela ainda parecia confusa.
– É porque se eles não tivessem ido, eu iria pedir pra eles cancelarem meu pedido.
– Edward, eu não pedi pra você fazer isso. Eu mesma poderia ter feito, ou contratado alguém pra fazer com o meu próximo pagamento. Se ficou caro pra você, eu posso te devolver o dinheiro e... – pus um dedo em seus lábios para calá-la.
– Não é isso amor. – eu ri. – É que não precisaria mais arrumar a porta do banheiro daquele apartamento.
– Como assim? Por que não?
Segurei sua mão e trouxe até minha boca, depositando um beijo nela. E logo olhei em seus olhos.
– Porque você vai vir morar comigo!


E então.... gostaram?
Gostaria de agradecer ao carinho de vocês nas reviews... até os leitores que não deixam nenhum comentário. Eu agradeço assim mesmo. Não são obrigados a comentar. Gostaria muito que deixassem suas opiniões, mas fica a critério de vocês. 
Estou muito feliz por ter mais de 100 leitores.
Espero estar agradando e passando a ideia principal da história. Beijos!

No comments :

Post a Comment