FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - PRÓLOGO

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.


A vida de Edward Cullen nunca seria normal. O destino lhe tirou essa oportunidade há dez anos.

Um terrível acidente, que lhe tirou o direito de andar.

Como se entregar a um amor, quando se sente incapaz?

Como viver, quando você se limita a apenas existir?

Como enxergar amor nos olhos de outra pessoa, sem confundir com pena?

Um acidente... Uma seqüela... Um destino traçado.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez

Internet.

Podemos ser quem a gente quer na internet. Podemos mentir que temos dinheiro, que somos bonitos, que vivemos em um mundo perfeito onde os problemas não existem. No meu caso, posso mentir que sou normal. Bom, pelo menos venho omitindo um pequeno detalhe em minha vida: Estou há malditos dez anos em uma cadeira de rodas.

Conheci Isabella, minha Bella, há dois meses em uma sala de bate-papo. Desde então fico contando as horas pra ela largar o trabalho, e ficar na internet comigo. Eu sei, coisa de adolescente, mas eu me sinto bem assim.

Com ela eu me solto, ela me diz coisas boas. Ela me faz sentir coisas boas. Eu posso passar o dia todo me sentindo um perdedor, mas a alegria vem quando falo com ela.

Nesses dois meses ela tem sido tudo pra mim. E eu acho que também tenho sido pra ela.

Em seus 21 anos, ela já passou por tanta coisa. Saiu da sua cidade, no interior, aos 18 pra acompanhar um namorado. E foi abandonada por ele, aqui nessa cidade enorme.

Sozinha, sem casa pra morar, teve que se virar e arranjar um emprego. Emprego esse que ela está até hoje. Vendedora de sex shop. Seria cômico se não fosse trágico.

Ela é linda, divertida, espontânea, meiga... Eu poderia enumerar mais de mil adjetivos pra ela.

Mas tudo mudou hoje, com uma simples conversa:

Bella S.: Ai Ed, eu queria muito te pedir uma coisa. Mas estou com vergonha.
Edward C.: Pode falar, minha Bella. Faço qualquer coisa que você pedir, você sabe.
Bella S.: Qualquer coisa? Nossa, estou me sentindo até importante.
Edward C.: Você é extremamente importante pra mim, você sabe. Agora pede, vai. Que eu já estou até curioso.
Bella S.: Ta bom. Eu não quero não como resposta, heim.
Edward C.: Fala, Bella. Não precisa enrolar, minha linda.
Bella S.: Quero te encontrar. Amanhã, 21 hrs, no Fromaggio’s, no centro. Beijos, boa noite. Tchau.
Bella S. está offline.
Ela não me deu nem a chance de inventar uma desculpa.

E agora eu me sinto um maldito filho da puta, por nunca ter contado pra ela sobre minha situação, quando ela me contou tudo sobre sua vida.

Eu estou tão fudido.

Como contar pra Bella que sou um inválido?

Eu estou tão fudido.

– EMMETT. – gritei pelo meu irmão que dorme no quarto ao lado do meu. – EMMETT.

– Que foi Edward? – perguntou meu irmão, entrando como um foguete no meu quarto. – Porra, que susto Edward. Pensei que você tivesse caído ou algo assim. – ele arfava ainda pela corrida.

– Emmett, ela quer me ver. – declarei fitando a noite pela janela do meu quarto. – Ela quer me ver amanhã Emmett. O que eu faço? Me ajuda irmão. – Pedi, empurrando minha cadeira pra perto de Emmett, e olhando pra seu rosto assustado, agora.

– Cara, você está fudido. – declarou ele, me olhando com os olhos arregalados. – Eu disse que você já deveria ter contado pra ela.

– Nossa Emmett, me diga algo que eu não saiba. – sorri tristemente, e me empurrei de volta pra minha cama.

Me apoiando nas barras de ferro adaptados em meu quarto, me coloquei na cama, e continuei olhando para o meu irmão.

– Não é a toa que tem o braço forte, acho que eu não conseguiria fazer isso aí não. – comentou rindo, após me ver, como todos os dias me apoiando nas barras.

Eu não era dependente de ninguém, apesar do meu estado de invalidez. Meu pai mandou instalar barras por toda a casa, pra eu poder me virar sozinho. Pelo menos assim, eu não me sentiria tão dependente.

– Pára de bobeira Emmett, você é umas 50 vezes mais forte que eu. – brinquei pra tentar aliviar a tensão.

– E esqueceu de falar: mais gostoso, mais bonito e mais sexy. – meu irmão é uma criança grande.

– Pois é, tinha me esquecido mesmo. Agora sai do meu quarto, que eu tenho que pensar em um plano, já que você não está ajudando com nenhuma ideia.

– Ta bom, senhor eu-tenho-um-plano-pra-tudo. Boa noite. – saiu, e eu continuei olhando pra porta, sem realmente vê-la. Minha mente estava longe, tentando buscar uma saída. Um jeito de não mostrar a Isabella meu estado.

Com certeza ela não ia nem querer saber de mim. Nunca tive coragem de tornar nossas conversas um pouco mais ousadas. Era tudo na base da amizade, mas eu seria um maldito mentiroso, se dissesse que não sonho com ela todas as noites. Fico fantasiando nós dois como namorados. Imagino ela deitada em minha cama, abraçada ao meu corpo. Mas nos meus sonhos eu não sou um inválido. Nos meus sonhos, eu posso andar. Posso ser perfeito pra ela, como ela é pra mim.

Droga! Estou tão fudido.


Espero que alguém leia. 
Tadinho do Ed. Está inseguro em conhecer a Bella.
Vocês vão adorar a Bella, tenho certeza.
Vejo vocês amanhã às 18 horas...  espero que gostem...

No comments :

Post a Comment