FANFIC EU TE DOU MEU CORAÇÃO - CAPITULO 47

Eu Te Dou Meu Coração

Eu te dou meu Coração
Diana Neves.


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Gêneros: Amizade, Drama, Hentai, Romance
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez



Na manhã seguinte, acordei antes de Bella, e fiquei na cama a olhando.
Tão linda em meus braços.
Seu nariz empinadinho, sua boca com contorno perfeito, a curva suave do seu queixo, os cabelos castanhos espalhados pelo pescoço e ombro, e céus, seu seios.
O que há comigo que não consigo parar de olhar para seus seios?
Eles estão tão grandes, e redondos, e empinados, e bonitos, e deliciosamente convidativos.
Senti aquela queimação em meu baixo ventre. Desci minha mão por meu abdômen e descendo um pouco mais, senti meu membro rígido. Dei um forte aperto, e a sensação fez meu corpo dar um leve espasmo de prazer.
Enfiei minha mão por dentro da cueca e iniciei movimentos por todo meu comprimento. Isso não seria falta de respeito, não é mesmo? Já que tecnicamente eu não a estava tocando, eu estava me tocando olhando pra ela.
Continuei a carícia, e não pude evitar um gemido que escapou por meus lábios. Fechei meus olhos, me deixando levar pelo prazer da masturbação. Tanto tempo sem sexo. Sem gozar. Eu estava ficando louco.
Eu a queria como um viciado necessita de sua droga. Olhar seu corpo e não poder toca-lo, estava me matando.
Lembrei-me de alguns meses atrás, quando fizemos pela primeira vez sexo anal. Porra, aquilo foi bom demais.
Bella se contorcia de prazer em meu colo, gritando coisas incompreensíveis. Lembro-me que eu olhava seu sexo e estava brilhando com sua excitação.
– Hummm... – gemi ao lembrar da experiência fantástica.
Eu estava quase lá. Sentia que gozaria em instantes. Eu precisava me libertar. Mordi meus lábios pra conter um gemido mais alto que ameaçava escapar por minha boca.
Minha mão continuava em seu movimento frenético.
– Edward? – escutei a voz de Bella.
Óh não, de novo não!
Parei meus movimentos no mesmo instante. Abri apenas um olho e a fitei. Ela me olhava de um jeito estranho. Parecia querer rir e ao mesmo tempo estava ruborizada. Será que ela estaria excitada vendo eu me tocar?
Merda, eu precisava gozar. Já não conseguia mais me conter.
– Bella... Me desculpe. – retirei minha mão de dentro da minha cueca. Meu corpo dava leves choques de excitação. Eu precisava gozar, mas não seria nesse momento.
– Tudo bem. Eu te entendo. – ela disse, mas depois soltou uma risada.
– Bella, não ria. Você está me constrangendo. – gemi frustrado.
– Tudo bem, tudo bem. Me desculpe. – ela dava risinhos como uma criança que está fazendo arte. – Posso perguntar o que foi sua inspiração dessa vez? – olhei pra ela.
– Você Bella. Sempre você. – desci meu olhar para a região que tem me atormentado nos últimos dias. – E esses seus peitos que ficam me chamando. – ela riu com vontade. – Bella. – gemi.
– Desculpe. Mas é engraçada essa sua obsessão com meus seios.
– Eu não vejo nada de engraçado. – bufei e fiz bico como um menino de 7 anos. O que há comigo pra agir como um idiota quando estou frustrado sexualmente? – Eles estão grandes e ficam sim me chamando toda hora.
– Bem, que bom que estão grandes, isso significa que estão cheios. Nossa pequena Hope vai se fartar. – meus olhos se arregalaram no mesmo momento. Olhei assustado pra Bella. Eu não havia pensado nisso antes.
Eles vão ser do bebê. Eles vão ser do bebê. A frase aparecia em letras garrafais em minha frente.
– Tudo... bebê... – eu balbuciava. Bella me olhava como se tivesse nascido duas cabeças em mim. – Vai ser tudo do bebê? – olhei diretamente para aqueles montes macios, redondos e convidativos.
– Sim, quando ela nascer, esse vai ser o único alimento dela durante um bom tempo. Por quê? – Bella parecia não entender nada.
– Eu quero também. – disse ainda encarando seus seios. – Eles. Eu quero eles. – Bella soltou uma sonora gargalhada.
– Edward, acho que você ainda não acordou direito. – ela me deu um beijo na bochecha. – Bom dia. Agora eu vou me levantar e tomar um banho. Estou morrendo de fome. – levantou-se, e minha boca salivou quando olhei seu belo corpo escondido apenas pela calcinha e o sutiã. – Aliás, nós estamos com fome. – falou alisando a barriga.
Piscou pra mim e virou-se para caminhar para o banheiro. Não resisti e dei uma bela olhada em sua bunda.
Fechei meus olhos e respirei fundo.
Eu tinha que reconquistar Bella logo antes que minha filha nascesse e roubasse seus seios de mim.
Minha filha. Sorri ao lembrar da linda garotinha dos meus sonhos.
Merda, eu não poderia me tocar agora que havia pensado em minha filhinha.
Gemi frustrado. Droga, eu precisava gozar. Mas parece que o mundo resolveu conspirar contra mim.
[...]
A manhã de natal foi maravilhosa ao lado da minha família e meus sogros.
Fiquei admirado com o apetite de Bella pela manhã. Pelo visto, minha filha seria boa de garfo. Bella comia por cinco pessoas, e não por duas.
Charlie e Renée ficaram até às 17 horas, mas logo pegaram estrada. Eu e Bella ficamos na casa dos meus pais para jantar, e depois Emmett se dispôs a nos levar em casa.
Quer dizer, Bella ficaria na casa de Alice.
Assim que paramos em frente ao local, segurei a mão de Bella.
– Amanhã eu te ligo, tá bom? – ela sorriu e assentiu. Respirei fundo. – Sábado está de pé?
– Está sim. Vou adorar sair um pouco. – disse sorridente. Não pude evitar o sorriso bobo que apareceu em meu rosto.
– Você realmente não ficou chateada por hoje de manhã? – Bella sorriu com mais vontade.
– Não, claro que não. Eu te entendo perfeitamente. – ela se aproximou de mim e cochichou em meu ouvido. – Às vezes a cabeça de baixo fala mais alto.
– A minha tem gritado ultimamente. – murmurei. Ela riu e me deu um beijo na bochecha.
– Boa noite, Edward. – abriu a porta do carro. – Boa noite, Emm. – piscou pra mim e fechou a porta do carro.
Ficamos parados no mesmo local a observando entrar no prédio. Assim que ela sumiu de minhas vistas, suspirei.
– Tá pegando alguma coisa? – meu irmão perguntou.
– Estou subindo pelas paredes. – declarei o óbvio e Emmett riu. O que há com as pessoas que resolveram rir do meu estado?
– Percebe-se. Você olha o tempo todo para os peitos da Bella. Até a mamãe percebeu. – ele comentou enquanto ligava o carro e seguia pela rua praticamente deserta.
– A bebê vai nascer e vai roubá-los de mim. – murmurei como um menininho fazendo pirraça. Emmett soltou uma sonora gargalhada.
– Cara, isso é a mais pura verdade. Mas tecnicamente ela não vai roubá-los de você, já que você não tem livre acesso mais a eles. – fiz uma careta.
– Obrigado por me lembrar disso, grande irmão. – bufei.
[...]
Cabelo de merda! Cabelo de merda!
Por que ele não ficava do jeito que eu queria?
Ok, vou desistir de penteá-lo pra trás. Talvez arrepiado, meio bagunçado... Bella sempre gostou do meu cabelo todo desgrenhado mesmo.
Suspirei.
Será que ela gostaria da minha roupa? E os meus sapatos? E o perfume? Bem, o perfume é o mesmo de sempre, e ela vivia dizendo o quanto amava meu cheiro. Droga, pareço uma menininha que vai sair para o primeiro encontro. Comprei roupas e sapato novo só para sair com ela hoje. Claro, com a ajuda de Rosalie.
Olhei no relógio. Eram 18:15. Merda, vou me atrasar.
Peguei minha carteira em cima do criado mudo, baguncei um pouco mais meus cabelos, e empurrei minha cadeira para fora do meu quarto.
– Wow, tá gatão heim. – Eric, que me esperava na garagem, me sacaneou.
– Você às vezes me assusta com suas tendências homossexuais. – respondi docemente. Ele fechou a cara.
– Sou muito homem. – ele murmurou, me ajudando a entrar no carro.
– Sei, sei. Mas não perde a oportunidade de me apalpar de vez em quando. – brinquei e ele fez um gesto obsceno em minha direção.
Chegamos a frente do apartamento de Alice às 18:36.
– Droga, estou 6 minutos atrasado. – reclamei olhando pro relógio. Eric apenas riu enquanto buzinava pra avisar que já estávamos a esperando.
Dois minutos depois, apareceu em meu campo de visão a mulher mais linda do mundo.
Bella estava com um vestido creme na altura dos joelhos, e com um decote que me chamou a atenção logo de cara. Uma jaqueta preta curtinha, já que não fazia tanto frio essa noite.
Seus cabelos estavam jogados de lado. Linda e sexy!
Um sorriso bobo estampou meu rosto.
Ela abriu a porta do carro e entrou, se sentando ao meu lado.
– Boa noite, Eric. – deu um breve aceno para ele. – Boa noite, Edward. Você está muito bonito. – me deu um beijo na bochecha.
– Deus, Bella! Você está tão linda. – suspirei. Ela corou um pouco.
– Obrigada. Não é fácil achar algo confortável e feminino pra usar com esse barrigão. – brincou.
Imediatamente levei uma mão até sua barriga.
– Oi princesinha do papai. Como você está hoje? Papai vai levar você e a mamãe pra jantar, então se comporte, ok? – eu disse enquanto acariciava minha filha no ventre da mulher que amo.
Olhei para o rosto de Bella, e ela sorria emocionada.
– Eu vou te levar pro Fromaggio’s. O restaurante que nós nos encontramos pela primeira vez. – acariciei seu belo rosto. – Eu quero recomeçar, e o lugar me traz boas lembranças. Tudo bem pra você? – perguntei pra ter certeza que ela aprovava o lugar.
Ela sorriu.
– Tudo bem pra mim. – beijou a palma da minha mão que acariciava seu rosto. – Recomeçar é bom.
Olhei rapidamente em seus olhos. Era isso que eu estava entendendo? Ela estaria disposta a me dar uma chance e recomeçar?
Sorri com as esperanças renovadas.

Nossa historia recomeçaria hoje. Eu tinha certeza disso.




PLease, não dói, não cai o dedo e faz um autor se sentir útil e recompensado!

1 comment :

  1. Finalmente eles vao se acertar!!! Hahaha estou amando a fanfic

    ReplyDelete