CORAÇÃO INDOMÁVEL - ULTIMO CAPÍTULO.

Queridas meninas.
Enfim consegui terminar o capítulo. Estou sem internet, neste momento em uma Lan House postando. Uma dor no coração por ser o último, mas também alivio do dever cumprido. Como já disse milhares de vezes odeio escrever finais, sei lá nunca fica como quero. Espero que gostem. 
Nos falamos nas notas finais. POR FAVOR LEIAM!



Coração Indomável



Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência

Coração Indomável
Último Capítulo e Epílogo
Bella
Os olhos verdes de Edward me olhavam fixos. Observando-o fui percebendo o brilho que foi surgindo pouco a pouco naquele mar de esmeralda.
Ele levantou subitamente e me abraçou forte.
– Minha Isabella! Não acredito! Teremos outro filho, boneca.
– Sim, nós teremos - falei amando aquele abraço gostoso.
Ele se afastou para me olhar nos olhos me mantendo ainda em seus braços.
– E você achou que eu não iria gostar?
– Não! Não é isso, mas você está envolvido com o livro e...
– Isso não importa Bella. Nada disso importa. Eu vou ser pai novamente. - Falou emocionado. - Vou poder acompanhar de perto desta dessa vez. Tudo na minha vida pode esperar de menos você e nossos filhos.
Beijamo-nos apaixonados. Senti-lo assim tão próximo de mim, neste momento, era a epítome da felicidade que eu poderia desejar.
Fizemos um jantar de comemoração em nosso apartamento. Carlisle, Esme e Alex compareceram representando a família de Edward. Minha mãe e minha irmã com os maridos representavam minha família além deles Ângela e Ben é claro. Os outros familiares nos felicitaram através de mensagens e telefonemas, pois não poderiam se afastar de suas obrigações e vir nos visitar em Seattle.
– Então agora vocês vão oficializar a situação? - Ângela, discreta como sempre, indagou quando todos nos estávamos à mesa, desfrutado de um maravilhoso jantar.
– Não a o que oficializar, Ângela. Eu e Edward já estamos muito oficializados, além disso, estou noiva - levantei minha mão exibindo meu anel.
– Eu estou disposto a me casar quando quiser, boneca. - meu noivo piscou para mim.
Eu sorri e voltei a comer, a fome que eu sentia nos últimos dias havia aumentado.
– Por que não fazer uma festa incrível e casar, casar de verdade? - minha amiga que eu iria enforcar mais tarde, insistiu.
– Por que já nos sentimos casados - Edward foi quem falou desta vez.
– Então vão ficar noivos para o resto da vida? - a mala sem alça chamada Ângela indagou me olhando.
– Não. Mas como nada em nosso relacionamento foi normal - olhei para meu bad boy e coloquei minha mão na sua - nosso casamento também não será.
– Eu sinto que em um dia muito especial, vocês darão este passo - Esme disse.
Eu sorri agradecida para ela, era sempre uma mulher muito sensível aos sentimentos dos outros.
– E quanto ao bebê? Quando irão saber o sexo? - foi minha irmã Kate que perguntou visivelmente curiosa.
Ela ainda se culpava por Edward ter estado longe de minha primeira gestação e não vou mentir, ela deveria mesmo se sentir assim. Eu a perdoei, mas ela teria que conviver com os erros que cometeu, assim era a vida real.
– Na próxima semana será meu ultrassom. O meu médico disse que seria possível ter uma ideia já que na anterior não foi possível - expliquei.
– E dessa vez eu vou junto não é mamãe? - Bia perguntou ao meu lado.
– Se o médico autorizar, sim docinho.
– Será uma comitiva então. - Phil o marido de minha mãe brincou.
– Será bom. Assim Bia segura a mão do Edward para ele não chorar como um neném como foi da outra vez - Ângela falou divertida.
– Foi um cisco que caiu no meu olho - ele retrucou olhando feio para minha amiga.
Todos sabiam que não tinha sido um cisco coisa nenhuma. A emoção que ele sentiu ao ouvir o coração do nosso bebê fez o homem durão de quase um metro e noventa desabar em lágrimas. E foi lindo.
– Quais o nomes que pensa, querida? - minha mãe perguntou.
– Ficamos entre dois nomes, um para menina e outro para menino. Samantha e Jason*².
– Lindos nomes querida!
A comemoração seguiu animada. Mais tarde era apenas nos três em casa e mais a presença sempre bem vinda de Alex.
– O que você prefere, um irmão ou irmã? - Bia perguntou a Alex, os dois estavam sentados no chão da sala jogando cartas, algo que adoravam fazer juntos.
Eu e Edward estávamos na sacada deitados juntos em uma rede. De lá ouvíamos a conversa das crianças.
– Tanto faz. Minha mãe já tem uma menina, bem que podia ser um menino - Alex respondeu.
– Eu acho que vai ser um menino. - Minha filha afirmou.
Olhei para Edward que tinha os olhos fechados, apreciando o momento.
– O que foi? - perguntei.
A expressão dele não era negativa, mas a curiosidade me fez questioná-lo.
– Nada. É só que demorou, mas estou realizando tudo que sempre desejei para minha vida.
– Bom é como se diz: antes tarde do que nunca! - brinquei.
– Isso tudo dá um medo.
– Medo? Do que?- indaguei.
– Tudo isso poderia não ter se realizado, Bella. Imagina isso? Eu não ter você ou Bia.
Coloquei minhas mãos em seu rosto.
– Esquece isso, amor. Estamos juntos. De verdade agora e para sempre.
Ele sorriu e me beijou e como sempre foi meu coração foi totalmente eclipsado pelo amor que sinto por ele.
Dias depois fomos a uma nova consulta com meu médico e a ultrassom revelou que teríamos um menino. Nosso pequeno bad boy, Jason, estava chegando.
**
– Mãe! Vem logo! Está quase começando. - Beatriz gritou da sala, e eu me arrastei o mais rápido que conseguia e que minha barriga de seis meses de gestação permitia.
Cheguei a sala e vi os olhos ansiosos de Bia e Alex, assim como a careta de Ângela.
– Sua viciada em trabalho! - Ângela implicou comigo - Não dava para ler este processo outra hora não? Capaz de perder de ver o marido gostosão na TV.
– Eu jamais perderia isso - retruquei.
Sentei-me ao lado deles na expectativa de ver Edward em um dos programas mais famosos da TV aberta para divulgar seu livro.
Coração indomável era um sucesso de vendas em todo o país e meu marido mesmo a contragosto viajava pelo país para divulgar seu trabalho e eu morria de orgulho dele.
– Vai começar! Vai começar! - Bia gritou empolgada.
Prendi meus olhos a TV e nem sequer respirei. A apresentadora, uma jornalista famosa e muito bonita o chamou e quase suspirei o vê-lo tão bonito.
"Estamos recebendo em nosso programa, Edward Cullen, o autor do livro Coração indomável. Um romance belíssimo com uma linda historia de amor. Como vai Edward?"
"Muito bem, Célia, obrigada."
"Você vem surpreendendo a todos com este belo livro, até mesmo os críticos. O que tem a falar para seus leitores?"
"Essa historia foi real, como todos já sabem e eu quis compartilhar com todos para que saibam que quando existe um grande amor da forma como é o meu e de Isabella, que não importa o tempo e a distancia, o verdadeiro amor sempre vence."
"Isabella é a sua esposa não é? A verdadeira Cecília."
"Sim. A Cecília do livro é totalmente inspirada em Isabella, minha esposa, que está em casa com nossa filha e nosso filho que deve nascer em três meses."
– Ah que lindo Bella! O bad boy todo romântico! - Ângela, só poderia ser ela, comentou.
Não me importei, pois eu estava maravilhada. Amava demais aquele homem, por quem esperei 15 anos.
Edward
Peguei as compras do carro e me dirigi à portaria do prédio quando vi Ângela saindo com Alex e Bia.
– Onde vocês estão indo? - perguntei.
– Vou levar as crianças ao cinema no shopping. Não nos espere pelas próximas 3 horas. - Ângela respondeu.
– E Isabella?
A amiga maluquinha de minha boneca bufou.
– Aquela mula teimosa da sua mulher está pintando o quarto do bebê.
A raiva começou a me consumir. Já havíamos discutido isso inúmeras vezes. Mesmo que a tal tinta não tivesse cheiro, eu não concordava com ela por querer fazer isso. Eu era a porra do pai! Eu devia fazer isso!
– Vou acabar com a teimosia dela rapidinho. - Falei já entrando apressado no prédio.
Coloquei as compras sobre a mesa e segui direto para onde seria o quarto do nosso menino. Lá estava ela, com a barriga de seis meses de fora, uma calça velha pendia baixa nos quadris e uma regata curta. Os cabelos presos em um coque bagunçado.
Tudo bem, eu estava um pouco irritado por ela estar fazendo esforço, se arriscando, no entanto era altamente sexy vê-la daquela forma e ainda mais pintando aquela parede de verde. Isso trazia tantas lembranças...
– Eu me pergunto por que será que a minha mulher não obedece às ordens do marido? - indaguei escorado contra a porta, cruzei os braços e tentei fazer uma expressão bem feia quem sabe até eu me convencesse de que estava bravo com ela.
Ela olhou para mim. Uma mancha de tinta verde estava em sua bochecha o que a deixava tão linda.
– Talvez por que você tenha uma mulher que não aceita ordens facilmente - ela retrucou divertida.
– Será? Será que minha esposa não aceita ordens? Olha eu tenho minhas duvidas. - Falei me aproximando. O estado de excitação me consumindo.
Cheguei por trás dela parando próximo ao corpo que estava divino pelas formas que a gravidez lhe dava. Ela passava o rolo para cima e para baixo igual ao passado, só que agora era muito melhor, por que ela era minha, e por que tinha meu filho no ventre.
– Mãos na parede, Boneca! - sussurrei em seu ouvido.
O rolo sujo de tinta caiu a seus pés. Ela fez o que mandei colocando as mãos e as sujando de tinta verde.
– Quando vi você pintando esta parede, amor, não pude resistir.
Um sorriso sacana surgiu no meu rosto quando senti o corpo dela tremer, e isso que eu ainda não a tinha tocado. O que eu pretendia remediar imediatamente.
Minhas mãos foram para o jeans que ela usava fazendo descer por suas pernas. No processo aproveitei para beijar aquela carne branca e suculenta.
– Adoro sua bunda, Isabella. Fico louco de tesão - falei e mordi levemente, ela se contorceu.
– Edward... Por favor... - implorou.
Levantei-me e comecei a beijar o pescoço dela, minhas mãos apertaram os seios dela.
– O que você quer, boneca? - torturei seu pescoço com a língua.
Senti a mão dela no meu pau por cima da minha calça, ela me olhou severa e disse:
– Eu quero você. Agora porra!
Ah! Benditos hormônios de gravidez!
Alguns anos depois...
Encostei o carro à frente do prédio que morávamos e um sorriso no meu rosto se fez. Éramos felizes aqui, mas a família tinha aumentado e com a chegada das gêmeas nós realmente precisávamos de um lugar maior.
Eu havia acabado de fechar com o corretor a compra de uma bela casa, ao lado de onde minha mãe morava. Tinham um jardim lindo onde meus filhos poderiam se divertir assim como eu. Olhei pelo retrovisor para o garotinho que estava na cadeirinha. Jason já tinha cinco anos e era muito espero para a idade.
Desci do carro, abri a porta de trás e liberei o cinto de segurança. Meu filho pulou em meus braços.
– Opa, campeão!
– Edward Cullen?
Virei-me e vi uma moca por volta dos 30 anos, me olhando sorridente.
– Me desculpe incomodá-lo, mas você poderia me dar um autografo? Sou muito fã dos seus livros.
– Claro. Qual seu nome? - respondi sorrindo.
– Megan.
Peguei meu novo livro das mãos dela, se chamava Quero Fazer Você Sentir*¹.
– Gostou do livro? - perguntei enquanto autografava.
– Eu amei. Adoro romances que tem um bad boy e uma mocinha recatada. Jason e Samantha*² são meus personagens favoritos.
Assim que entreguei a ela o livro a garota me surpreendeu me beijando no rosto. Beijando demoradamente no rosto para dizer a verdade. Fiquei desconfortável, e graças ela logo foi embora. Observei se alguém tinha visto aquilo, não queria minha boneca furiosa comigo por conta das minhas fãs, a última vez tive que dormir no sofá por uma semana.
Respirei aliviado quando vi que não havia ninguém próximo apenas um garotinho que me observava. Ou seja, ele iria contar a mãe.
– Filho, nada de contar a mamãe o beijo que a moça deu no papai, ok?
O danadinho nada disse apenas sorriu. Eu estava ferrado! Passei os próximos 10 minutos que levavam até o meu apartamento prometendo mundos e fundos para que ele não contasse nada, contudo não acredito que iria adiantar. Jason era louco por Bella.
Já estava pensando em contar eu mesmo o que tinha acontecido a minha mulher, para fugir de uma enrascada quando ao abrir a porta do apartamento me deparo com uma cena que me fez ver vermelho.
– Mas que porra é essa?! - gritei largando Jason no chão de qualquer jeito.
A cena era da minha filha de quinze anos se agarrando com um rapaz no sofá da sala. Não se sabia onde começava um e onde terminava o outro. Todavia meu espanto foi maior quando de trás de minha princesa surgiu Alex. Meu filho Alex!
– Oi, pai.
Porra! porra!
Isabella chegou correndo, provavelmente vindo os quartos, com os olhos arregalados.
– O que foi Edward? Por que este grito? O que houve?
Eu mal conseguia pensar no que vi, quanto mais falar.
– Papai pegou a gente se beijando - Bia falou calma.
– Ah isso! - Isabella disse e eu a encarei - O que? - perguntou inocente.
– Você sabia dessa... Dessa pouca vergonha? - quase gritei novamente.
– Ah, por favor, Edward, não me venha com moralismo. E fale baixo que vai acordar suas filhas.
Senti-me culpado de imediato, minhas princesas gêmeas Natalia e Ana tinham pouco mais de dois meses de vida.
Olhei os dois adolescentes a minha frente.
– Então? Qual dos dois vai me explicar o que está rolando?
– Pai, eu e a Bia, a gente se gosta a um tempão. Eu iria falar com o senhor para eu poder namorar ela. - Alex apesar do respeito que tinha por mim falou firme, e fiquei orgulhoso dele.
É claro que eu não iria liberar assim tão fácil.
– Achei que vocês se gostassem como irmãos - comentei.
– Nunca foi como irmãos. - Bia que falou desta vez. - Eu gosto do Alex desde meus 13 anos. A mamãe sabe.
Eu olhei Isabella.
– Não me culpe. Era um segredo de mãe e filha.
– Você devia ter me contado - resmunguei.
– Ah sim! Por que era só pensar em falar que a Bia estava crescendo e que iria arrumar um namorado para que você virasse uma fera.
– Mamãe? - Jason chamou.
– Não era assim - falei emburrado.
– Era sim e você sabe.
– Mamãe? - Jason falou novamente.
– O que foi querido?
– Uma moça beijou o papai hoje.
Agora sim! Porra!Porra! Porra! O olhar que Isabella me deu congelava até o próprio inferno. Eu estava ferrado!
– Boneca, não foi assim...
Ela marchou em direção aos quartos e fui atrás tentando me explicar. O contratempo com Bia e Alex totalmente esquecido, pois nada era mais importante que amansar a minha Isabella, minha boneca. E isso era um trabalho que exigia muito de mim e eu adorava.
Epílogo
Bella
Espiei pela janela do quarto vendo jardim enfeitado de nossa casa, estava tudo tão lindo. Vi também todas as pessoas que eu amava. Estavam todos vestidos elegantes para a cerimônia de casamento que se realizaria ali. Na verdade duas cerimônias de casamento. Alex e Beatriz; eu e meu eterno bad boy, Edward.
Todos nossos parentes estavam presentes, amigos de longe, que há tempos não víamos. Eu estava muito feliz.
Vi meu marido, sim ele se tornaria meu marido hoje oficialmente, mas ele já o era há muitos anos. Edward estava tão bonito com o fraque cinza escuro. Ao lado dele, Jason já com 12 anos e as minhas lindas gêmeas com 7 anos. Tão lindas! Eram muito parecidas com Bia.
A frente do espelho, estava eu e ela, de mãos dadas. Minha querida Beatriz estava linda com aquele vestido branco, parecia uma princesa.
– Você está linda, filha. Seu noivo vai babar ao vê-la.
Ela deu aquele sorriso lindo, meio tímida. Aos 22 anos era formada em desenho industrial, e agora dava um grande passo em sua vida, iria se casar com o único namorado que teve, o único amor que teve..
Beatriz e Alex desde se descobriram apaixonados nunca se separaram, nem mesmo quando foram para a universidade. A historia deles foi bem diferente da minha e de Edward que passamos anos separados. O amor era algo incrível, juntos ou separados não havia nada mais sublime que amor real.
– Você também está linda, mamãe. Amo que vocês estejam fazendo isso hoje. Junto comigo.
– Não deveríamos. Hoje é seu dia. Mas conhece seu pai - expliquei - E eu já não aguentava mais ele carrancudo porque nunca havíamos feito isso.
– Estou tão feliz por vocês se casarem no mesmo dia que eu. Não sabe a felicidade que está me proporcionando, mãe.
Eu e ela nos abraçamos, num momento íntimo entre mãe e filha que ficaria marcado para sempre na minha memória.
Beatriz seguiu pelo corredor apinhado de flores de braço dado a Edward que a levou até Alex. Eu espiava tudo do final do corredor, emocionada.
Então Carlisle se posicionou ao meu lado e sorriu:
– Ainda bem que estou vivo para fazer isso.
Eu ri.
– Você esta em ótima forma. Vai demorar muito para pensar em morte.
De braços dados com ele segui pelo mesmo corredor que antes minha filha andou e cheguei até o homem que ainda me deslumbrava.
Quando ele pegou minhas mãos nada mais existia a não ser ele. Ficamos nos olhando. Sabíamos que o casamento estava em andamento, mas parecia que não conseguíamos desgrudar os olhos um do outro. O amor que sentíamos era maior que tudo. Lutamos muito para ficarmos juntos. O destino pareceu brincar com nossa sorte ao nos juntar e separar na mesma proporção, mas nada seria capaz de destruir o que sentíamos. Fomos feitos um para o outro.
– Eu te amo, boneca.
– Eu te amo, bad boy.
Coração Indomável
Fim.

CURIOSIDADES
*¹ Quero Fazer Você Sentir - meu novo livro que terá outro bad boy. Somente em 2015
*² Jason e Samantha são o casal principal do livro.

UM NOVO BAD BOY
Quando eu estava escrevendo este último capítulo, eu fui criando outra historia paralela(isso acontece de vez em quando) então me dei conta de que o romance é sobre um bad boy. Quem gosta do estilo pode gostar muito deste romance que será apenas em livro. Vou postar no grupo mais informações.

PILANTRAS
Este é meu livro que sairá completo na Amazon em ebook em novembro, mas já pode ser conferido alguns capítulos no wattpad:
http://www.wattpad.com/story/23927849-pilantras

E vou postar também alguns os capítulos no grupo.
LIVRO: QUANDO UM HOMEM AMA UMA MULHER
EBOOK : Já disponível na Amazon.
LIVRO FÍSICO. Publicação será pela Editora Literata em 2015

AVISOS IMPORTANTES
ESCRITORA JFB BAUER - CONTATOS
Email:
Jussi.bauer@hotmail.com
jfbbauer@gmail.com
Facebook:
Grupo Fics da Ju beija Flor
Pagina: Romances de JFB Bauer
Wattpad:
http://www.wattpad.com/user/JfbBauer

MINHA ÚLTIMA FANFIC
Queridas chegamos ao fim de mais uma fanfic, a minha última fanfic. Deixei uma carta as leitoras de agradecimento por tudo que será publicada no grupo no facebook. Não posso publicar aqui, pois aqui no nyah tudo é motivo para ir contra as regras, então, peço que leiam no grupo.
Desde já agradeço a todas que leram comentaram e recomendaram minhas fics. 
Acredito que não vou escrever mais fanfics, nunca diga nunca quem sabe o futuro nos reserva. Escreverei muito romances e espero encontrar vocês pelo caminho.
Beijos especiais a todas. Amo-as!

No comments :

Post a Comment