FANFIC QUIZÁ - CAPITULO 12

Quizá

QUIZÁ - DIANA NEVES


Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance, Songfic
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo


Bella se ajeitava em frente ao espelho do banheiro do seu curso.
Parou um tempo e fitou um ponto no espelho. Lembrou-se de Edward.
Após a noite do coquetel, Edward a levou em casa, eles se beijaram como adolescentes, entretanto, ela preferiu que ele fosse pra casa. Estava tarde e ela estava cansada. Na verdade, queria pensar um pouco, e precisava fazer isso sozinha.
Naquela noite, Bella ponderou muitas coisas. Pensou sobre o comentário desagradável de Victória no coquetel, pensou sobre os gestos de Edward. Ele realmente havia enxergado seus erros e percebeu o que seria o certo a fazer.
Ela o amava e sentia muita falta dele. Amar é também perdoar, e ela perdoou os erros de Edward em relação ao ego, vaidade e ostentação.
Ela o queria em sua casa, queria poder encher a boca novamente para dizer que era a esposa de Edward Cullen. Queria dormir agarrada a ele, acordar olhando para seu rosto amassado de sono e ter por quem esperar no fim do dia.
Ela saiu de seu transe em frente ao espelho, se ajeitou e saiu do banheiro.
– Ei Bella, já está indo? – Jared a abordou no corredor.
– Sim, vou comer algo na rua mesmo e enrolar um pouco. Hoje as crianças saem mais tarde da escola. E o meu menor está na casa dos avós, não teve aula hoje. Ele ama ficar com os avós. –Bella comentou sorrindo.
– Humm, você aceita companhia então para comer algo? – Jared pediu um pouco sem graça.
Ele era um cara legal, era o único homem que fazia curso de paisagismo com ela. Eles sempre conversavam, ele era do tipo daquele cara que brinca com tudo. Estranhamente, hoje ele não fez uma piada sequer.
– Hum, por que será que eu estou tendo a impressão de que você não está bem hoje? – Bella arqueou uma sobrancelha. Jared fez uma careta.
– Está tão óbvio assim? – Bella assentiu. – Emilly terminou comigo ontem a noite. – ele deixou os ombros caírem. – Eu costumava sair do curso e passar no serviço dela pra almoçarmos juntos... Mas hoje estou sem companhia, e acho que se eu for pra casa sem desabafar com alguém, vou morrer afogado em meu próprio choro. – ele deu um sorriso fraco.
– Sem problemas, vamos comer algo e você me fala o que está sentindo. – Bella tocou seu ombro solidária. – Você gosta muito dela, não é mesmo?
– A amo. – ele respondeu intenso. – E acho que o problema é justamente esse. Eu a amo demais e acho que ela se assustou com isso.
– Complicada essa situação. – eles começaram a andar pelo corredor, rumo à saída.
– Ela disse basicamente que eu não sirvo pra ela. Que faço um curso que não vai dar em nada. Um curso pra donas de casa que querem fingir ter uma profissão. – ele disse com desgosto e Bella fez uma careta. – Disse que eu me escondo atrás do dinheiro dos meus pais, e apenas por isso me dedico a esse curso. – ele suspirou. – Ela pode também ter dito que não pode levar a sério um cara que ninguém mais levaria. – ele balançou a cabeça, desolado. – Ela deve acabar com o tal de Erick, ele é um cara de que vive de terno e é advogado da empresa que ela trabalha.
Eles pararam no portão de saída. Bella percebeu o quão mau o seu colega de curso estava. Devia ser muito triste amar e não ser amado. Não sentir aquela cumplicidade de sentimentos, aquela certeza de que irá permanecer com aquela pessoa para sempre.
Bella tocou o ombro de Jared e o olhou com carinho.
– Ei amigo, não fique assim. Desculpe ser franca com você, mas se ela foi capaz de lhe dizer isso tudo, de lhe ofender dessa forma, é porque ela não te ama. – ele deu um sorriso fraco e Bella lhe deu um aperto encorajador no ombro. – Você é um cara muito especial, divertido e tem um coração maravilhoso. Tenho certeza que vai encontrar a garota que vai te entender perfeitamente e você nem vai mais lembrar de Emilly. – ele sorriu um pouquinho mais confiante. – Vamos, agora coloque aquele sorrisão nesse rosto e vamos comer alguma coisa.
Eles saíram sorrindo, com Jared um pouquinho mais animado, e Bella parou abruptamente ao ver o homem alto e pecaminosamente lindo encostado ao carro que ela bem conhecia.
Ele tinha um buquê de lírios em uma mão, entretanto, sua cara estava muito emburrada.
– Edward... – Bella disse seu nome quase como automático.
Edward levantou os óculos até o alto da cabeça e caminhou a passos firmes até onde sua mulher estava junto com aquele cara. Sua cabeça doía vendo Bella tão íntima de um cara, conversando tão à vontade.
– Oi. – ele disse seco quando estava perto o suficiente.
– Oi... Jared, este é Edward, meu marido. Edward, este é Jared, um colega de curso. – Bella fez as apresentações de forma seguro. Edward não pode evitar o sorriso de canto que deu quando escutou Bella o apresentar como marido.
– Oh, olá Edward. – Jared estendeu a mão para cumprimentar Edward.
– São pra mim? – Bella perguntou olhando para o buquê. O sorriso de Edward apareceu.
– Sim, eu pensei em fazer uma surpresa. – ele lhe ofereceu o buquê. – Estava no escritório pensando muito em você, não resisti e decidi vir buscar minha mulher no curso. – Bella sorriu e pegou o buquê carinhosamente.
– Obrigada, eu amei. – eles se olharam intensamente por um momento. Jared totalmente esquecido.
– Faço tudo pra ver esse sorriso lindo. – Edward disse apaixonado e acariciou o rosto de Bella. Ela sorriu mais ainda.
– Ok Bella, acho que nosso almoço fica pra outro dia. – Jared os lembrou que ele estava ali.
Edward franziu o cenho e olhou interrogativo de um pro outro.
– Ah Jared, não, vamos almoçar. Você está mal e... – ele a cortou.
– De qualquer forma, acho que você não será uma boa companhia pra mim. Está aí toda radiante de amor. Acho que eu preciso da companhia de alguém que também está sofrendo e que esteja afim de falar mal de quem lhe partiu o coração. – ele sorriu de lado e Bella lhe deu um abraço rápido de amigos.
– Tudo vai ficar bem, você vai. Até mais. – ela se despediu dele e Edward abriu a porta do carro para ela, logo em seguida, dando a volta e entrando no lado do motorista.
– Almoço heim. – Edward comentou desgostoso quando pôs o carro em marcha.
Bella respirou fundo e decidiu que agora seria um ponto muito importante em sua decisão.
– Ele é um amigo que fiz no curso e perguntou se poderia ir almoçar comigo, já que eu comentei que comeria algo pela rua mesmo. – ela explicou calmamente.
– Eu não gosto disso. – Edward disse olhando fixamente o trânsito à sua frente.
– Eu também não gostava quando você ia a eventos com Tânya. – Bella espetou.
Edward esmurrou o volante e parou no acostamento da rua.
Ele fitou Bella quase com raiva.
– Estamos de novo assunto Tânya? Qual é, Bella? – ela respirou fundo.
– A questão não é Tânya. A questão somos nós. Nós somos jovens e vivemos em um mundo cheio de homens e mulheres. Não é inteligente nós ficarmos bravos cada vez que um de nós se aproxima de uma pessoa do outro sexo. – ela explicou calmamente. – Você trabalha num ambiente em que há muitas mulheres e eu terei que lidar com isso, aliás, eu tenho lidado com isso por um bom tempo. Senti ciúmes no caso de Tânya por motivos óbvios, afinal, ela não fazia questão de esconder o quanto estava afim de você. – ela suspirou. – E você nunca me viu perto de outro homem, Edward. Eu meio que renunciei minha vida social por você. E agora eu quero terminar esse curso, quero trabalhar com isso e inevitavelmente você vai me ver com algum amigo. Jared é um deles. Ele é um cara tão bacana e nunca foi desrespeitoso comigo. – ela aproximou seu corpo ao de Edward. – Estamos recomeçando, e eu quero que você saiba que eu também quero ter amigos. Eu me anulei nesses últimos anos, e eu não te culpo, eu fiz isso por vontade própria. Meu principal objetivo era que você realizasse o sonho de ter sua própria empresa. Eu vivi pra você e nossos filhos e faria da mesma forma se tivesse que fazer de novo. – ela alisou o rosto de Edward, onde a barba já começava a se pronunciar. – Sem mal entendidos entre nós, ok?
Edward a puxou para seu colo e afundou o rosto na curva de seu pescoço.
– Eu te amo tanto, minha pequena. – ele a apertou. – Morro de ciúmes de você, porém, você está certa. Eu vi que ele não te olhava de outra forma nem nada, parecia até triste. Mas eu sou um homem possessivo apaixonado Bella, eu me senti doente quando te vi sair sorrindo pra ele. – Edward beijou o ombro exposto dela. – Eu entendo o que você quer dizer, e você está com a razão. Sem mais mal entendidos entre nós.
Bella puxou o rosto dele e o beijou com paixão. As línguas se saudaram e se enroscaram em uma carícia deliciosa.
Muitos casais, depois de alguns anos juntos, vão deixando o hábito de beijar na boca de lado. Edward e Bella não fizeram isso, entretanto, não se beijavam tão frequentemente quanto na época de namorados ou no início do casamento. Aos poucos o beijo na boca vai diminuindo a frequência. Agora eles retomavam o tempo perdido e cada um jurou para si que não deixaria esse ritual gostoso morrer nunca em seu casamento.
Bella encerrou o beijo com mordidinhas no lábio inferior e queixo dele.
– Vamos comer algo e buscar as crianças ou você tem que voltar pro trabalho? – ela perguntou.
– Vamos buscar nossos filhos. – eles se beijaram brevemente e seguiram estrada após se ajustarem em seus bancos.
[...]
Após o jantar, Edward brincava com Daniel e Anthony no tapete da sala. Bella apenas olhava e vez ou outra alertava que se aquele carrinho de controle remoto acertasse algum vaso seu, os três iam se ver com ela.
– Hummm estou com sono, vou subir pro meu quarto. – Renesmee anunciou.
Bella acompanhou a filha enquanto Edward lhe dizia que levaria Anthony e Daniel em alguns minutos.
Bella acomodava a coberta em cima de sua filha e Renesmee observava atentamente a mãe.
– Mamãe, pode falar. – ela disse com um sorrisinho. Bella franziu o cenho. – Eu sei que a senhora quer me falar algo. – Bella mordeu o lábio inferior. – É sobre a senhora e o papai?
– Sim filha, é sobre eu e seu pai. – Bella confirmou e os olhinhos de Renesmee brilharam.
– Vocês vão voltar? Ele vai voltar a morar com a gente? – ela perguntou esperançosa.
Bella sentiu o coração se contorcer. Mais do que ela e Edward, os filhos também sofreram muito nesses quase quatro meses de separação.
– Pra dizer a verdade, eu ainda não conversei com ele. Mas eu quero muito que ele volte e eu sei que ele quer. Mas eu queria conversar primeiro com você e seus irmãos. Os outros dois são pequenos, mas você já entende as coisas, queria te deixar ciente.
– Mamãe, eu vou ficar muito feliz em vê-los juntos de novo. A senhora estava tão triste e o papai também. – Renesmee se deitou de lado e fitou a mãe. – Ai, o papai é tão romântico. – ela disse sonhadora e Bella riu com vontade.
– Sim filha, ele é muito romântico. – Bella lhe deu um beijo na testa e se levantou. – Vou descer e conversar com seu pai.
– Mamãe? – Renesmee chamou antes que Bella deixasse o quarto. – A senhora fica muito linda sorrindo feliz assim.
– Obrigada, filha. Boa noite. – Bella desceu as escadas com um sorriso enorme no rosto.
Instantes depois, Edward desceu sorrindo também.
– Bem, agora acho que é a minha hora. Hoje eles ficaram acordados até tarde, heim. – ele comentou enquanto esfregava os fios de cabelo.
Bella caminhou sorridente até ele e o abraçou apertado.
– Amanhã você vem? – ela questionou.
– Eu não consigo ficar longe. – ele respondeu lhe afagando os cabelos.
– Trás suas coisas pra cá. – ela disse baixo, porém, ele escutou perfeitamente.
– É o que eu estou pensando? – ele perguntou alarmado enquanto a afastava gentilmente para poder lhe olhar nos olhos.
– Eu te quero de volta, Edward. Sei que superamos os erros que causou nossa separação. E se outras situações difíceis aparecerem, vamos vencê-las juntos, como deve ser. – ela pegou a mão de Edward e levou ao lábios, mordiscando e beijando cada dedo. – Amo você demais e não quero ficar longe mais um segundo sequer. Quero meu marido em casa novamente. Tenho saudades de brigar com você quando seu ronco estava tão alto que não me deixava dormir direito. Tenho saudades de brigar com você por deixar a toalha molhada em cima da cama, por deixar a tampa do vaso levantada, por fazer bagunça na minha cozinha sempre que tentava preparar algum lanche. Sinto falta dos momentos românticos e principalmente dos cotidianos com você.
Edward respirou fundo tentando controlar os batimentos alucinados do seu coração.
– Eu sonhei por quase quatro meses escutar isso. Meu Deus, eu te amo demais Isabella. – ele disse emocionado.
– Assim como eu te amo. – ela levantou o rosto e o beijou com amor e ternura.
O beijo durou pouco, mas serviu para selar a decisão que Bella havia tomado.
– Agora vá e aproveite sua última noite de homem separado. Porque depois, eu nunca mais vou deixar você dormir sozinho, vai ter que passar todas as noites do resto de sua vida me abraçando e me acariciando. – ela provocou sorridente.
– Morrerei feliz. – Edward estava radiante. – Posso ficar hoje não? – Bella gargalhou, porém negou.
– Eu ainda quero conversar com Anthony e tentar explicar pra Daniel de um jeito que sua cabecinha vá entender. Eles merecem isso, pra não ficarem com a cabeça bagunçada. Quando nos separamos, eles se sentiram muito perdidos. Agora que você voltará, quero que eles estejam cientes de tudo.
– Você está certa, meu amor. – eles se beijaram novamente e Bella o acompanhou até o lado de fora.
Edward entrou no carro e se despediu sorridente dela.
Sua vida finalmente voltava à perfeição.
Ele sorria e volta e meia gritava de felicidade dentro do carro e dava soquinhos no ar.
Parecia um adolescente apaixonado. E não era isso que Edward realmente era? Um adolescente de 34 anos totalmente apaixonado pela mesma mulher pelos últimos 22 anos. Desde quando ele tinha 12 e Bella 8 anos.
– Uhuuuull. – ele gritou animado a passar um cruzamento.
Estava a poucos quarteirões de sua casa. E já pensava num jeito de vender essa casa que durante tanto tempo ele sonhou, e que agora não lhe valia de nada. Bella tinha razão. Não era uma casa para crianças, não tinha um jardim enorme para eles brincarem, não tinha aconchego de lar. Definitivamente, não era o lugar para ele viver com sua família.
Ele voltaria feliz para casa. Estava ansioso demais para que amanhã chegasse logo. Cogitava até mesmo não ir ao escritório no dia seguinte, pois queria se organizar de modo a ir de uma vez para casa.
O sorriso de Edward seria difícil de sumir de seu rosto.
Edward se assustou com um barulho alto de freada e olhou assustado para o lado. Viu aquela luz forte em sua cara e milésimos de segundo depois, sentiu uma forte pancada e tudo ficou escuro e silencioso.

No comments :

Post a Comment