Friday, January 03, 2014

CORAÇÃO INDOMÁVEL - CAPÍTULO 15

Meninas do meu coração.
Vamos tentar domar este coração indomável?
Aff esse bad boy está incrível hoje.

Coração Indomável

Coração Indomável
Ju Beija Flor.

Classificação: +18
Categorias: Saga Crepúsculo 
Personagens: Bella Swan, Edward Cullen
Gêneros: Drama, Hentai, Romance
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência
Capítulo 15

Ele sorriu para mim. Descarado... lindo, gostoso.

– Edward... o que faz aqui? Como entrou no meu quarto?- perguntei.
A raiva ainda dentro de mim, mas outros sentimentos também estavam surgindo forte, potente. Desejo, saudade, paixão.
– Belo quarto. – ele disse olhando ao redor. – Ainda é a menininha do papai. – ele falou.
Senti meu rosto quente. Em meu quarto ainda tinha as bonecas que eu brincava quando era criança. Eu não consegui me desfazer delas, e elas ficavam espalhadas por todo o quarto.
Ele riu. Safado.
– Como entrou aqui? – repeti a pergunta.
Ele apontou o dedo para a janela.
– Como?- perguntei surpresa.
– Ora não é difícil para um cara como eu abrir uma simples janela boneca. - disse.
– Edward...
Antes que eu pudesse terminar ele se levantou me assustando. Puxou minhas mãos e me fez sentar com ele na beirada da cama.
– Me deixa falar com você boneca. Todos têm o direito de defesa não é?- falou ainda segurando minhas mãos.
Sua presença assim tão próximo me deixou fraca.
– Eu sei que não devia ter sido tão rude com você, mas Isabella... eu sou assim. Não sei ser de outro jeito... fora isso que as coisas ficaram complicadas naquele dia. Outra gangue... eu não gosto de falar disso com você. Você não precisa saber sobre isso. Sobre como a minha vida é na verdade. – ele suspirou.
Eu permaneci quieta.
– Você vai me fazer falar não é?- ele falou quando viu que eu não ia voltar atrás. – Temos um trato entre as gangues no subúrbio que se um membro de uma gangue fizer algo com um parente de um membro de uma gangue rival, a gangue prejudicada pode se vingar desta pessoa.
Eu o escutei com o coração aos pulos.
– E naquele dia... soubemos que um membro da gangue do James sequestrou e estuprou a noiva do San. Você deve lembrar-se dele. Ele estava na mesa comigo na festa aquele dia em que você veio.
Eu assenti. Eu me lembrava dele e uma moça.
– Eu me lembro, sim. Meu Deus! Que coisa horrível. – falei. – E vocês... se vingaram?- perguntei sem saber se eu queria ou não ouvir a resposta.
– Sim. Nós fomos atrás desse... animal e James não o quis nos entregar. Tivemos sérios desentendimentos afinal ele estava querendo burlar um trato feito. Bom no fim ele nos disse onde o cara estava e fomo até lá. O cara estava armado e atirou acertando no urubu e bom... quando o pegamos pode imaginar o que aconteceu.
–Vocês o... mataram. – afirmei.
Ele nada disse. Percebi isso como um sim. Então me lembrei da nossa conversa de um tempo atrás.

– Eu preciso saber de uma coisa Edward. Você já matou alguém? – perguntei. Eu sabia que ele devia ter feito muitas coisas erradas, mas para mim isto era o que de mais grave havia, e eu não queria que ele tivesse feito isso.

Ele respirou fundo.
– Eu fiz muitas coisas erradas, mas isso ainda não. – quase respirei em alivio. – Eu falei ainda não Bella, mas acredito que isso possa ocorrer a qualquer momento. – disse parecendo ler meus pensamentos.

Eu não sabia muito que pensar ou fazer. Eu estava ainda paralisada com tudo o que ele havia me contado.

– Eu sei que isso pode mudar muito as coisas entre nós..., mas você precisa entender que nós apenas tiramos do mundo um ser nojento que foi capaz de fazer algo tão sórdido com uma moça inocente. Não estou dizendo que somos santos... bom, então quando voltei ao quarto você estava lá e eu não consegui administrar tudo o que estava acontecendo e descontei em você.
Olhei em seus olhos.
– Me desculpe Isabella. – ele respirou fundo – É só o que posso dizer no momento. Sobre o resto não posso modificar nada.
Ficamos em silencio.
– Você deve estar assustada. – ele disse.
Procurei minha voz para responder a ele.
– Eu estaria mentindo se dissesse que não me assustou...
– Se quiser eu posso ir embora, eu já fiz o que tinha que fazer que era te explicar tudo. – ele se mexeu como se fosse sair.
– Não!... não quero que saia. – falei deixando meu coração comandar minhas ações.
Provavelmente era o que eu devia fazer, deixá-lo ir e nunca mais vê-lo. Ele acabara de confessar que participara de um assassinato e eu não o via como um assassino. Talvez pelo motivo que o levou a agir assim. Meu Deus eu estava tentando justificar ele para absolvê-lo de um assassinato.
Senti sua mão em meu rosto. Nem percebi que estava tão distraída.
– Eu já te falei que não sou o cara certo pra você se envolver, e agora conhecendo seu pai... vejo que eu estou certo. – falou com a mão em meu rosto e me observando atentamente.
Não resisti ao medo de que talvez ele estivesse certo e me inclinei e o beijei levemente nos lábios.
Era incrível a sensação de sentir seu toque, seus lábios, tudo.
– Mas como você disse uma vez Edward você não consegue se afastar de mim, assim como eu não consigo me afastar de você.
Foi o bastou para que ele me puxasse para si e me beijasse com loucura.
Nossas línguas se entrelaçaram em busca do gosto um do outro, e como já estávamos na cama mesmo foi questão de segundos para que eu sentisse o colchão as minhas costas e Edward sobre mim.
Respiramos o mesmo ar quando ele parou de me beijar, mas permaneceu com sua boca colada a minha.
– Já transou na sua cama boneca? – perguntou com a voz rouca carregada de desejo. Pude perceber seu desejo pulsando em sua virilha assim como em meu centro.
Respondi a sua pergunta negando com a cabeça. Ele sorriu safado.
– Acho que vou ter que te dar esta experiência então. – disse apertando seu corpo sobre o meu.
Eu sorri.
– Vamos aproveitar que seus pais não estão em casa. Ai você pode gemer alto boneca. – falou.
Um calor se espalhou por meu corpo. Ele voltou a me beijar de forma intensa.
Eu puxei sua camisa, e ele recuou e tirou a camisa e eu me deliciei em sentir seus músculos sob meus dedos.
– Vamos tirar esta roupa minha linda? – falou.
Ele me ajudou a retirar minha regata e minha calça de moletom. Eu sei nada sexy, mas não tive tempo de me recriminar, pois seus lábios já estavam em minha pele.
Ele beijou meus seios com total delicadeza e devoção no inicio, mas depois seu modo bad boy, com pegada que me fazia enlouquecer, entrou em ação. Ele mordiscou meu mamilo me deixando em brasas.
– Hum... – gemi.
Pude perceber seu sorriso.
– Vou te tratar bem boneca. Vou fazer você se sentir muito bem – falou enquanto se dirigia mais para abaixo do meu corpo.
Minha calcinha desapareceu e então senti a respiração dele em meu sexo.
– Vou te chupar gostoso minha linda até você ficar bem molhada para eu me enterrar em você. – ah era hoje que eu ia morrer.
Ele lambeu meu clitóris de forma tão deliciosa que eu não consegui mais nem pensar em que dia era hoje, que semana, mês.
– Porra Edward! – gemi.
Ele riu e continuou se deliciando com meu sexo. Sua língua ora ia para meu clitóris, ora penetrava minha entrada.
– Eu queira deixar você terminar boneca, mas não vai ser possível. - ele disse já se levantando e ficando nu. Colocou o preservativo e se deitou por cima de mim. Penetrou-me de forma dura e forte.
– Nossa boneca... Ah você está muito molhada e gostosa como sempre.
Coloquei meus pés em sua bunda linda para que ele fosse mais forte e fundo em mim.
– Mais... Mais forte Edward. Me fode forte. – falei sem vergonha do que eu queria dele.
– Vou te foder forte. Boneca... linda. Delicia. – gemeu.
Suas estocadas eras fortes e precisas. Não demorou muito para que trocássemos de posição e eu cavalguei nele. O suor correndo por meu corpo, as mãos dele em todo meu corpo até uma delas entrar em contado com meu nervo rígido e me fazer explodir num orgasmo maravilhoso. Logo ele também gozou forte dentro de mim.
Ofegantes ele me puxou para seu peito. Deitei minha cabeça em seu peito e senti seus beijos em meus cabelos.

Acordei e senti algo quente próximo a mim. Ao olhar era Edward dormindo como um anjo. Um sorriso bobo apareceu no meu rosto. Ele estava aqui na minha cama. Olhei para o relógio e quase surtei. Era quase 06hs da manhã, a felicidade de saber que ele passou a noite totalmente eclipsada por saber que daqui a pouco minha família estaria toda acordada.

– Edward... – sussurrei e não resisti e beijei seu pescoço.
– Hum... – ele fez um bico lindo. Deus! Ele ainda era mais bonito dormindo.
– Edward... Você tem que ir. – tentei levantar, mas eu estava presa sob o braço e a perna dele. – Edward... meus pais daqui a pouco acordam.
Ele se mexeu e se espreguiçou, e eu como a boba apaixonada que era, achei lindo até o seu modo de se espreguiçar. Por favor, Bella! Tenha foco.
– Bom dia boneca. – ele me puxou e me beijou.
– Edward você ouviu o que eu disse?- tentei soar brava, mas meu sorriso me entregava.
– Relaxa delicia. Já estou de saída. Não precisa me expulsar. – ele disse fingindo estar ofendido.
Ele sorriu e eu ri.
– Viu como são as coisas? Nós homens somos como cordeiros de vocês. Vocês nos usam a noite e depois nos expulsam como roupas velhas usadas. – ele dizia enquanto se vestia.
Eu tentava segurar meu riso. Não imaginava que ele era tão bem humorado pela manhã.
– Me desculpe estar sendo rude, mas já pensou se meu pai te pega aqui? Ele iria fazer você se casar comigo. – me arrependi o ato por minhas palavras. Edward me olhou serio – Já nem sei como isso não aconteceu à noite. Eles sempre vêm no meu quarto quando chegam de algum lugar. – desconversei.
– Bom... depois que dormiu eu tranquei a porta. – ele disse.
– Ah – falei.
– Isabella seria mais fácil seu pai me dar um tiro se me pegasse aqui. Eu não sou o cara que ele gostaria que você se casasse além do mais eu não sou homem que se casa, sacou? – ele disse já não tão bem humorado.
Eu queria me chutar por ter falado aquilo.
Ele me olhou um tempo e depois sorriu malicioso.
– Está tentando me distrair? – perguntou.
Entendi ao que ele se referia quando vi que o lençol havia deslizado por meu corpo mostrando meus seios a ele.
– Podemos ser rápidos. - ele disse safado.
Eu comecei a abrir um sorriso quando um barulho do lado de fora da porta nos assustou.
– Acho que vai ter que ficar pra outra vez. – ele sussurrou e foi para a janela.
– Cuidado! Você pode se machucar. – falei.
– Não se preocupe boneca, eu sou forte. Irá me encontrar hoje? – perguntou.
– Não posso. Tenho aula o dia todo. – respondi.
– E amanhã?- perguntou parecendo ansioso.
– Não posso tenho um trabalho. – falei desanimada.
– Ok. Ligue-me quando puder que eu venho buscá-la. Não estou deixando Urubu dirigir.
– Como ele está?- perguntei interessada.
– Está um saco. Todo dengoso parece uma mulherzinha. – falou divertido. – Tenho que ir linda.
Ele veio até mim e me beijou saindo do meu quarto.
Voltei a deitar me perguntando se tudo aquilo não era um sonho.

***

– Que animação filha. – minha mãe disse enquanto eu rebolava ao som da musica que tocava no radio. Eu estava fazendo o suco de laranja para o café da manha.

– É. Acordei animada. – respondi. Nem imagina mãe o que me animou, pensei.
– Que bom filha. – ela disse.
Tomamos café num clima agradável e logo fui para a faculdade. Após passar quase o dia todo por lá voltei exausta pra casa.
Deitada em minha cama após um banho e um lanche eu tive uma ideia perversa. Eu precisava de ajuda, mas com certeza eu a teria.

***

Quando cheguei ao subúrbio urubu estava me esperando. Parei o carro e desci. Não me contive e o abracei.

– Estou tão feliz que esteja bem. – disse com os braços ao redor dele que estava meio sem jeito.
– Nossa não imaginei que tantas pessoas gostassem de mim. – ele disse.
– Você sabe sim Frank que todos adoram você. – falei me soltando dele.
Ele pigarreou.
– Ok certo. Então vai fazer uma surpresa pro chefe é? – perguntou.
Assenti. Eu esperava que ele não soubesse a surpresinha que eu havia preparado.
– Filho da puta de sorte. – Frank disse brincando.
Eu sorri envergonhada.
– Não precisa ficar com vergonha. Elisa não me disse nada só me pediu para encontrá-la aqui. Vocês duas são só segredinhos agora. – ele disse.
– Ela é muito legal.
– Eu sei. – disse com cara de bobo apaixonado. - Hoje vamos falar com os pais dela. - ele disse.
– Ela me falou. Boa sorte pra vocês. Dá par ver que se amam e merecem ficar juntos.
– Obrigado. Você é uma garota muito maneira Bella. Edward não sabe a sorte que tem por ter você.
Mais uma vez fiquei constrangida.
– Chega de papo e vamos lá. - ele disse entrando no carro.
– Edward disse que não estava deixando você dirigir eu disse a ele que já estava a direção dentro do carro.
– Bella... eu só faço de conta que me assusto com o Edward, mas ele não assusta nem criancinha. – deu uma gargalhada.
– Deixa ele te ouvir dizendo isso. - digo indo para meu carro.
– Nem me fala. Ele arranca uma das minhas bolas.
Eu gargalhei. Seguimos até o deposito onde ficava o quarto de Edward. Desci e fui até a janela do carro de Frank.
– Ele vai voltar em 1 hora. A porta está aberta. – falou dando uma piscadinha.
– Pode parar sua mente suja – falei rindo.
Ele deu uma risada e saiu. Fui então para o quarto do bad boy preparar minha surpresa.

Continua...


Notas finais do capítulo

Notas finais:
Chegou a hora de pôr em pratica à aula da Alice.
Kkkk

Spoiler

Edward entrou fechando a porta, ele ainda não tinha me visto. Ele estava indo para o banheiro quando parou. Ele sentiu meu olhar. Virou-se devagar e seus olhos quase saltaram do rosto. Isso meu deu certo prazer.
- Oi. falei mordendo os lábios.
Ele não disse nada. Percebi seus olhos passeando pelo meu corpo.
- Tudo bem eu estar aqui na sua cama? me fiz de inocente.
Ele pareceu voltar a si.
- Cla- claro. engasgou.
Ora! Ora! Se o bad boy também não fica sem palavras.
- Por que não vem aqui. convidei dando um olhar malicioso a ele.
Seu sorriso torto apareceu e ele lentamente veio.
Eu fiquei de joelhos na cama e quando ele chegou até mim, a minha frente, enlacei seu pescoço com meus braços e o beijei.
Ele retribuiu como eu esperava e já ansioso me apertava contra seu corpo. Eu não podia deixar meu desejo por ele me dominar como sempre acontecia senão minha brincadeira iria acabar antes do que eu imaginava.
Afastei-me dele e tirei suas mãos da minha bunda. Ele me olhou atravessado.
- Deita na cama Edward. falei segura. Ele pareceu pensar, mas logo se deitou.
Compartilhar:
← Anterior Proxima → Home

0 comentários:

Post a Comment

Forever

É difícil às vezes olhar para trás e ver quanto tempo passou. As amizades conquistadas e algumas perdidas no caminho. A maturidade que inevitável atinge nossas vidas e altera nossos rumos. Aquilo que nos atingiu não podemos mudar, apenas aproveitar para encher nossa história de belos momentos vividos e aprendidos.
Twilight Moms Brasil é parte de mim e espero que seja de você também, Forever.

Twilight Moms Indica

TWIMOMS BRASIL INDICA: "PROCURA-SE UM MARIDO" DE CARINA RISSI

Uma joia deliciosa de se ler, fluente e brilhante que prende você do inicio ao fim. Desde seu lançamento, fiquei muito curiosa para le...